Espacojames


Página Inicial
Listar As mensagens de Jesus - Cruz de Dozulê




Artigo N.º 11846 - CRUZ DE DOZULÊ: Todas as 49 Mensagens de Jesus a Madeleine Aumont - Parte 4
Artigo visto 2729 vezes




Visto: 2729
Postado em: 03/01/14 às 09:54:20 por: James
Categoria: As mensagens de Jesus - Cruz de Dozulê
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=220&id=11846
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: As mensagens de Jesus - Cruz de Dozulê

Continuação

 

Trigésima primeira aparição

"Aqueles que virão arrepender-se aos pés da Cruz Gloriosa, Eu os ressuscitarei no Espírito do Meu Pai."

Sexta-feira 30 de Maio de 1975 às 15 horas na capela.

Eis a Luz.

Jesus apareceu-me; o Seu olhar era duma grande bondade. Ele disse-me:

" Dizei ao padre que o tempo em que ressuscitava os mortos já não existe mais, mas chegou o tempo de ressuscitar os espíritos. Aqueles que dizem, hoje em dia que podem ressuscitar e curar os corpos em Meu Nome, não são dignos do Meu Pai do Céu.(10) Madeleine, ide e proclamai a Minha Mensagem em Dozulé. A missão que vos encarreguei de fazer, deveis executá-la. Não temeis, Eu vos darei força."

Jesus sorriu-me e continou:

" Esta cidade, o Meu Pai benzeu-a e sagrou-a e todos aqueles que vierem arrepender-se junto da Cruz Gloriosa, Eu ressuscitá-los-ei no Espírito de Meu Pai. Eles aí encontrarão Paz e Alegria. "

Depois Jesus olhou para mim gravemente e disse: "A primeira freira que vos dará o beijo trazendo a Mensagem é incrédula às palavras que saírem de vossa boca. Ela vos subestimará. Não lhe dê importância. Seja caridosa. "

Depois Jesus desapareceu.

10.- Madeleine foi surpreendida por esta palavra de Deus, e disse ao Padre L'Horset. Este acabava de receber uma carta de Amiens e leu-a a Madeleine. Anne escrevia:

"Apesar de não vos conhecer, tenho de dizer-vos que no dia de Pentecostes passei por Dozulé e tive uma enorme vontade de entrar na vossa igreja. A partir desse instante não penso noutra coisa que no Cristo de Dozulé. Apesar de todos tentarem esconder a verdade sobre a minha doença, eu sei que sofro de leucemia. Não vos peço para rezarem pela minha cura, mas sim pela conversão dos meus pais que não têm nenhuma fé... Quanto a mim, sinto que o meu coração morre e que o meu espírito nasce em Jesus, meu Salvador ".

 

--

 

Projeto de construção da Cruz conforme pedido de Jesus a  vidente Madeleine Aumont
A cruz na imagem acima não existe, é apenas uma montagem de como seria. ( Leia mais sobre a construção da cruz no link:  http://espacojames.com.br/?cat=220&id=11920

 

 

Trigésima segunda aparição

"Dizei à freira que tenha a bondade de vir aqui Sexta-feira."

Sexta-feira 27 de Junho de 1975 às 15h15.

Estava pronta para sair quando apareceu a Luz - e Jesus apareceu-me como de costume. Jesus tinha a mão direita estendida na minha direção, e a outra ao longo do Seu corpo.

Ele sorriu-me e disse-me:

"Dizei à freira que não mora nesta cidade, que tenha a bondade de vir aqui sexta-feira. Que traga coisas para escrever; pela vossa boca, Eu lhe comunicarei uma mensagem."

Depois, Jesus sorriu-me por um instante e desapareceu.

 

--

 

 

TRIGÉSIMA TERCEIRA APARIÇÃO

"Esta carta é dirigida ao chefe da Igreja..."

"...Vós, chefes das Igrejas, em verdade Eu vos digo, que é por esta Cruz erguida sobre o mundo que as nacões serão salvas."

Sexta-feira 4 de Julho de 1975 às 15h15.

O Senhor Padre acabara de anunciar uma terceira dezena do terço. De repente a Luz apareceu, Jesus olhou para mim, depois para a Irmã Jeanne d’ Arc, e disse-me:

"Dizei isto em voz alta: Eis o que deveis escrever à freira: esta carta é dirigida ao chefe da Igreja. É Jesus de Nazaré que a dita pela boca de Sua serva. Ele disse: Felizes os chamados pelo Meu Pai que encontraram a Paz e a Alegria nesta terra de Dozulé, mas tal será grande o número quando o mundo inteiro vier arrepender-se junto da Cruz Gloriosa, que Eu vos mandei fazer erguer. Porque o tempo em que Eu ressuscitava os corpos não existe mais, mas chegou o tempo de ressuscitar os espíritos. Compreendeis bem o seguinte: nos dias precedentes ao Dilúvio, as pessoas não desconfiavam de nada mas este, levou-os a todos. Mas hoje, vós estais avisados, da mesma forma quando Eu vos dizia: Haverá nesta terra subversões de todas as formas: a Iniquidade que é causa de miséria e fome, as nações terão medo de acontecimentos e de sinais vindos do céu e da terra. Então estejam preparados, porque a Grande Tribulação está próxima, como não houve igual desde o princípio do mundo até hoje e como nunca mais haverá."

"Eu vos digo, esta nova geração não passará antes que isto aconteça. Mas não tenheis medo, porque aqui se eleva no céu o sinal do Filho do Homem que Madeleine viu brilhar do Oriente ao Ocidente. Vós, chefes das Igrejas, na verdade Eu vos digo, que é por essa Cruz erguida sobre o mundo que as nações serão salvas. Meu Pai mandou-Me para vos salvar, e chegou o momento de encher os corações dos Homens com a Minha Misericórdia. "

Jesus disse-me numa voz mais baixa, e é por isso que não o repeti em voz alta:

"A Minha Mensagem não deve ficar esquecida numa gaveta, mas ela deve ser Verdade e Luz para o mundo inteiro."

Depois, de novo em voz alta:

"Esta Cruz Gloriosa deve ser erguida pelo fim do Ano Santo. Este Ano Santo deve ser prolongado até a elevação da Cruz Gloriosa. Assim termina a Minha Mensagem, Eu quero que vós-mesma a remeteis ao Chefe da Igreja, acompanhada por um Superior. "

Depois Jesus desapareceu.

A Irmã Jeanne d’Arc escreveu a Mensagem como Jesus lhe tinha mandado. Ele ditou-a tão devagar que ela teve todo o tempo para a escrever. Ela esperou que o Monsenhor lhe desse ordem para a levar ao Santo-Padre.

 

--

 

 


TRIGÉSIMA QUARTA APARIÇÃO

"Vós, padres e religiosas encarregues da Mensagem, não deixais a Humanidade ir ao encontro da sua morte."

Sexta-feira 19 de Setembro de 1975.

Hoje, a Madre Superior de Blon e a Irmã Jeanne d’Arc deverão ter um encontro com Monsenhor às 16 horas. Eu fui à capela, como todas as sexta-feiras, depois vi a Irmã Marie-Marguerite que me disse: " O encontro com Monsenhor é às 16 horas. "

Então fui-me embora e regressei às 16 horas para dizer uma dezena do terço pelo encontro. Depois desta dezena, a qual Jesus me deixou acabar, vi Luz no Tabernáculo, mas sem que ninguém aparecesse. Ouvi uma voz que me disse:

"Dizei ao padre, às religiosas e às duas pessoas que conhecem a Mensagem que venham aqui às 17h30."

Depois a Luz desapareceu.

Voltei à capela às 17h30 ; estavam presentes as três Irmãs, o Senhor Padre e duas pessoas, a Senhora T. e a Senhora G., as quais conhecem a Mensagem e que foram escolhidas pelas Irmãs.
À hora indicada, a Luz apareceu. Jesus apresentou-se com as mãos estendidas na minha direcção. Ele ergueu a mão direita como para me benzer, o indicador e o dedo maior mais levantados, e disse:

"Que a Paz esteja convosco."

"Fazei o sinal da Cruz." (Eu fi-lo.)

Depois Jesus cruzou as mãos sobre o Seu peito, levantou o Seu olhar, grave e triste para o céu, e disse:

"Pai, que a Tua Vontade seja feita nesta terra."

O Seu olhar era duma grande tristeza; Ele ficou assim por um momento e depois voltou à sua posição normal e disse-me:

"Dizei isto em voz alta":

Nesse momento, Jesus olhou para a assistência. Eu repetia cada frase que Ele me ditava:

"Vós, padres e religiosas encarregues da Mensagem, não deixais a humanidade ir ao encontro da sua morte. Eu pedi-vos que trabalhassem para erguer a Cruz Gloriosa. Não vêem que o momento chegou por causa dos acontecimentos que se têm seguido. Pois o tempo passa, e a Minha Mensagem fica na obscuridade. Se é assim, a quantidade de pessoas salvas será pequena. Mas vós, que não executais a Palavra de Meu Pai, o vosso castigo será grande. Porque é pelo número de pessoas salvas que vós sereis julgados. Não utilizeis a prudência e a reflexão, mas escuteis o conteúdo da Mensagem. Porque é através dela que Deus quere salvar o mundo.

Não sejais como os Judeus que pedem sinais. Mas é por esta Mensagem única e definitiva, que Deus divulgou à Sua serva - as palavras que saíram de sua boca, não são palavras humanas - mas pelo o que o Espírito lhe ensinou, chegou o momento de encher os corações humanos com a Minha Misericórdia, mas aqueles que estäo encarregues da Mensagem têm de saber que são eles que Me impedem, pois eles deixam o mundo na ignorância. Lembrai-vos, os dias serão mais curtos por causa dos eleitos, mas infelizes daqueles que não executam a Palavra de Deus."

Depois Jesus disse-me:

"Descalçai-vos, saídes da capela e ides até que os vossos pés pousem sobre a terra. Depois, voltai aqui."

Eu fiz o que Jesus me pediu. Quando me encontrei de novo de joelhos à Sua frente, Ele disse-me:

"Esta terra de Dozulé que Meu Pai benzeu e consagrou, não somos dignos de pousar o pé em cima. "

Depois, Jesus voltou a ter o Seu rosto brilhante de bondade e de doçura; Ele sorriu e disse-me estas palavras que repeti em voz alta:

"Eu Sou o Deus da Bondade e do Amor. A Minha Misericórdia não tem fim. Se hoje as Minhas palavras são cruéis, não é para vos condenar. Pelo contrário, Eu quero salvar o mundo com a Minha Mensagem."

Depois Jesus desapareceu.

Era sem dúvida a resposta de Monsenhor às duas Irmãs ; ao mesmo tempo, à mesma hora, ele lhes pedia sinais, Monsenhor pedia prudência e reflexão.

Jesus respondia a Dozulé, com tristeza.

 

--

 

 

TRIGÉSIMA QUINTA APARIÇÃO

" ... Nesta vida, Satanás não terá mais poder sobre eles."

Sexta-feira 5 dezembro 1975 às 18h45

Estava quase na hora da Benção. A pequena capela estava cheia de gente. Apesar da numerosa assistência, a minha alegria foi tão grande no momento em que avistei a Luz que não pude conter-me de gritar:

"Eis a Luz."

Levantei-me e pus-me diante do Santo Sacramento ali exposto. Desde logo, Jesus apareceu-me sorrindo, com as mãos estendidas para mim como para me acolher.

É tão lindo, que doçura inexprimível. Eu não vejo mais nada a não ser o Amor de Jesus, sinto-me ausente. Nada mais existe, não penso em mais nada, não sinto mais o meu corpo; penso que ele está morto, apenas tenho o meu espírito unido ao de Jesus. Penso que é isto que sentimos quando estamos mortos.

Jesus disse-me:

"Dizei em voz alta o que vós ides ver:"

Neste momento, Jesus leva a Sua Mão ao peito. Tenho de explicar aquilo que estou a ver porque Jesus mo pede. Digo então em voz alta:

"Com a Sua Mão esquerda, Jesus afasta o hábito do Seu peito... (Jesus sorri-me e diz: " do Seu Coração "; eu prossigo em voz alta)... Do Seu Coração, saiem raios vermelhos e brancos. A Sua mão direita está estendida para nós. "

 

Pintura de Jesus Misericordioso conforme visto por Santa Faustina ( Leia + )

 

Eu repito cada frase que Ele me dita com tanta douçura:

"As chamas do Meu Coração ardem-Me", diz Jesus.

"Mais do que nunca, Eu quero dá-las a cada um dentre vós. 
Eis aquilo que prometo (11) a toda a humanidade, quando ela conhecer a Minha Mensagem e a puser em prática:

- Eu adoçarei a amargura em que se afunda a alma dos pecadores.

- Eu multiplicarei de graças a alma dos padres e das religiosas, porque é por ela que a Minha Mensagem deve ser conhecida.

- Eu guardarei junto do Meu Coração as almas piedosas e fiéis, elas reconfortar-Me-ão no caminho do Calvário.

- Eu espalharei os raios da Minha Graça, no momento em que eles conhecerem a Minha Mensagem, aos pagões e a todos aqueles que ainda não Me conhecem .

- Eu atrairei a Unidade da Igreja, a alma dos hereges e dos apóstatas.

- Eu receberei na morada do Meu Coração, as crianças e as almas humildes a fim de que eles guardem um afecto especial do Nosso Pai do Céu.

- Eu darei graças de todo o género àqueles que, conhecendo a Minha Mensagem, perseverão até ao Fim.

- Eu aliviarei as almas do Purgatório, Meu Sangue apagar-lhes-á as queimaduras.

- Eu aquecerei os corações dos mais endurecidos, das almas geladas, aquelas que ferem mais profundamente o Meu Coração.

- Eu prometo a todos aqueles que vierem arrepender-se junto da Cruz Gloriosa, e que digam todos os dias a oração que Eu lhes ensinei, que nesta vida, Satanás não terá mais poder sobre eles e que, por todo este tempo de mácula, tornar-se-ão puros e serão filhos de Deus para a Eternidade.

Meu Pai, cuja Bondade é infinita, quer salvar a humanidade que está à beira do abismo. Por esta última Mensagem, tendes de vos preparar. Saibam que é no momento em que vós não acreditareis mais que se realizará a Mensagem, porque vós não sabeis nem o dia nem a hora em que Eu voltarei em Glória.
"

Todo o tempo em que Jesus ditou as Suas promessas, raios vermelhos e brancos saíam do Seu Coração.

 

Pintura de Jesus Misericordioso conforme visto por Santa Faustina ( Leia + )

 

Depois, Ele retomou a Sua posição normal e disse-me:

"Dentro de vinte dias, vós começareis uma novena que terminará na primeira sexta-feira do mês. Eu vos direi cada dia a oração que vos venho ensinar. Esta novena prolongará o Ano Santo."

Sim, Jesus tinha-me dito : " dentro de vinte dias "; era então o Natal 1975.

Estes vinte dias, passei-os à espera, na oração e no recolhimento. Contava os dias. Minha alegria era grande. Estava como uma jovem que espera o seu namorado depois duma separação, e que ía voltar vinte dias mais tarde.

Oh, Meu Jesus, que espera tão doce; eu suspirava cada vez que um dia passava, e dizia-me: " Só faltam mais tantos dias ", e pensava que em breve voltaria a vê-Lo. Esta espera era-me doce, mas tão longa.

Depois, chegou a véspera de Natal. Para todo cristão, Natal, é o nascimento do Salvador. Que dia maravilhoso, é o nascimento deste Salvador.

Mas como era grande a minha alegria, neste dia de Natal. O Salvador ia visitar-me; eu sentia-me tão unida a Ele, a este Jesus cheio de Amor; cheio de Misericórdia.

A Missa da Meia-Noite, era verdadeiramente um Nascimento; eu pensava no mundo inteiro; em todos estes infelizes, em todos estes isolados, em todos estes incrédulos; eu pedia a Jesus para fazê-los partilhar da minha grande alegria, daquela que Jesus dá aos Seus amigos, a alegria espiritual que me teria levado ao céu.

Não devo ter dormido o resto da noite, esta doce noite de Natal. Quase dois mil anos antes, neste dia de Natal, Deus tinha dado Seu Filho, Jesus, para nos salvar a todos.

Neste mesmo dia de Natal, este mesmo Jesus vinha à pequena capela de Dozulé para nos dar toda a Sua Bondade, toda a Sua Misericórdia e as todas Suas promessas. Oh, como era lindo, este dia de Natal 1975.

11.- Cf as promessas feitas à Irmã Faustine, apóstola da Misericórdia. Em 1934, Cristo dizia a Irmã Faustine santificada no dia 18 de Abril de 1993: "A Humanidade só encontrará Paz quando vier com confiança, ao encontro da Minha Misericórdia".

 

--

 

                                                                     

TRIGÉSIMA SEXTA APARIÇÃO

"Uma novena " "Primeiro dia"

"A humanidade não encontrará paz enquanto ela não conhecer a Minha Mensagem e não a puser em prática."

25 dezembro 1975 - Natal - 15h15 - Primeiro dia, na capela.

Cheguei às 15 horas à capela. Como eu sabia que Jesus viria, meu coração batia com força e não conseguia suster a minha respiração.

Esperei uns quinze minutos, os quais pareceram-me intermináveis. Não conseguia rezar tal eu estava feliz. Exatamente às 15h15 (acabava de ouvir tocar o quarto de hora na igreja), vi a auréola de Luz no Santo Sacramento, e avancei como habitualmente.

Nesse momento, meu coração parou de bater com força; parecia-me mesmo que ele já não batia mais, que toda a vida se tinha retirado de mim.

Pus-me de joelhos; Jesus não apareceu nesta Luz, mas ouvi uma voz forte que me dizia.

"Deus falou aos homens. Aqueles que estão encarregues da Mensagem oiçam a Sua Voz. Por causa da sua falta de Fé, o mundo inteiro vai enfrentar grandes catástrofes, as quais irão subverter os quatro cantos da terra. Aquilo que vós viveis neste momento, não é mais do que o começo das dores. A humanidade não encontrará a Paz, enquanto ela não conhecer a Minha Mensagem e não a puser em prática. "

Um momento após ter ouvido e repetido isto em voz alta, Jesus apareceu-me e disse:

"Quereis ter a bondade de vir aqui durante oito dias seguidos . Vós direis uma novena a qual Eu vos ditarei cada dia. Meu Pai, cuja Bondade é infinita, quer dar a conhecer ao mundo a Sua Mensagem, para evitar a catástrofe. Mais do que nunca Eu quero espalhar uma onda da Minha Graça a todas estas almas em aflição. E eis aquilo que prometo a cada uma destas almas quando elas conhecerem a Minha Mensagem, e a puserem em prática."

Neste mesmo momento, Jesus leva a mão ao Seu Coração; afasta o Seu hábito e dele saiem raios vermelhos e brancos. A outra mão está estendida para mim, para vós, para o mundo.

Jesus diz (e eu repito cada frase):

"O primeiro dia, Eu adoçarei a amargura em que se afunda a alma dos pecadores."

"Dizei comigo: "Pai Nosso" (Jesus disse-o por inteiro comigo, devagarinho.)

"Dizei três vezes: "Avé Maria" (Eu rezei sozinha.)

Depois, repeti:

"Pela Tua dolorosa Paixão, Senhor, tem piedade de nós e do mundo inteiro. Glória a Deus nas Alturas e Paz e Alegria na terra aos homens por Ele amados."

Jesus disse: "Vós direis isto todos os dias ", depois Ele desapareceu.

 

--

 

 

TRIGÉSIMA SÉTIMA APARIÇÃO

"Segundo dia"

"Eu multiplicarei de graças a alma dos padres e das religiosas, porque é através deles que a Minha Mensagem deverá ser conhecida."

No dia 26 dezembro de 1975 às 17h15 - Segundo dia.

Luz, depois o Senhor apresentou-se como na véspera. Ele levou a Sua mão esquerda ao Coração; saíram raios vermelhos e brancos. A Sua mão direita estava estendida para o mundo. Jesus não me pediu para repetir, mas eu via que depois de cada frase, Ele esperava que eu a repetisse.

"No segundo dia. Eu multiplicarei de graças a alma dos padres e das religiosas porque é através deles que a Minha Mensagem deverá ser conhecida. "

Jesus disse "Pai Nosso" e eu continuei sozinha a oração, depois Ele pediu-me:

"Dizei três vezes" Avé Maria", o que eu também disse sozinha.

Jesus continuou (e eu repetia):

"Pela Tua dolorosa Paixão, Senhor, tem piedade de nós e do mundo inteiro. Glória a Deus nas Alturas e Paz e Alegria na terra aos homens por Ele amados."

Jesus retirou a Sua Mão esquerda, estendeu as Suas duas Mãos para mim, sorriu-me e desapareceu.                      

 

--

 

 

TRIGÉSIMA OITAVA APARIÇÃO

"Terceiro dia"

"Guardarei perto do Meu Coração as almas piedosas e fiéis, elas reconfortaram-Me-ão no caminho do Calvário."

No dia 27 dezembro 1975 às 17h15 - Terceiro dia.

Do meu lugar, via a Luz surgir como habitualmente. No momento em que me levanto, Jesus aparece-me com as mãos abertas, estendidas para mim. Eu avancei, pus-me de joelhos e saudei-O. Nesse momento, raios vermelhos e brancos saíam do Seu Coração, e Ele disse:

"No terceiro dia, Guardarei perto do Meu Coração as almas piedosas e fiéis; elas reconfortaram-Me-ão no Caminho do Calvário. "

Depois Jesus disse:

"Pai Nosso", e continuei a oração sozinha; Jesus recomeçou: "Avé Maria", e eu continuei sozinha as três "Avé Maria."

E Ele continuou:

"Pela Tua dolorosa Paixão, Senhor, tem piedade de nós e do mundo inteiro.
Glória a Deus nas Alturas e Paz e Alegria na terra aos homens por Ele amados
."

 

Jesus pediu-me:

"Fazei o sinal da Cruz", fi-lo depois, Jesus desapareceu... Os raios que saíam do Seu Coração devem espalhar-se sobre todos os pecadores que se arrependam e sobre todos aqueles que O invocam.
 

--

 

 

TRIGÉSIMA NONA APARIÇÃO

"Quarto dia"

"Eu espalharei os raios da Minha Graça no momento em que eles conhecerem a Minha Mensagem, aos pagões e a todos aqueles que ainda não Me conhecem."

28 dezembro 1975 às 17h15 - Quarto dia.

Do meu lugar, eu via a Luz. De repente, Jesus apareceu-me com as mãos estendidas para mim; sorriu-me e depois disse:

 

 

"No quarto dia"

Ao pronunciar isto como as as vezes, Jesus, dum gesto lento com a Sua mão esquerda, deixou aparecer o Seu Coração. De repente, saíram raios vermelhos e brancos. Ele avançou com a Sua mão direita na minha direção; a palma era visível.

Em seguida, repiti aquilo que Jesus me dizia:

"Eu espalharei os raios da Minha Graça no momento em que eles conhecerem a Minha Mensagem, aos pagões e a todos aqueles que ainda não Me conhecem."

Jesus disse:

"Pai Nosso". Pareceu-me não ter pronunciado " Pai Nosso ", continuei a seguir Jesus " Que estais no Céu. "

Em seguida Jesus disse:

"Avé Maria", e eu continuei sozinha; pareceu-me só o disse duas vezes. "Pela Tua dolorosa Paixão, Senhor, tem piedade de nós e do mundo inteiro."

Nesse momento, Jesus retirou a Sua Mão esquerda do Seu peito; estendeu as duas mãos, ergueu os olhos para o céu e disse mais alto:

"Glória a Deus nas Alturas e Paz na terra aos homens por Ele amados."

Depois, Jesus olhou-me e disse:

"Fazei o sinal da Cruz" e desapareceu.

 

--

 

 

 

QUADRAGÉSIMA APARIÇÃO

"Quinto dia"
"Eu atrairei à unidade da Igreja a alma dos hereges e dos apóstatas."

Dia 29 dezembro 1975 às 18h30 - Quinto dia.

Neste dia, os meus filhos estavam em casa e eu não pude ir à capela às 17 horas como nos outros dias ; também não me sentia atraída em ir lá.

A minha família partiu às 18 horas e de repente, às 18h30, algo levou-me a ir à capela.
Quando cheguei, avistei a Luz depois, Jesus apareceu-me como de costume e disse:

"No quinto dia."

Os raios saíam do Seu Coração e eu repeti cada frase:

"Eu atrairei à unidade da Igreja a alma dos hereges e dos apóstatas."
"Pai Nosso... "
"Avé Maria... "

Jesus disse o começo das três " Avé Maria ", talvez por causa do meu esquecimento de uma das oraçöes que tinha dito na véspera. Então repeti:

"Pela Tua dolorosa Paixão, Senhor... "
"Glória a Deus... Paz e Alegria… "
"Fazei o sinal da Cruz. " - " Sim. "

As Suas mãos baixaram devagarinho, Jesus olhou-me, sorriu-me e depois desapareceu.

 

--

Continua...

LEIA TODAS AS PARTES DESTE ARTIGO CLICANDO AQUI!

 

 


 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 6.943.439
Visitas Únicas Hoje: 2.582
Usuários Online: 499