Espacojames


Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 10924 - França e Nova Zelândia aprovam o “matrimônio” gay.
Artigo visto 1728 vezes




Visto: 1728
Postado em: 25/04/13 às 13:39:17 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=10924
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

A Assembleia Nacional da França aprovou pela segunda vez e de maneira definitiva o mal chamado “matrimônio” gay e a adoção de menores, uma das promessas do presidente François Hollande e que abriu uma brecha profunda na sociedade francesa; do mesmo modo, os defensores da família já anunciaram que recorrerão ao Conselho Constitucional e que convocarão novas marchas para os dias 5 e 26 de maio em Paris.

 

Como se recorda, o texto original foi ligeiramente modificado e aprovado previamente pelo Senado, o qual o devolveu à Câmara Baixa para um novo debate e ratificação, que aconteceu nesta terça-feira por 331 votos a favor, 225 contra e dez abstenções.
 
Agora os defensores da família e do verdadeiro matrimônio entre um homem e uma mulher anunciaram que recorrerão o texto ante o Conselho Constitucional, que deverá pronunciar-se no prazo de um mês.
 
A aprovação do “matrimônio” gay aconteceu apesar das marchas multitudinárias que nos últimos meses percorreram as ruas de Paris. Uma destas se realizou em 13 de janeiro e congregou mais de um milhão de pessoas e um total de 34 instituições, entre associações de família, católicas, protestantes, muçulmanas, jurídicas, infantis, e inclusive algumas organizações de homossexuais estiveram presentes.
 
Posteriormente, em 24 de março se realizou La Manif pour Tous (A Marcha para Todos), que com um milhão e meio de pessoas percorreu Paris a favor da verdadeira família. Esse dia, líderes pró-família advertiram que o projeto do governo socialista atenta contra a realidade histórica da humanidade e nega o fundamento antropológico das relações humanas.
 
Do mesmo modo, diversos líderes homossexuais se pronunciaram contra esta lei. O jovem líder homossexual de 21 anos e estudante de direito, Xavier Bongibault, exortou defender o autêntico matrimônio e assinalou que “as crianças devem ser criadas por um pai e uma mãe. Os estudos demonstram que os que são educados por pais do mesmo sexo acabam tendo problemas psicológicos”.
 
Por sua parte, a líder lésbica e uma das fundadoras de uma das maiores associação de gays da França, Homovox, Nathalie de Williencourt, afirmou que a maioria de homossexuais, incluindo ela mesma, não querem nem o matrimônio nem a adoção de crianças.
 
***
 
O parlamento da Nova Zelândia legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo. É o primeiro país da região da Ásia-Pacífico a aprovar uma lei neste sentido. Os parlamentares aprovaram a lei, uma emenda ao ato conjugal de 1955, apesar da forte oposição de grupos cristãos.
 
A lei, aprovada por 77 votos contra 44, foi celebrada por centenas de advogados dos direitos dos homossexuais do lado de fora do Parlamento. O público que assistia à sessão e alguns parlamentares imediatamente começaram a cantar uma tradicional música neozelandesa “Pokarekare Ana”.
 
Algumas pesquisas de opinião sugeriram que cerca de dois terços do país apoiavam a reforma, embora outros levantamentos afirmavam que a população estava dividida. A reforma tinha o apoio do primeiro-ministro John Key e do líder da oposição David Shearer.
 
Em Wellington, capital do país, festas e celebrações foram realizadas em pubs e discotecas. A união civil de casais homossexuais é legal na Nova Zelândia desde 2005.
 
A Nova Zelândia se tornou o 13º  ( A França o 14) país a legalizar o casamento entre casais homossexuais. Outros países incluem a Holanda, Bélgica, Espanha, Canadá, África do Sul, Argentina e Uruguai .
 
Nenhum outro país na região da Ásia-Pacífico permite o casamento gay. Membros do Parlamento da Austrália votaram esmagadoramente contra a lei que legalizaria o casamento homossexual em setembro. Entretanto, alguns Estados permitem uniões civis entre casais do mesmo sexo.
 
A China não permite o casamento gay, porém, transexuais que tenham se submetido a cirurgia, podem se casar com alguém do sexo oposto, contanto que seu novo gênero seja verificado por autoridades de segurança pública locais.


Fonte: http://www.comshalom.org/blog/carmadelio/




Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!


LEIA TAMBÉM
A “Biblioteca Ratzinger” e sua valiosa contribuição para a Igreja.
Profanadas relíquias do Beato Scalabrini, em Catedral italiana.
Parecer favorável da comissão vaticana sobre Medjugorje
Pela terceira vez, 800 mil franceses em Paris contra o “casamento” gay. Apoio ao “casamento” caiu cerca de 10 pontos percentuais, afirmam pesquisas.
Os “bastidores” da humildade de Bento XVI.
As mudanças no conceito de família e suas desastrosas consequências para a educação das crianças.
“Cristãos culturais” somos todos nós! MESMO os que dizem não ter fé em Cristo!
Justiça polonesa condena partido que queria tirar crucifixo do Parlamento.
200 mil já se inscreveram para a JMJ, número deve subir para 600 mil até junho.



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.215.522
Visitas Únicas Hoje: 502
Usuários Online: 290