Espacojames


Página Inicial
Listar Livro Aberto




Artigo N.º 2065 - Livro - Parte 07 - O demônio nos caminhos dos filhos de Deus
Artigo visto 2360 vezes




Visto: 2360
Postado em: 02/08/09 às 22:28:52 por: James
Categoria: Livro Aberto
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=180&id=2065
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Livro Aberto

Espacojames: Este livro narra a história de uma Mulher que vê com olho humano toda ação do demônio na terra, e o que eles fazem para atrapalhar nossa vida, a versão completa está disponível no menu DOWNLOAD, é obrigatório a todos os cristãos tomarem conhecimento disso.

Continuação...

TRAPAÇAS DO MALDITO 


  
      Há alguns meses atrás, estávamos para iniciar um negócio que precisava de uma nova construção. Mas a indecisão era muita, porque de todos os lados vinham as “sugestões”. Isto é, tanto do Céu, como do inferno. E eu não conseguia mais atinar qual era realmente a vontade de Deus para nossa vida. Então, na nossa capelinha, eu colocava para Jesus estas indecisões, também a nossa falta de dinheiro para a obra, enfim, eu bem sei, dávamos pessoalmente – eu e meu marido – uma prova de falta de confiança no Pai do Céu. Sei disso, mas o que vou fazer? Somos humanos! É sempre Jesus que diz que tem que ser assim! Que temos que passar por isso! Então será assim!
 
    Claro, o leitor deve entender que no meu caso tem sido permitido ao maldito me colocar as dúvidas no coração com muito maior intensidade que o comum, justo para atrapalhar o projeto de Deus neste meu caso. Mas a falta de confiança em Deus certamente que é um caminho por onde satanás se infiltra, para suscitar seus enganos, para iludir com suas tramas, de modo que, acreditem, se você caminhar de acordo com as sugestões dele, você pode chegar até à loucura, porque ele te enche cada vez mais de dúvidas e indecisões. Sim, ele te envolverá completamente na sua confusão!
 
    Pois não é que de repente ele me apareceu. Todo cheio de soluções, falando sobre como nós deveríamos construir, onde, e até as dimensões que iríamos precisar. Mas – pasmem – ele não vinha com a aparência mais comum dele e sim fantasiado de Nosso Senhor Jesus Cristo. Eu por certo estava insegura, porque as indicações que ele havia dado sobre a construção eram inviáveis, e sentia que Jesus não iria me propor tais coisas. Nisso a “figura” me convidou para sair lá para fora da capelinha e acompanhá-lo, e eu, mesmo ainda indecisa, lhe pedi para ir à minha frente.
 
    Muito desconfiada eu disse: Senhor, pode passar! Vá diante de mim! Mas a figura se negava a sair à minha frente e tanto insistiu até que eu própria passei à frente. Assim, que ia saindo da capelinha, virei bruscamente para passar meio de lado na porta, quando para surpresa dele, mais ainda minha, não surpresa, mas tristeza eu percebi nas costas dele um clarão de fogo que queimava sem cessar. Era, por trás, como um oco vazio, uma fornalha ambulante, horrível de se ver. Atenção, confidentes!
 
     Disfarçando, ele me disse: vamos que o “pai” me deu um tempo! Ao que respondi: Que pai? Você não é Nosso Senhor. Ele não tem as costas em chamas como você tem. Mas ele deu qualquer desculpa e me chamou ao lado, mostrando onde deveríamos colocar a casa dos cachorros... Mais uma outra virada brusca, num descuido dele, vi novamente aquela chama horrível nas suas costa. E perguntei: que é isso? Ao que ele respondeu: Sou um espírito e o vazio se preenche com esta chama que você está vendo. Somos puros, por isso nosso interior é como esta chama de fogo que não se apaga. E se aparecemos assim, é apenas porque Deus o permite, para que você possa nos ver.
 
