LISTAR ARTIGOS DESTA CATEGORIA
LISTAR MENUS

Saiba Mais



Artigo visto 1591 vezes




Visto: 1591 - Impresso: 21 - Enviado: 11 - Salvo em Word: 20
Postado em: 26/12/14 às 14:16:36 por: James
Categoria: Saiba Mais
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=19&id=12884
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Saiba Mais

Espacojames: Um padre aqui em nossa comunidade certa vez explicou que ao rezarmos devemos levantar os braços assim como uma criança faz quando ver o seu pai se aproximando. A criança levanta os braços para ser levado ao colo do pai, onde encontra segurança, carinho, amor... E nada melhor do que abandonarmos nos braços do pai. Aba Pai!

--

Os especialistas da Aleteia respondem à pergunta de um leitor

Em um mundo como o nosso, cheio de regulamentações, poderia parecer que elas também devem existir no que diz respeito à relação com Deus, concretamente na oração. Na verdade, não é assim. Há costumes, tradições e certas formas de boas maneiras, mas isso não é algo uniforme, nem uma normativa, estritamente falando.

Por isso, para rezar, seja o Pai-Nosso ou o que for, não há posturas estabelecidas; se a pessoa quiser, pode rezar com os braços levantados ou estendidos.

A postura dos braços levantados tem algum significado? Sim, e eu me atreveria a dizer que, mais do que cristão, é algo universal, e sua origem pode ser buscada antes do cristianismo. É uma postura de súplica.

No entanto, a coisa muda quando a oração é litúrgica, especialmente por parte do sacerdote. Neste caso, são determinadas as posturas que o celebrante deve adotar, entre elas a que aqui estamos considerando.

Tal postura também tem o significado de súplica, mas com um matiz acrescentado: considera-se uma postura propriamente sacerdotal, e se prescreve para os momentos em que a oração tem esta característica. “Sacerdotal” significa aqui que o sacerdote intercede pelo povo e se dirige a Deus em nome do povo.

Assim, por exemplo, na missa, a chamada “oração coleta” (a que precede imediatamente as leituras) recebe este nome porque se supõe que o padre “coleta” as petições dos fiéis e as eleva a Deus Pai. Por isso, as instruções para a celebração indicam que o sacerdote deve adotar esta postura nesse momento.

Também se indica a mesma coisa para o momento do Pai-Nosso na missa, e o motivo é idêntico. Em muitos lugares, introduziu-se o costume de que o povo acompanhe o padre com o mesmo gesto.

Pessoalmente, sem dar-lhe uma importância que não tem, penso que é um erro bem intencionado. Certamente, o celebrante reza junto com o povo. Mas, no caso do celebrante, acrescenta-se o cunho propriamente sacerdotal, que não é compartilhado com o povo: todos rezam a mesma coisa, mas o padre é o encarregado de mediar, como lhe corresponde, de forma que, além de rezar, ele oferece a Deus a oração de todos os ali reunidos.

O gesto dos braços levantados manifesta isso, e seu significado pode ficar diluído quando se torna uma postura comum.

Fonte: http://www.aleteia.org/

 
Total Visitas Únicas: 6.491.043
Visitas Únicas Hoje: 588
Usuários Online: 214