Livro - Parte 06 - O demônio nos caminhos dos filhos de Deus
 
 
Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.021.392
Visitas Únicas Hoje: 29
Usuários Online: 374
Sistema de Busca

 

Livro Aberto
Coloco nesta catogira livros inteiros sobre nossa fé católica, que serão inseridos por partes.




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 2274 - Impresso: 95 - Enviado: 20 - Salvo em Word: 60
Postado em: 02/08/09 às 22:28:52 por: James
Categoria: Livro Aberto
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=180&id=2064
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Livro Aberto

Espacojames: Este livro narra a história de uma Mulher que vê com olho humano toda ação do demônio na terra, e o que eles fazem para atrapalhar nossa vida, a versão completa está disponível no menu DOWNLOAD, é obrigatório a todos os cristãos tomarem conhecimento disso.

Continuação...

EFEITO DAS ORAÇÕES:


  
     Quem teve a possibilidade de ver as terríveis criaturas que eu vi, e vejo ainda deve saber também do poderoso efeito que as orações exercem sobre os demônios. Um dia eu rezava a oração que se chama Coroa de São Miguel, quando comecei a sentir uma forte pressão sobre mim, como tentando evitar que eu prosseguisse. Então perguntei instintivamente a Jesus o que era aquilo. Para meu espanto na mesma hora vi um ser como se fosse um homem, cor de ferrugem, com buracos no rosto parecendo um queijo curado, que rolava pelo chão e se contorcia como se estivesse morrendo. Era uma loucura! Então Jesus me fez sentir que aquele era na verdade o próprio demônio que se torcia, devido a tremenda força desta oração.
 
    Então, tive que lutar durante muito tempo com aquela pestilência que tentava a todo custo me fazer desistir daquela oração. Eu sentia uma grande aflição, o sono me vinha com toda a força e era quase incontrolável. Eu, porém resistia firmemente e com a graça de Deus, rezando junto com meu esposo, conseguimos ir até o fim. De lá para cá, todos os dias, sem falta, a rezamos juntos, passando a ser uma das nossas orações de preceito.
 
     Por este exemplo, as pessoas poderão bem avaliar o motivo pelo qual às vezes têm tanta dificuldade em rezar determinadas orações. As 15 Orações, por exemplo. Também o Rosário e até o simples Terço! Tenham certeza absoluta de 100%, que sempre que estão rezando, qualquer oração, o demônio está junto para atrapalhar. Nalguns ele põe um sono de matar. Noutros incita à pressa, noutros o desânimo e noutros a angústia, e em muitos milhares a preguiça e noutros o sono. Para uns faz achar as orações muito longas, outros repetitivas como o Rosário, para outros, desnecessárias, enfim, não existe artifício que ele não tente, ou não invente, para você não rezar. Nunca, jamais, a preguiça de rezar vem de Deus! E quem não sente falta da oração, ai dele!
 
    Creiam ó almas, todos os motivos para você estar longe de Deus, 100% deles, vêem de satanás! Quem não gosta de rezar ou não consegue, ou sente que não precisa – falo de todos os seres humanos – estes estão sendo guiados e dominados por satanás, cada um na sua medida. Porque nenhum homem de bem, um verdadeiro filho de Deus, consegue viver sem a oração. Ninguém consegue ficar sem conversar com seu amoroso Criador e Pai. Isso é intrínseco da nossa natureza. E a oração é a única forma de nos aproximarmos de Deus, e de nos colocarmos sob Sua proteção.
 
    Quando, pois, você estiver rezando e sentir algum dos sintomas negativos acima apontados, e você ceder, saiba que você tem ao seu lado um bruto capeta rindo a mais não poder e feliz da vida. Na verdade a pressão que ele faz sobre a pessoa para não rezar ou desanimar é tremenda. Mas se o leitor pudesse ver o que ele faz quando a pessoa não desiste é de arrepiar. Ele deita, berra, rola, se desespera de raiva e, à medida que você avança na oração, mais e mais ele entra em fúria. Mas se você insistir e vencer, ele foge desesperado e vai procurar outro mais fácil, porque ele simplesmente não pode ficar perto de alguém que está rezando. Este é o poder da oração, especialmente as repetitivas como o Rosário de Nossa Senhora. E justo por isso é que ela tanto pede esta oração, agora, neste tempo da última batalha!
 
    Outro artifício terrível que sempre vem dele é arrumar para as pessoas compromissos que coincidam com os horários de oração. Nem falo da Santa Missa que este é flagrante, mas sim das orações normais do dia a dia. De fato, a pressão sobre os que rezam é de tal forma assustadora, e ele tem tanto sucesso nesta pressão, que são quase inexistentes os grupos que se reúnem, por exemplo, um ano inteiro sem faltar um dia, em todos os seus membros. Ele sempre dá um jeito de nocautear um, ou alguns, para que tenham coisas a fazer naqueles dias ou horas. Nem que seja provocar-lhes uma dor de barriga qualquer.
 
    Por isso, nunca dê tréguas ao maligno. Não o deixe rir de você! Vença-o pela resistência e pela perseverança. Se ele é insistente, seja valente! Se ele for teimoso, seja heróico! E, à medida que o for vencendo, verá que a cada dia diminuirá sua força de tentação. A oração lhe tira o poder, quebra a ação dele, eis porque as batalhas do espírito são sempre uma guerra de inteligências e de vontades. Se o demônio é mais astuto, saiba que seu anjo da guarda não é menos. E aí, basta que você entre com sua vontade decidida para vencer sempre e deixá-lo com aquela cara de ódio, a rolar no chão de raiva.


 
IMPORTÂNCIA DOS SACRAMENTOS


  
   Em certa época, meu avô, acometido de câncer terminal, foi morar com minha tia também budista. Embora a diferença de religião, eu sempre conversava com ele a respeito da Unção dos Enfermos, sobre a necessidade da contrição e do arrependimento e sobre o valor da Santa Eucaristia. Apesar de ele não freqüentar igreja nenhuma, tinha pavor de espíritas e de pastores evangélicos, mas nada tinha contra os padres e os aceitava.
 
    Entretanto, as minhas tias espíritas fizeram “gato e sapato” dele. Levavam médiuns, espíritas, até monges budistas, pastores evangélicos, tudo, menos padres católicos é claro. De um dos centros espíritas veio a ordem para uma tia minha se vestir de branco, que através dela o espírito ia baixar e realizar a cura do vovô. Infeliz dela! E não davam ouvidos ao vovô, nem escutavam suas reclamações. Então eu disse a ele que iria pedir a Mãe do Céu que lhe enviasse um padre, para lhe trazer a Unção dos Enfermos, mas sugeri que ele pedisse também.
 
    O padre com quem eu falei, porém, só iria se alguém o buscasse de carro. Eu não tinha, mas uma de minhas tias – da universal – sim. Mas mesmo implorando pelo vovô, ela não quis nem saber, pois dizia que não adiantava de nada. E assim, quando eu vinha de meu estágio na universidade, por estrada ruim na época, eu sempre ia visitar o meu avô e sempre insisti no Santo Terço, pedindo que nossa Mãe providenciasse um padre para ele, apesar de não ter pronta resposta Dela.
 
    No quarto em que meu avô estava deitado, havia na parede um quadro dos Sagrados Corações. Acontece que, na sua longa doença, ele passava o dia inteiro conversando com o quadro. Ele abria os braços e dizia: Pai, eu me entrego a você!  E isso fez minha tia, angustiada, tirar o quadro dali. Entretanto meu avô continuava a conversar, agora olhando fixo apenas para a marca na parede. Minha tia perguntou a ele com quem falava e ele falou: Com o Grande, eu me entrego a Ele! Vou passar o Natal com vocês e depois vou embora!
 
     Estas palavras dele deixaram minha tia apavorada, e ela, mesmo contra toda a vontade, foi buscar o padre para o vovô. Ele pode confessar, receber a Eucaristia, também a Unção dos Enfermos. O Padre me falou depois que meu avô já sabia que ia falecer no dia 26 de dezembro e assim aconteceu. Na verdade, depois de receber os sacramentos, ele silenciou. Na hora de partir para o Pai, numa única vez, com minhas tias juntas, pegamos nas mãos dele e rezamos o Pai Nosso e a Ave Maria. Hoje meu avô está no Céu.


 
TESTEMUNHO DE UMA VIZINHA


  
     Certa vez eu fui visitar uma certa vizinha, espírita, que estava gravemente doente no hospital. Depois de sair do hospital ela me contou esta história. Disse que estando entre a vida e a morte, de repente veio sobre ela uma mulher negra, que avançava sobre ela e dava horríveis gargalhadas. Ela chegou a pensar que fosse o espírito de uma vizinha sua, evangélica, que a queria pegar. Falou que estava morrendo, mas de repente ela sentiu uma água friazinha escorrendo no seu rosto e alguém lhe colocando uma coisa na mão.
 
    Perguntei-lhe então qual seria aquela “água” que a havia salvado e ela respondeu que fora um padre, que foi dar a benção a um rapaz aidético que estava à morte, e vendo que ela agonizava também, aproveitou para lhe abençoar. Então ele jogou aquela água em seu rosto e lhe deu Unção dos Enfermos, acho que é isso, disse ela. Também aquela “coisa” que ele lhe deu, um tal de escapulário, ele falou que era para ela nunca mais tirar do pescoço. Então ela puxou para fora da gola do vestido e me mostrou o Escapulário do Carmo. Vejam a grande ignorância das pessoas, sobre os objetos santos e sobre os nossos sacramentos. Só mesmo a misericórdia de Deus para salvar pessoas assim tão distantes Dele e de Suas coisas.
 
    Enfim, ela disse com toda a clareza, que foi somente quando o padre lhe jogou aquela água – água benta é claro – que aquela mulher diabólica logo fugiu. Ela disse também, que teria morrido naquele dia, e se não fosse aquele bom padre ela já não estaria viva. Claro que a tal megera na verdade era o próprio maligno, que vinha buscar-lhe a alma se ela morresse, por ser espírita. Hoje esta senhora já é falecida e espero que aquele incidente lhe tenha servido de lição e que hoje Deus já a tenha acolhido em Seu seio. Pois certamente que naquela época, seu destino não seria o mesmo. Afinal, não era má pessoa!


 
UM MAL SÚBITO


  
    Certa vez e de repente, fui acometida de um mal súbito. Meu coração parecia não mais bater e já não tinha forças para nada. Até mesmo a minha respiração parecia parar. Acabaram me levando ao hospital e lá veio o diagnóstico do médico cardiologista: pressão normal, coração normal, respiração normal. Não tinha nada, estava tudo bem! Mas mesmo sem sentir nada – por saber das coisas que me aconteciam – eu já alertava minha mãe: quando acontecer algo comigo, chama logo um padre! Nunca deixe chegar um médium, pai-de-santo ou espírita perto de mim. Chama sempre um padre para me dar a Unção dos Enfermos. Nem mesmo evangélicos devem chegar perto de mim, com as suas rezas, porque sei que não servem para nada.
 
    Mas neste dia o médico me receitou uma injeção para pressão e um calmante. Disse que eu aguardasse ali por alguns momentos que depois ele me viria ver. Imaginem, quantos milhares de casos no mundo acontece assim, sem que as pessoas percebam. Mas minha mãe, sabendo daquele pedido de chamar o padre, foi ao médico e lhe perguntou se podia chamar um padre para me sacramentar. Disse minha mãe depois que o médico arregalou os olhos e perguntou: para que um padre? Ela não tem nada! Não está morrendo! E saiu da sala todo apavorado, dizendo que não se responsabilizava por nada e que quando ele saíra, eu estava boa. E sumiu tão apavorado que não mais voltou para me ver como prometera.
 