    E saiu dizendo: vamos que preciso lhe mostrar onde vamos construir! Mas nisso tocou o telefone e com tanta insistência que tive que ir atender. Minha cabeça era uma só confusão! E eu me perguntava: Como Jesus? Corpo glorioso? Mas não me saía da cabeça aquele fogaréu. E ao atender ao telefone minha cabeça estava tão confusa que nem entendia o que o outro falava. O que me dava nesta altura era um tremendo medo. Não, aquilo não era possível ser verdade, embora, como já disse, a semelhança com Jesus, por frente, era extraordinária!


 
TREMENDA AFLIÇÃO!


  
    Quando voltei de atender ao telefone, parei diante daquele pai da pestilência, mais uma vez vi aquele tremendo fogaréu. Isso me deu uma aflição tão intensa, me deu uma cólica de intestinos tão forte que tive que correr para o banheiro. Quanto desespero, Senhor! Na verdade, quando a gente está com Jesus, não sente qualquer tipo de dor, mas sim uma grande paz e alegria. E quando a verdadeira visão começa a gente entra numa espécie de êxtase e não sente mais nada. Mas isso só acontece quando vem da parte de Deus.
 
    Meu Senhor, quando virei para sair correndo ao banheiro, lá estava aquela figura terrível se desmanchando em gargalhadas. Ria de mim! Ria de minha imbecilidade, por achar que Jesus viesse ali me ajudar daquela forma na nossa construção. Mas mesmo assim não pude parar! Entretanto, novamente no banheiro, era cólica seca, de pura angústia e pavor. Enfim, depois de algum tempo, voltei para a rua. Pensava que aquilo havia desaparecido, mas qual nada.
 
     Vejo agora uma nova figura de Jesus - diferente um pouco da primeira – e perguntei a ele sobre o acontecido! Sabe o que ele respondeu, o cara de pau? Ele só quer te atrapalhar! Fazer pensar que ele está por trás de tudo! Não dê importância a ele! Vamos continuar, filha (Deus que me perdoe)! Pois esta nova figura também tinha aquele fogaréu maldito! E além daquele fogo, ainda tinha os olhos vermelhos, mas não me fixava nos olhos para que eu não percebesse. Mas isso eu só fui sentir bem claro quando dias depois Jesus, agora sim Ele, veio e me falou: Cuidai-vos de satanás! Ele não anda sozinho e enquanto está de um lado, envia outro para iludir os meus filhos, para que pensem que não é ele, e que Sou Eu quem vos fala.
 
      Quando comecei a escrever este trabalho, realmente fez-se notar sempre a presença de dois demônios juntos para me atrapalhar e me perturbar. Eles faziam de tudo para evitar que eu escrevesse estas linhas. Sinto que, se não fosse a graça de Deus Trino e a força do Espírito Santo, ao qual atribuo todos estes escritos, nada disso chegaria às mãos de alguém, pois sozinha não teria forças para escrevê-los.
 


MAIS “APARIÇÕES”!


  
   Mas, voltando à presença dos “dois”, um eu tinha a certeza de que era o próprio satanás, o outro sinto apenas que era integrante do seu exército. Ontem, dia 29/09/2002, quando a gente rezava na capelinha de São Miguel, via novamente as duas figuras, uma fantasiada de “anjo”, acreditem, com asas e tudo, bem similar a São Miguel Arcanjo. Mas a cara dele não disfarçava: Terrível, horripilante, extremamente tétrica e abominável. Estampada naquela carranca estava tudo o que pode existir de negativo: dúvida, medo, incerteza, infelicidade, angústia... Tudo o que é contrário à paz, segurança, virtude, bem!
 
    Enfim, tudo aquilo que uma alma humana consegue perceber de satânico, estava ali estampada na face daquele “anjo”. Cheguei até a pensar – quem sabe se isso – que quando a gente se encontra abatido e triste, tem exatamente aquela cara hedionda. Livrai-nos disso, Senhor! Quanto ao outro, ele estava fantasiado de Nosso Senhor, e fiquei assustada com a incrível semelhança que ele consegue assumir com o verdadeiro Jesus. Sabem, se não for por uma imensa graça de Deus, é impossível distinguir um e outro. Tanto na imagem que mostra quando visível,  quanto na voz que imita, na mensagem que cria e sugestão que dá. E vou dar um exemplo de quão espertamente ele se fantasia.
 
