Espacojames


Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 8728 - O Papa recorda que só Deus restitui humanidade ante a "bestialidade" da violência
Artigo visto 2032 vezes




Visto: 2032
Postado em: 16/09/11 às 08:02:06 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=8728
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

Vaticano, 14 Set. 11 / 02:03 pm (ACI/EWTN Noticias)

Em sua habitual catequese das quartas-feiras, o Papa Bento XVI ofereceu uma reflexão sobre o Salmo 22 –que contém o grito de Jesus na cruz "Meu deus, Meu deus, por que me abandonaste?" – e recordou que Deus nunca abandona o homem que sofre e restitui a humanidade dos violentos.

As dramáticas imagens deste Salmo servem para dizer que "quando o homem torna-se brutal e agride o irmão, algo de animalesco toma conta dele, parece perder toda a aparência humana; a violência tem sempre em si algo de bestial e somente a intervenção salvífica de Deus pode restituir o homem à sua humanidade", afirmou o Papa ante milhares de peregrinos congregados na Praça de São Pedro para a habitual Audiência Geral.

O Santo Padre acrescentou, que “é o Salmo 22, segundo a tradição hebraica, 21 segundo a tradição greco-latina, uma oração dolorosa e tocante, de uma densidade humana e riqueza teológica que o tornam um dos Salmos mais rezados e estudados de todo o Saltério".

O Salmo "apresenta a figura de um inocente perseguido e circundado por adversários que desejam a sua morte; e ele recorre a Deus em um lamento doloroso que, na certeza da fé, abre-se misteriosamente ao louvor".

"Deus silencia-se, e esse silêncio lacera a alma do orante, que incessantemente chama, mas sem encontrar resposta. Os dias e as noites sucedem, em uma busca inestancável de uma palavra, de um auxílio que não vem; Deus parece tão distante, tão esquecido, tão ausente. A oração pede escuta e resposta, solicita um contato, busca uma relação que possa dar conforto e salvação.", explicou o Papa.

Neste sentido, esclareceu que "não obstante toda a aparência, o Salmista não pode crer que o vínculo com o Senhor tenha sido interrompido totalmente; e, enquanto questiona o porquê de um presunto abandono incompreensível, afirma que o "seu" Deus não pode o abandonar".

O Pontífice recordou que "o grito inicial do Salmo, "Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes?", é reportado pelos Evangelhos de Mateus e de Marcos como o grito lançado por Jesus morrendo na cruz".

"E porque, no costume hebraico, citar ao início de um Salmo implicava uma referência a todo o poema, a oração agonizante de Jesus, ainda que mantendo a sua carga de indizível sofrimento, abre-se à certeza da glória", acrescentou.

Ante a dor física e "Sob os golpes zombeteiros da ironia e da provocação, parece quase que o perseguido perde as próprias conotações humanas, como o Servo sofredor esboçado no Livro de Isaías. E como o justo oprimido do Livro da Sabedoria, como Jesus no Calvário, o Salmista coloca em questão o seu relacionamento com o seu Senhor, no realce cruel e sarcástico disto que o está fazendo sofrer: o silêncio de Deus, a sua aparente ausência".

Logo, "o lamento torna-se, então, súplica do coração: "Não fiqueis longe de mim, pois estou atribulado; vinde para perto de mim, porque não há quem me ajude" (v. 12). A única proximidade que o Salmista percebe e que o espanta é aquela dos inimigos. É, portanto, necessário que Deus se faça próximo e socorra, porque os inimigos circundam o orante, cercam-no, e são como touros numerosos, como leões que abrem suas fauces para rugir e arrebatar", acrescentou o Papa.

Entretanto, no Salmo 22 "e o lamento transforma-se, cede lugar à oração no acolhimento da salvação: "Então, anunciarei vosso nome a meus irmãos, e vos louvarei no meio da assembleia". Assim, o Salmo abre-se à ação de graças, ao grande hino final que envolve todo o povo, os fiéis do Senhor, a assembleia litúrgica, as gerações futuras".

“O Senhor vem em auxílio, salvou o pobre e lhe mostrou o seu rosto de misericórdia. Morte e vida se entrecruzam em um mistério inseparável, e a vida triunfou, o Deus da salvação se mostrou no Senhor de modo incontestável, tanto que todos os confins da terra O celebrarão e diante dEle todas as famílias dos povos se prostrarão. É a vitória da fé, que pode transformar a morte em dom da vida, o abismo do dor em fonte de esperança".

O Papa recordou que "este Salmo nos levou sobre o Gólgota, aos pés da cruz de Jesus, para reviver sua paixão e compartilhar a alegria fecunda da ressurreição".

"Deixemo-nos, portanto, invadir pela luz do mistério pascal também na aparente ausência de Deus, também no silêncio de Deus, e, como os discípulos de Emaús, aprendamos a discernir a verdadeira realidade para além das aparências, reconhecendo o caminho da exaltação exatamente na humilhação, e o pleno manifestar-se da vida na morte, na cruz. Assim, recolocando toda a nossa confiança e a nossa esperança em Deus Pai, em cada angústia, possamos rezar também nós a Ele com fé, e o nosso grito de súplica se transforme em canto de louvor.".

Ao final da catequese o Papa dirigiu umas palavras aos peregrinos lusoparlantes: “Dirijo a minha saudação amiga aos membros da União Missionária Franciscana, vindos de Portugal, aos brasileiros do Grupo Vocacional e a todos os demais peregrinos lusófonos aqui presentes. Neste dia da Exaltação da Santa Cruz, deixemo-nos invadir pela luz do mistério pascal, para reconhecermos o caminho da exaltação precisamente na humilhação, colocando toda a nossa esperança em Deus, e assim o nosso grito de ajuda transformar-se-á em cântico de louvor. E que a bênção de Deus desça sobre vós e vossas famílias!”


Fonte: http://acidigital.com/noticia.php?id=22472




Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!


LEIA TAMBÉM
Israel premia falecido sacerdote católico que salvou judeus em 1944
Jovem sofre enfarte cerebral após tomar pílula do dia seguinte
PAPA: O “MEU DEUS, POR QUE ME ABANDONASTES?” DE JESUS
COLÔMBIA: ASSASSINADO SACERDOTE EM CAPURGANÁ
SÃO TIMÓTEO APROXIMA CATÓLICOS E ORTODOXOS
AUSTRÁLIA: POLÊMICA PELO ANTES E DEPOIS DE CRISTO
CONFISSÃO, MÃO ESTENDIDA EM DIREÇÃO À CONVERSÃO
Foto: Um mundo sem o Islã
IN MEMORIAM: Os brasileiros mortos nos atentados de 11 de setembro



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.216.548
Visitas Únicas Hoje: 1.528
Usuários Online: 356