Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.187.545
Visitas Únicas Hoje: 15
Usuários Online: 284
Sistema de Busca

 

Destaque




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 320 - Impresso: 1 - Enviado: 1 - Salvo em Word: 3
Postado em: 17/11/18 às 11:51:13 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=15118
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

Sim vai chegar o dia em que você terá que prestar contas da sua vida. E aí?

Durante o mês de novembro, a Igreja pede para rezarmos pelos nossos amados mortos e para pensarmos nas “Quatro Últimas Coisas”: Morte, Julgamento, Céu e Inferno.

Então, neste artigo, vamos olhar para o ensinamento da Igreja sobre o “julgamento particular”, ou seja, quando, assim que a alma deixa o corpo, a pessoa ficará diante de Cristo, o juiz, para prestar contas sobre a sua vida.

Desde que eu nasci, já se passaram 20.895 dias (ou mais de 500.000 horas, 30.000.000 minutos ou 1,8 bilhão de segundos). Eu, claro, não me lembro da maioria deles. Mas terei que ficar diante de Cristo e explicar cada um deles segundos.

Enquanto escrevo este artigo, estou fazendo as malas para a minha terceira mudança em um ano. Os jesuítas se mudam muito. Acreditamos que “a única casa verdadeira para um jesuíta é a estrada”. Enquanto arrumo as coisas,  lembro-me de quantas vezes eu olhei para um objeto e me perguntei: por que eu tenho carregado isso comigo por tanto tempo? Eu olho para objetos que uma vez significaram muito para mim, e agora eu os abandono. Muitas vezes, faço isso de bom grado, às vezes tristemente, e, em alguns casos, arrependido de tê-los guardado tanto tempo.

Quando eu estiver diante de Cristo, o juiz, passarei por um processo semelhante. Para cada momento da minha vida, para cada ato de concordância ou omissão, para cada ato de decisão ou indecisão, para toda escolha a favor ou contra o amor, eu darei uma explicação – sem desculpas, sem voltas e com clareza. Eu vou olhar para os momentos da minha vida, e semelhante ao que eu faço enquanto arrumo as malas, temo que terei que me perguntar: “Por que eu guardei isso tanto tempo?”

Acho também que, no meu juízo, olharei para todos os momentos da minha vida, inclusive aqueles dos quais eu  havia me esquecido, e vou me lembrar dessas palavras do C.S. Lewis:

Parece que Nosso Senhor acha nossos desejos não muito fortes, mas muito fracos. Somos criaturas insensíveis, brincando com bebida, sexo e ambição quando infinita alegria nos é oferecida. Como uma criança ignorante que quer continuar fazendo tortas de lama em uma favela porque ele não consegue imaginar o que são as férias no mar. Estamos muito facilmente satisfeitos.

Temo que, no meu julgamento, eu possa ver com perfeita clareza tudo isso. Eu estava “muito facilmente satisfeito” e resolvi fazer algo diferente e, portanto, menos do que Cristo me oferecia.

Eu também acho que, no meu julgamento, vou me lembrar dessas palavras de Nosso Senhor:

Ora, este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas do que a luz, pois as suas obras eram más. Porquanto todo aquele que faz o mal odeia a luz e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas aquele que pratica a verdade vem para a luz. Torna-se assim claro que as suas obras são feitas em Deus” (João 3,19-21).

Enquanto escrevo este texto, sabendo que devo ter mais dias atrás de mim do que à minha frente, sabendo que acumulei arrependimentos e sabendo que minha única esperança é o Cristo misericordioso, pergunto-me: como devo gastar o tempo que me resta? Creio que a resposta está nestes quatro passos:

1) Devo renovar meus compromissos com a oração, o jejum e a penitência;

2) Devo, destemidamente e teimosamente, pedir a graça de banir da minha vida qualquer coisa não condizente à dignidade cristã;

3) preciso reordenar minha vida em torno dos mandamentos de Cristo para amar a Deus e amar ao próximo;

4)preciso que os outros façam o mesmo.


E você? Como você vai gastar o tempo que lhe resta nesta vida? Como você vai se preparar para prestar contas ao juiz? 

Amigos, vamos motivar uns aos outros a cultivar, como diz São Tomás de Aquino, um santo medo, um medo de filho, um medo que teme ofender aquele que é amado. E vamos continuar rezando pelas almas do Purgatório, cujo tempo de purificação ainda não chegou ao fim.



Fonte: www.aleteia.org





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 17/11/18 às 11:51:13 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.


Visite o espacojames nas redes sociais:



LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES