Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 31
 
 
Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.129.022
Visitas Únicas Hoje: 616
Usuários Online: 195
Sistema de Busca

 

Livro Aberto
Coloco nesta catogira livros inteiros sobre nossa fé católica, que serão inseridos por partes.




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 1782 - Impresso: 46 - Enviado: 20 - Salvo em Word: 35
Postado em: 03/11/11 às 19:48:05 por: James
Categoria: Livro Aberto
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=180&id=9081
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Livro Aberto

Palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo à sua esposa escolhida e muito amada, Santa Brígida; sobre a proclamação de sua santíssima encarnação; a rejeição, profanação e abandono de nossa fé e batismo; e como Ele convida sua amada esposa e todo o povo cristão a amá-Lo.

Baixe o livro completo em nosso site no artigo N.º 4917

http://www.espacojames.com.br/?cat=99&id=4917

--

Livro 2 - Capítulo 18

Eu fiz três coisas maravilhosas para ti. Tu vês com os olhos espirituais. Ouves com ouvidos espirituais. Com o toque físico da tua mão sentes meu Espírito no teu peito. Tu não vês como é de fato, a visão que enxergas. Porque se visses a beleza espiritual dos anjos e das almas santas, teu corpo não poderia suportar vê-las e quebraria como um vaso, quebrado e decaído, devido a alegria da alma nessa visão. Se visses os demônios como eles são, ou continuarias vivendo com grande tristeza ou morrerias subitamente frente à terrível visão deles. É por isso, que os seres espirituais aparecem para ti como se tivessem corpo.

Os anjos e as almas aparecem para ti na semelhança de seres humanos que têm alma e vida, porque os anjos vivem pelo seus espíritos. Os demônios aparecem para ti em uma forma que é mortal, e pertencem à mortalidade, tais como animais ou outras criaturas. Tais criaturas possuem um espírito mortal, pois quando seus corpos morrem seus espíritos também morrem. Entretanto, os demônios não morrem em espírito, mas estão para sempre morrendo e vivem para sempre. As palavras espirituais te são ditas por meio de analogias, já que não podes compreendê-las de outra forma. A coisa mais maravilhosa de tudo é que tu sentes a moção de meu Espírito em teu coração.”

Então ela replicou: “Ó, meu Senhor, Filho da Virgem, por quê condescendestes a vir como um hóspede a uma viúva tão comum, que é pobre em todo o trabalho bom e tão fraca na compreensão e no discernimento e cheia de pecado por tanto tempo?” Ele respondeu: “Eu posso fazer três coisas. Primeira, Eu posso fazer, capaz e inteligente, uma pobre pessoa rica, e uma pessoa tola, de pouca inteligência. Eu também sou capaz de dar juventude à uma pessoa velha. É como a fênix que reagrupa galhos secos. Entre eles há galhos de árvores que são secos por natureza, do lado de fora, mas úmidos por dentro. O calor dos raios solares vem nele primeiro e o acende e, depois todos os galhos pegam fogo a partir dele. Da mesma maneira tu deves juntar as virtudes pelas quais podes ser reparada a partir de teus pecados.

Entre eles, podes ter um pedaço de madeira que seja úmido por dentro e seco por fora; Eu quero dizer, teu coração, que pode estar seco e puro de toda sensualidade mundana, por fora, e tão cheio de amor por dentro, que não precisas de nada e nem anseias por nada, que não seja Eu. Então, o fogo do meu amor virá primeiro em teu coração, e desse modo serás incendiada com todas as virtudes. Completamente queimada por elas e purificada dos pecados, surgirás como o pássaro rejuvenescido, tendo tirado todos os pecados de sensualidade”.



Palavras de Cristo à esposa sobre como Deus fala a seus amigos através de seus pregadores e por meio dos sofrimentos; como Cristo é simbolizado por um apicultor, a Igreja uma colmeia, e os Cristãos abelhas; e sobre como os maus Cristãos são permitidos viver entre os bons.

Livro 2 - Capítulo 19

Eu sou teu Deus. Meu Espírito te levou a ouvir, a ver e a sentir: a ouvir minhas palavras, a ter visões e a sentir Meu Espírito com o gozo e a devoção da tua alma. Toda misericórdia se encontra em Mim junto com a justiça, e há misericórdia em minha justiça. Eu sou como um homem que vê seus amigos se afastarem dele, para baixo, por um caminho onde há um terrível abismo do qual é impossível subir. Eu falo a esses amigos através das pessoas que tem entendimento da Escritura. Eu falo com um alerta; Eu os aviso do perigo. Mas, eles somente agem de forma contrária. Eles se encaminham para o impasse e não se importam com o que eu digo.

Tenho apenas uma coisa a dizer: ‘Pecador, voltai para mim! Seguistes para o perigo; há armadilhas, ao longo do caminho, do tipo que ficam ocultas para ti devido à escuridão do teu coração’. Eles desprezam o que eu falo. Ignoram minha misericórdia. Entretanto, embora minha misericórdia seja tal que Eu previno os pecadores, minha justiça é tal que, mesmo que todos os anjos fossem puxá-los de volta, eles não poderiam se converter enquanto eles mesmos não dirigissem sua vontade para o bem. Se eles voltassem sua vontade para mim e me dessem o consentimento de seus corações, nem todos os demônios juntos poderiam impedi-los.

Existe um inseto conhecido como abelha que é mantida por seu senhor e mestre. As abelhas mostram respeito de três formas a sua regente, a abelha rainha, e recebem seus benefícios dela, de três formas. Primeiro, as abelhas carregam todo o néctar que encontram para sua rainha. Segundo, elas ficam ou se apresentam à sua disposição, e para onde quer que voem ou onde quer que apareçam, seu amor e caridade são sempre para a rainha. Terceiro, elas seguem e servem a ela, se colocando sempre a seu lado. Em recompensa por essas três coisas, as abelhas recebem um benefício triplo de sua rainha.

Primeiro, por sinal dá a elas um tempo estabelecido para saírem e trabalharem. Segundo, ela lhes dá diretivas e amor mútuo. Por causa de sua presença e regras e por causa do amor que a rainha tem por elas, e elas para com a rainha, todas as abelhas são unidas entre si com amor e cada uma se regozija com as outras no seu progresso. Terceiro, elas são produtivas por meio do amor mútuo e da alegria de sua líder. Assim como os peixes descarregam seus ovos enquanto brincam juntos no mar, e seus ovos caem no mar e são fertilizados, assim também as abelhas são feitas produtivas, através de seu amor mútuo e do afeto e alegria de sua rainha. Através do meu impressionante poder, uma semente, aparentemente sem vida, emerge do amor delas e vem a receber vida através da minha bondade.

O mestre, ou seja, o apicultor, fala com seus servos mostrando interesse pelas abelhas: ‘meu servo, ’ ele diz, ‘parece que minhas abelhas estão doentes e não voam mais.’ O servo responde: ‘Eu não entendo esta doença, mas se ela é assim, eu te pergunto como posso aprender sobre ela?’ O mestre responde: ‘Tu podes deduzir sobre a doença ou o problema delas, através de três sinais. O primeiro sinal é que elas estão fracas e lentas no voo, o que significa que elas perderam a rainha da qual recebam força e consolação. O segundo sinal é que elas saem por horas, aleatoriamente e sem planejamento, o que significa que não estão recebendo o sinal do chamado de sua líder.

O terceiro sinal é que elas não demonstram nenhum amor pela colmeia, e, assim, voltam para casa, sem carregar nada, satisfazendo-se, mas não trazendo néctar para sobreviverem no futuro. Abelhas saudáveis são estáveis e fortes no voo. Elas têm horas marcadas para saírem e retornarem, trazendo cera para construir suas moradas e mel para sua nutrição.’ O servo responde ao mestre: ‘Se elas estão inúteis e doentes, por quê permites que continuem saindo ao invés de acabar com elas?’ O apicultor respondeu: ‘Eu permito que elas vivam por três razões, já que elas proveem três benefícios, embora não pelo próprio poder.

Primeiro, por que elas ocupam as colmeias preparadas para elas, as moscas não vêm e ocupam as colmeias vazias perturbando as abelhas boas que permanecem. Segundo, outras abelhas se tornam mais produtivas e aplicadas no trabalho devido à ruindade das abelhas más. As abelhas produtivas veem as abelhas más e improdutivas trabalhando somente para satisfazer seus próprios desejos, e elas se tornam mais diligentes em seu trabalho de coletar para a rainha à medida que as abelhas ruins são vistas coletando para seus próprios desejos. Em terceiro lugar, as abelhas más são úteis para as abelhas boas quando vêm para sua mútua defesa. Para isso, há um inseto voador acostumado a comer abelhas. Quando as abelhas percebem esse inseto se aproximando todas elas o repudiam em comum.

