Espacojames


Página Inicial
Listar Resposta Católica


Como Baixar o vídeo para seu computador? Copie o link deste vídeo [ https://www.youtube.com/watch?v=xrnKMzhQfsA ] depois, entre neste site: [ http://pt.savefrom.net ] cole o link no campo indicado e clique na seta > para baixar. Não precisa instalar nada, todo o processo é online.


Artigo N.º 15746 - 254 – A Resposta Católica: Jesus nasceu mesmo no “ano zero”?
Artigo visto 119 vezes




Visto: 119
Postado em: 25/03/20 às 18:40:15 por: James
Categoria: Resposta Católica
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=197&id=15746
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Resposta Católica

Há quem pense que a Igreja Católica, por um decreto papal infalível, decidiu há vários séculos quando Jesus nasceu e quando tem início, portanto, o “ano zero” da nossa Era. Mas será que as coisas são realmente assim? A Igreja sabe mesmo em que ano nasceu Jesus?

A Era Comum, também chamada em latim aera vulgaris ou dionysiana, é uma forma de medição do tempo que adota como marco inicial de referência o ano 754 desde a fundação de Roma (abreviado como U.C.), porque, segundo os cálculos de Dionísio, o Exíguo, monge cita do séc. VI, Jesus teria nascido mais ou menos por essa época, considerada desde então como o “ano um” da Era Cristã.

O cálculo de Dionísio partia de duas informações: a) primeira, o fato de S. João Batista ter começado a pregar “no ano décimo quinto do reinado do imperador Tibério” (Lc 3, 1), ou seja, em 782 U.C.; b) segunda, o fato de Jesus ter começado o seu ministério público com “cerca de trinta anos” (Lc 3, 23), logo após ser batizado no Jordão. Com isso, Dionísio chegou à conclusão, nunca tomada nem por ele nem pela Igreja como certa e indiscutível, de que Cristo teria nascido ao redor do ano 752 ou 753 U.C.

Apesar de ter-se imposto e logrado ampla aceitação, o cálculo de Dionísio é sabidamente incorreto, com uma margem de erro de 4 a 7 anos, pois não leva em conta que Herodes, o Grande, sob cujo reinado nasceu Nosso Senhor, morreu em 750 U.C., o que torna incompreensível todo o relato da natividade. De fato, se Jesus nasceu após a morte de Herodes, não poderia ter sido perseguido nem, portanto, teria ocorrido o massacre dos inocentes de Belém. Além disso, sabemos que, antes do nascimento de Jesus, apareceu por aqueles tempos “um decreto de César Augusto, ordenando o recenseamento de toda a terra” (Lc 2, 1).

Com base nessas informações, convém deixar claro o seguinte. a) Antes de tudo, é bastante provável que Jesus tenha nascido depois de 746 U.C. Com efeito, o decreto de Augusto que instituiu o censo universal foi promulgado, com muita probabilidade, depois da pacificação do Império e do consequente fechamento, no ano 746 U.C., das portas do Templo de Jano, segundo os costumes romanos de então. b) Por fim, é quase certo que Jesus nasceu antes de 750 U.C., pois sabemos que foi nesse ano, no mais tardar, que morreu Herodes I.

À luz do pouco que sabemos, é preciso reconhecer que o ano em que Jesus nasceu não pode ser determinado com certeza. Não sabemos, por exemplo, qual é o intervalo de tempo entre o natalício do Senhor e a morte de Herodes nem quanto tempo se passou entre a visitação dos Magos e o nascimento de Jesus na gruta de Belém. É igualmente incerto, ademais, o ano em que César Augusto ordenou o recenseamento das províncias do Império.

A Igreja sempre teve consciência dessas dificuldades e, por isso, nunca impôs como “dogmas de fé”, por um decreto pontifício infalível, nem o cálculo de Dionísio nem a data em que tradicionalmente celebramos o Natal. Mesmo que o “ano um” não corresponda de fato ao ano do nascimento de Cristo, o que deve importar para um cristão não é a data precisa em que Ele nasceu, mas o fato incontestável de que Deus veio realmente fazer parte da nossa história, para habitar no meio de nós e dividir, como Alfa e Ômega de todas as coisas, a nossa vida em um antes e um depois de termos conhecido o seu amor.


Fonte: www.padrepauloricardo.org





LEIA TAMBÉM
253 – A Resposta Católica: É necessário comungar sob as duas espécies?
252 – A Resposta Católica: O que Igreja pensa dos métodos orientais de meditação?
257 – A Resposta Católica: O que a Igreja ensina sobre doação de órgãos?
256– A Resposta Católica: É proibido fazer penitência aos domingos?
255 – A Resposta Católica: Uma única Missa vale para dois preceitos?
254 – A Resposta Católica: Por que se rezam Missas de Sétimo Dia?
253 – A Resposta Católica: As almas do Purgatório podem rezar por nós?
252 – A Resposta Católica: Católicos podem fazer tatuagens?
251 – A Resposta Católica: O que pensar a respeito do naturismo?



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.134.507
Visitas Únicas Hoje: 2.285
Usuários Online: 484