     Recentemente eu tive uma visão de Nosso Senhor e ele me apareceu da forma sempre tradicional. Entretanto, assim que a visão se foi, ou melhor, à medida que Ele se desvanecia da minha vista, imediatamente o maldito tomou o lugar de Jesus, na mesma fração de segundos, e ficou à minha frente, como continuando a conversa de Jesus. Devo explicar que tudo acontece num relance, de forma que uma alma desatenta jamais irá perceber. Já alguém me havia pedido que eu sempre me fixasse apenas na visão, que ficasse bem atenta a todos os detalhes, não permitindo que minha mente divagasse.
 
    E assim percebi que havia uma diferença bem visível entre a imagem do próprio Jesus, e esta outra que tomou o lugar, pela diferença da gola da roupa. Como o maldito quis continuar a sua fala, me enganando, eu lhe disse: Que Nosso Senhor, que nada! A gola... Não precisei ir adiante! Num relance de milésimos, ele mudou o detalhe da gola, para a forma exata igual a que Jesus se me havia mostrado. Viram? É assim que ele faz! É assim que ele engana a muitos confidentes que pensam que Jesus e Maria lhes aparecem! Sim, também de Nossa Senhora ele é capaz de se fantasiar.
 
    Para isso, é preciso a gente se fixar não só na aparência exterior, mas também nas expressões faciais, nos olhos e noutros detalhes como as costas. Mesmo estando fantasiados de Jesus, de São Miguel ou Nossa Senhora, sempre eles trazem no semblante a tristeza profunda, o abatimento mortal, uma grande tensão, uma infelicidade absoluta, em especial nos olhos, que são vermelhos. E ainda este menor dos dois, sempre olhava meio de lado, para onde estava o próprio Lúcifer, como se esperasse que seu “pai” fosse dizer algo, ou descobrir alguma coisa de errado. É que os demônios menores são tiranizados eternamente pelos mais fortes e têm medo deles. Creiam, até isso existe!
 
    Fiquei completamente perplexa diante daquela cena. Posteriormente, quando o próprio Senhor apareceu-me, ele fez lembrar este caso de agora, e também do dia anterior em que havia sido enganada pelo maldito fantasiado de Jesus. Agora o Senhor está diante de mim, dá uma volta inteira em Seu Corpo e perguntou: Tenho Eu, fogo nas costas? Estou aqui porque o Pai Me enviou e não a “ele”! Cuidai-vos porque ele não está sozinho. São muitos os que o servem. Olhai bem, para que os distingam. Acaso ele vira as costas para você? Não ele não vira! Acaso os videntes já fizeram este teste? Mandar aquela figura que lhes aparece virar as costas? Se não virar, expulsa com água benta que é o demônio!
 
     Então respondi ao Senhor que já havia notado algo neste sentido. Aí, o próprio Jesus com um simples movimento dos Seus dedos me diz: prestai atenção! E fez com que aquele demônio que sempre me aparece com a “semelhança” de Jesus, se tornasse visível e se virasse contra a vontade dele mesmo! Puro fogo! E o Senhor Jesus me disse: queimam porque não acreditaram! Porque duvidaram! E não aceitaram o que o Pai determinou para eles. São infelizes eternamente!
 
    E assim, por muitas vezes já aconteceu. E à medida que o tempo passa, ainda o próprio satanás me aparece, com toda a semelhança de Jesus, mas já não consegue me enganar, pois tenho aprendido a bem diferenciar um de outro. Vejo que imediatamente, quando o descubro, ele envia outro, ainda mais semelhante que ele mesmo, tentando me iludir. E pergunto: Será que ele não faz isso com certos confidentes? Será que ele não faz isso com milhares de pessoas em todo o mundo? Ai de quem abre uma brechinha só que seja para ele entrar! E a melhor brecha é o orgulho! Pode ter certeza absoluta de que ele não perde uma única chance de molestar as almas incautas. Vigiai e orai, sempre!


