107 – A Resposta Católica: Pode ter Jesus desprezado a sua mãe?
 
 
Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 5.889.205
Visitas Únicas Hoje: 917
Usuários Online: 306
Sistema de Busca

 

Resposta Católica




Salvar no Instagram

Salvar em PDF



Atenção, as opções que aparecem no final do video abaixo não são nossos, o youtube mostra como alternativa.+ Lembre-se: Caso o vídeo não abra, [ Clique aqui ] para instalar ou atualizar o Flash Player. Depois de instalado, feche o navegador (Internet, Mozilla Firefox ou Google Chrome) para salvar as alterações e depois tente abrir o vídeo novamente.
Como Baixar o vídeo para seu computador? Copie o link deste vídeo [ https://www.youtube.com/watch?v=OewtB5ykx8k ] depois, entre neste site: [ http://pt.savefrom.net ] cole o link no campo indicado e clique na seta > para baixar. Não precisa instalar nada, todo o processo é online.



Visto: 1758 - Impresso: 58 - Enviado: 18 - Salvo em Word: 56
Postado em: 04/11/12 às 08:38:57 por: James
Categoria: Resposta Católica
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=197&id=10277
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Resposta Católica


107 – A Resposta Católica: Pode ter Jesus desprezado a sua mãe?

Padre Paulo Ricardo

Causa estranheza a maneira quase ríspida a que Jesus referiu-se à sua mãe, na passagem narrada em Mateus 12, 46-50. Seria possível Ele ter desprezado a sua própria mãe?

"Enquanto Jesus estava falando às multidões, sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. Alguém lhe disse: ‘olha! Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e querem falar contigo". Ele respondeu àquele que lhe falou: ‘Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?’ E, estendo a mão para os discípulos. acrescentou: ‘Eis minha mãe e meus irmãos. Pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe."

Este evento foi narrado também no Evangelho de São Marcos, no capítulo 3, versísulos 31 a 35:

"Nisso chegaram a mãe os irmãos de Jesus. Ficaram do lado de fora e mandaram chamá-lo. Ao seu redor estava sentada muita gente. Disseram-lhe: ‘Tua mãe e teus irmãos e irmãs estão lá fora e te procuram’. Ele respondeu: ‘Quem é minha mãe? Quem são meus irmãos?’ E passando o olhar sobre os que estavam sentados ao seu redor, disse: ‘Eis minha mãe e meus irmãos! Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe."
E, finalmente, no Evangelho de São Lucas, capítulo 8, versículos 19 a 21:

"Sua mãe e seus irmãos vieram ter com ele, mas não podiam se aproximar, por causa da multidão. Alguém lhe comunicou: ‘Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e querem te ver’. Ele respondeu: ‘Minha mãe e meus irmãos são estes: os que ouvem a Palavra de Deus e a põe em prática."

Assim, se a primeira comunidade cristã fez questão de narrar este fato em três dos quatro Evangelhos é porque realmente se trata de um acontecimento histórico. Mas, então, o que quis dizer Nosso Senhor Jesus Cristo?

Não parece possível que Ele tenha realmente desprezado ou feito pouco caso de sua mãe. Basta recordar a passagem referente ao jovem rico, quando Ele diz que, para entrar no Reino do Céu é preciso honrar pai e mãe. Ei-la:

"Alguém aproximou-se de Jesus e disse: ‘Mestre, que devo fazer de bom para ter a vida eterna?’ Ele respondeu: ‘Por que me perguntas sobre o que é bom? Um só é bom. Se queres entrar na vida, observa os mandamentos’. - ‘Quais’, perguntou ele. Jesus respondeu:’Não cometerás homicídio, não cometerás adultério, não roubarás, não levantarás falso testemunho, honra pai e mãe, ama teu próximo como a ti mesmo." (Mateus 19, 16-19)

Mais plausível seria pensar que Jesus deseja mostrar, nessa passagem, que a salvação não estaria mais ligada ao sangue do povo judeu e ensinando, sim, que o novo povo de Deus será baseado em uma nova realidade: na fé e na obediência à vontade de Deus.

No Antigo Testamento, para uma pessoa ser inserida no ‘povo de Deus’ bastava o nascimento, não era preciso fazer nada, poder-se-ia dizer que as pessoas eram salvas pela genética. Evidente que, por causa disso, os judeus desprezavam aqueles que não faziam parte da ‘raça eleita’, os goyn, os gentios. Jesus, então, quer quebrar o paradigma dos laços sanguíneos. Alguns versículos antes do episódio com sua mãe, Ele havia sinalizado esse novo modo de ser povo de Deus quando disse:

"Então, alguns escribas e fariseus disseram a Jesus: ‘Mestre, queremos ver um sinal da tua parte.’ Ele respondeu-lhe: ‘Uma geração perversa e adúltera busca um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, a não ser o sinal do profeta jonas. De fato, assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim também o Filho do Homem estará três dias e três noites no ventre da terra. No dia do Juízo, os habitantes de Nínive se levantarão juntamente com esta geração e a condenarção, pois eles mostraram arrependimento com a pregação de Jonas. No dia do Juízo, a rainha do Sul se levantará juntamente com esta geração e a condenará; pois ela veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão, e aqui está quem é mais do que Salomão" (Mateus 12, 38-42)

Ora, a geração perversa e adúltera a que Jesus referiu-se são os judeus, a raça eleita. Jonas não queria pregar em Nínive, como é sabido, porque lá eram todos gentios, no entanto, ele prega e os ninivitas se convertem. Da mesma forma, a rainha do Sul, de Sabá, é uma mulher negra, etíope, portanto, que não pertencia ao povo de Israel, mas ela ouve a mensagem de Salomão.

Logo, o que Jesus está fazendo é escandalizar os judeus que estavam ao seu redor, dizendo que o que passa a valer é a conversão, é fazer a vontade de Deus, é obedecer os mandamentos e não mais os laços de sanguíneos. A "nova" família de Jesus é formada por aqueles que fazem a vontade de Deus que está no céu. O novo povo de Deus está baseado, portanto, na fé.

Nesse viés, Maria Santíssima passa a ser honrada não tanto por ter dado a carne ao Salvador, mas por tê-lo concebido na obediência: "Faça-se em mim segundo a Tua vontade" (Lucas 1, 38).

É por isso que justamente esta passagem controversa dos Evangelhos é usada pela Igreja para as missas em honra à Nossa Senhora. No missal de Pio V, utilizado até o ano de 1969, nas missas votivas de Nossa Senhora, o Evangelho proclamado era sempre esse. Portanto, Jesus não desprezou sua mãe com essas palavras. A mãe de Jesus é aquela que faz a vontade do Pai.

A graça maior de Maria Santíssima foi ter crido e feito a vontade de Deus em sua vida. Que ela nos sirva de modelo e nos ajude a também fazermos parte da família do Senhor.



Fonte: http://padrepauloricardo.org/





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 04/11/12 às 08:38:57 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.




LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES