Espacojames


Página Inicial
Listar Vassula Mensagens




Artigo N.º 4527 - Vassula Ryden: 1987 - Abril
Artigo visto 2853 vezes




Visto: 2853
Postado em: 09/03/10 às 08:51:45 por: James
Categoria: Vassula Mensagens
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=149&id=4527
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Vassula Mensagens

Todas as Mensagens repassadas a Vassula Ryden em Abril de 1987

 

EU TENHO SEDE DE AMOR
(3 de Abril, 1987)

 

- Eu vigio-te, lembra-te. Nós estamos unidos. Eu sou Javé e amo-te.

- Também eu Vos amo, Senhor.

- Alimenta-te de Mim. Eu amo-vos a todos. Disse que o Meu Reino, na terra, será como o é no Céu; extirparei todo o mal e reforçarei os Meus servidores devotos. Sou Javé e a Minha Palavra é segura, não tenhas medo, pequena, porque sou Eu que conduzo as coisas, Eu sou o Altíssimo! Oferecerei o Meu Pão a toda a humanidade, aplacando assim a sua fome; mas quero dela uma retribuição de amor. Eu tenho sede de amor, diz-lhes; que se saiba como os Meus Lábios estão ressequidos pela sede.

Ouvi-O. A Sua Presença era clara Os Seus Lábios estavam secos, gretados e inchados. Tinha dificuldade em falar, porque a Sua Boca estava seca e com dificuldade podia articular a Língua. Poderia dizer-se que tinha chegado do deserto, onde teria estado sem água por muitos dias. Era uma imagem lastimosa.


 

 

AS MINHAS OVELHAS ESTÃO DISPERSAS
(4 de Abril, 1987)


Durante a minha estadia na Suíça, observava a gente e o seu modo de viver. Muitos, como em qualquer outro lugar, têm problemas quotidianos, alguns mais que outros. Muitos parecem descontentes e em plena luta. Antes que Deus me aproximasse, não o tinha nunca notado.

- Sim, Vassula. Eu quero que tu vejas tudo e ouças tudo aquilo que dizem. Eu aflijo-Me com o ouvir e observar os Meus cordeiros. Por que Me esqueceram, a Mim que sou o seu Consolador? Eu posso consolá-los, podem dirigir-se a Mim.

Neste momento, interrogava-me a mim mesma se seria Javé ou Jesus.

- Vassula, Eu sou Uno, sou Uno! Vassula, Eu sou Deus, que vos deu a Vida. Eu fixei a Minha Palavra. Eu vim à terra em carne. Eu sou Uno, a Santíssima Trindade é Una, Eu sou Uno!

Pensava que já teria aprendido tudo isto dos padres.

- Comigo, tu aprenderás.

Mais tarde.

- Minha filha, quando tu compreenderes quanto o mundo se tornou indiferente a Meu respeito, compreenderás, então, a Minha amargura. O Meu Cálice de Misericórdia está cheio e o Meu Cálice de Justiça também o está, igualmente. O mundo aflige-Me, enche-Me de amargura, criando revoluções e revoltando-se contra Mim e contra a Minha Lei. Eu sou o próprio Deus Vivo, mas o Meu povo já não conhece o temor, desafia-Me, provoca-Me! Criá-lo, foi uma alegria para Mim. Por que se revoltam contra Mim? A quem poderão, então, dirigir-se? Eu sofro. Para onde pensam ir? O Meu Corpo está cansado e ferido, o Meu Corpo tem necessidade de repousar e ser aplacado.

- Referis-Vos á Igreja, Senhor?

- Sim, o Meu Corpo é a Igreja. Vassula, Eu desejo consolidar a Minha Igreja, desejo reunir todos os Meus padres, como em exército, um exército de salvação. As Minhas ovelhas estão dispersas, todos os padres se devem unir.

- Meu Deus, eu sou batizada, greco-ortodoxa. A quem Vos referis Vós, Meu Senhor? Aos católicos, aos protestantes, a outras religiões ou seitas? Se me atrevo a perguntar-Vo-lo é porque este problema existe realmente.

- Ó Vassula, Vassula, Eu não sou senão Uno; Eu, Deus, não sou senão Uno. Os Meus filhos foram todos criados pela Minha Mão. Por que estarão assim, todos dispersos? Eu desejo a unidade 1 . Quero que os Meus filhos se unam. Eu sou um só Deus e eles devem compreender que a Santíssima Trindade é um Todo Uno! O Espírito Santo, o Pai Santo e Jesus Cristo, o Filho, todos os Três são Uno. Vassula, agarra-te a Mim, aprende de Mim.

- Meu Deus, e a Luz?

- Eu sou a Luz, Eu sou Uno.


1 a Unidade. Eu nem sequer me atrevia a pensar em todos os desejos de Deus! Compreendi...
 


 

 


CRIATURA, VIVE NA MINHA LUZ
(5/6 de Abril, 1987)


- Vassula, Eu amo-te infinitamente. Far-te-ei sentir o Meu Amor, levando-te a tocar o Meu Coração.

Apoiei a minha mão no Seu Peito e senti o bater do Seu Coração.

- Cada palpitação do Meu Coração é um apelo feito a uma alma. Suspiro por que os Meus bem-amados Me ouçam e se aproximem de Mim. Hoje, tomei conta da essência do teu amor por Mim, a fim de Me servir dela para curar uma alma.

E eu senti-O...


- Criatura, vive na Minha Luz 1 .

- Eu amo-Vos Senhor.

- Mulher, vive em Mim 2

- Ensinai-me a amar-Vos mais.

- Bem-amada, vem, deixa que te esconda no Meu Coração 3 , trabalha Comigo, não te canses nunca de escrever, não te esqueças da Minha Presença.

 

(Duas semanas antes da Páscoa ortodoxa)

- Vassula, prepara-te para os Meus tormentos, dedica-te a Mim, sentirás as Minhas penas, Eu preparo-te para a Minha Crucifixão. Eu sofrerei, mas tu partilharás dos Meus Sofrimentos, bem-amada, sentirás a Minha angústia e as Minhas Feridas. Sofrerás por Mim?

- Eu farei a Vossa Vontade.

- Vem, descansemos um no outro.



1 o tom da voz do Senhor era severo
2 o tom da voz do Senhor tornou-se mais doce
3 o tom de voz do Senhor tornou-se agora terníssimo, cheio de amor
 



DAR-TE-EI A MINHA CRUZ
(7/8 de Abril, 1987)

 

Senti que a mensagem me esmagava e que estava sozinha, com a Palavra de Deus, demasiado pesada sobre mim. Não sabia que fazer para a tornar mais leve! Senti-me fraca, sem qualquer explicação possível; e sozinha, sozinha com semelhante fardo.

- Vassula, já alguma vez te abandonei? Eu sou Deus, apoia-te a Mim, tem confiança em Mim.

- Devê-lo-ia sim; mas há momentos em que tudo isto é mais forte do que eu. Acontece, a meu pesar, e sinto-me bem responsável por isso.

- Minha filha, tem paciência, tem confiança em Mim, vem a Mim, e Eu te consolarei.

- Eu amo-Vos ó Pai para além de todo o limite.

Sentia que Ele estava disposto a vir-me consolar.

- Eu amo-te, Minha filha. Far-te-ei sentir os Meus Sofrimentos, quando se aproximar a Minha Crucifixão. Eu virei a ti e deixar-te-ei os Meus Cravos e a Minha Coroa de Espinhos. Dar-te-ei a Minha Cruz. Bem-amada, partilha dos Meus Sofrimentos. A tua alma sentirá as angústias que Eu tive; as tuas mãos e os teus pés sentirão as dores atrozes que Eu sofri. Vassula, Eu amo-te e, uma vez que és a Minha esposa, desejo partilhar contigo tudo aquilo que tenho. Acredita-Me, tu estarás Comigo. Não tenhas medo, porque Eu, Jesus, estou contigo. Vem! Lentamente, compreenderás como Eu atuo. Vive na Minha Paz, bem-amada, que Eu preparei um lugar para ti.

 

8.4.1987

 

Hoje, tenho algumas coisas a despachar, mas não posso deixar de escrever a Deus. E, então, perguntei apressadamente a Jesus:

- Uma palavra, Jesus, só uma palavra!

- Uma palavra, Vassula? "AMOR".

- Amo-Vos!

Esperava uma pequena frase, quando Lhe pedi uma palavra!
 


 

 

DESENHA O MEU SINAL
(9/10 de Abril, 1987)


No decurso da minha estadia na Suíça, interrogava-me sobre a minha futura morada. Estamos ainda a procurar, girando, girando. Vi Jesus que mostrava o Seu Coração.

- Sente a Minha Presença. A tua morada é aqui... justamente no centro do Meu Coração! Minha filha, glorifica-Me, puxando almas para Mim.

Minha irmã mais velha leu as mensagens pela primeira vez. A impressão que delas teve foi tal que pôs fim a uma intriga familiar que durava há oito anos. No seu regresso a Rodi, onde habita, mostrou as mensagens a seu marido. À noite, ele leu os cadernos números 5 e 6. Antes de adormecer, sentia-se comovido e fez uma oração, pedindo a Deus perdão dos seus pecados. Já com os olhos fechados, de repente, pareceu-lhe sentir-se transportado a um jardim belíssimo. Viu uma pequena luz avançar para ele, a jeito de uma vela. Essa luz tornava-se cada vez maior. Quando sentiu a Presença de Deus muito próxima, começou a tremer e chorou. Depois, a luz envolveu-o e ele perguntou: "Jesus, sois Vós?".

Esta visão é precisamente a mesma que eu tive e que descrevo no caderno n. 9.

Mais tarde, na Suíça, encontrei numa livraria um livro com o título "O livro de Enoch". Antes de o oferecer a minha irmã, dei-lhe uma olha dela e o meu olhar caiu por sobre uma passagem em que Enoch fala de uma sua visão: a da Luz. A descrição que dela fazia era idêntica à que eu fiz no caderno n. 9: com milhões de anjos que circundavam esta Luz! Deus terá querido provar-me a verdade da minha visão!

- Eu amo os Meus cordeiros. Junta os Meus cordeiros. Todo aquele que ler a Minha mensagem comerá do Meu Pão; aqueles que tiverem um sinal Meu serão aqueles que Eu desejo iluminar com a Minha Graça 1 . Desenha o Meu Sinal.


- Vassula, começa a resumir a primeira parte desta mensagem. Guiar-te-ei, iluminando-te. Tudo aquilo que havia sido repetido, era necessário para a tua educação, tinhas necessidade disso. A Minha mensagem deve chamar-se Paz e Amor.

É terrível, sou demasiado realista, demasiado céptica. Hoje, não posso deixar de ter dúvidas, novamente. Por que serei assim tão inconstante? Apesar disso, sei perfeitamente que não posso controlar a minha mão e que perco todo o domínio ou poder quando Deus me "pega nela". Pode tirar-me o lápis da mão, tal como pode guiá-la, tocando-a, apenas! Tudo isto me acontece! Ele tem-me dado tantas provas e, contudo, eis que me não faltam ainda as dúvidas, e tantas vezes! Com o temor de arrastar a todos para o erro!

- Bem-amada, Eu sou Javé, dá-Me as tuas fraquezas e deixa que a Minha Força as aniquile.

Que paciência Deus deve ter comigo, para me suportar... Creio ser eu a causa principal das minhas dúvidas, porque me conheço e me comparo com aqueles que experimentaram também a aproximação sobrenatural de Deus e receberam mensagens: como eram bons e devotos! É isto que me impressiona. E como comparar a noite com o dia. Todavia, admito uma coisa positiva: pelo menos, amo a Deus profundamente e, isto, ninguém poderá dizer-me que é fruto da minha imaginação; ou, como me disse um padre, que mesmo isto me poderia ter sido metido na cabeça pelo demônio! Se estivesse para ouvir tudo aquilo que a gente diz, dava em louca.

Hoje, ouvi dizer a uma senhora que começou a estudar Freud, que tudo isto poderia encontrar-se no meu subconsciente: um complexo de amor a Deus! Amar a Deus significa, pois, ser psicologicamente doente? A sua teoria, ou a de Freud, não me impressionam de fato. Deus advertiu-me dessas teorias, a respeito das quais me irão acusar. E, além do mais, não gosto de Freud, que era ateu, e para o qual nós seremos apenas matéria. Também Jung o ignorou!

- Minha pequena, os homens julgaram sempre de um modo puramente humano. Eu sou um Deus de Misericórdia e de Amor, mas bem pouco compreendido...

- Mas, Senhor, Vós escolhestes uma pessoa que não é boa e é esta a razão pela qual tenho dúvidas, algumas vezes!

- Tu és também Minha filha! Eu amo mesmo os mais miseráveis de todos Vós!


- Lembra-te: a Minha Crucifixão durou horas, sofri por muitas horas, todo o Meu Sangue foi derramado. Eu amo-te, vem e consola-Me, amando-Me.

Durante estes dias, Jesus lembrava-me constantemente a Sua Crucifixão, dando-me imagens dela. Às vezes, sinto a Sua Presença tão completa que tenho a impressão de O tocar concretamente e sentir mesmo o ar mover-se, a cada um dos Seus movimentos!



1 Deus fez-me compreender que, a todos aqueles que lêem a Sua mensagem e tem dúvidas, Ele mesmo Lhes dará um sinal da Sua Graça para os atrair a Si: às vezes, pelo perfume do incenso ou por uma visão
 


 

QUINTA-FEIRA SANTA
(16 de Abril, 1987)

(Páscoa Ortodoxa)


- Vassula, Eu estava presente, na Minha igreja; caminhava, diante da Minha Cruz; parei, alguns segundos, diante de ti 1 . Minha filha, por todos estes anos, Eu esperava que tu fosses à Minha tão amada igreja 2 .

- Senhor e Salvador, Vós, na verdade, procurastes-me, encontrastes-me e levastes-me a Vós e à Vossa igreja. Anos... esperastes-me durante anos!

- Fiquei diante da Minha Cruz e abençoei cada uma das pessoas que Me vieram adorar.


1 extraordinariamente, durante a procissão da Cruz, o padre devia dar a volta à igreja, levando uma Cruz de dois metros. Uma vez que estava bastante escuro, o padre não via bem o caminho e parou alguns segundos diante de mim, antes de continuar. A minha prima estava comigo e notou-o
2 não tinha vindo a esta igreja, nem a nenhuma outra, desde o batismo de meu filho mais velho, portanto há 15 anos

 


SEXTA-FEIRA SANTA
(17 de Abril, 1987)

No fim da Missa, Sexta-Feira Santa, o padre distribuiu as flores que cobriam o Túmulo de Jesus, deu pequenos ramos aos fiéis. Eu recebi apenas três flores. Interpretei esta circunstância como sendo um sinal de Deus, a querer recordar-me o Mistério da Santíssima Trindade, que devo ter em mente.

Passaram-se dois dias sem escrever com Deus e sinto esta falta de um modo terrível, na medida em que, quando escrevo, estou como que em meditação, estou em contato com Deus e sinto-O intensamente.

- Meu Deus, há quanto tempo!

- Quanto tempo?

- Dois dias!

- Dois dias, Vassula? E Eu, que esperei anos, que poderei dizer?

- Fico sem palavras, Jesus. Arrependo-me de Vos ter magoado. Perdoai-me!

- Vem, que Eu perdôo-te. Tudo quanto Eu desejo das Minhas bem-amadas almas é que Me deixem agarrar o seu coração só por alguns minutos e nele Me deixem derramar o Meu Amor superabundante.

Jesus falou com tanta ternura e amor! Quando Deus Se aproxima de mim para me dar uma mensagem importante, o demônio ou os espíritos malignos atacam-me. Fisicamente, não sinto nada; tudo quanto lhes é permitido, nesta mensagem, é manifestarem-se por escrito. Insultam-me e amaldiçoam-me deste modo. Desde que Deus me ensinou a reconhecer as suas palavras e distinguir a diferença, eu impeço-os de terminar, deixando-os furiosos. Se não me dou conta deles rapidamente, Deus bloqueia a minha mão e não posso mais escrever. Estes ataques são tanto mais fortes, quanto mais importante é a mensagem. Agora, compreendi o seu modo de agir... e, desta forma, não renuncio, mesmo que me sinta desanimada.

 



EU LIBERTEI-TE
(23 de Abril, 1987)

As vezes, interrogo-me sobre o que seja a liberdade. Já antes da chamada de Deus eu me sentia "livre". Tinha uma vida familiar harmoniosa e não tinha nenhuma preocupação que me esmagasse como esta mensagem; mas, então, andava muito afastada de Deus. De repente, Deus agarrou-me. A princípio, isto não me era agradável, porque não Lhe tinha amor; mas, em pouco tempo (3 meses), instruiu-me e ensinou-me a amá-Lo. Agora, passados oito meses, a mensagem está quase completa 1 . A mensagem pesa sobre mim e eu tento a forma de me aliviar: é tão difícil de levar! Afinal, que é a liberdade?

- Eu, o Senhor, te ensinarei o que é a liberdade. Escreve:

A liberdade é quando a tua alma se separa das solicitações do mundo e voa para Mim. Eu, Deus, vim e libertei-te. Tu, agora, és livre.

Quando estavas agarrada ao mundo, Vassula, eras prisioneira de todas as suas tentações; mas a tua alma, agora, como uma pomba, foi liberta. Tu estavas numa gaiola, bem-amada, numa gaiola... Deixa que a tua alma voe livremente, deixa-a sentir a liberdade que Eu dei a todas as Minhas almas, como Graça por Mim oferecida, mas que tantas delas recusam. Não te deixes prender para não seres de novo ligada e aprisionada: Eu libertei-te. Enquanto passava, Eu mesmo te vi na tua gaiola; lentamente, murchavas e quase morrias, Vassula. Como poderia o Meu Coração ter-te visto assim, sem te libertar? Vim e abri a tua gaiola, mas tu não podias servir-te das tuas asas, porque as tuas feridas eram tão graves! ... Então, Eu mesmo te conduzi para a Minha Morada, curando-te meigamente, e permitindo-te, assim, voar de novo. Agora, o Meu Coração alegra-Se tanto, ao ver a Minha pequena pomba voar livremente e ficar justamente onde deveria ter ficado logo desde princípio! 2 .

Eu, o Senhor, libertei-te, restabeleci-te, libertei-te da tua miséria e os Meus Olhos não te perdem mais de vista. Eu vigio a Minha pomba, que voa livremente, sabendo muito bem que tu voltarás sempre a Mim, porque reconheces o teu Salvador e Mestre. A tua alma tem necessidade do Meu calor e tu sabes que a tua morada, agora, é no centro do Meu Coração, onde, desde sempre, Eu desejava que tu estivesses. Tu, agora, pertences-Me e Eu sou o teu Mestre, que te ama.

Pensei que, voltando a entrar na Suíça, poderia vir a mudar.

- Vassula, Eu não permitirei que te manches de novo. Não temas, estarei sempre ao pé de ti, para te purificar. Tenho as Minhas razões para que estejas lá em baixo.

Começava a querer adivinhar as Suas razões.

- Quero que as Minhas Sementes sejam semeadas na Europa. Sê a Minha semeadora, Vassula; vive no meio da gente que Me ofende. Que os teus olhos vejam tudo e observem aquilo em que a Minha Criação se tornou; que o teu coração sinta como Eu conto tão pouco para eles; que os teus ouvidos ouçam como a Minha Criação Me profana e Me ofende. E a tua alma não se revoltará? Não te revoltarás, quando vires e compreenderes como o Meu povo Me esqueceu?

Vassula, a tua alma será exposta à maldade, à indiferença, às piores iniquidades e aos abomináveis abismos do pecado do mundo. Como uma pomba, voarás por sobre eles; observarás o mundo, vendo, com amargura, todas as ações; tu serás a Minha vítima, o Meu alvo. Como caçadores na pista da sua presa, dar-te-ão caça e pegarão em armas para te perseguir, porão a tua cabeça a prêmio para te destruir.

- Senhor, mas que me irá acontecer?

- Dir-te-ei apenas isto, Minha filha: nada será em vão. As sombras da terra dissipar-se-ão e afastar-se-ão. A lama desaparecerá sempre, com as primeiras pingas de chuva, mas a tua alma não morrerá jamais! Eu, o Senhor, lembro-te a resposta que deste a uma pergunta Minha. Uma vez, perguntei-te: "Qual a casa mais importante: a tua ou a Minha?" Tu respondeste-Me corretamente, dizendo que a Minha é mais importante.

- Sim, disse-o.

- Eu ter-te-ei sempre no Meu Coração: Amo-te.

- Também eu Vos amo.

- Vamos, não esqueças nunca a Minha Presença!



1 assim o pensava eu, então!
2 Jesus dizia tudo isto com uma grande alegria, respirando profundamente


 

SÊ UM NADA E DEIXA-ME SER TUDO
(26 de Abril, 1987)

- Deixa que te diga, Minha bem-amada, que Eu concebi os Meus Desígnios, ainda antes de tu nasceres. Trabalharemos sempre juntos, quere-lo?

- Quero-o, se Vós me aceitardes com a minha incapacidade, meu Deus.

- Eu amo-te, Vassula, e ajudar-te-ei. A semana passada, foste agredida e atormentada pelo demônio. Apesar disso, Eu escrevi todas as palavras que quis. Protegi-te.

- Quando o demônio me amaldiçoou?

- Sim, enquanto ele te amaldiçoava de um modo infame, Eu abençoava-te e protegia-te.

Mais tarde.

- Deixa que te diga, Vassula: quanto menos tu fores, mais Eu serei. Permite-Me que atue em ti e que faça a Minha Vontade em ti. Sê nada. Sente-te um nada e deixa-Me ser tudo, a fim de que a Minha Palavra alcance a extremidade do globo e as Minhas Obras de Paz e de Amor conquistem todos os corações. Permite-Me que te lembre a tua miséria, a fim de que o lembrá-la te impeça de te exaltares pelas Graças que te dou. Sê o Meu altar puro... Pescadora de homens, estende a Minha Rede de Paz e de Amor por todo o mundo. A seguir, retira-a e deixa-Me rejubilar com a sua boa pesca! Quando Eu vivia sobre a terra, ensinei um pequeno grupo de homens a serem pescadores de homens. Deixei-os no mundo, para que difundissem a Minha Palavra a toda a humanidade. Eu, o Senhor Jesus, instruir-te-ei e mostrar-te-ei como se realizou este trabalho.

Que poderei dizer, como poderei eu estar à altura de fazer qualquer coisa e, ainda por cima, uma semelhante missão! Sinto que a mensagem me pesa cada vez mais. Desejaria dar uma satisfação a Deus, mas com que meios? Não entrevejo senão uma bem grande montanha, diante de mim.

- Eu levo a Minha Cruz contigo. Sim, é realmente pesada, mas não te canses, porque Eu, o Senhor, ajudo-te. Mantém-te ao pé de Mim, que Eu não te abandonarei.

E, contudo, ela é mesmo muito pesada. Jesus encoraja-me a continuar.

- Vassula, acaso te não tenho Eu ajudado sempre? E então, por que te iria Eu abandonar, agora? Apoia-te inteiramente a Mim, tem confiança em Mim. O que iniciei e abençoei, levá-lo-ei a seu termo.


 


MAS VOLTA SEMPRE
(27 de Abril, 1987)


- Vassula, Eu sou o Senhor. Estou diante de ti.

Jesus estava diante de mim, sorridente e fazia-me sentir a Sua Presença. Com as Suas Mãos, mantinha aberta a Sua túnica, para mostrar-me o Seu Coração. O Seu Peito estava iluminado.

- Entra no Meu Coração, penetra e deixa que te absorva. Deixa que o Meu Coração encante o teu coração, inflamando-o, deixando-o ardente e radiante na Minha Paz e no Meu Amor. Vem, estejamos juntos; permite-Me que seja o teu Santo Companheiro. Quere-lo, filha Minha?

Eu sinto-me incapaz de O aproximar. Quem sou eu, para O aproximar? Dou-me conta da indigna que eu sou. Como poderemos nós atrever-nos a falar com Deus? Nós, que somos pecadores ingratos! Ousar pedir-Lhe favores, nem falar; e, ainda menos, entretermo-nos a conversar com Ele! Somos tão miseráveis e indignos! Isto faz-me sentir mal! Tenho mesmo vontade de me amordaçar e, agora, na Sua Presença, pus um véu entre mim e Ele.

- Minha filha, que fizeste? Porquê, Minha filha, porquê?

- Para Vos respeitar, meu Senhor.

Vi um Pão, na Sua Mão.

- Quero que comas. Toma o Meu Pão, pequena. Deves afastar esse véu para tomar o Meu Pão 1 . Vem, que Eu acabarei com esta separação... Vamos, pega no Meu Pão, aproxima-te!

Tomei o Pão, da Sua Mão.

- Dás-te conta da Minha alegria, quando te alimento?

Jesus estava feliz e cheio de Amor.

- Sentes a Minha alegria, Vassula? Dá-Me as tuas fraquezas e a tua miséria, para que Eu as aniquile na Minha Força e na Minha Misericórdia. Pombinha, voa livremente, mas volta sempre e toma o Meu Pão. Eu amo-te.

- Também eu Vos amo. Senhor.

Depois disto, por todo o dia, sentia o Seu Amor a envolver-me. Como poderei eu defini-lo? Estado de êxtase? Neste estado, senti fortemente a Sua Presença.

Mais tarde.

- Tu viste o Meu Santuário, onde entramos e onde permiti aos teus olhos que vissem como ele é guardado pelos Meus Serafins. Hoje, mostrar-te-ei aquilo que está no interior do Meu Santo Santuário. Vês esse raio tão forte projetado sobre as Minhas Santas Escrituras?

- Sim, Senhor.

- Elas são as Minhas mais Santas Escrituras, escritas antes que Eu mesmo vos criasse. O Meu Livro Santo contém os segredos e as chaves dos Meus Céus e de toda a Minha Criação. Perto do Meu Livro Santo, pus dois Arcanjos que guardam, com ardor, as Minhas Santas Escrituras. Vem, e mostrar-te-ei algo mais da Minha Glória, pequena.

Deus conduziu-me a um lugar, onde me não sentia à vontade.

- Vês aquela montanha de fogo?

Parecia bela mas ameaçadora.

- Por um lado, correm dois rios; ambos são de fogo.

Parecia correr lava, neste rios, mas de um vermelho mais claro que a lava.

- Eu, o Senhor, separarei, no dia do Meu Juízo, os maus dos bons. A seguir, todos os servidores de Satanás serão lançados nestes dois rios de fogo e punidos assim, diante dos olhos dos justos. Vassula, Eu permitirei aos teus olhos que vejam outros Meus Céus, porque há ainda muitos outros por detrás do Meu Santo Santuário. Criatura, a Minha Vontade será feita, porque Eu sou Deus, Javé Sabaoth. Deixa-Me livre de agir em ti, trabalharemos juntos com amor, até que Eu estabeleça as Minhas Obras; e, quando o tiver feito, virei ainda, com o Meu Santo Livro, e far-te-ei ler uma passagem que tu escreverás, selando, assim, a Minha mensagem de Paz e de Amor.

A meio da noite, fui despertada por um forte grito que sentia vir de Jesus, na Cruz. Este grito era repleto de angustia, sofrimento e pena, doloroso e amargo. Era como um gemido fortíssimo!



1 tudo é simbólico. Ele exprime-Se com as Palavras do Evangelho

 


 

MEU ÚLTIMO GRITO DA MINHA CRUZ
(29 de Abril, 1987)

- Eu sou o Senhor Jesus, tu ouviste o Meu Grito, era Eu. Ele despertou-te 1 . Gritei da Minha Cruz. Era o Meu último Grito, que Eu mesmo dei, quando estava ainda na carne; um Grito cheio de sofrimento, pena e amargura, que ressoava das profundezas da Minha Alma e penetrava nas alturas dos Céus. Esse Grito sacudiu os fundamentos da terra e rasgou os corações daqueles que Me amavam tal como rasgou o véu do Templo. Estimulou os devotos servidores a seguir-Me, como despertou os mortos nos seus túmulos, revirando a terra que os cobria, tal como revirou também todo o Mal. Fortes trovões atordoaram as alturas dos Céus e todos os Anjos se prostraram, a tremer, e Me adoraram em silêncio. Minha Mãe, de pé, junto de Mim, ao ouvir o Meu Grito, caiu de joelhos, cobrindo o Rosto, lavado em lágrimas. Ela trouxe em Si mesma este último Grito, até ao dia da Sua Dormição... Ela sofreu... Estou embebido de amargura, sofrendo cada vez mais pelas inúmeras iniquidades do mundo, pela maldade, pela deslealdade e pelo egoísmo. O Meu Grito cresce dia a dia, cada vez mais. Fui deixado sozinho, na Minha Cruz; sozinho, a carregar com os pecados do mundo sobre os Meus ombros; sozinho, a sofrer; sozinho, a morrer, derramando o Meu Sangue, que cobriu a terra inteira, salvando-vos, Meus bem-amados. Este mesmo Grito é agora, sobre a terra, como que um eco do passado. Viverei Eu, porventura, nas sombras do passado? Foi vão o Meu Sacrifício? Como podereis vós não sentir o Meu Grito, da Cruz? Por que fechais os ouvidos e O ignorais?

- Senhor, para quem é esta mensagem?

- Para todos aqueles que têm ouvidos para ouvir o Meu Grito.

Estava comovida, ao saber como Ele sofreu tudo sozinho e como sofre ainda.

- Meu Deus, aceito ser como Vós desejais que eu seja e me indicastes na Vossa mensagem de 23 de Abril: a Vossa vítima, o Vosso alvo. Fazei que eu leve a Vossa Cruz por Vós e que possa fazer-Vos repousar, fazei que Vos console. Não estou só, como eu própria me lamentava antes 2. Estou Convosco!

- Amo-te, pombinha. Favoreci-te com todas as Minhas Graças, permite-Me que te utilize para os Meus interesses e para a Minha Glória; não retenhas nada para ti e olha só para os Meus interesses. Glorifica-Me, trabalha para Mim, junta os Meus sofrimentos aos teus.

- Desejaria tanto que o mundo inteiro louvasse o Vosso Nome e que a sua voz Vos alcançasse.

- A Unidade reforçará a Minha Igreja, a Unidade glorificar-Me-á. Vassula, ama-Me.

- Ensinai-me a amar-Vos como Vós o quereis, Senhor.

- Ensinar-te-ei, não te abandonarei, não te canses de levar a Minha Cruz; estou perto de ti, bem-amada, compartilhemo-La.

Paris, no dia de Páscoa.

Quando o Arquimandrita, examinada a mensagem, me disse: "É um milagre", pensei também eu ser maravilhoso que Deus nos dê uma mensagem. Mas, por outro lado, é também terrível; terrível, porque nos revela um Deus triste, um Deus sofredor. Deus dá uma mensagem em que Ele mesmo é agonizante, triste e abandonado. É uma mensagem triste.

- A minha alma fez algum progresso Convosco, Jesus?

- Vassula, Eu, Jesus, estou diante de ti e, na verdade, tu cresces. Redimi-te dos mortos e alimentei-te. Tu comes o Meu Pão, a Minha Luz resplandece em ti; sou o teu Mestre e tu aprendes da Sabedoria.

- Jesus, muitas vezes, lembro-me de que continuo pequena e sou um nada. E agora, dizeis-me que cresço?

- Sim, tu deves crescer em espírito, em amor, em modéstia, em humildade, em fidelidade; faz com que todas as virtudes cresçam em ti e, contudo, liberta-te da vaidade, da maldade e de todas as ações desagradáveis e detestáveis aos Meus Olhos. Quero que te tornes perfeita.


1 num duplo sentido, também simbólico
2 retiro aquilo que disse, no princípio da mensagem do dia 7.4.1987


 

 

EU SOU O ELIXIR DA VIDA E DA RESSURREIÇÃO
(30 de Abril, 1987)


- Jesus, hoje, pedir-Vos-ei, se Vós o quiserdes, que me deis uma mensagem especial para alguém que esteja a morrer.

- Morrer 1 . Ela não morre; a sua alma será liberta: ela será liberta e viverá! Ela virá a Mim, a sua alma será liberta. Escreve-lhe e diz-lhe como Eu procuro cada alma; como alimento as almas esfomeadas; que o Meu Pão dá a Vida Eterna; como curo os doentes. Faz-lhe saber que Eu sou o Elixir da Vida e da Ressurreição.

Jesus deu-me uma mensagem pessoal para esta pessoa.



1 Jesus estava maravilhado com as minhas palavras

 


Fonte:
http://www.tlig.org/pgmsg/pgindex.h
tml

 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 6.839.927
Visitas Únicas Hoje: 1.122
Usuários Online: 307