Embora as más abelhas lutem e o odeiem, por inveja e autodefesa, enquanto as boas o fazem por amor e justiça, ambas, abelhas boas e más, trabalham juntas, para atacarem esses insetos. Se todas as abelhas más fossem banidas e só restassem as boas, estes insetos iriam facilmente prevalecer sobre elas, já que então seriam poucas. É por isso, disse o mestre, ‘que eu suporto as abelhas más. Entretanto, quando o outono chega, Eu cuidarei das abelhas boas, e as separarei das abelhas más, pois se elas fossem deixadas fora da colmeia, morreriam de frio.

Mas, se elas continuam dentro e não coletam, elas vão correr o risco de inanição, já que se omitiram de coletar alimento quando podiam.’

Eu sou Deus, o Criador de todas as coisas; Sou o Dono e Senhor das abelhas. Pelo meu amor ardente e pelo meu sangue eu fundei minha colmeia, ou seja, a Santa Igreja, na qual os Cristãos devem trabalhar e habitar em unidade de fé e de amor mútuo. Sua morada são seus corações e o mel de bons pensamentos e afeições devem residir neles. Este mel deve ser trazido para lá, através da consideração do meu amor pela criação, de meu trabalho na Redenção, da minha paciente tolerância e da misericórdia em chamar de volta e recuperar.

Nesta colmeia, ou seja, na Santa Igreja, há dois tipos de pessoas, assim como há dois tipos de abelhas. Os primeiros são aqueles cristãos maus que não coletam néctar para mim, mas para eles mesmos. Eles retornam sem nada e não reconhecem seu líder. Eles possuem um ferrão em vez de mel e luxúria em vez de amor. As boas abelhas representam os bons Cristãos. Eles me demonstram respeito de três maneiras. Primeiro, eles me têm como seu líder e Senhor, oferecendo-me mel doce, ou seja, trabalhos de caridade, que são agradáveis a mim e úteis para eles. Segundo, eles aguardam minha vontade. A vontade deles concorda com a minha, todos os seus pensamentos estão em minha Paixão, todas as suas ações são para a minha glória. Terceiro, eles me seguem, ou seja, eles me obedecem em tudo.

Onde quer que estejam, fora ou dentro, tristes ou alegres, seus corações estão sempre ligados ao meu. É por isso que eles obtêm benefícios meus de três formas. Primeiro, pelo chamado da virtude e minha inspiração, eles possuem tempo fixo e certo, escuridão durante a noite e luz durante o dia. De fato, eles mudam a noite pelo dia, ou seja, a felicidade mundana pela felicidade eterna e a felicidade perecível pela estabilidade sem fim. Eles são sensíveis em todos os aspectos, já que fazem uso de seus bens presentes para suas necessidades; eles são leais na adversidade, cautelosos no sucesso, moderados nos cuidados ao corpo, e cuidadosos e circunspectos em suas ações. Segundo, como as abelhas boas, eles têm amor mútuo, de forma que são todos um só coração para comigo, amando seu próximo como a si mesmos e a mim acima de tudo, mesmo acima deles.

Terceiro, eles se tornam produtivos através de mim. O que é ser produtivo senão ter meu Espírito Santo e ser cheio dele? Qualquer um que não O possua e não tenha seu mel é improdutivo e inútil; ele cai e perece. Entretanto, o Espírito Santo coloca a pessoa no qual habita, abrasada por seu amor divino; ele abre os sentidos da sua mente; ele arranca o orgulho e a incontinência; ele estimula a alma para a glória de Deus e ao desprezo do mundo.

As abelhas improdutivas não conhecem este Espírito e, portanto, desdenham a disciplina, fugindo da unidade e do companheirismo do amor. Elas são vazias de boas ações; trocam a luz do dia pela escuridão, a consolação pela lamentação, a felicidade pela tristeza. Apesar disso, Eu os deixo viver por três motivos. Primeiro, para que as moscas, isto é, os pagãos, não entrem nas moradas que foram preparadas. Se os maus fossem removidos todos de uma vez, seriam deixados muito poucos bons Cristãos, e por causa desse baixo número, os pagãos estariam em maioria, viriam e viveriam lado a lado com eles, causando-lhes muita perturbação. Segundo, eles são tolerados para testar os bons Cristãos, pois, como sabes, a perseverança das pessoas boas é colocada em teste pela maldade dos maus.

A adversidade revela quão paciente uma pessoa é, enquanto a prosperidade torna claro quão perseverante e controlada ela é. Já que os vícios os incitam a boas características de tempo em tempo, e as virtudes podem muitas vezes fazer as pessoas orgulhosas, aos maus, é permitido viver ao lado dos bons, para que os bons não se enfraqueçam por causa de tanta alegria ou adormeçam na indolência e, também, para que eles possam frequentemente fixar sua atenção em Deus. Onde há pouco esforço também há pouca recompensa. Em terceiro lugar, eles são tolerados em benefício deles, para que nem os gentios nem outros hostis infiéis possam ferir aqueles que parecem ser bons Cristãos, mas para que possam temê-los, porque há mais deles. Os bons oferecem resistência aos maus por Justiça e amor de Deus, enquanto os maus fazem isso somente por defesa própria e para evitar a fúria de Deus. Assim, os bons e os maus se ajudam uns aos outros, resultando na tolerância dos maus por causa dos bons e os bons recebem uma coroa maior por conta da maldade dos maus.

Os apicultores são os prelados da Igreja e os príncipes da Terra, bons ou maus. Eu falo aos cultivadores bons e Eu, seu Deus e Cultivador, advirto-os para manterem minhas abelhas seguras. Que ele considerem as idas e vindas das abelhas! Que tomem nota se estão saudáveis ou doentes! Se acontecer deles não saberem como discernir isto, aqui estão três sinais que lhes dou para eles reconhecerem. As abelhas são inúteis se estão indolentes no voo, irregulares em suas horas e não contribuem em nada para trazer o mel. As indolentes no voo são aquelas que mostram maior interesse para os bens temporários do que para os eternos, que temem a morte do corpo mais do que a morte da alma, que dizem para si próprias: ‘Por quê eu deveria estar cheia de inquietações, quando eu posso estar quieta e em paz? Por quê eu devo morrer para mim se eu posso viver?’

Estas infelizes não refletem sobre como Eu, o poderoso Rei da Glória, escolhi ser fraco. Eu conheço a maior quietude e paz, e de fato, Eu sou a paz, e apesar disso, por elas, escolhi abrir mão da paz e da quietude, através da minha própria morte. Elas são irregulares em suas horas onde suas afeições tendem para o mundano, suas conversas tendem para a indecência, seu trabalho para o egoísmo, e organizam seu tempo de acordo com a vontade de seus corpos. Aquelas que não possuem nenhum amor pela colmeia e não coletam néctar, são as que fazem algumas boas ações por minha causa, mas apenas por medo de punição. Mesmo que elas façam alguns trabalhos de piedade, ainda não desistem do seu egoísmo e pecado. Querem ter Deus, mas sem desistir do mundo ou aguentar qualquer desejo ou dificuldade.

Estas abelhas são do tipo que correm para casa com as patas vazias, e sua corrida é insensata, pois que elas não voam com a especie de amor correta. Consequentemente, quando chega o outono, isto é, quando vem o tempo da separação, as abelhas inúteis serão separadas das boas e elas sofrerão fome eterna em troca do seu amor e desejos egoístas. Em troca, por desdenhar Deus e pela aversão delas à virtude, serão destruídas por frio excessivo, mas sem serem consumidas.

De qualquer forma, meus amigos devem estar alertas contra três maldades das abelhas más. Primeiro, para não permitir que a podridão delas entre nos ouvidos dos meus amigos, pois as abelhas más são venenosas. Quando o mel delas se vai, nada doce fica nelas; ao invés, elas ficam repletas de amargura envenenada. Segundo, eles devem proteger as pupilas de seus olhos contra as asas das abelhas más, que são tão cortantes quanto as lâminas. Terceiro, eles devem tomar cuidado para não expor seus corpos às caudas das abelhas, pois elas possuem ferrões que picam agudamente. Os instruídos que estudam seus hábitos e temperamento podem explicar o significado destas coisas. Aqueles que são incapazes de compreender deveriam estar precavidos dos riscos e evitar sua companhia e exemplo. Senão, eles aprenderão, por experiência, o que não souberam aprender escutando.”

Então sua Mãe disse: “Abençoado és tu, meu Filho, tu que és, foste, e sempre serás! Tua misericórdia é doce e tua justiça grande. Tu me fazes lembrar, meu Filho – falando figurativamente – de uma nuvem subindo ao céu por uma brisa leve. Um ponto escuro apareceu na nuvem e uma pessoa que estava ao ar livre, sentindo a leve brisa, levantou seus olhos, viu a nuvem escura e pensou consigo: ‘Esta nuvem escura me parece indicar chuva.’ E, prudentemente, ela correu para dentro de um abrigo e se escondeu da chuva.

Outros, entretanto, que eram cegos ou que talvez não tomaram cuidado, fizeram pouco da brisa leve e não ficaram com medo da nuvem escura, embora tenham aprendido pela experiência o que a nuvem significava. A nuvem, tomando conta de todo o céu, veio com violenta comoção, tão furiosa e poderosa como fogo, que as coisas vivas expiraram sob essa comoção. O fogo tanto consumiu todas as partes internas e externas do homem, que nada sobrou.

Meu Filho, esta nuvem são tuas palavras, as quais parecem escuras e inacreditáveis para muitas pessoas, já que elas não as escutaram muito e já que elas foram dadas às pessoas ignorantes e não tenham sido confirmadas por sinais. Estas palavras foram precedidas por minha prece e pela misericórdia que tens por cada um e, como uma mãe, atrai todos a Ti.

A misericórdia é tão leve quanto uma brisa suave por causa da tua paciência e permissão. Ela é aquecida com o amor com o qual tu ensinas misericórdia àqueles que te provocam ira e ofereces bondade àqueles que te desprezam. Portanto, possam todos aqueles que ouvem estas palavras levantar seus olhos, ver e reconhecer a sua fonte. Eles devem considerar se estas palavras significam compaixão e humildade. Eles devem refletir se as palavras significam coisas presentes ou futuras, verdade ou falsidade. Se eles acharem que as palavras são verdadeiras, deixe-os correrem para um abrigo, isto é, à verdadeira humildade e amor de Deus. Porque, quando a justiça vier, a alma estará, então, separada do corpo, engolfada pelo fogo e queimada externa e internamente. Para ser mais exata, irá queimar, mas não será consumida. Por esta razão, Eu, a Rainha da misericórdia, clamo aos habitantes do mundo: que levantem seus olhares e enxerguem a misericórdia! Eu admoesto e suplico como uma mãe; eu aconselho como uma senhora soberana.

Quando a justiça vier, será impossível resistir a ela. Portanto, tenha confiança e seja considerada, teste a verdade em tua consciência, mude tua vontade, então Aquele que te mostrou palavras de amor também mostrará os feitos e provas de amor!” Então o Filho falou para mim, dizendo: “Acima, considerando as abelhas, Eu te mostrei que elas recebem três benefícios de sua rainha. Agora te digo que aqueles cruzados que eu tenho colocado nas fronteiras das terras cristãs deveriam ser abelhas como aquelas. Mas, agora eles estão lutando contra mim, porque eles não se preocupam com as almas e não possuem nenhuma compaixão dos corpos daqueles que se converteram do erro para a fé Católica e para mim.

Eles os oprimem com dificuldades e os privam de suas liberdades. Eles não os instruem na fé, mas os privam dos sacramentos e os mandam para o inferno com uma punição maior do que se eles tivessem permanecido em seu paganismo tradicional.

Alem disso, eles lutam somente para elevar seu próprio orgulho e aumentar sua ambição. Portanto, o tempo está chegando para eles quando os seus dentes rangerão, sua mão direita será mutilada, seu pé direito decepado, para que eles possam viver e conhecer a si mesmos.”

O desgosto de Deus com respeito a três homens que vão agora pelo do mundo; sobre como, desde o principio Deus estabeleceu três estados nomeados, o do clero, o dos defensores e dos trabalhadores; sobre a punição preparada para os ingratos, e sobre a glória dada aos gratos.



Fonte: Extraído do Livro As Profecias e Revelações de Santa
Brígida





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 03/11/11 às 19:48:05 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.


Visite o espacojames nas redes sociais:



LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES