O aborto está fora de controle em Cuba
Espacojames


Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 7493 - O aborto está fora de controle em Cuba
Artigo visto 1788 vezes




Visto: 1788
Postado em: 17/03/11 às 21:41:40 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=7493
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

HAVANA, 17 Mar. 11 / 12:21 pm (ACI)

Uma reportagem da cadeia inglesa BBC evidenciou os excessos aos que chega a prática do aborto despenalizado em Cuba, onde este procedimento se converteu em uma alternativa recorrente aos métodos anticoncepcionais e sua freqüência está causando sérios problemas de saúde às mulheres cubanas.

A reportagem publicada no último 10 de março, sustenta que "para a maioria das mulheres cubanas, a facilidade na hora de realizar um aborto é um direito ao qual não renunciam. Mas seu uso e abuso parecem estar fora de controle".

Em Cuba, explica a BBC, não existe uma lei de aborto "mas sua prática está despenalizada desde 1965. Até as dez semanas de gravidez não será preciso dar nenhuma razão para optar por essa alternativa" de maneira gratuita em qualquer hospital público.

A Pesquisa Nacional de Fecundidade realizada 2009 pelo Escritório Nacional de Estatística (ONE), sustenta que "a alta prevalência destes eventos em Cuba levou especialistas a afirmarem que os cubanos na atualidade estão utilizando estes procedimentos como métodos anticoncepcionais, quer dizer, como alternativa ao não uso -ou ao uso incorreto- dos diferentes métodos".

Os especialistas consultados pela cadeia inglesa sustentam que as altas cifras de aborto mostram que as mulheres não conhecem os riscos deste procedimento para sua saúde.

Inclusive, o presidente da Sociedade Científica Cubana para o Desenvolvimento daFamília (SOCUDEF), filial da transnacional abortista International Planned Parenthood Federation (IPPF), Miguel Sosa, admitiu à BBC que "Cuba considera o aborto como um problema de saúde e quer lutar para reduzi-lo".

"Em 2009, mais da metade dos casos de infertilidade em mulheres tinham como causa as seqüelas de um ou mais abortos, acrescenta Sosa" à BBC.

As cifras de aborto estão acompanhadas pelo envelhecimento da população cubana e cifras negativas de crescimento demográfico na ilha.

Yindra García se submeteu a nove abortos desde os 20 anos de idade, geralmente porque se "descuidou" no uso de métodos anticoncepcionais. Hoje tem 28 anos e decidiu pela primeira vez seguir com uma gravidez e ter o seu filho porque, afirma, "tinha medo de fazer outro aborto".

A reportagem da BBC destaca que as últimas cifras de aborto na ilha -que em 2009 chegaram a 84 687 procedimentos- mostram um número muito inferior em relação a 1986 quando praticou-se o dobro de abortos.

Entretanto, a BBC esclarece que desde 1989 Cuba começou a utilizar um tipo de aborto precoce sob o eufemismo de "regulação menstrual" e se realiza até as seis semanas de gravidez mediante a aspiração do útero. Estas "regulações" não são consideradas na taxa anual de abortos e não requerem do consentimento dos pais no caso de menores de 18 anos.

Para funcionários como Miriam Grant do Ministério de Saúde Pública, o país reduzirá os abortos se melhora a oferta de anticoncepcionais. O contraditório é que 77 por cento das mulheres em idade fértil -segundo as mesmas cifras oficiais de 2009- usa atualmente algum método anticoncepcional, o governo os oferece a preços muito baixos e realiza campanhas de educação sexual apoiadas nestes métodos desde a idade escolar.


Fonte: http://acidigital.com/noticia.php?id=21363



LEIA TAMBÉM
Corte européia promulgará sentença sobre crucifixos nas escolas no próximo 18 de março
Terremoto do Japão pode ter deslocado eixo da Terra
Pelo Twitter, internautas avisam sobre novo tremor no Japão
BENTO XVI RECONHECE DIGNIDADE E VALENTIA DOS JAPONESES DIANTE DO TERREMOTO
Homosexuais se despiram em capela universitaria de Madrid
Forte terremoto atinge a costa nordeste do Japão e gera tsunami
13 mortos após enfrentamento entre cristãos coptos e muçulmanos no Egito
A Quaresma não é tempo de tristeza, disse o Papa
600 anglicanos iniciam caminho rumo à plena comunhão com a Igreja Católica na Inglaterra



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 7.345.462
Visitas Únicas Hoje: 921
Usuários Online: 341