 
OS PRÊMIOS


  
    Nesta semana, pela segunda vez, recebi a correspondência de uma Revista, com uma campanha promocional. Sei que milhares de pessoas deste país também a receberam e vem com aqueles dois envelopes: SIM e NÃO! Vem o tal cartão estrela, a chave e também uma autorização para uso de imagem no caso de ser um dos ganhadores dos prêmios e coisa e tal, sem qualquer ônus para a empresa promotora. Acredito que milhões de pessoas já responderam SIM e aguardam ansiosos os sorteios. Para eles esclarecemos! Atenção!
 
    Quando chegou a primeira carta, Nossa Mãe me disse que eu não deveria mandar estas coisas, porque Deus não quer. Disse que isso é um jogo de cartas marcadas e que ninguém sabe quem são esses ganhadores. Suas palavras foram: Os jogos não vêem de Deus e não é lícito participar! Agora, porém, neste segundo envelope, perguntei a Ela se poderíamos participar e por incrível que pareça a resposta foi: desta vez o Pai permite! Pode faze-lo! E disse ainda: Lembre-se Filha, só Deus pode conceder o maior prêmio! Claro que isso tudo me intrigou um pouco! Por que motivo antes não, agora sim? Mas era tão real...
 
    Bom, uma semana depois, já havia uma certa “cobrança” sobre mim, para preencher o tal formulário de dados e enviar a correspondência. Preenchi às pressas meu envelope: Sim! Mas depois de lacrado tive um sentimento muito forte de que não deveria enviá-lo de modo algum. Então ouvi a ordem: Pega este papel e leia! Peguei o papel e li tudo de novo! Mas nada achando de anormal deixei-o na mesa! Então a mesma ordem veio: pegue o papel!
 
    Novamente levantei o envelope e olhei com atenção. Vi o símbolo da revista Seleções, uma estrela de cinco pontas e um círculo em volta. Mas pensei, que mal há nisso? Coloquei o papel sobre a mesa novamente, mas em meu interior sentia perfeitamente que não era para eu enviar aquela carta-resposta. Então ouvi novamente: Olha o código! Telefona para o Aarão! Foi ai que “acordei” para a realidade, pois alguns dias antes eu havia passado por uma situação terrível, e me foi pedido para telefonar para ele. E descobri que havia sido enganada pelo maldito! Não era Nossa Senhora quem insistia para eu mandar o meu código e sim ele, o pilantra. Mas foi ela quem disse: Só Deus pode dar o prêmio maior! Viu como ele consegue se infiltrar e misturar as coisas na cabeça dos videntes!
 
     Dito e feito. Assim que pedi para o meu esposo, que já se encontrava de carro ligado e esperando pelo envelope, que fosse embora que eu não ia mandar a carta para o correio, de súbito o “macaco” me aparece na frente dando altas gargalhadas. Era horrível! Em tom de afirmação e ironia me perguntava: Como é, desistiu? Desistiu de mandar o seu código? Porque desistiu minha filha? Porque? E dava gargalhadas horripilantes! Completamente aturdida com aquela situação, saí à procura de água benta, procurei por todos os lados e não achava. Até um copo de água comum pensei em jogar nele!  Mas o monstro dava gargalhadas e me perguntou se “a aguinha que estás procurando mudou de lugar”. Então me despertou a lembrança da própria garrafa de água benta. Quando a peguei e fui para cima dele, ele desesperado ia gritando e se afastando, sempre de frente para a gente, pois ele jamais nos dá as costas. Você já sabe o motivo: O fogo!
 
     Logo depois, completamente aturdida com tudo o que havia acontecido, implorei ao Senhor que me explicasse o que acontecera quanto ao tal concurso. Foi quando Jesus me disse:  não te aborreças minha filha, era preciso que assim fosse!  Quero que fales também sobre este assunto e escrevas para mandar junto com os outros escritos. O leitor também não deve ter entendido muito bem, entretanto aqui vai: estes concursos, com códigos e senhas, nada mais são que o cadastramento mundial da besta, que desta forma já tem em mãos os dados das pessoas. Mas, não se preocupem, porém, os que já mandaram as cartas! Deus não permitirá que nada aconteça aos que se mantêm em oração! Uma coisa é aquilo que o diabo projeta, outra muito diferente, é aquilo que Deus permite que ele faça. Não se apavore se também mandou a tal carta. Deus é sempre mais forte e nada acontecerá sem que Ele o permita.


 
OS DOIS CAMINHOS


  
     Entrai pela porta estreita, porque largo e espaçoso é o caminho que conduz à perdição. E muitos são os que entram por ele. Estreita, porém, é a porta e apertado o caminho que conduz à Vida. E poucos são os que o encontram (Mt 7,13-14). O caminho largo é aquele que conduz à morte e à condenação. O caminho estreito é aquele que conduz à Vida, à salvação. A busca de Deus se dá por duas vias: Positiva e Negativa.
 
     Em algumas seitas e religiões, trata-se apenas da via negativa, já que em algumas todo o criado é ilusão e a única realidade só se revela como “vazio”, no vazio de tudo. A maneira como nós católicos “representamos” a divindade não altera a Sua natureza, mas é um erro achar que Deus é o mesmo para todas as crenças: budistas, evangélicos, espíritas, maometanos, etc. Algumas seitas e religiões se baseiam em técnicas, não em verdades indiscutíveis, confinando o homem a uma intuição que pode, aparentemente, exceder qualquer percepção do mistério de Deus. Esta mística nunca será verdadeira.
 
     A mística é verdadeira somente quando se abre sobre o infinito e sobre o eterno. Na mística cristã, a fé é algo essencial, pois ela entra exatamente aonde a razão não mais explica a realidade de Deus: Eis ai o mistério! Ela é então a mola propulsora e é a luz que ilumina. É a fé que liberta o cristão de uma terrível coerção. Assim, as perspectivas cristãs, e melhor, católicas, são diferentes das demais. Deus é pessoal, no sentido de ser “pessoas”, não uma só pessoa, mas três, absolutamente distintas. Elas formam o Deus Único, o Absoluto, O incondicional. O importante para nós cristãos é a realidade do fato Trinitário. O que não se dá com outras seitas e religiões.
 
     A Trindade é a solução! Basta, então, seguir os ensinamentos de Jesus Cristo, o Filho Único de Deus. É evidente, assim, que Ele quer que sejamos também nós um com Ele, como Ele o é, com o Pai. É do nosso desejo mostrar nestes escritos que a vida espiritual consiste em buscar a Deus. Os santos conseguiram estabelecer entre Deus e os homens uma relação fraterna e perfeita. A união do santo com Deus une-O a todos os seres. Assim, o verdadeiro amor do homem a Deus o torna capaz de amar a todos os seres.
 
     Algumas seitas e religiões conhecem formas de amar próximas desta concepção. Outras nada têm de semelhante. Sei que alguns interpretam num sentido quase cristão, o amor do fiel ao seu pastor, ao fundador de sua seita ou religião. Nestas o fiel consagra-se ao seu fundador, como um salvador, em quem depõe toda a sua fé. Deste modo, algumas delas são apenas dignas de compaixão.
 
     O Cristianismo uniu o conhecimento e o Amor. Aliás, a definição cristã de Deus é: Amor. Em algumas seitas e religiões a pessoa perde a sua consistência assim, jamais poderá haver ali o amor. Para outras seitas e religiões, o ser criado é pura ilusão, da qual é preciso desprender-se. No cristianismo a realidade da presença divina confere ao homem a sua verdade, que sem aniquilá-lo, dá-lhe uma existência própria. Quanto ao caminho estreito, não se deixam confinar num universo de relação horizontal. Aqui, a relação com o Céu ocupa um lugar privilegiado, fato que sustenta os demais.
    
     Sabemos que correntes espiritualistas ou espirituais, originadas de outros continentes, vêm tentar preencher este vazio de Deus, mas isso só as faz esvaziarem-se ainda mais. Deste modo, as doutrinas originais de cada seita, ou religião, a cada dia vão sendo mais e mais alteradas, por um fenômeno de inevitável distorção. Isso resulta, dia após dia, nos desmembramentos constantes destas seitas ou religiões. Assim, saibam que só Cristo – Deus-Homem – pode ser a solução. Sim, Ele é a solução única e definitiva.
 
     Acontece, porém, que as outras seitas e religiões recusam oferecer solução para os problemas essenciais da relação com Deus e até mesmo da própria existência de Deus. Assim, os pastores apresentam-se eles próprios como mestres da doutrina. Mas nunca provaram isso na prática. Ou acaso algum deles já provou que morreu numa Cruz pelos seus adeptos e discípulos? Acaso algum deles ressuscitou? Algum deles provou a sua divindade? Ora, Cristo assumiu a Sua doutrina, provou que é Deus, deu sua vida, aceitando a morte na cruz e ressuscitou, cumprindo assim as Sagradas Escrituras.
 
    Ora, em Cristo tudo nos é falado. Tudo o que pode ser percebido pela criatura, nos á dado através de Cristo. Só Ele é guia certo e seguro. Só Ele é Verdade, Vida e Caminho que conduz a Deus. Ao contrário, todos os outros guias espirituais nunca puderam e jamais poderão fazer mais do que indicar um trecho do caminho. Nenhum deles é partida e chegada. E assim, incompletos em si, eles usam partes que lhes interessam da doutrina Católica, chegando ao desplante de disputar com ela a primazia de Jesus Cristo. Sim, porque renegam o primado de Pedro!
 
     Tristemente muitos “católicos” renegam a fé em Jesus Cristo , da Santa Igreja Católica Romana, e vão buscar a salvação onde ela não existe. O espírito diz expressamente que nos tempos vindouros, alguns apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos sedutores e doutrinas diabólicas (I Tim, 4-1). É isso que vimos hoje: Falsos profetas! Multidões de seitas! Doutrinas diabólicas e extravagantes! Por que motivo abandonam o Verdadeiro e Único Salvador? Da Única e verdadeira Igreja? Porque vão buscar abrigo em tudo que é abominável a Deus: Adivinhações, astrologia, feiticismo, magia, espiritismo, superstições e invocação de mortos?(Dt 18,10-13).
 
     Sim, além de tantas outras práticas esotéricas: Búzios, numerologia, tarô, cristais energéticos, copos que andam, pirâmides, mapa astral, horóscopos, nova era e tudo o mais, que é culto idolátrico? Deus nos adverte: Não vos volteis para necromantes, nem consulteis adivinhos, pois eles vos contaminariam (Lev 19,31) Saibam que ao entrar, seja num ambiente espírita, seja num centro ou terreiro de macumba, seja sob Alam Kardec, ou Eurípedes Barsanulfo entre outros, é como se colocar sob o jugo do demônio. É apenas satanás com os seus que se fazem presentes nestes ambientes. Os espíritos dos mortos não perambulam pelo mundo, muito menos “baixam” ou ainda se “incorporam” em alguém ou aparecem em algum lugar. Só os próprios demônios fazem isto!
 
     Todos os espíritos que baixam nestes lugares são malignos. Nos centros espíritas, não só lá, mas em muitas seitas e religiões que se baseiam em “expulsar demônios”, o maligno se transfigura em anjo de luz (II Cor 11,14) e os que lá estão caem em suas armadilhas sem perceber. Está dito: A manifestação do ímpio se dará graças ao poder de satanás, de toda sorte de portentos, sinais e prodígios enganadores. Ele usará de todas as seduções do mal, com aqueles que se perdem, por não haverem cultivado a verdade que os teria podido salvar (II Tes 2,9-10).
 
     Ora, a Casa de Deus é a coluna, o sustentáculo da verdade (I Tim 3,15). Deus quer que todos se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade (1 Tim 2,4). A verdade não se encontra nas igrejas e seitas fundadas por meros homens, somente naquela fundada por Jesus, sobre a rocha de Pedro, a qual Ele chamou de “Minha Igreja” (Mt 16,16s). Ela é então Una! Entrementes, parte do rebanho foi embora para outras seitas, onde elas minam as bases da fé do povo, de modo especial no que diz respeito ao culto da Eucaristia, da Santíssima Virgem, não deixando de condenar o Santo Padre o Papa e a hierarquia da Santa Madre Igreja.
 
     Também diariamente condenam a Cruz, ao uso dos sacramentais e objetos de piedade próprios do catolicismo, além de negarem a força dos sacramentos como caminhos de salvação. Este, certamente, será seu maior lamento quando adentrarem à eternidade. E a todos os católicos, que se dão ou se deram a estas práticas mudando de religião, que voltem urgentemente para o seio da Igreja Católica. Que façam um bom exame de consciência e uma perfeita confissão com um sacerdote. Que prometam a Deus que não se darão mais a tais práticas e que peçam ao padre, quando exorcista, que lhes dê a benção de desligamento, para que satanás não mais os influencie nestes hábitos abomináveis.
 
      Qualquer seita ou religião que proponha a salvação fora de Jesus Cristo e dos sacramentos da Igreja Católica, que foram deixados por Jesus, deve ser rejeitada de imediato, pois esta não provém de Deus. Só onde estiver Jesus Cristo, estará presente a garantia da nossa salvação. E assim, só quem tem a Eucaristia, tem esta garantia especial. Em verdade, larga é a porta do prostíbulo. Não prostituam suas almas. Sejam castos! É virgem a alma que desposa a Deus e é prostituta aquela que se entrega aos deuses, seitas e religiões inventados por homens. Nossas vestes devem pertencer apenas a Cristo. Devemos, assim, antes envergonhar-nos e nunca freqüentar estes lugares infames. Exerçamos, antes, a gloriosa castidade, que busca alcançar recompensas eternas. Use a couraça da justiça que protege o corpo como defesa espiritual. Usemos o escudo da fé que não se deforma (Efe 6,11-17).
 
    Tão grande é a imodéstia dos homens, que muitos são incapazes de prestar á religião o mesmo respeito que guardam para satisfazerem-se em ouvir coisas profanas. Por isso, não mergulhem no lodo. Não procurem remédios para os seus males fora de Deus Trino. Contudo, devem entristecer-se por causa do mundo, mas alegrar-se sempre no Senhor. Deus nos deu o salutar preceito de chorar com os que choram e alegrar-se com os que se alegram.


Extraido do livro "Os demônios nos
caminhos dos filhos de Deus"



LEIA TAMBÉM
Livro - Parte 06 - O demônio nos caminhos dos filhos de Deus
Livro - Parte 05 - O demônio nos caminhos dos filhos de Deus
Livro - Parte 04 - O demônio nos caminhos dos filhos de Deus
Livro - Parte 03 - O demônio nos caminhos dos filhos de Deus
Livro - Parte 02 - O demônio nos caminhos dos filhos de Deus
Livro - Parte 01 - O demônio nos caminhos dos filhos de Deus
GRITOS DAS TREVAS (Parte 15) - Parte Final
GRITOS DAS TREVAS (Parte 14)
GRITOS DAS TREVAS (Parte 13)



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 7.173.047
Visitas Únicas Hoje: 416
Usuários Online: 146