    A minha mãe perguntou para sua secretária o que havia acontecido e ela falou que ele saíra muito apavorado. Então, como eu não melhorava, embora estivesse bastante lúcida, pois os medicamentos não fizeram o efeito desejado, minha mãe resolveu chamar um padre amigo, que foi avisado enquanto rezava a Santa Missa. Assim que ele terminou, veio rápido ao hospital que ficava há apenas uns 100 metros da igreja, pois não sabia o que estava acontecendo. Assim que chegou ele perguntou: mas minha menina, o que te aconteceu? Ao que respondi com um menear da cabeça que não sabia. Mesmo assim, ele me deu a Unção e me preparou para a morte.
 
    Mas vejam, um pouco antes de ele chegar eu pedia a minha mãe que rezasse, embora tivesse uma enorme dificuldade de pronunciar cada palavra. Reza a Ave Maria eu lhe pedia. Mas ela meneava a cabeça que não entendia! Reza o Pai Nosso e ela dizia que não entendia! Na verdade ela não rezava, porque não entendia o meu pedido. Enfim pedi: reza para São Rafael e ela disse: minha filha, eu não sei nenhuma oração de São Rafael. Mas não era esta ainda! É que eu queria dizer São Miguel e não conseguia pronunciar a palavra certa. Então minha mãe aflita se lembrou que eu há tempos lhe havia dado um papel com o Exorcismo de São Miguel, que por sorte ela carregava na bolsinha. Então, apavorada, ela segurou nas minhas mãos e leu a Oração, que, aliás, ela nunca havia rezado na vida.
 
    Que aconteceu? Com a simples leitura desta oração poderosa, imediatamente eu voltei a perceber o ambiente em que estava e comecei a falar com mais clareza as primeiras palavras. Mas sentia em todo o meu corpo como se tivesse levado uma imensa surra. Minha mãe nunca esqueceu deste fato, porque a partir dali começou nela uma grande devoção ao querido Divino Arcanjo São Miguel, aprendida ali, no pânico, sem saber o que fazer, tendo o médico fugido da sala e eu não melhorando. Minha mãe de fato não sabia rezar, porém como o Bom Deus tudo providencia, ela por acaso levava o folhetinho da oração junto.
 
    Mais uma vez, o meu grande companheiro e amigo São Miguel Arcanjo me livrou de uma grande enrascada. Esta foi mais uma das tantas vezes em que o demônio tentou me “matar” assim como ele sempre promete desde que eu era criança. E muitas vezes foi assim nestes anos em que a misericórdia de Deus me ampara, afim de que, passando eu por estes tormentos, possa lhes vir agora relatar as terríveis experiências pessoais que tenho passado, afim de que muitos possam fazer bom uso destas lições. Por isso, quando sentir-se em situação idêntica, recorra sempre aos préstimos deste maravilhoso servo de nosso Bom Deus: São Miguel Arcanjo!


 
DEUS: NOSSO VERDADEIRO PSICÓLOGO


  
     Depois deste incidente do hospital, novamente as pessoas começaram a encher a cabeça de minha mãe para me levar a um psicólogo, pois certamente me achavam desequilibrada. Eu falei que não queria ir, mas tanto minha mãe insistiu que acabei aceitando que ela fosse marcar consulta. Era uma psicóloga! E mal entrei a primeira pergunta que ela me fez foi: Por que você veio até aqui? E eu respondi: não sei! Só por insistência de minha mãe! Mas ela retornou: você veio por livre vontade? Não, respondi, vim forçada! Como, perguntou ela? É que eu não preciso de psicólogo. Meu único psicólogo é Deus, só Ele me entende e mais ninguém, nem minha mãe, nem você, nem ninguém!
 
