O Purgatório na Biblia
 
 
Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.017.624
Visitas Únicas Hoje: 565
Usuários Online: 253
Sistema de Busca

 

Estudos Bíblicos




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 1444 - Impresso: 32 - Enviado: 10 - Salvo em Word: 26
Postado em: 15/02/16 às 12:11:04 por: James
Categoria: Estudos Bíblicos
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=4&id=14115
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Estudos Bíblicos

Espacojames: Rezem pelas almas! Deus é misericordioso, mas também é Justiça...

Por que os Católicos rezam pelos mortos?

Porque a Bíblia ensina que é santo e salutar o pensamento e a prática de rezar pelos mortos. E por isso nos apresenta o Apóstolo São Paulo realizando essa salutar prática.

De fato, no 2º Livro dos Macabeus, capítulo 12, vers. 43 a 46, lemos: “(Judas Macabeu) tendo feito uma coleta mandou duas mil dracmas de prata a Jerusalém para se oferecer um sacrifício pelo pecado. Obra bela e santa, inspirada pela crença na ressurreição, porque se ele não esperasse que os mortos haviam de ressuscitar, seria coisa supérflua e vã orar pelos defuntos. Ele considerava que, aos falecidos na piedade está reservada uma grandíssima recompensa. SANTO E SALUTAR ESSE PENSAMENTO DE ORAR PELOS MORTOS, para que sejam livres dos seus pecados". Este texto do Antigo Testamento tem confirmação em vários outros do Novo Testamento, embora os protestantes o tenham por “apócrifo”. (“Folh. Cat.”, nº 16) Vejamos:

Assim, São Paulo, na 2ª Epístola a Timóteo, cap. 1, vers. 18, assim ora a Deus pelo amigo Onesíforo: "Que o Senhor lhe conceda a graça de obter misericórdia do Senhor naquele dia".

Nota: Comparando os vers. 15 a 18 do cap. 1º, com o vers. 19 do cap. 4º desta mesma Epístola, vê-se que Onesíforo já era morto, porque nestes textos, S. Paulo se refere nominalmente a outras pessoas, e quando seria o caso de nomear Onesíforo, seu grande amigo e benfeitor, ele não o faz, mas só se refere “à casa” e “à família de Onesíforo”. Daí se conclui que ele não era mais do número dos vivos. E S. Paulo reza por ele, pedindo ao Senhor misericórdia para ele.

Portanto, os católicos rezam pelos mortos, porque, com a Bíblia e toda a Tradição, desde os tempos apostólicos, crêem na existência do Purgatório.

Que se entende por Purgatório?

Purgatório é o lugar de purificação em que as almas dos justos, que não se santificaram suficientemente neste mundo, hão de completar a sua purificação, “por intervenção do fogo”, para serem admitidas no Céu, “onde nada de impuro entrará”. (Apocalipse 21,27) É, pois, o lugar em que as almas dos que morrem na amizade de Deus, isto é, em estado de graça - mas com alguma dívida por culpas leves, ou por culpas graves já perdoadas sem a devida expiação - se purificam inteiramente para entrar no Céu, a visão e posse de Deus. Ali gozarão para sempre da sua perfeita felicidade na glória celeste. Agora, só a alma. E depois da ressurreição da carne, unida ao próprio corpo.


A Bíblia fala deste lugar de purificação?

Sim:

1) Ela fala, na 1ª Epístola de São Paulo aos Coríntios cap. 3, vers. 12 e 15, de um fogo misterioso que salva: “O fogo provará o que vale o trabalho de cada um (vers. 12). “Se queimar, sofrerá ele os danos. Mas será salvo passando de alguma maneira através do fogo.”

2) Ela fala também de um perdão na outra vida. O próprio Jesus Cristo afirmou, no Evangelho de São Mateus cap. 12 vers. 32: “A todo o que disser uma palavra contra o Filho do Homem ser-lhe-á perdoada; ao que disser, porém, contra o Espírito Santo, não lhe será perdoada nem nesse mundo, nem no outro”.

Por aí se vê que Jesus Cristo nos ensina que há pecados que serão perdoados também no outro mundo, isto é, após a morte.

3) A Bíblia fala ainda de uma prisão temporária na “outra vida” - Jesus Cristo, em S. Mateus cap. 5, vers.25-26, exorta a reconciliação com os irmãos nesta vida para que “não suceda que o adversário te entregue ao juiz e o juiz te entregue ao seu ministro, e sejas posto em prisão. Em verdade te digo: não sairás de lá antes de ter pago o último ceitil.” (centavo).

É evidente que esta prisão temporária, lugar de perdão na outra vida, através de um fogo que purifica e salva, e de onde se sairá depois de pagar o último ceitil, não pode ser o Céu, “onde nada de impuro entrará” (Apocalipse 21,27), nem o inferno,“onde não há redenção” e onde o fogo é eterno. (Mt. 25,41).

Só resta que esses textos se refiram a um lugar intermediário, transitório e de expiação, que a Igreja, com toda a propriedade, chama de Purgatório, embora esta palavra não esteja na Bíblia. Está a sua realidade que é o que importa.

Temos que admitir, portanto, com a Bíblia, a existência desse lugar de purificação que Deus em sua Sabedoria e Bondade infinitas, criou para conciliar as exigências da sua justiça divina com as da sua misericórdia. Estão, pois, em erro os que só admitem a existência do Céu e do Inferno, e por isso não rezam pelos mortos. São os falsos crentes.

Podemos e devemos, pois, fazer orações e oferecer sacrifícios pelos mortos em geral.Devemos rezar por todas as almas, porque não sabemos com certeza, quais estejam realmente precisando, e em condições de receber o mérito impetratório das nossas orações e sacrifícios oferecidos a Deus por elas. Em qualquer hipótese, estas orações e sacrifícios, não ficarão sem efeito. Sobretudo as Santas Missas que fizermos celebrar por elas, pois Deus fará a sua aplicação às almas que mais estiverem precisando.

 
PASSAGENS. 
 
"Eis por que ele [Judas Macabeu) mandou oferecer esse sacrifício expiatório pelos que haviam morrido, a fim de que fossem absolvidos de seu pecado" (2Mc 12,46).
 
“Em verdade te digo que de maneira nenhuma sairás dali enquanto não pagares até o último centavo” Mateus 5,26:
 
"De outra maneira, que intentam aqueles que se batizam em favor dos mortos ? Se os mortos realmente não ressuscitam, por que se batizam por eles? " ( I Cor 15,29)
 
"Se os filhos de Jó foram purificados pelo sacrifício de seu pai, que deveríamos duvidar de que nossas oferendas em favor dos mortos lhes levem alguma consolação?" (Jó 1,5)
 
"A purificação é necessária para adentrar ao céu:" Hb 12,14; Ap 21,27.
 
"Agonia temporária:" 1Cor 3,15; Mt 5,25-26.
 
"Cristo pregou para seres espirituais:" 1Pd 3,19.
 
"É um estado intermediário de purificação:" Mt 5,26; Lc 12,58-59.
 
"É uma realidade entre o céu e a terra:" Mt 18,23-25; Lc 23,42; 2Cor 5,10; Fl 2,10; Ap 5,2-3.23.
 
"Graus de expiação dos pecados:" Lc 12,47-48.
 
"Alguns pecados são perdoados e outros não serão perdoados nem aqui nem no mundo vindouro:" Mt 12,32.
 
"Nada de impuro pode entrar no céu:" Ap 21,27.
 
"Salvação, mas como pelo fogo:" 1Cor 3,15.
 
"Sofrimento extra:" 2Sm 12,14; Cl 1,24.
 
"Dá de boa vontade a todos os vivos, e não recuses este benefício a um morto"  ( Eclo 7,37 )

 
 
AS PENAS DEVIDAS PELO PECADO. 
 
"Todo pecado, mesmo leve,  exige purificação ou reparação" (2Sam 12, 13-14. 17-18; jon 1,12). 
 
"Uma conversão que procede de uma ardente caridade pode chegar à total purificação do pecador, de tal modo que não haja mais nenhuma pena" (Lucas 23,43).
 
"O perdão do pecado nos dá remissão das penas eternas, mas permanecem as penas temporais do pecado "(2Sam 12, 13-14. 17-18; jon 1,12). 
 
"O pecador deve fazer alguma coisa a mais, além de se arrepender, para reparar seus erros: deve "satisfazer" de modo apropriado ou "expiar" seus pecados, através da "penitência".  A penitência é a demonstração de seu arrependimento" (Jon 3, 6-8).
 
 
 
AS PENAS DEVIDAS PELO PECADO: O PURGATÓRIO 
 
"Uma alma justa que morre em santidade e não tem nada a purificar receberá a recompensa" ( 2 COR 5,10; RM 14,10), do céu:
  
"Se permanecer a obra que alguém sobre ele (Jesus) edificou, esse receberá galardão." (I Cor 3,14)
 
"Uma alma justa que morre sem se purificar totalmente das penas temporais do pecado não pode entrar no céu ( Sl 14 ; Hb 12, 22-23 ; Mt 5,8 ) ," ela será salva passando de alguma maneira pelo fogo" (1 Cor 3,15) ficando assim num estado de purificação.
 

Estado chamado de Purgatório. 
 
O Purgatório é um estado de purificação, de aguardo para entrar no céu (Lc, 12, 58-59; I Pe 3, 18-19 ; 4, 6 ), dali não se sai até pagar tudo o que deve ( Mt 5,22.25-26;Lc, 12, 58-59) quanto às consequências temporais do pecado não expiadas em vida (2Sam 12, 13-14. 17-18; jon 1,12; Mt 12,32), pois Jesus nos perdoa da culpa eterna, mas devemos expiar ou reparar o que fizemos de errado, sendo salvo de alguma maneira através do fogo ( I Cor 3, 10-15) a expiação das consequências e danos de nossos delitos.
 
Jesus nos disse que "se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste mundo, nem no vindouro " (Mt 12,32) dando-nos a entender que certas faltas podem ser perdoadas no presente e outras no século (mundo) futuro, o mundo dos mortos pois:
 
Já que os filhos de Jó foram purificados pelas preces de seu pai (Jó 1,5), nossas orações e súplicas pelas pessoas que estão no Purgatório as ajudarão a alcançar a purificação necessária (2Mc 12,46; I Cor 15,29) para sairem desse estado de prisão (Lc, 12, 58-59; I Pe 3, 18-19 ; 4, 6 ) e entrarem na santidade do céu.
 
Devemos orar por todo  mundo (I  Tim 2,1; ICor 13,5) e  o que fazemos de bom redunda em benefício para todos na Igreja (ICor 12,26-27).
 
Todos os cristãos mortos e vivos permanecem unidos num único corpo (Rm 14,8; Gl3,27-28), que é o corpo de Cristo, a Igreja.
 
Assim, todas as nossas boas obras e orações podem beneficiar os mortos (ICor 12,26-27) que aguardam entrar no céu estando em purificação (  I Pe 3, 18-19 ; 4, 6 ) 
 
Podemos oferecer a Deus pelos mortos nossas orações, nossas boas ações (I Ped 4,8), penitências e esmolas (Tob 4, 7-12; Eclo 3,33-34 At  10,4; Heb 13,16). 
 
A esmola nos faz encontrar graça aos olhos de Deus e podemos pedir pelos que já se foram.
 
A Missa é o oferecimento ao Pai do sacrifício de seu Filho (I Cor 10,16), feito uma só vez e renovado em nossos altares (ICor 11,26), daí ser a melhor oração que possamos oferecer pelos defuntos.
 
As velas simbolizam nossas orações, é um símbolo concreto de nosso pedido. 
 
Como não sabemos se as almas de nossos parentes  já estão no céu, no inferno, ou no purgatório, podemos e devemos rezar por elas. 
 
Se estiverem no purgatório, nossas orações servirão de purificação.
 
Se estiverem no céu, nossas orações servirão para as lembrar de rezar por nós, já que oramos por elas.
 
Se estiverem no inferno, nossas orações serão nosso próprio consolo. 







Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 15/02/16 às 12:11:04 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.


Visite o espacojames nas redes sociais:



LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES