Quero ser Louco
 
 
Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.132.071
Visitas Únicas Hoje: 577
Usuários Online: 143
Sistema de Busca

 

Artigos
Artigos sobre diversos temas, todos relacionados a igreja e o nossa vida cristã.




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 1635 - Impresso: 55 - Enviado: 17 - Salvo em Word: 44
Postado em: 30/07/09 às 23:55:19 por: James
Categoria: Artigos
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=1&id=2044
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos

Se começo a escrever este novo texto, com um título destes, certamente que os leitores acharão que é verdade, e agora pirei de vez. Mas na verdade o sentido é bem outro! E tem a ver, não somente com a “loucura da cruz”, mas sim com aquela “loucura de Deus” usada pelo Pai, para confundir aos “sábios” deste mundo, para estes, loucura é perdição eterna.

Ontem eu lia o texto de São Paulo em I Cor, onde está dito: “A linguagem da cruz, é loucura para os que se perdem, mas, para os que foram salvos, para nós, é uma força divina. Onde está o sábio? Onde o erudito? Acaso não declarou Deus por loucura a sabedoria deste mundo?” E realmente me veio interiormente aquele sentimento abrasado de ser louco. Mas não o louco que se quer perder, e sim aquele tipo de louco que o mundo considera um estúpido, porque parece completamente divorciado da realidade. Quero com isso ser mais que os outros? Jamais! Quero realmente ser considerado louco!

     Verdade, “o que é estulto no mundo, Deus o escolheu para confundir os sábios; e o que é fraco no mundo, Deus o escolheu para confundir aos fortes”. Noutro dia, um amigo me telefonou dizendo que me achava maluco, por colocar tantos trabalhos pesados no ar. E perguntou se eu não tinha medo de perseguições e coisas assim. Há de fato, alguns textos que mexem diretamente com os poderosos do mundo, com os sábios, com os cientistas. Mas lhe disse que não temia tais coisas, por dois motivos: Primeiro pelo fato de que muitas pessoas rezam pelo nosso trabalho e sinto diuturnamente o influxo benéfico destas orações. Vou, portanto, até onde e como Deus quiser! Segundo, vocês podem achar engraçado, mas eu descobri que para estes arrogantes, a gente é tido como tão burro, que nem vale a pena eles se incomodarem conosco. Que fazem deuses senão deliciar-se com loucos?

     Eis o motivo pelo qual quero continuar sendo chamado e achado de louco! Porque essa loucura para o mundo, o fato de ser achado estúpido, cujas idéias são inócuas, cujos textos são ineficazes, certamente abre espaço para que alguns outros – mais loucos que eu talvez – unam forças com a gente para confundir os sábios e os arrogantes deste mundo – pela via de Deus – e para alertar aos grandes cientistas da terra, para chamar a atenção de grandes e pequenos, do momento único e ímpar do qual a humanidade se aproxima.

     De fato, eu prefiro ser taxado de louco, mas não ser ainda “sábio” a ponto de ser incapaz de perceber os sinais dos tempos. Ai minha loucura realmente confundirá a sabedoria do mundo. Enquanto a ciência busca explicações humanas e racionais, prefiro a loucura de Deus, para ler nestes sinais, a proximidade de grandes convulsões. Quando a Europa inteira nada em rios – dizem que foi a maior enchente dos últimos 500 anos (?) quem estava lá para ver? – os cientistas escapam pela tangente – como sempre – dizendo que o culpado é o El Niño! Quando a Austrália toda vive uma seca monumental, botam a culpa no mesmo coitado. E assim vai! Para eles, explicação científica, para mim loucura: está na Bíblia!

    Eu, louco sim, mas sou ainda capaz de perceber em sinais muito mais tênues da natureza o advento pavoroso de grandes convulsões. Para mim, quando uma simples espécie de ave muda seu curso milenar de migração anual, é sinal grave, para se levar a sério. Para os sabidos deste mundo, pode ser alguma bactéria que lhes alterou o sentido da rota. Para mim, a mudança assustadora do regime das chuvas, é sinal de um desequilíbrio planetário completo e irreversível. Para os grandes e “cientistas”, trata-se de um fenômeno localizado, sazonal, e plenamente explicável. Eles sempre têm uma explicação! Para eles, “sábios”, é mais uma desculpa a arrumar! Para mim, “louco”, um motivo a mais para rezar!

     Da Inglaterra, surgem notícias de que está impossível aos cientistas preverem o tempo com antecedência. As estações estão se antecipando e como resultado todo o ciclo da vida acaba sendo tumultuado; umas plantas florescem antes, outros animais nascem depois do tempo normal e certamente que tudo isso afeta grandemente todo o equilíbrio do planeta. Mas vejam, estes mesmos cientistas, sábios, nada mais fazem do que tentar explicar as coisas de modo racional e ilusório. Eu louco, e muitos outros mais loucos ainda, apenas dizemos que chegou a hora da prestação de contas! Passamos já dos limites do impossível!

     Os sábios, os cientistas, os estudiosos deste mundo, quando se atêm ao comportamento humano, ao avanço sistemático do mal, com o advento de uma decrepitude moral antes impensável, com o aumento da criminalidade a níveis assombrosos, com o aumento das guerras em todo o mundo a índices assustadores, com o aumento da perseguição religiosa, especialmente aos católicos a limites insuportáveis, sempre arrumam uma desculpa para estes desequilíbrios aos quais atribuem as mais estranhas causas. Eu, louco, só lhes digo com simplicidade: ainda nem chegamos ao topo! Ficará pior ainda, muito pior!

     Quando os cientistas econômicos desta Babilônia infernal que inventamos, fundem cucas para explicar a alta do pregão das bolsas, para a alta ou baixa dos juros, para a queda nas arrecadações de impostos, para o tal de superávit primário – a bola da vez – também para os lucros dos bancos, para a falência das empresas, para as falcatruas nos balanços, para a alta ou baixa da inflação, para a queda ou alta do consumo, enfim para toda esta parafernália econômica de hoje, acham-se o máximo em sumidade. Quanto a mim, louco, olho para eles embasbacado e digo: Babilônia! Está próximo o teu dia!

     Quando o mundo político brasileiro se desanda em cuidar das eleições, quando os quatro mais bem cotados à presidência da República trocam farpas entre si – todos santos ninguém bandido – mas todos têm propostas anticristãs e mesmo assim a Igreja manda votar neles; quando todos eles formulam promessas mirabolantes e todo mundo acredita; quando até os católicos votam em comunistas; quando comunistas falam em democracia e democratas falam em socialismo; quando perebentos usam fraque e torneiros vestem Giorgio Armani; quando barbudos beijam crianças, mas como mais cara de quem quer morde-las; quando homens de gravata visitam favelas, e pela milésima vez prometem acabar com elas; quando mentiras mudam pesquisas, e quando TVs elegem presidentes, todos dizem que isso tudo é “democracia”! Mas eu aqui, louco, digo hoje: quem pegar, não leva! Se levar, mal começa! Se mal começar, não termina! E só o leitor, que é louco igual a mim entendeu!

     Quando na Igreja Católica de muitos teólogos e sabidos a oração é posta de lado; quando a Santa Missa dominical é trocada pelos esportes e pelo lazer; quando os padres somem dos confessionários e dão lugar aos diáconos; quando a Missa é substituída pelo culto, embora havendo padre, e o padre some dando lugar ao ministro; quando os leigos não obedecem ao padre, nem o padre obedece ao bispo; quando o povo em massa pede a cabeça do mandato do Papa e a besta se locupleta do trono de Pedro; quando o pecado é tido como um bem, e a santidade é tida como um mal pernicioso; quando as famílias naturais são postas de lado, dando lugar a uniões civis de pessoas do mesmo sexo, dizem os sábios que isso é modernidade. Pode até ser! Moderno, hoje, é passear de braços dados com o capeta! Mas eu, louco, digo: Sodoma! Teus dias estão contados, pesados e Deus logo lhes dará cabo!

    Quando o mundo das religiões modernas se esmera em dar explicações racionais para tudo; quando Deus é feito um moleque que muda planos a toda hora, ou feito um mole que nada faz, nada observa; quando a Justiça divina é taxada de crueldade, mas não é cruel desafiar a Deus; quando o poder de Deus é limitado ao nível de um ser humano, e o nível do ser humano é elevado a categoria de Deus; quando a religião da conveniência pessoal é tida como perfeita, e a Verdade Eterna tem só vez no lixo; quando os homens põem sua esperança em homens e a esperança em Deus é feita idiotice, ai todos eles gritam com um brado uníssono: vencemos a Deus! Ai, eu, louco varrido, encolho-me como um simples verme e tampo os meus ouvidos, para nem escutar a explosão do universo! Buuummm!

    Quando em todas as partes do mundo o satanismo toma conta de tudo; quando vampiros  modernos” fazem novelas, e padres santos são mortos para lhes dar passagem; quando gays “inocentes e engraçadinhos” invadem telas, e os homens normais passam a ser vistos com maus olhos; quando bandidos cometem assaltos sangrentos, porque aprenderam isso nos filmes e nas novelas; quando já não se sabe se alguns homens se tornaram demônios, ou se os demônios viraram gente; quando os cultos macabros, as missas negras, os rituais de umbanda e as sessões mediúnicas tomam conta da mídia, e se tornaram regra, logo todos dizem a um só coro: Viva! Chegamos à Nova Era! Mas, eu, louco, digo bem baixinho para ninguém escutar: só demônios adoram demônios! E o lugar deles não é aqui!

    Quando, enfim, milhares de crianças são sufocadas diariamente nos ventres das mães para o mundo não lhes ouvir os gritos; quando nos monturos de lixo das cidades, milhares de pequeninos disputam restos com os cães vadios e os corvos, quando milhares de pessoas na terra morrem diariamente por causa da fome e da miséria, enquanto outros sentam sobre monstruosos estoques de alimento a espera do lucro; quando as doenças carcomem tudo o que resta da humanidade doente, enquanto a industria dos medicamentos lucra em manter vivo o doente, ao invés de erradicar a doença, ai ouço os cientistas e os sábios desse mundo a dizer: fruto do “progresso! Mas, eu, louco varrido, digo: raça de víboras! Quem vos ensinou a fugir da cólera vindoura?

      E assim poderíamos discorrer longamente sobre os absurdos deste mundo, de sábios, de cientistas, que tudo faz para se livrar de Deus. Para agir como se Deus não existisse, ou como se Ele estivesse morto. Mas meu coração de louco varrido, quanto mais examina as loucuras deste mundo fantasmagórico, mais sente vontade de chorar junto com o Coração de Deus. Se nós, pequenos loucos varridos, conseguimos ver estas poucas coisas, o que não verá o Coração Sagrado deste nosso Deus? Quanto não sofrerá com tantos desvarios?

     Prefiro sim, esta minha loucura, moldada no sofrimento de ver tantas coisas, mas ainda uma loucura humana, que ter a cabeça nas altitudes supremas da ciência diabólica, sendo já incapaz de sentir com a alma. Sim, prefiro ser louco, mas pela salvação das almas, pela conversão dos pecadores, que morrem e que definham imersos no pecado, que ser um sábio para este mundo sem alma, que descrê da vida Eterna, e diariamente desafia a Deus.

    Prefiro ser, sim, um louco de amor pela Eucaristia Sagrada – Deus entre os homens – quando tantos já em nada mais acreditam, que ter o título ufano dos cientistas doutos, mas cuja fronte se dobra é diante de satanás, e não mais diante de Deus.

    Prefiro ter a loucura plena daqueles que são postos em sanatórios, mas que mesmo sendo louco, mantém viva e acesa a chama da fé, que a ter na mente a soma de todas as ciências humanas – um sábio deste mundo – mas ser incapaz de perceber a imensidão da minha própria miséria.

    Prefiro, sim, a loucura daqueles que tem ainda uma gota de sabedoria, que ser o homem mais inteligente do mundo, conhecer todas as ciências, explicar até mesmo o inexplicável e ser dono de todos os títulos, mas ser incapaz de perceber que, sem Deus, não sou capaz de acrescentar nem um sopro ao número dos meus instantes.

    E agora digo a todos estes cépticos, incrédulos, ateus, atoas, cegos, surdos, mudos, ineptos e mentecaptos, deste tempo de tantos malefícios, mesmo que tenham até o título de “doutor” e de cientista, ouçam bem: quando todas as vossas explicações falharem, quando todas as vossas previsões derem erradas, quando tudo aquilo que vocês criaram na tentativa idiota de viver sem Deus EXPLODIR, tirem, pelo menos um segundo de vosso tempo, para ouvir os “loucos” como eu! Só eles têm a resposta exata! 

    Sim! Loucos de amor por Jesus! Loucos de amor por Maria! Loucos de amor pela nossa Igreja Católica e loucos de amor e de zelo pela casa de Deus.

Sim, loucos e felizes! Porque estamos nas mãos do Pai Eterno!

Só Ele é Poder, é Saber... e é Explicação!



www.paideamor.com.br





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 30/07/09 às 23:55:19 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.


Visite o espacojames nas redes sociais:



LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES