Espacojames


Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 12695 - Católicos e budistas unidos no Vietnam contra um plano para derrubar templos e criar um bairro sem Deus.
Artigo visto 1048 vezes




Visto: 1048
Postado em: 13/10/14 às 17:52:12 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=12695
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

As autoridades comunistas vietnamitas tem a intenção de demolir um templo budista e duas igrejas cristãs, que estão situados numa zona a sul de Ho Chi Minh City (foto) , para iniciar um plano de desenvolvimento urbano de importante valor econômico.

Sem dúvida, o projeto da administração da cidade suscitou uma valente resistência por parte dos líderes religiosos e da comunidade local dos fiéis.

Um Conselho Inter-religioso integrado por cristãos e budistas emitiu um chamamento público pedindo apoio para deter a confiscação dos edifícios e terrenos na zona de Thu Thiem, que inclui os seus templos, e que constata que no novo bairro não se mencionam equipamentos religiosos. Seria um “bairro sem Deus”.

Em 15 de Setembro passado iniciou-se uma petição dirigida aos governos e organizações internacionais pró-direitos humanos, meios de comunicação e “todos os compatriotas do Vietname”, que receberam mais de 600 apoios nas primeiras 30 horas.

Denunciavam a ameaça das autoridades, que tem a intenção de encerrar o pagode de Tri Lein no final do mês.

Outros lugares de culto encontram-se em risco, disse o texto, incluindo ”a Igreja Católica de Thu Thiem” e a comunidade das Irmãs Amantes da Santa Cruz.

Já tinha sido encerrada antes a casa de oração da Igreja Evangélica do Vietname e a Igreja Menonita (cristãos protestantes).

A notificação do encerramento do pagode de Lien Tri remonta a 18 de Agosto do ano passado e poder-se-ia aplicar em qualquer momento entre 8 e 30 de Setembro.

As autoridades ofereceram uma indemnização de 274.000 dólares pela expropriação do pagode e a terra, mas um dos monges residentes sublinha que isto não é uma questão econômica.

“Não vou aceitar nenhuma oferta”, disse Thich Khong Tanh numa entrevista à Rádio Free Asia (RFA), mas as autoridades não entendem razões e “dizem que querem seguir em frente” com o seu plano.

Por detrás do ataque das autoridades, está o fato que a comunidade de Lien Tri não pertence à comunidade budista oficial, reconhecida pelo governo.

“Nós somos da Igreja Budista Unificada – acrescenta – proscrita pelas autoridades vietnamitas, desde há anos somos vítimas de isolamento e repressão, e agora utilizam o tema da terra para eliminar-nos”. “O Governo – conclui – faz sempre o que quer”.

A área urbana de Thu Thiem, a sul da antiga Saigão, é objecto de um amplo trabalho de desenvolvimento, com centros comerciais, vivenda, oficinas e edifícios administrativos, centros de educação e entretenimento local. Sem dúvida, não há nenhuma menção dos lugares de culto, as igrejas e templos, ou inclusive um espaço para a oração.

Como é possível, pergunta-se o líder do Conselho Inter-religioso do Vietname, satisfazer “as necessidades espirituais e religiosas” se os planos de desenvolvimento a longo prazo ”não tem nenhuma consideração pelas instituições religiosas?”.

Detrás do anonimato, uma monja das Amantes da Santa Cruz acrescenta que ”o governo quer tirar-nos, para que possam construir a sua nova cidade aqui”.

Hoje no Vietnam, frente a uma população de cerca de 87 milhões de pessoas, são budistas 48%; católicos um pouco mais de 7%, seguido por sincretistas com 5,6%; Por último, há aproximadamente 20% que se declaram ateus.

Sendo uma minoria (ainda que significativa), a comunidade cristã é particularmente ativa nas áreas da educação, saúde e desenvolvimento social. Pelo contrário, a liberdade religiosa foi diminuindo de maneira constante: a introdução do Decreto 92 impôs restrições de facto na prática do culto, que se une cada vez mais aos ditames e diretrizes do governo e o Partido Comunista único.

No foco das autoridades terminam líderes religiosos, incluindo budistas e católicos, ou comunidades inteiras como ocorreu o ano passado na diocese de Vinh, onde os meios de comunicação e o governo puseram em marchauma campanha difamatória e ataques contra bispos e fiéis. A repressão também afeta as pessoas, culpadas de reclamar o direito à liberdade religiosa e o respeito aos direitos civis dos cidadãos.


Fonte: http://blog.comshalom.org/carmadelio





LEIA TAMBÉM
Nunca esquecer que somos pecadores, pede Papa
Relator do Sínodo da Família: “Todos sabemos que o matrimônio sacramental é indissolúvel”
O aborto NÃO é um direito, a vida NÃO é negociável! Ciência prova que desde a concepção existe um novo ser humano, único e irrepetível, que se distingue de seus pais.
Papa: razões religiosas não justificam perseguição em Iraque e Síria
Irã preocupa congressistas americanos
Jihadistas avançam para cidade síria de Ain al-Arab
Agora querem acabar com a criminalização do incesto: “Tabu social”. Homem tem 4 fillhos com sua própria irmã.
Um simples acontecimento familiar ajudou um menino a descobrir a sua vocação sacerdotal.
Uma carta para si mesma cheia de amor e confiança em Deus: O legado de uma menina falecida que comoveu o mundo.



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 7.448.605
Visitas Únicas Hoje: 1.944
Usuários Online: 484