Espacojames


Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 13757 - Desertores do Estado Islâmico estão fartos de matar muçulmanos, aponta estudo
Artigo visto 1523 vezes




Visto: 1523
Postado em: 22/09/15 às 13:13:41 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=13757
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

Os líderes do Estado Islâmico consideram inimigos os outros grupos jihadistas, incluindo a organização satélite da Al-Qaeda

Cada vez mais combatentes da organização jihadista Estado Islâmico estão desertando, desiludidos com os massacres de muçulmanos, entre outras coisas, afirma um estudo publicado nesta segunda-feira.

Ao menos 58 pessoas deixaram a organização e falaram publicamente sobre o tema desde janeiro de 2014, destaca um estudo do Centro de Pesquisas da Radicalização (ISCR) do King’s College de Londres.

O estudo afirma que 17 desertaram em junho, julho e agosto, e que representam apenas “uma pequena fração” do número total, porque a maioria teme falar.

O ISCR pediu aos governos que facilitem o testemunho dos desertores e não os ameacem com detenção, porque eles podem servir para dissuadir muitos outros de se unirem à organização.

Os que falaram disseram que ficaram fartos de matar muçulmanos sunitas como eles, incluindo civis, e da incapacidade do Estado Islâmico de confrontar o regime sírio do presidente Bashar al-Assad.

As vozes dos desertores são claras e firmes: ‘o Estado Islâmico não está protegendo muçulmanos, está matando-os”, afirma o documento.

“Os muçulmanos estão combatendo os muçulmanos. Assad está esquecido. A jihad está de cabeça para baixo”, declarou um desertor alemão, identificado como Ebrahim B., que afirmava falar em nome de vinte jihadistas que viajaram à Síria e ficaram decepcionados.

Os líderes do Estado Islâmico consideram inimigos os outros grupos jihadistas, incluindo a organização satélite da Al-Qaeda, Jabhat al-Nusra, e travaram fortes batalhas contra eles.

Os desertores interrogados no documento são de 17 países, em muitos casos ocidentais.

Muitos que tentaram abandonar antes deles foram executados por espiões e traidores, explicaram seus antigos colegas.


Fonte: www.aleteia.org





LEIA TAMBÉM
Histórico: a bandeira da Santa Sé, hasteada pela primeira vez na sede da ONU
Bilionário negocia compra de 2 ilhas na Grécia para abrigar refugiados
Este multimilionário está usando seu dinheiro para salvar refugiados
Jesus Cristo não é um “valor” a ser defendido
Crise de refugiados prossegue e naufrágio deixa 13 mortos
Quem era Aylan Kurdi, menino sírio que foi encontrado morto em uma praia na Turquia
Em quatro dias, 23 crianças imigrantes se afogam em travessias rumo à Europa.
Eu sou sacerdote católico. Eu carreguei a culpa de um aborto, cometido décadas atrás.
Possível milagre em Santos (SP) levaria à canonização da Madre Teresa de Calcutá



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.140.709
Visitas Únicas Hoje: 853
Usuários Online: 419