Espacojames


Página Inicial
Listar Vassula Mensagens




Artigo N.º 4639 - Vassula Ryden: 1987 - Junho
Artigo visto 2738 vezes




Visto: 2738
Postado em: 20/03/10 às 08:32:29 por: James
Categoria: Vassula Mensagens
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=149&id=4639
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Vassula Mensagens

Todas as Mensagens repassadas a Vassula Ryden em Junho de 1987

 

RECRUCIFICARAM-ME
(1. de Junho, 1987)

- Vassula, ambas as Minhas Mãos estão chagadas, ambos os Meus Pés estão chagados, o Meu Peito está completamente aberto, a ponto de mostrar o Meu Coração. Recrucificaram-Me.

- Senhor!

- Eles prejudicam a Minha Igreja!

- Senhor, é assim tão terrível?

- Sim, o Mal cegou-os; o amor falta no meio deles; não são sinceros; deformaram a Minha Palavra; chegaram mesmo a mutilar o Meu Corpo; o Meu Cálice de Justiça está cheio; não o deixeis transbordar! Quero que deixem de sufocar o Meu Corpo; Eu, Jesus, sou Amor. Quero que cessem de se atirar, uns contra os outros, setas envenenadas. A harmonia entre si reparará uma parte do dano já causado, a sinceridade desmascarará o Mal. Para quê tantas cerimônias, quando, em verdade, não têm nada a oferecer-Me? Tenho necessidade de pureza, de amor, de fidelidade, de humildade, de santidade. Procurai em Mim tudo aquilo que Eu desejo e Eu mesmo vo-lo darei. Procurai os Meus interesses e não os vossos. Glorificai-Me, honrai-Me. As palavras não bastam; atos de amor e de colaboração vivificarão o Meu Corpo. Irmãos: Amai-vos uns aos outros! Ó bem-amada, quanto Eu terei de reparar! Vem, Minha filha, repousa em Mim. A Paz esteja contigo.

 


 

 

PARA VOS UNIRDES, TODOS VOS DEVEIS DOBRAR
(2/3 de Junho, 1987)

- Encontra-Me mais tarde e dar-te-ei conselhos preliminares, Vassula. Desenha três barras; 

une estas barras, curvando-lhes as cabeças: 

Para vos unirdes, todos vos deveis dobrar. Todos deveis estar desejosos de vos dobrardes, aplacando o vosso ânimo.

Compreendi. Ele deu-me uma visão clara e simples de três barras de ferro. Estas barras eram direitas, rígidas e próximas umas das outras. E Ele disse: "Como se poderão encontrar as suas cabeças 1 se se não vergam todas elas?".

Mais tarde, e nessa mesma manhã, saí; e quanto mais pensava nessa visão, tanto maior se tornava a montanha, diante de mim. Ao compreender a missão que Jesus me confiava, sentia-me como que sufocada.

- Jesus!

- Eu Sou. Coragem. Levanta-te, levanta-te! Leva a Minha Cruz, bem-amada! De pé, agora! Não te aflijas. Juntos... juntos... Minha Vassula, juntos lutaremos, apoia-te a Mim quando estiveres cansada e deixa que Eu mesmo Me apoie a ti quando estiver cansado. Vem ao Meu encontro e deixa-Me realizar os Meus desejos. Sê como cera mole e deixa que a Minha Mão imprima as Minhas Palavras em ti. Sê disponível, não tenhas medo! Eu amo-te, bem-amada. Oh! Vem! O Amor não te fará mal.

Tenho medo deste trabalho, a partir do momento em que compreendi que Jesus começa a escavar na Igreja...

- Vem, rezemos:

 

Ó Pai,
ficai comigo até ao fim;
eu sou fraca;
dai-me a Vossa Força,
para que Vos glorifique. Amém.


- Bem-amada, vem, abandona os teus medos e escuta-Me, serve o teu Deus. Eu quero unir a Minha Igreja. Eu formei-te, a fim de que tu Me possas receber. Bem-amada, coragem!

- Preciso da Vossa coragem, que eu não a tenho.

- Eu dar-te-ei coragem, reforçarei o teu amor por Mim; tudo pela Minha Glória. Vassula, queres escrever as Minhas Palavras? Alcança-o de Mim, não procures as tuas comodidades, sê pobre. Sê como Eu, quando vivia, incarnado, na terra. Sê simples, a fim de que Nós, os dois, Nos demos conta do contraste e das grandezas 2 daqueles que Me flagelam! Deixa-Me sentir esse contraste! Atinge o Meu Coração e embeleza a Minha Igreja. Atinge o Meu Coração e compreenderás, Minha menina.


 

3.6.1987

 


Estava a ser de novo atacada pelos demônios. Eram como gatos que saltavam de cima da minha coluna. E sentia-me verdadeiramente cansada com eles. Era quase de acreditar que todo o inferno se tivesse desencadeado contra mim. Atacaram-me e, então, disse a um deles: "Em nome de Jesus Cristo, vai-te e sê lançado no fogo!". Partiu. Expulsei-os a todos, um a um, com as mesmas palavras. Jesus disse-me: "Pede em Meu Nome, mas com fé, e obterás. Trabalha assim, reza e pede. Reza em Meu Nome, trabalha em Meu Nome, pede em Meu Nome. Reanima o Meu Nome, sê o Meu reflexo, sincroniza-te Comigo, levanta a cabeça para Mim. Crê naquilo que pedes". Ele disse-me que os demônios têm medo de mim, que eu sou uma ameaça para eles. Mais tarde, compreendi onde estava. Senti os meus pés numa lama viscosa e,de repente, reconheci o lugar e o espaço circunvizinho do inferno. Compreendi, então, o motivo pelo qual havia hoje tantos maus influxos, enquanto escrevia. Jesus disse-me: "Acaso poderia ter isto sucedido noutro lugar? Estávamos juntos, passávamos perto das portas do inferno, curando as almas 3 . Vassula, consente-Me que também assim Eu Me sirva de ti. Também isto é uma parte do teu trabalho" .


1 Mais tarde, compreendi: por "cabeça" Ele entendia as autoridades, os chefes
2 a soberba e a arrogância - nota do tradutor italiano
3 O Purgatório mais baixo, perto das portas do inferno

 


 

UM SORRISO GIGANTE
(4 de Junho, 1987)


Hoje, Deus levantou-me na palma da Sua Mão. Fez-me tão pequenina! Pediu-Me que O contemplasse. Contemplei-O e vi um lindo Gigante, a sorrir!

- Vassula, contempla-Me, contempla-Me no Rosto!

Ele sorria com um sorriso encantador! Senti-Me como um grãozinho, na Sua Mão.

- Que importa? Não Me importa que tu sejas apenas um grãozinho de pó. Vê como te amo!

Ele era belo e tudo era belo!

- Eu sou Belo, Vassula. Quando pensares em Mim, imagina-Me como era na terra, com os traços de um homem, à vossa imagem. Imagina-Me assim.

- Mas, Senhor, qual é verdadeiramente o Vosso aspecto? Como e quais são os Vossos traços divinos?

- Eu sou o Tudo, sou o Alfa e o Ômega, sou o Eterno, sou o Elixir. Ama-Me, permanece em Mim, não tenhas nunca medo de Mim. Que este medo, erroneamente ensinado pelos homens, seja substituído pelo amor. Vive em Mim, sem medo. Não tenhas medo de Mim, desde que te não revoltes contra Mim. Eu sou o Amor; diz-lhes, a eles, que Abismo de Amor é o Meu Coração.


 

5.6.1987

 

- Vassula, vem encontrar-Me nas Minhas Estações da Via Sacra. Abençoada sejas, trabalharemos juntos.
 


 


OS PECADOS ME PÕE OBSTÁCULOS
(6 de Junho, 1987)


- Jesus?

- Eu Sou. Contemplar o Rosto de Deus é ver o Amor.

Contemplava a Sua Imagem, a imagem do Santo Sudário.

- Queres que seja teu Senhor, inteiramente, Vassula?

- Quero, sim, meu Deus, se é esse o Vosso desejo.

- Então, deixa-Me livre, não Me ponhas nunca nenhum obstáculo. Vive por Mim.

- Senhor, e como poderei eu pôr-Vos obstáculos? Dizei-mo, de modo a poder remover todo o obstáculo.

- São os pecados que Me põem obstáculos; os pecados, Vassula. Far-me-ás trabalhar em ti, como desejo?

- Sim, meu Deus, impedi-me de pecar; perdoai os meus pecados; agi em mim como Vós o desejais; não tenhais em conta a minha vileza, não façais caso. Arrastai-me, se necessário. Senti-Vos livre, comigo. Realizai a Vossa Obra. Não quero ser eu a causa de atraso algum; não quero servir de empecilho às Vossas Obras, por causa dos meus pecados. Não façais caso da minha fraqueza; fazei aquilo que Vos agradar.

- Minha filha, estou contente com as tuas palavras. Vem, Eu continuarei as Minhas Obras.

 


 

 

EU DOU GRATUITAMENTE
(6 de Junho, 1987)


- Deixa-Me livre de fazer a Minha Vontade. Vem, permite-Me que te ilumine sobre o Meu modo de agir. Tenho-te dado muitas Graças, Vassula, mas desejaria que tu as reconhecesses. Alegra-Me e acredita mais em Mim.

- Tenho medo de que, se Vos desagradar, Vós retireis todas estas Graças.

- E por que razão deveria Eu retirar as Minhas Graças?

- É que, se não progrido, de modo a seguir o Vosso passo, Vós podereis retirá-las.

- Não, não o farei nunca!

- A mim, parecer-me-ia justo que Vós retirásseis as Vossas Graças a quem Vos não satisfizesse.

- Isto parece justo aos teus olhos, Minha menina. Eu alimentar-te-ei, até que te não venha libertar. Não te negarei nunca o Meu alimento. Eu, que suspirei tantos anos por ti, que esperei anos para te apertar ao Meu Coração, que te ama, agora poderia alguma vez retirar-te o Meu alimento? Vem, apoia-te a Mim como desejas. Lembra-te: Eu sou Amor, Eu dou gratuitamente e não retomo aquilo que dou. Recordar-te-ei sempre as Minhas Vias.

 


 

 


BASTA TÃO POUCO PARA ME CONSOLAR
(7/8/9 de Junho, 1987)

 

7.6.1987


- Vassula, contempla o Meu Santo Rosto. Só o fato de Me teres contemplado Me consola. Diz-Lhes que basta tão pouco para Me consolar. Vem a louvar-Me, amando-Me.

Jesus disse-me isto, quando eu tinha a foto do Santo Sudário à minha frente e a contemplava.


8.6.1987

 

- Vassula, desejaria realizar as Minhas Obras.

- Que deverei fazer?

- Eu guiar-te-ei. Guiar-te-ei ainda um pouco mais para longe. Depende de Mim, vive na Minha Paz.


9.6.1987

 

Ontem, à tarde, vi o Rosto de Deus, no Céu. O Céu era de uma grandíssima beleza! Era como que uma imagem pintada por um artista famoso. E lá, reconheci eu a beleza de Deus. Ela era evidente.

- Sim, contempla-Me, na Minha Criação; reconhece-Me e ama-Me, através dela.
 


 


CHAMA AOS ESCRITOS: 'A VERDADEIRA VIDA EM DEUS'
(10 de Junho, 1987)

 

Ontem, estivemos muito ocupados, porque se ultimavam as embalagens para a nossa partida de Bangladesh.

- Senhor pensava numa teoria que se chama "A CONSCIÊNCIA DO CRISTO". Pensava que isso significasse "o nosso bem interior". Será disto que virão os meus escritos?

- Vassula, acaso te não terei Eu já dito que nós estamos unidos? Nós somos um, bem-amada. Chama aos escritos: "VERDADEIRA VIDA EM DEUS ". Vive por Mim. Eis aquilo que Eu quero que tu escrevas.

Estava a tentar pressentir aquilo que Deus estivesse para escrever agora...

- Os Meus desejos, pequena.

Deus fez-me ler uma parte das Escrituras.

- Sim, eleva-te, escuta-Me: virás a ver-Me na Minha Igreja? Vassula, vem a Mim.

- Que Igreja, Senhor? Qual pretendes?

- Todas são as Minhas Igrejas. São Minhas, pertencem-Me todas e só a Mim. Eu sou a Igreja. Eu sou o Chefe da Igreja.

- Mas, pela forma como faláveis, Jesus, parecia-me que Vós pretendíeis uma igreja bem precisa. Foi assim que eu entendi!

- Tu podes vir ter Comigo, não importa quando nem em que igreja. Não faças distinções como os outros 1 . Elas pertencem-Me Todas. Eu sou Um só Deus e não tenho senão um só Corpo, um Corpo que os homens aleijaram. Com grandes pesos, prejudicaram o Meu Corpo!

- Meu Deus, Vós pareceis-me tão perturbado!

- Perturbado? Ó Vassula! Porquê? Por que Me esquartejaram tão cruelmente?

Jesus estava verdadeiramente perturbado. Isto fez-me pensar no momento em que Ele tinha derrubado as mesas dos vendilhões do templo de Jerusalém. Até este momento, ainda O não tinha nunca sentido, nem visto ASSIM TÃO PERTURBADO.

- Vassula...

- Jesus?

- Eu Sou.

- Sois verdadeiramente Vós, assim tão perturbado?

- Oh! Sim. Eu Sou! Ó Sim, posso finalmente confiar-te as Minhas Palavras, a ti, Vassula. Este carisma não te é dado para os teus interesses, mas para que as Minhas Palavras sejam gravadas em ti.

- Nunca Vos ouvi assim tão perturbado, até agora! Está-lo-eis verdadeiramente?

- Estou. O Meu Corpo dói-Me. Ele foi despedaçado.

- Meu Deus! Mas que posso eu fazer? Estou desconsolada!

- Acreditas, porventura, que Eu não saiba tudo isso, Vassula? Servir-Me-ei de ti até ao fim. Não Me temas nunca, Minha filha. Unir a Minha Igreja será a Glória do Meu Corpo. Vive na Minha Paz, bem-amada.

- Sim, Senhor. Não olharei, nem para a direita nem para a esquerda, nem para trás: olharei a direito, para a minha frente.

- Sim, compreende como Eu atuo, sê sempre como agora. Está disposta a agradar-Me. Sê um só Comigo.

- Senhor, suponde que aqueles que Vós quereis que Vos ouçam Vos não ouviram, de fato. E então... ?

- Agora, tu estás a um passo de Mim! Menina, caminha, Comigo. Sim, segue- Me, tem confiança em Mim. Vem, Eu guiar-te-ei.

Neste momento, ouvi inesperadamente o meu cão ladrar com toda a fúria. Vi, por isso, abrir-se a porta do meu quarto de dormir e reconheci o ladrão que, já três noites antes, havia vindo ao meu quarto roubar dinheiro e fugira. Estava aqui uma vez mais. Pelo medo, com um tom imperioso, ordenei-lhe que saísse. Partiu e dei o meu alarme. Sabia que Deus queria dizer-me alguma coisa a este propósito.

- Vassula, quero lembrar-te uma coisa: Quando esse bandido 2 entrou no teu quarto, tu esperavá-lo?

- Não!

- É assim mesmo que Eu virei. Inesperadamente. Ninguém o reconheceu, porque ninguém estava à espera de o ver.

Jesus quer dizer que os dez operários da mudança de casa e os empregados de escritório o viram passar por eles, mas ninguém lhe ligou. A última frase é muito importante, porque esconde mais do que aquilo que diz. O próprio termo "reconheceu" é muito profundo.

- Este incidente não te faz lembrar um outro? Deixa que te diga: Ele pecou; mas aqueles que o julgaram e puniram, partindo-lhe um pau na coluna, não terão também pecado?

- Não sei o que Vós quereis dizer. Sim, somos todos pecadores.

- Vassula, vejo tudo isso e terei de ficar em silêncio?

- Defendereis, porventura, o bandido, Senhor?

- Não, Vassula 3 . Indica-Me um homem, na terra, que não peque!

- Não conheço nenhum.

- Grandes pecados! Pequenos pecados! Todos são perdoados. Ver-vos pecar faz-Me pena. Vassula, Eu sou testemunha de tantos pecados. O Amor sofre, o Amor tem pena, pena... Criação! Minha Criação, regressa ao Amor... Minha filha, enche-Me de amor; repara, bem-amada, repara... 



1 por exemplo, muitos Protestantes ou Ortodoxos não poriam pé numa igreja que não fosse a deles. Deus guiou-me, de forma a entrar na Igreja católica
2 Jesus serviu-Se da palavra justa, como descobrimos mais tarde. Este homem fazia parte de uma quadrilha de ladrões
3 Jesus fica em silêncio, por alguns segundos


 

 

O MEU SANGUE JORRA ABUNDANTEMENTE
(11 de Junho, 1987)

 


Agora, a maior parte dos móveis foram já postos fora e tenho de procurar uma cadeira para me sentar. A casa está ainda em desordem depois da partida dos encaixotadores. Aqui e além, papeis, garrafas, sapatos, cintos sobre a escrivaninha; contudo, em toda esta mudança e pequenas refeições que tivemos de preparar, nas despedidas (uma para 80 pessoas e outra para 30), a Mãe de Deus não me deixou. Tive sempre tempo para escrever duas ou três horas por dia. Ele dá- me uma força incrível e não sinto o mínimo cansaço. Estou numa paz total: a Sua Paz.

- Vassula, bem-amada da Minha Alma, fica ao pé de Mim, está diante de Mim, deixa que o Meu Dedo toque o teu coração. Minha menina, se soubesses quanto Eu te amo. Eu guiar-te-ei até ao fim. Renuncia mais a ti mesma, por Mim. Queres sofrer por Mim?

- Sim, Senhor, fazei o que Vos apraz.

Já mo tinha pedido e eu tinha hesitado, tinha medo. Agora, pede-mo de novo.

- Vassula, sou tão feliz! Queres sacrificar-te por Mim, como um cordeiro?

- Fazei aquilo que Vos apraz, Senhor.

- Nada será em vão, tudo será pela Paz e pelo Amor. A Minha sede é grande, Vassula. Eu guiar-te-ei em terras áridas, onde os teus olhos verão aquilo que jamais viram. Eu conduzir-te-ei com uma Força Divina, no mais profundo dos abismos do Meu Corpo Ensangüentado; mostrar-te-ei, com o Meu Dedo, todos os pecadores, de entre os sacerdotes, que são os espinhos do Meu Corpo. Eu não os pouparei, Eu estou esgotado. As Minhas Chagas estão mais abertas que nunca, o Meu Sangue jorra abundantemente, Eu sou recrucificado pelos Meus: as Minhas almas sacerdotais!

- Meu Deus, Vós causais-me tanta pena. Por que te fazem isso? Porquê?

- Vassula, não sabem aquilo que fazem. Bem-amada, luta com o teu Deus, aceita enfrentar os Meus Sofrimentos e partilhá-los Comigo.

- Fá-lo-ei para Vos consolar. Lembrai-Vos daqueles que Vos amam!

- Eles são os bem-amados da Minha Alma. Eu preciso dessas almas que imolam o seu coração por Mim. Eu amo-as, tenho confiança nelas, alimentam-se de Mim, são o Meu sacrifício, são as pétalas macias que substituem os Meus Espinhos, são a Minha mirra. Vassula, não tenhas medo: nós penetraremos ainda mais profundamente, justamente onde reinam as trevas. Eu dirigir-te-ei.

Mais tarde, a minha alma começou a sentir a amargura de Deus. Todas as bebidas e alimento que metia na boca eram amargas. Ele fez-me beber do Seu Cálice. Tinha dificuldade em respirar, a alma e o corpo doíam-me.

 


 

 

HONG KONG - AS RIQUEZAS DO MUNDO - SIDA (AIDS)
(15 de Junho, 1987)


Para as nossas férias, tomamos o avião para Hong Kong. Durante a escala em Bangkok, sentei-me numa fila de cadeiras vazias. De improviso, mesmo diante de mim, um árabe estendeu um tapete e, desconhecendo-me totalmente, prostrou-se para adorar a Deus em voz alta, atraindo as atenções de muitos. Por detrás dele, dois outros árabes faziam a mesma coisa. Tinha a impressão de estorvar, estando ali, sozinha, diante deles. Não me mexi. A sua voz aumentava de tom, cada vez mais alta, e alguém, por detrás de mim, fez uma foto.

Mais tarde, Deus disse-me: "Esse homem fez as suas orações em alta voz, muito alto, a ponto de atrair as atenções da gente. Mas só foi ouvido pelos muros daquela sala. O Meu Coração não ouviu nada, todas as palavras Lhe ficaram nos lábios. Pelo contrário, ouvi a tua voz, apesar de ninguém te ter ouvido nem ter compreendido aquilo que Me disseste. Isso vinha-te do coração e não apenas dos lábios".

Eu não queria pôr isto por escrito, porque tinha medo de fazer uma discriminação; mas Deus disse-me: "De que tens medo? Eu sou a Verdade. Não acontecerá, porventura, a mesma coisa entre os cristãos?".

Hoje demos um passeio turístico pela cidade e arredores, de autocarro. De repente, em vez daqueles altos edifícios, vi algumas grandes Cruzes negras 1 . Pensava que fosse a minha imaginação, mas ouvi a Voz de Deus que me dizia: "Não, não é a tua imaginação. São as Minhas Cruzes". Vendo os "Consumadores do Paraíso", pensava que, se tivesse de viver aqui, morreria, seria para mim uma tortura. E dizer que pensava de um modo tão diferente, há um ano!

Deus quer que diga também isto: no nosso autocarro, a guia indicou-nos a "vila" luxuosa do homem mais rico de Hong Kong. Disse-nos também que havia dois célebres milionários conhecidos em toda a cidade de Hong Kong. A voz de Deus disse ao meu ouvido: "Mas Eu não os conheço, eles pertencem ao mundo. As suas riquezas são riquezas do mundo, eles não têm nada no Meu Reino!"

Deus tomou-me pela mão, para escrever, Ele mesmo, esta última frase sublinhada.

- Bem-amada, Eu dou-te sinais, sê vigilante; Vassula, crê naquilo que ouves de Mim 2 .

- Eu penso no Árabe...

- Faltava-lhe a santidade; também tu o notaste.

Mais tarde.

- Ó Vassula, acaso não mereço mais respeito?

Como o havia já receado, não encontrava ocasião alguma para ficar a sós com Deus. Fiz, então, como pude: escrevi no quarto do hotel onde me encontrava, com o meu marido e meu filho, que viam a televisão. Para me isolar do ruído, meti nos ouvidos os auscultadores de um walkman.

- Como é conveniente, tiro-te todas as facilidades.

- Porquê, Senhor?

- Porquê? Para te ensinar a desejar o teu Deus. Tu esperas que nós estejamos sós.

- Perdoai-me...

- Perdôo-te. Vassula, trabalha, pois, enquanto te sentes incomodada.

- De que modo, Senhor?

- Consente-Me que te sicie ao ouvido todos os Meus desejos, Vassula. Deseja-Me, utiliza as Graças que te concedi. Lembra-te, não é só a Minha Mão que utiliza a tua: abri também o teu ouvido, mostrei-te como ver-Me e como ouvir-Me. Utiliza, pois, as outras Graças. Amo-te.

- Jesus?

- Aqui estou, Vassula.

- Agora, estamos de novo juntos, deste modo. 3

- Sim, mas não por muito tempo. Não Me adies para mais tarde, simplesmente porque não segues o mesmo estilo de vida de antes. Tem-Me fechado no teu coração, menina.

- Senhor, terei maiores provações ainda?

- Oh! Sim. Terás de enfrentar provações muito mais severas.

Suspirei.

- Tem confiança em Mim, que Eu estarei ao pé de ti. Tu és a Minha vítima, não é verdade? Por que te deixarei, então, no meio dos maus? Ofereço-te a eles, para estar no meio dos maus.

- Mas também eu sou como eles. Que diferença existe? Sou como eles.

- És? Então, por que desejas vir para Minha Casa? 4

- Porque Vos amo.

- Eu formei-te à Minha semelhança, para te fazer capaz de puxar os outros para Mim. Eu desprender-te-ei ainda mais das atrações do mundo. Aguarda e verás, Vassula. Sim?

Inesperadamente, vi-O diante de mim.

- Ama-Me, vem, toma a Minha Mão, como fizeste ontem.

Mais tarde.

- Vassula, escreve a palavra Sida (Aids).

- Sida?

- Sim, substitui-a pela palavra Justiça (Rm 1,18-32). O Meu Cálice de Misericórdia transbordou e o Meu Cálice de Justiça está cheio; não o deixes transbordar! Já vos disse que o mundo Me ofende; Eu sou um Deus de Amor, mas, como é sabido, sou também um Deus de Justiça. Detesto o ateísmo!

Mais tarde.

- Bem-amada, tu penetrarás no Meu Corpo e far-te-ei ver os Meus Espinhos e os Meus Cravos.

- Senhor, e como verei tudo isso?

- Dar-te-ei a Graça de ver; dar-te-ei a Força para retirar os Meus Espinhos e os Meus Cravos. Eu estou crucificado de novo.

- Mas, Senhor, por que Vos deixastes crucificar de novo?

- Vassula, Vassula, estou preso pelos Meus, desprezado pelos Meus bem-amados 5 . Vem, honra-Me, ama-Me!

- Eu amo-Vos, eu agarrar-me-ei a Vós. Quando acontecerá isto?

- Ah! Vassula, não queiras fazer-Me antecipar; tudo acontecerá a seu tempo.

- Mas Vós sabeis, Senhor, que eu sou uma profana, um nada que não sabe aquilo que acontece na Vossa Igreja. De futuro, quem quiser ver os meus cadernos (os Vossos escritos), atirar-me-á com eles à cara, a rir; atirar-me-á com eles para cima como brilhantes. Aliás, quem sou eu senão uma autêntica pecadora?!

- Lembra Quem te guia! Eu sou Deus. Lembras-te daquilo que disseste ao teu amigo, sim, o não crente? Eram as Minhas Palavras: "Tu és como um rato que foge a um Gigante". Não sois mais que grãozinhos de pó. 

É verdade. Um amigo ateu recebeu uma mensagem de Deus. Em trinta segundos, essa mensagem destruiu a sua incredulidade de 23 anos. Ele mesmo disse: "Por que razão fui justamente eu, um pecador endurecido, a receber esta mensagem? Mas eu lutarei para lhe fugir". Ri-me e, depois, transmiti-lhe as Palavras de Deus.

- Vassula, tem confiança em Mim.

- Senhor, eu tenho confiança, em Vós, mas o problema sou eu. Por que tendes confiança em mim? Não o deveríeis, meu Senhor. Eu estou cheia de boa vontade, sim; mas, como Vós mesmo o dissestes, sou muito fraca. Não Vos fieis de mim! Sou muito culpada!

- Vassula, tu és incrivelmente fraca; Eu sabia-o já, desde toda a Eternidade. Mas sê nada, quero que tu sejas nada. Como poderia Eu, manifestar-Me sozinho, se fôssemos dois? Deixa-Me livre sempre e agirei em ti. Vem, apoia-te a Mim.


1 Lembrei-me das palavras "terras áridas"
2 a voz interior
3 em conversa, enquanto escrevo
4 "No Céu, junto de Meu Pai"
5 Jesus disse isto com uma grande tristeza, como alguém, traído pelo seu melhor amigo

 


 


NÃO SEJAS COMO O CIRINEU - A UNIDADE
(17 de Junho, 1987)


- Jesus, Vós fizestes-me compreender também a minha miséria e que me escolhestes, apesar da minha maldade e de não ter mérito algum, nas Graças que me dais. Em comparação com os santos, a minha indignidade é evidente. Compreendeis, então, a razão de ser de "todas as minhas dúvidas"? Justamente por este motivo: pela minha indignidade. Lembrais-Vos de como Vós me ensinastes tudo, desde o princípio; e de como, logo a princípio, eu Vos rejeitei, sabendo que éreis Vós? Compreendeis aquilo que eu quero dizer quando me vem uma verdadeira avalanche de dúvidas? Precisamente por estas razões, sei que Vos ofendo e Vos magôo, como Vós próprio mo dissestes uma vez: "tu magoas-Me, quando esqueces Quem te salvou da obscuridade". Por outro lado, o meu cérebro quase vacila, tentando compreender o motivo por que Vós vindes entregar uma missão tão importante a uma alma como a minha, a quem tinha de aprender tudo e era cento e cinqüenta por cento pecadora!

Quanto mais a Vossa Obra avança, tanto mais milagres faz. Pessoas completamente ateias se têm convertido; mas Vós abençoastes a Vossa Obra, Senhor, e justamente por isso me não deverei eu admirar de nada. Um após outro, regressam a Vós e lêem a Vossa mensagem. Um certo homem disse-me: "Tu não me farás NUNCA ler uma só página de tudo isso; eu acredito apenas naquilo que é sólido, no dinheiro, nos negócios...".
Estas palavras ressoam ainda aos meus ouvidos, e o certo é que, hoje, este homem é mais fervoroso que a sua própria mulher - que, a princípio, tudo fizera para o convencer, sem resultado algum. Agora, quer TODA a mensagem, confessando que lhe dá uma Paz profunda. Não fui eu que o convenci, porque o não consegui com as minhas palavras. Tudo aconteceu muito simplesmente: Jesus, certamente fostes mesmo Vós! Vós sois maravilhoso!

- Eu sou Jesus, Filho Predileto do Pai. Eu enviava-te todos esses livros para que tu acreditasses nas Minhas Obras sobrenaturais. Alimentava-te com o Meu Pão; não duvides nunca das Minhas Obras. Desejo que tu conheças as particularidades das Minhas Graças; está, pois, atenta a toda a nova manifestação. Tudo virá de Mim.

A Cruz parecia esmagar-me de novo; "a Cruz" é a mensagem de Deus.

- Jesus?

- Eu Sou. Levanta-te! Levanta-te! Não caias, que Eu estou perto de ti para te ajudar; levanta a Minha Cruz, não sejas como o Cireneu, tem boa vontade. Vem, bem-amada, o caminho poderá ser áspero, mas Eu estou sempre ao pé de ti, partilhando contigo a Minha Cruz. Vassula, olha para Mim!

Olhei para Ele. Ele estava apoiado à esquina do muro de forma tão lastimosa... Trazia a Sua Coroa de Espinhos, estava revestido de um pano ensopado em Sangue, no qual aparecia meio-nú. Estava coberto de Sangue e de Suor, mais Sangue que carne... imediatamente a seguir à Flagelação.

- Mereço, porventura, tudo isto?

- Não, meu Deus!

- Honra-Me, filha Minha.

- Quem Vos fez isso, Senhor?

- As Almas, Vassula; são elas, a réplica de Sodoma.

Mais tarde, compreendi o Seu Estado, depois da Flagelação, quando me disse:

- Minha filha! Eu desejo a Unidade na Minha Igreja! A Unidade!

Jesus insistia e disse estas palavras com energia.

 


 

 


SEJA FEITA A VOSSA VONTADE
(18 de Junho, 1987)


- Jesus?

- Eu Sou. Servir-Me-ei de ti, Vassula.

- Servi-Vos de mim, até ao fim, Senhor.

- Bem-amada, diz-lhes que Me dêem liberdade de agir como Eu desejo; que, nas suas orações e em todos os pedidos que Me fazem, devem acrescentar: "Não se faça a nossa vontade, mas a Vossa". Aprendei de Mim. Honrai-Me. 
 

 


ATOS
(19/20 de Junho, 1987)


19.6.1987

 

- Vassula, atos, atos, Eu quero ver atos! Deleito-Me ao ouvir as tuas palavras de amor, que são um bálsamo para as Minhas Chagas; mas sentir-Me-ei ainda mais feliz ao ver atos de amor a vir de ti! Vem, lembrar-te-ei como Eu mesmo trabalhava durante a Minha vida terrena, como ensinei os Meus discípulos a trabalhar.

- Padre Pio trabalhava como Vós.

- Ele trabalhava por Mim. Dei-lhe todas essas Graças para que Me honrasse e fizesse reviver o Meu Nome. Trabalhar em Meu Nome glorifica-Me e purifica-vos; lembra-te: Eu resplandeço em cada um de vós!

- Mesmo em pessoas como eu?

- Sim, mesmo em almas como a tua.


 

20.6.1987 - Thailandia

 

- (A Nossa Santa Mãe):

- Estou contente com a vela que acendeste por Mim. Enfeita-Nos com o teu amor. Vive na Nossa Paz.

Nossa Senhora disse-me estas palavras amorosamente. Tinha-Lhe acendido uma vela, antes de fazer a Via Sacra, para Lhe agradecer o ter-nos dado o Seu Filho.

 



O MEU CORPO ESTÁ MUTILADO
(21 de Junho, 1987)

 

- Senhor, por que razão tanta gente Vos esqueceu?

- Ó Vassula, o Meu Corpo está mutilado, a ponto de ficar paralisado. Vassula, faz entrar a luz 1 , nas Minhas Estações da Via Sacra, e ajoelha-te em cada Estação.

Fico silenciosa.

- Vassula, Eu falei!

- Senhor, que posso eu fazer?

- Nada, deixa-Me fazer tudo a Mim.

- Sim, mas ninguém o fará, uma vez que ninguém conhece nada disto!

- Ter fé é também uma Graça que Eu dou. Tem fé em Mim.


Mais tarde.

- Agora, que me persuadistes, que será de mim?

- Queres sabê-lo? Atirar-te-ei, dos Meus Braços, para esse exílio em que se transformou a Minha Criação!

- Meu Deus, já não me amais?

Sentira-me tão aflita...

- Era tão maravilhoso estar nos Vossos Braços! E agora, Vós quereis-me longe!

- Ó Vassula, como podes tu dizer isso? 2 O Meu Coração angustia-Se e dilacera-Se, ao ver-te rodeada de tanto mal; compreende, Minha menina, que é um sacrifício para Mim ver-te no meio de tantos ateus. Eu sofro por tu estares no exílio. Minha filha, muitos tentarão fazer-te mal; e agora, Eu mesmo poderei suportar os teus sofrimentos 3 ; mas não poderia, isso não, não poderia suportar que te fizessem mal.

- Que fareis, Senhor?

- Não ficarei inativo. 

- Mas por que me agarrastes e seduzistes, para depois me lançardes fora? É quase injusto!

Quase gritava!

- E não terei Eu já dito que tu serás a Minha vítima? Eu sirvo-Me de ti, tu és a Minha Rede; sim, Eu lanço-te no mundo. Tu deves oferecer-Me almas, para a sua salvação: Eu mesmo as salvarei. Isto não acontecerá sem que tu sofras. O demônio odeia-te e não hesitará em queimar-te, mas não porá um só dedo em ti, que Eu não lho consentirei. 

Isto lembra-me um incidente bastante recente. Num barquinho, havia-me apoiado, com todo o meu peso, com a mão esquerda, num tubo de escape que estava tão quente que se poderia cozer um ovo em cima dele. Quase desmaiei com a dor. Queimara toda a palma da mão e queria metê-la no mar para aliviar a queimadura; mas, de repente, lembrei-me de que, com a água, seria ainda pior. Mantive, pois, a mão no ar, saltando de dor. Por uns dez minutos, a minha mão estava vermelha e começava mesmo a inchar, mas, meia-hora depois, deixei de sentir qualquer dor e não tinha nem inflamação nem queimadura: a minha mão estava curada e perfeita como a outra e, para me certificar disso, esfreguei-a fortemente com a outra mão, piquei-a e... o certo é que já não tinha nada!

- Minha menina, não quero ver-te ferida; amo-te e, por Amor, serei Eu próprio a escolher as Minhas purificações para ti; não consentirei mancha alguma em ti; compreende aquilo que Eu quero dizer 4 .

- Senhor, amarei tudo aquilo que vier de Vós, tanto as alegrias como os sofrimentos.

- Bem-amada: Sim, prepara um Céu para Mim, no teu coração. Como sou feliz, ao ouvir isso mesmo de ti, Minha filha! 5 . Sim, e todo o sofrimento escolhido por ti, pensando dares-Me prazer, será um horror aos Meus Olhos: não fará senão enganar-te a ti mesma; será para o demônio e não para Mim. Todo o ato reparador será decidido por Mim.

- Eu amo-Vos e dependo inteiramente de Vós.

- Amando-Me, tu glorificas-Me, sim. 

Ouvi Satanás, que dizia: "Estes momentos de intimidade são momentos de martírio para mim".

- Ele não pode suportar que o meu coração rejubile com o amor que recebo de Deus, nem com o amor que experimento por Ele.

- Este amor é como uma Cruz abrasada que o marca inteiramente.


1 uma vela acesa
2 Senti o Seu Coração fechar-se
3 que eu esteja dividida: a minha alma no Seu Coração e o meu corpo no mundo
4 Só Deus escolherá os meus sofrimentos
5 Isto significa que o sofrimento infligido por Satanás em mim não se realizará; mas todo o sofrimento que vem de Deus se realizará e purificará a minha alma

 


 

DEIXA QUE EU SEJA O TEU DIRETOR ESPIRITUAL
(23 de Junho, 1987)


- Jesus, desde o princípio, sois o meu Mestre; mas não deverei eu ter também um diretor espiritual para que me oriente um pouco? Até agora, não tenho tido ninguém e aqueles de que me tenho aproximado não se interessaram ou estavam demasiado ocupados ou mesmo horrorizados com isto 1 . Ninguém me disse: "Minha filha, faz isto ou aquilo", com doçura. O único que me deu uma ordem precisa disse "Deixa-te disso; isso não vem de Deus; por conseguinte, não escrevas, pelo menos durante alguns dias, para vermos o que acontece. Reza as três orações que te dei, perguntando a Deus se vem realmente d'Ele". Obedeci-lhe, meu Deus, mas a Vossa Mão empurrou a minha, intervindo, no momento em que eu escrevia os meus assuntos pessoais. Dissestes-me: "Eu, Deus, amo-te, não o esqueças nunca". Tomastes plena posse da minha mão e, passados alguns minutos, ainda uma vez mais: "Não te esqueças nunca de que Eu, Deus, te amo". Era como que uma visita de surpresa, durante a minha estadia "na prisão". Era maravilhoso!

- Minha filha, deixa que Eu seja o teu Diretor Espiritual. Não te serei suficientemente agradável? Eu Sou Tudo aquilo que te falta. Vassula, dá-Me alegria, unindo simplesmente a luz de uma vela à Via Sacra e honra-Me, ajoelhando-te, em cada Estação. Dar-te-ei outras instruções no momento oportuno. 

- Jesus, agradeço-Vos o terdes-me dado a conhecer D.

- Minha filha, diz-lhe, da Minha parte: "Queres autorizar-Me a servir-Me de ti?".

- Mas, Senhor, não lho tínheis Vós já pedido, antes? Que pretendeis Vós exatamente com isso?

- Com isto, quero perguntar-lhe se quererá trabalhar por Mim. A Minha Cruz é pesada, queres aliviar-Me um pouco?

- Sim, Senhor.

- Vem mais para junto de Mim. 



1 isto acontecia sobretudo a princípio, quando não tinha ainda qualquer apoio e se me dizia que tudo vinha do demônio
 


 


A VISÃO DO UNGIDO
(26 de Junho, 1987)

Às 7.30 da manhã, vi uma nuvem muito colorida e atraente. A seguir, saíram dela cinco raios, a jeito de uma estrela. Gritei: "Olha!" e uma mão, atrás de mim, empurrou-me. Apareceu, então, uma outra cambiante: num raio, estava uma vela acesa. Gritei uma vez mais: "Olha!"; e a mão, atrás de mim, empurrou-me, fazendo-me cair de joelhos. Não me preocupava com o saber quem me estivesse a empurrar, porque não queria perder um só instante da visão, no Céu. Os cinco raios começaram a girar tão velozmente, que se formou um círculo luminoso. De repente, no centro do círculo, apareceu o Santo Rosto de Jesus. Gritei: "Olha!"; e, uma vez mais, a mão, atrás de mim, me empurrou. Mas, desta vez, caí de bruços, sobre as mãos. De improviso, ouvi muitas vozes que adoravam Jesus, dizendo "JESUS" continuamente.

A seguir, a imagem de Jesus desapareceu e apareceu uma outra cena. Gritei de novo: "Olha!" e, desta vez, a mão empurrou-me tanto que dei comigo estendida por terra; só a minha cabeça podia levantar-se para ver esta última imagem: Vi alguém, de joelhos, rodeado por cinco personagens. Diante desta cena, havia um Cálice de prata, muito resplandecente! Estes cinco personagens, vestidos de longos hábitos, estavam a abençoar e a ungir a pessoa que estava ajoelhada. Ouvi a palavra "unção". Depois, tudo desapareceu.

- Meu Deus, não compreendi esta visão.

- A Sabedoria te instruirá. 

Sabia que a mão que me empurrava todas as vezes com força era a do meu Anjo da Guarda, São Daniel.


 

27.6.1987

 

Agora, começo a compreender: deixei-me dividir. O meu corpo está em movimento, mas dir-se-ia que sem a minha alma. A minha alma, meu Deus, tomaste-la Vós. Sinto-me como que uma carcassa vazia. Separada completamente.
Alguém terá alguma vez experimentado não pensar senão em Deus continuamente, durante o dia? Alguém terá alguma vez experimentado ter Deus na sua mente em todo o dia, todos os dias e por mais de um ano? E no momento em que os meus pensamentos se dirigem para outro lado, sinto a Mão do Senhor, no queixo, que me gira a cabeça para que me volte para Ele, diante do Seu Rosto sorridente.
Admiro-me de mim mesma, por conseguir conciliar outras ocupações!

- Vassula, Eu tomei simplesmente o teu coração e coloquei-o no Meu Coração.

Deus disse-me isto com uma tal simplicidade e uma tal doçura... como se o meu coração fosse um brinquedo.

Eu sou Javé e amo-te! Embala o Meu Amor. Criatura, mantém-te na Graça do teu Criador. 

- E como posso manter-me na Vossa Graça?

- Deves ser santa.

- Como posso eu ser santa?

- Amando-Me com fervor.

- Se é esta a Vossa Vontade, então, ajudai-me a ser santa.

- Eu ajudar-te-ei, recebe as Minhas Bençãos. Nunca te pedirei nada que te possa fazer mal, lembra-o sempre. Vem, e Eu te revelarei os Meus mais íntimos e profundos desejos; permite-Me que os imprima em ti, pequena. 
 


 

DESEJO LEMBRAR AOS HOMENS OS MEUS CAMINHOS
(30 de Junho, 1987)


Apressei-me, porque Jesus me solicitava que escrevesse.

- Eu chamei-te!

Senti e vi interiormente Jesus feliz.

- Sim, estou; sinto-Me feliz! Vem, vamos trabalhar, Eu repetir-te-ei os Meus desejos. Vassula, não tenhas medo de mostrar as Minhas Obras. 

- Senhor, comparo-me a esta nossa boa amiga M., a impulsiva. Agora, estou impaciente como ela, quero que os acontecimentos se realizem depressa: amanhã, hoje, agora, se possível, que todos os Vossos desejos sejam agora mesmo ATENDIDOS, os Espinhos da Vossa Cabeça retirados e lançados fora, a lança tirada do Vosso Coração e se cumpra tudo aquilo que Vós desejais!

- Vassula, não precipites os acontecimentos. 

Senti a Sua Mão acariciar-me a cabeça.

- Ouve de novo os Meus desejos; desejaria lembrar aos homens os Meus Caminhos, quero que deixem de atirar, uns contra os outros, setas envenenadas. Vassula, terei Eu sido, porventura, um político?

Jesus surpreendeu-me com a Sua pergunta. Tinha um tom de voz diferente.

- Pois bem, até mesmo eu, desta vez, sei que não éreis um político...

- Exatamente, não era um político, Vassula. A teu ver, quem era Eu?

- Senhor, quando éreis incarnado, na terra?

- Sim.

- O Filho Predileto de Deus.

- Sim. Vê, mesmo tu sabes que Eu não era um político. Vassula, vejamos... 

Jesus estava a pensar, na Sua posição habitual: com o Braço na cinta, o Cotovelo do outro Braço apoiada no primeiro e o Indicador na Face.

- Terás tu notado, em toda a Minha mensagem, algum rasto de maldade, da Minha parte?

- Não, nenhum rasto, Senhor, nunca.

- Bem. 

- Que quereis Vós dizer, Senhor?

- Como te tens sentido, Vassula?

Jesus ignorou simplesmente a minha pergunta.

- Tenho-me sentido uma Vossa predileta, grandemente amada, abraçada, perdoada.

- Continua. 

- Tenho-me sentido inebriada pelo Vosso Amor, tenho-me sentido em Paz, é maravilhoso! Nunca me senti assim tão feliz, como nos momentos em que estava Convosco e em que, com o Vosso Amor, me mostrastes de novo o caminho, ensinando-me o AMOR, a santidade e a humildade.

- Sim; vês, Vassula, não há qualquer rasto de sublevação política, nenhum. 

Jesus fez um gesto com a Sua Mão, dizendo a palavra "nenhum" .

- É assim que Eu Sou. Sou Todo Amor e assim desejaria que fossem os Meus verdadeiros fiéis. Ouve-Me: Eu sou a Igreja, não o esqueças nunca. Vive na Minha Paz, Vassula. 

- Amo-Vos loucamente; e, agora, Vós sabei-lo, Jesus.

- Bem-amada, o Meu Coração consumir-te-á com a Sua Chama de Amor; permite-Me que te conserve no Meu Coração. 


Pensei na visão.

- Cinco raios saem das Minhas Cinco Chagas.

- E a vela, num dos raios?

- Gostarei de introduzir a luz, nas Minhas Estações da Via Sacra.

- Seguidamente, eu vi-Vos.

- Sim, trazia a Minha Coroa de Espinhos, lembras-te?

- Sim, lembro. Mas não compreendi a última cena.

- A Minha Unção.

- Mas por que razão fui empurrada, nessa atitude de prostração?

- Deverias ter-te prostrado. 

- E o Cálice, Senhor?

- É para vos purificar e fazer-vos honrar a Minha Santa Eucaristia. 

- Agradeço-Vos, Senhor.

Compreendera que o Senhor me tinha mostrado uma cena do Céu, em que Ele mesmo recebia uma unção.

- Vassula, a ponta da lança penetrou nas profundezas do Meu Corpo, no Meu Coração. Está sempre lá. Eu quero que Me seja tirada. Glorifica o Meu Corpo, estabelecendo a Paz, a Unidade e o Amor.

- Deus Amado, isso é demasiado vago para mim; não compreendo o sentido das Vossas Palavras.

- Tira os Espinhos que penetraram na Minha Cabeça, Vassula; fá-lo-ás por Mim? Eu estarei sempre diante de ti. Cura o Meu Corpo, aplaca a Sua dor. As Minhas Cinco Chagas estão todas abertas, compreendes? Ama-Me, ornamenta-Me, embeleza-Me, lembra aos homens que os primeiros Cristãos Me amavam mais que à sua própria vida. 

- Mas, Senhor, eu não posso mais que fazer fotocópias e distribui-las!

- Tu farás muito mais; nunca te esqueças de Quem te guia.

- Sim, Senhor, eu dependo de Vós.

 


Fonte:
http://www.tlig.org/pgmsg/pgm116.ht
ml

 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 6.839.918
Visitas Únicas Hoje: 1.113
Usuários Online: 305