    Espantada, de olhos arregalados ante tanta franqueza, ela me disse que jamais alguém havia falado com ela daquele modo nos muitos anos em que exercia aquela profissão. Mas disse também que jamais alguém lhe havia falado ali no consultório sobre Deus. Então eu reafirmei a ela meus princípios e minha fé em Deus. E novamente invertemos os papéis. Ela me passou a fazer perguntas sobre a fé, sobre Deus e sobre a minha religião. Até que, meio desajeitada, ela me mostrou uns “livros” que andava lendo: espiritismo puro! Então disse a ela que aquilo tudo era lixo para mim e que passava longe daquelas coisas. Mas evitei ir mais fundo, preferindo falar é da minha religião e das maravilhas que nós temos.
 
    Vocês não imaginam o que aconteceu! Com os olhos marejados de lágrimas, ela disse que eu era uma pessoa maravilhosa, que havia gostado muito de mim e que eu era diferente de todos os pacientes que já havia tido. Disse para eu voltar outras vezes e deu ordem para a secretária me mandar entrar sempre que chegasse. Disse que não queria que viesse para tratamento psicológico, mas sim para ouvir sobre aquelas coisas lindas da fé católica, pois gostara muito de ouvir falar sobre Deus. E Deus sabe que não me envaideci por isso, mas é alegria constatar que muitas vezes – aliás, na maioria delas – são os psicólogos e os tais “analistas” que precisam sentar no divã. São eles que estão carregados de problemas, pois todas as pessoas que vêem aos consultórios estão completamente contaminadas por espíritos de demônios – que ali entram em seus pacientes – e como eles não têm a fortaleza de Deus, acabam também ficando mal.
 
    Ó almas, não sabeis que nos sacerdotes católicos está a cura plena e a saúde perfeita? São eles os verdadeiros psicólogos, psiquiatras e analistas. Na verdade, basta um pouquinho só da aceitação dos planos de Deus para suas vidas; basta a vivência total e plena da nossa religião católica, que com ela é possível levar a bom termo a jornada rumo ao topo da Santa Montanha e dela chegar à transfiguração completa do Monte Tabor. Na verdade, sabemos que existem doenças e doentes, mas é preciso saber que mesmo estas doenças todas são causadas apenas pela presença do pecado em nossas vidas. E sempre que há pecado, há também a presença do maldito espírito das trevas, o que significa mais pecado, e mais doença, num círculo vicioso que leva seguramente aos abismos da eterna treva.


 
ASTÚCIA DE SATANÁS


  
     Existem pessoas que pensam que o demônio não pode, para enganar uma pessoa, pedir para ela rezar e até “rezar” junto. Prontamente ele se dispõe a rezar uma ou outra oração, mas se for prestado atenção, ele apenas finge, e na verdade não reza é coisa nenhuma. Neste caso, a pessoa fica entusiasmada e nem se dá conta de que está rezando sozinha.
 
     Há tempos aconteceu assim comigo: Ele, muito bem disfarçado de Jesus, pediu-me para rezar 1000 Ave Marias, para a alma de uma pessoa muito famosa, recém falecida. Disse que ela estava no purgatório e precisava muitíssimo daquelas orações para se libertar. De fato, muitas pessoas o tinham como santo, seu túmulo é super visitado e muita gente de fato ainda hoje reza por ele.
 
     Em obediência, me dispus a rezar as orações. E súbito vi novamente a tal figura, disfarçada de Jesus, e trazia junto aquela pobre alma, dizendo que assim que eu acabasse as orações ela iria direto ao céu. Entretanto, algumas coisas não batiam bem com a realidade. Primeiro porque a figura de Jesus aparecia e desaparecia, ficando sempre inquieta. Induzia-me a pensamentos de dúvida e, quando estava prestes a largar tudo, até de Maria ele falava.
 
     Quando duvidei verdadeiramente que aquela imagem fosse de Jesus, pois ele ficava inquieto quando eu rezava a Ave Maria, pedi a ele que rezasse comigo. Entretanto, ele se dispôs a rezar muito desajeitadamente, mas da forma fingida, como expliquei no começo. Por outro lado, me perguntava, como é que o maldito me pediria para rezar tanto? Qual seu objetivo verdadeiro? Ó, com quanta facilidade caímos nos laços de satanás! Eis que mal terminara de rezar as 1000 Ave Maria, me aparece novamente a figura, trazendo consigo a “pobre alma”, dizendo que agora iria ao céu. Juntos vieram duas outras figuras, vestidas de anjo, mas com vestes longas e estranhas, que pegaram naquela “alma” que parecia aflita.
 
     Mal impressionada com aquela cena horrível, perguntei o que significava aquilo! E me foi dito que eram dois anjos, um Querubim e um Serafim, que haviam assistido aquela alma enquanto viva, na missão que Deus lhe dera. Entretanto, as vestes daqueles “anjos” pareciam trapos soltos ao vendaval e a “alma” demonstrava era imensa infelicidade. Como poderia estar indo para o céu? De fato, ao longe, se podia ver um portão alto e escuro. Ato contínuo, os três pararam diante do portão, envolto em nuvens e fumaça preta, que imediatamente cobriu toda a minha visão. Perguntei então o que era aquilo, onde estava a porta do céu, pois só via fumaça. O suposto “Jesus”, porém, como os outros, sumiu também, me deixando estarrecida e perplexa.
 
     De fato eu rezara 1000 Ave Marias para salvar uma alma e agora me é mostrada toda esta cena terrível. Então o verdadeiro Jesus me apareceu e pediu: telefona para Aarão, ele sabe pelo Cláudio o destino desta alma. Imediatamente fiz isso, pois estava angustiada. Relatei a ele o acontecido, pois ainda tinha a certeza de que havia feito uma boa obra. Mas foi com verdadeira angústia, que eu soube dele que aquela pessoa se havia perdido para sempre e que satanás me havia enganado mais uma vez.
 
     Qual o objetivo do maldito? Era me indispor com a equipe Salvai Almas! Era tentar me iludir, dizendo que tal alma se salvara com as minhas orações, quando na verdade a equipe, desde o dia da morte daquela pessoa, já sabia da sua perda eterna. Ele vivera a vida desafiando a Deus e embora parecesse bom, na verdade era obstinadamente teimoso e odiava a muitos. Infelizmente vemos hoje muitas pessoas iludidas, afirmando que o demônio não reza nem manda rezar. Ou o contrário, se manda rezar é porque não vem dele. Na verdade o maldito usa um expediente santo para conseguir um objetivo sempre sórdido. Não se enganem também, pensando que, se a mensagem de um confidente manda rezar, é porque ela vem certamente de Deus. Satanás tem muitos truques e ardis neste sentido e é preciso estar sempre atento.
 
     Que as pessoas que têm estas visões se acautelem e observem com atenção. O maldito tem muitos similares, e não consegue permanecer num só lugar o tempo inteiro de sua “mensagem”. Eles se trocam de lugar em frações de milésimos de segundo, e se notarem bem, verão como estas idas e vindas acontecem. Tudo depende do assunto que ele estiver lhe falando.
 
     Isso tudo me foi dado ver. Mas quantas vezes, em minha vida, eu fui enganada, até perceber estes artifícios dele. Óbvio que jamais relatei publicamente minhas visões e as mensagens que recebi, pois sei que se o tivesse feito, já teria provocado muita confusão. Foram precisos muitos anos até que eu conseguisse discernir tudo com clareza, para agora poder relatar isso. Na verdade, tudo acontece pela vontade do Bom Deus. Ele ama seus filhos por demais, e até isso permite com alguns – ter estas visões – para esclarecer aos outros. É preciso que alguém passe por estas duras provações para que os filhos da luz sejam alertados e muitos venham saber das astúcias de satanás.
 
     Somente Deus pode fortalecer uma pessoa para que ela consiga ver isso, porque sem o amparo divino nenhuma criatura suportaria tamanha loucura. Milhares de confidentes e videntes acabam criando todas as suas mensagens, porque não se apegam em Deus, mas são envolvidos por satanás em suas pseudovisões e falsas revelações. Estas mensagens deles acabam criando um clima de insegurança e só trazem infelicidade. Quando uma pessoa menos fissurada lê uma mensagem destas, imediatamente sente uma angústia inexplicável e não consegue ir até o fim do texto, nem do livro.
 
     Muitos confidentes correm um grande risco quando fazem uma pergunta e esperam ou obtém uma pronta resposta do céu. É nestes momentos que o maldito consegue se infiltrar, naqueles relances de ida e vinda, respondendo ele no lugar de Deus. Todos devem aguardar o tempo certo de cada resposta, deixando-as em oração. Quando acontece de o confidente ser enganado, isso acontece por permissão divina, para que sejam provados os verdadeiros e os falsos. Se o confidente ficar cioso de suas revelações, fatalmente abrirá espaço para as respostas imediatas de satanás. Estes ardis dele estão seguramente expressos nessas “mensagens” de longos diálogos, entre eles e “Jesus” ou “Maria”. Somente videntes de larga experiência e longa e profunda vida de humilde oração conseguem perceber e filtrar as verdadeiras respostas do céu.
     Satanás tudo faz para deturpar a verdade, introduzindo pequenas mentiras dentro do texto, pequenos erros doutrinários ou teológicos, pequenos deslizes na questão de tempos e datas, também confusão em tempos e personagens históricos, que muitos divulgadores acabam engolindo como fruto da pouca instrução do confidente. Ora, se é Deus quem traz uma mensagem, acaso erra? Se a mensagem sai torta, então é porque ela não vem de Deus e não existe forma de contemporizar ou justificar. E assim, com pequenas mentiras, ele consegue desacreditar a verdadeira mensagem e o verdadeiro profeta. Enfim, se Deus permite isso, é para nosso fortalecimento espiritual. E quando satanás consegue abrir espaço com uma falsa mensagem, solta suas gargalhadas infernais de escárnio, porque ganhou mais espaço no coração dos filhos de Deus.
 
     Cuidem-se, profetas, de se deixar contaminar pelo orgulho! Uma só pontinha já é um caminho de infiltração dele. Já mil vezes tive que me curvar diante da realidade de que fui enganada por ele. Cuidado, também, com os elogios e as paparicações! Cuidem para não se deixar levar por um sentido de superioridade, tornando-se como ídolos dos próprios  divulgadores. É extremamente perigoso o elogio que leva ao orgulho. Isso sempre vem de satanás, e esta é a melhor arma dele. Eis porque Deus permite exatamente o inverso. Que os profetas sejam perseguidos, atacados, maltratados, para que o orgulho não entre em seus corações.
 
     Muitos profetas têm se deixado colocar em altares como santos, suas mensagens os fazem santos, quando melhor é se fazer pecador e se achar indigno. Afinal, a verdade sempre prevalecerá e no tempo oportuno, SEMPRE, Deus virá em auxílio de seu mensageiro. Caso o céu não venha em socorro dele, é exatamente porque ele nunca foi profeta do Altíssimo. Mais uma forma de aprender a discernir entre os falsos e os verdadeiros. Entre os que se deixam guiar humildemente por Deus, e os que se deixam enganar por satanás.

 



Extraido do livro "Os demônios nos caminhos dos filhos de Deus"





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 02/08/09 às 22:28:52 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.


Visite o espacojames nas redes sociais:



LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES