Espacojames


Página Inicial
Listar Artigos Site Aarão




Artigo N.º 4621 - Fala um padre
Artigo visto 2249 vezes




Visto: 2249
Postado em: 19/03/10 às 11:12:47 por: James
Categoria: Artigos Site Aarão
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=50&id=4621
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos Site Aarão

Caros jovens e amigos:

"Que a Paz de Cristo e a Ternura de Maria estejam convosco e com os seus!"

"Os escândalos podem ser úteis e o trágico da pedofilia nos ajuda a abrir os olhos. O escândalo é de todos, mas a acusada é somente a Igreja Católica e isto, a meu ver, é causado por um forte prejuízo anticatólico, que está ocorrendo no mundo inteiro.
 
Tomemos como exemplo o caso da Alemanha. Nessa Nação, desde 1995, foram denunciados 210.000 (duzentos e dez mil) casos de abuso a menores e somente 94 casos poderiam estar relacionados, de alguma forma, a membros da Igreja Católica. Pensemos também na prestigiosíssima escola Odenwlad (Oso) de Heppebheim, conhecidíssima pelo seu método pedagógico de “livre desenvolvimento de cada aluno”: fala-se de um alto número de abusos sexuais a partir de 1971.
 
Portanto, a fazer o mal não eram somente os jesuítas, os beneditinos ou outras categorias de padres. O mal comum, obviamente, não é motivo para gáudio, mas a percepção do dedo apontado preferencialmente ao mundo católico mostra como os homens e, particularmente os políticos, como também os jornalistas, que são sustentadores radicais da “revolução sexual”, (vejam-se as batalhas sexuais da nossa Marta Suplicy, que insinuou algo de negativo sobre o atual prefeito durante as eleições) individuam no clero católico, que é menos progressista, as contradições que aparecem.
 
Muito bem fez o Arcebispo Silvano Tomasi, lembrando na sede das Nações Unidas de Genebra que, “como a Igreja Católica se esforça em fazer limpeza em sua própria casa, assim seria bom que das outras instituições fizessem o mesmo e informassem à mídia as providências tomadas”. O Arcebispo falou com referência às estatísticas do jornal “Christian Scientist Monitor”, segundo as quais, nos Estados Unidos, as Igrejas mais acusadas de pedofilia seriam as protestantes e que existiriam casos também na Comunidade hebraica, da qual, porém, se fala menos.
 
Cada vez, pois, que tais escândalos vêm à crônica, eis que aparece sempre um eclesiástico, mal sucedido na vida, que volta a falar do casamento dos padres e inaugurar assim uma nova era “a era do livre amor em livre Igreja”.
Um desses homens é o teólogo Hans Kung, que não tendo alcançado a púrpura cardinalícia e nem um pequeno episcopado, gosta de sair nas crônicas dos jornais para contestar o Papa e todo o mundo, assim como faz aqui no Brasil o padre Quevedo a propósito dos santos e das imagens sagradas, sem, naturalmente, que os seus superiores jesuítas, que têm o quarto voto de obediência ao Santo Padre, o repreendam.
 
Mas voltemos ao nosso artigo a respeito dos padres pedófilos. A idéia de que o padre cobiça as crianças como conseqüência do seu impedimento para com os adultos é simplesmente ridículo, mas não porque se deva nutrir confiança incondicional na virtude do sacerdote, mas, ao contrário, porque a história universal demonstra que se si quer se pode. Para qualquer padre ter relacionamento sexual não é impossível e é também racional pensar que não seja demasiadamente difícil.
 
As coisas acontecem: párocos com a secretária “particular” ou empenhados em relações com uma paroquiana, muitas vezes conhecidas até no âmbito da Comunidade paroquial, e até silenciada quando não aprovada. Bastaria uma rápida procura na internet para encontrar milhares desses casos, do mais dramático ao mais tragicômico.
 
Mas, para nossa sorte existem sacerdotes que vivem bem o seu celibato e outros, que se enamorando de alguém, pedem e obtém a suspensão “a divinis” e a dispensa para contrair o matrimônio. Outros apostatam isto é passam mais ou menos espontaneamente para outras igrejas onde se pode casar com uma mulher, com um homem, mudar de sexo ou fazer o que bem quiser. Para não falar dos padres, que sem empenhar-se em relações sentimentais mais ou menos estáveis, se limitam a usar a prostituição corriqueira. Até o dia que são descobertos e pedem perdão. Tanto Deus é Amor!
 
Em suma, quem ingenuamente pensa que os padres sejam constrangidos a não fazer sexo, penso que nunca conheceram um padre!
 
Por outro lado, hoje a cinematografia nos presenteia com muitíssimos personagens que levam à pedofilia: do carrasco de “Sleepers” ao aproveitador de “Taxi Driver”, todos com a mesma característica, são leigos. Estes personagens poderiam, sem impedimento algum, casar-se, conquistar uma louraça num bar, ir com uma prostituta, mas, ao invés cobiçam crianças e as seduzem e as estupram. Como de resto fazem no mundo real todos os pais de família que abusam dos filhos, daqueles que se apostam à frente das escolas e aqueles que trabalham nas escolas e se aproveitam da ingenuidade da criança: em suma, todos pervertidos, levados pela própria perversão para com a criança e não com outras pessoas adultas. Porque, para o pedófilo, o sexo adulto é um sub-rogado da pederastia, não o contrário.
 
Tudo isso nos leva a dizer com clareza que não é o celibato eclesiástico que aumenta os abusos contra os menores, mas a verdade é que: UM PADRE PEDÓFILO NÃO É UM PADRE QUE SE TORNOU PEDÓFILO, MAS UM PEDÓFILO QUE SE TORNOU PADRE! É CLARO!
 
É obvio, então, que a questão fundamental não é a disciplina do celibato, mas a seleção que se faz (ou não se faz) quando se ingressa no Seminário! O problema está aqui. Existem pessoas que nunca deveriam ser ordenados padres, contudo se tornaram padres pela imposição das mãos de Bispos displicentes, com graves danos à Igreja e à Sociedade. Isto vale também por outros aspectos dentro da Igreja, como por exemplo, os padres que falam mais de política que de Evangelho, ou não falam a respeito de nada, porque não têm nenhuma preparação cultural e então cantam e dançam.... Por que acontece isso?
 
Permito-me uma observação que é minha pessoal, e certamente parcial, e não explica o fenômeno todo.
 
O problema está ligado, de qualquer maneira, à epocal crise que a igreja atravessa há 40/50 anos. Parte dos padres e dos Bispos e dos intelectuais católicos (de esquerda) interpretou desastrosamente o Concílio Ecumênico Vaticano II, pensando que tinha chegado um catolicismo conciliante com o “mundo”, sem mais atritos com o pensamento laico dominante (que naquela época era a Teologia da Libertação, de cunho comunista-marxista, e hoje, o individualismo relativista).
 
Com catastrófica ingenuidade se pensava que esta paz teria reforçado a Igreja, quando, ao contrário, não fez outra coisa que enfraquecê-la: os católicos mornos, aqueles conforme a mentalidade de massa; no fundo, no fundo sofrem de um inconfessado, mas iniludível complexo de inferioridade cultural e estão expostos ao risco de apostatar e o fazem passando para outras seitas que pululam por ai. Entre outras coisas, a crise cultural provocou também uma enorme diminuição de vocações sacerdotais, cúmplice também o fato de que grande é a confusão abaixo do céu a cerca da natureza e função do sacerdote no mundo. Neste ponto, se os seminários se encontram com menos vocações ou até com nenhuma vocação, é claro que lá, onde a confusão é maior, pode surgir a tentação de ser menos rigoroso.  Em suma, já são poucos os candidatos ao sacerdócio e, se nós também não aceitarmos os poucos que batem às nossas portas estamos fritos....
 
Eu espero que em nenhum seminário tenha sido ordenado alguém do qual se sabia ou se suspeitava uma pulsão maléfica, contudo não coloco a minha mão no fogo! Porém, tenho um vago sentimento de que se pensou tornar mais fácil o acesso ao sacerdócio. Assim sendo, não se resolveu o problema do número de padres, mas se aumentou o problema daqueles que nunca deveriam ser tido ordenados padres e se tornou mais fácil para esses infelizes entrar e fazer parte do clero, já que eram capazes de mentir, de fingir, de bajular... E com eles entraram também ativistas políticos e verdadeiras serpentes que se infiltraram no coração da Igreja para destruí-la.
 
É claro que tudo isso não explica o fenômeno dos padres pedófilos e em geral dos delinqüentes hipócritas que entraram no clero, chegando até, alguns, a cargos elevados, como o fundador dos Legionários de Cristo, que foi ordenado pelo tio Bispo depois de ter sido rejeitado por três seminários..... É um fato que provem do pecado original a da casta meretrix e, portanto, enquanto dura o mundo e a história, podem ser reduzidos, mas não eliminados.
 
É claro, portanto, que abolir o celibato eclesiástico seria perfeitamente inútil, aliás, contraproducente, porque os pedófilos infiltrados no clero não fariam outra coisa senão encontrar mulheres para casar-se, o que não seria difícil nos nossos dias, podendo assim, continuar importunar crianças impunemente. É deplorável notar que nesta categoria os jornais nomeiam até Bispos e Cardeais que acobertaram, quando não transferiram de paróquia em paróquia tais Judas para proteger o bom nome da Igreja e provavelmente o seu patrimônio..... Mas eles também são pecadores ou não? E assim ajudam os anticlericais, que para atacar a Igreja, se servem de tudo.
 
O problema da Igreja não se resolverá dando uma esposa aos padres, mas ao contrário, com exames vocacionais mais rigorosos e severos, mais seletivos e culturais que é exatamente aquilo que tenta fazer pacientemente o nosso Santo Padre Bento XVI. Se, depois de tudo isso tiver uma diminuição de sacerdotes, então rezemos ao Senhor da Messe para enviar operários a sua Messe." (Pe. Eugenio Maria, FMDJ)

===========================================================

OBS: Muito ponderadas as colocações do Padre Eugenio Maria, entretanto eu gostaria de acrescentar algumas coisas. Vejam a estatística inicial que ele mostra da Alemanha. De 210 mil denuncias de pedofilia em todo os país, apenas 94 eram ligadas a padres ou membros da Igreja. Tudo bem, dentro do universo a parte da Igreja parece insignificante. Porém, o ótimo seria se NENHUM caso tivesse havido conosco, porque assim teríamos uma prova cabal de que a moral católica, nossa doutrina, os princípios que regem a nossa Igreja, seriam os únicos realmente divinos. Teríamos este poderoso trunfo em nossas mãos e não daríamos margem a que nossos inimigos e a mídia de satanás nos atirasse pedras.


A pedofilia existe em todo mundo, entre todos os povos, com horrores em alguns onde marmanjos se casam com crianças e as violentam desde a mais tenra idade. O homossexualismo é comum entre todos os povos, com maior incidência onde quanto mais liberal e anti-Deus for a sociedade. O que deveria haver - e não há - dentro da Igreja Católica, é uma rígida seleção dos candidatos ao sacerdócio, jamais admitindo qualquer jovem com taras ocultas e possibilidade de se tornar um escandalo para a Igreja e para a comunidade.


Como o Padre bem observa, entre os pastores protestantes e rabinos a coisa vai na mesma direção. Também ali onde podem casar os casos acontecem, e se sabe lá se não em maior frequência. Mas acontece que a vidraça maior é a Igreja, e é bom que assim seja. Imagine se a vidraça maior fosse de vidro fumê, escondendo a podridão que vai dentro, outros sepulcros caiados. Por isso faz bem o Papa em editar um documento, extremamente rígido contra qualquer tipo de abuso neste sentido, e está dito que nesta semana ainda ele deve assinar um documento sobre a Igreja da Irlanda, seriamente abalada por estes escandalos.


Mas que isso seja um convite para toda a sociedade, e para as outras Igrejas, religiões e credos, para que também eles façam uma revisão de seus conceitos, e abram suas caixas secretas, sua parte podre. Porque o podre da Igreja está caindo, e quando acabar de cair ela estará pura e sem mancha para as núpcias do Cordeiro. E naquele dia, não restará dentro dela, nenhum padre ou bispo dado a pedofilia, a pederastia, que tenha amantes as escondidas, que frequente motéis e zonas e seja assim motivo de escandalo para a sociedade, principalmente que não celebre mais sacrilegamente como muitos fazem. São os sacrilégios de tais maus eclesiásticos, a causa mor do desencadeamento atual do Apocalipse. Se as outras entidades não fizerem o mesmo, seu destino é a morte, o desaparecimento.


Para começar esta limpeza, a Igreja deve voltar seus olhos para os seminários. É ali que se formam estes horrores. A um seminário próximo daqui, foi enviado um jovem vocacionado, menino de oração e fé. Uns tempos depois, algumas senhoras responsáveis por ele o foram visitar, e questionando algumas coisas que lá encontraram, este jovem lhes disse: devo ir embora, porque aqui dentro se peca muito mais do que lá na rua. Para as senhoras terem uma idéia, todos os filmes podres, produzidos em Hollywood, que atentam contra a Igreja e a moral, nos chegam em mala direta. E querem padres santos!
 
Noutro seminário, o senhor bispo pedia a comunidade que deixasse de divulgar terços imagens e medalhas, porque "isso é bobagem", e fossem ajudar o seminário que estava precisando. Bem, a comunidade disse: podemos fazer as duas coisas! E foram então perguntar qual a prioridade do seminário e levaram de inicio a garantia de 40 cestas básicas mensais, mas o "reitor" disse que na verdade a prioridade era comprar uma antena parabólica internacional, para que os jovens pudessem assitir filmes pornográficos sem precisar ir alugar fitas... E querem bons sacerdotes!
 
Noutro seminário, onde há décadas se vinha denunciando a existencia de casos de homossexualismo e quase canibalismo entre os jovens - tenho diversas testemunhas disso - um seminário onde havia 30 anos atrás mais de 100 jovens se preparando, hoje se encontram apenas tres e o local está sendo alugado para festas e eventos, para lucro financeiro. Mas uma vez o padre surpreendeu, depois do banho, 20 jovens nus trancados num quarto, ma maior sadomia. A noite era possível ver uns indo para a cama dos outros no dormitório conjunto, até que deu no que deu. E querem seminários cheios!
 
Infelizmente isso aconteceu com a imensa maioria dos seminários. A praga estava ali, mas até hoje, jamais eu soube, de um só bispo, que tivesse visitado tais seminários e tomado providencias. E não me venham dizer que eles não tinham conhecimento, porque qualquer leigo das redondezas sabia disso. Jesus disse ao Padre Michelini, que "toda grande diocese começa com um grande seminário. E todo grande seminário, começa com um reitor santo".
 
Bem, no caso daquele da antena parabólica, tempos depois ele fugiu com seu amante. Por ai sabem que de fato o que eles queriam da antena nao era programas que os levassem a santidade mas sim, a devassidão. Que tipo de padre se formou ali? Como é que vão querer arrumar outras justificativas para os seminários vazios? Que tipo de pai ou mãe não teme enviar seu filho para uma casa destas, onde o demônio faz seu ninho, e deita e rola? Quererão eles um filho como este "reitor"?
 
Acima, o Padre coloca também questão da mais aterradora de todas as pragas que existe na Igreja Católica hoje, pior que o homossexualismo e a pedofilia de alguns maus, que se chama teologia, marxista e comunista da libertação. É nos seminários ligados a esta praga hedionda, que se formam os degenerados, que negam o pecado, o inferno, a doutrina, os mandamentos, os sacramentos, e até os dogmas, tudo impunemente, e cinicamente e satanicamente. É ali, neste liberalismo relativista degenerado, que saem os maus padres, que depois vão usar seu púlpito para a campanha política e o incentivo à luta de classes, deixando com isso de educar-se e de catequisar santamente seu povo.
 
De fato, o que esperar de um seminário onde os meninos podem ser vistos à saida, de brinquinhos nas orelhas, tatuagens e alegremente rebolando de mãos dadas pela rua? Você acha mesmo que disso sairão padres santos, ou diabólicos pederastas? Você acaso vai desculpar o reitor deste seminário? O Bispo desta diocese? O povo desta cidade? Sim, também o povo, porque somos responsáveis pela formação santa dos nossos padres, seja pela atenção ao que lá se ensina, seja pelas orações contínuas que acabrunham o inimigo, e inibem suas ações.
 
Assim, os pais, as mães, que têm filhos nos seminários, devem observar atentamente o comportamento deles, tanto na parte espiritual, como na parte emocional. Se eles perceberem qualquer aletaração drástica no comportamento deles, devem imediatamente tomar providências. Não forcem jamais seus filhos a seguir o sacerdócio, caso percebam que seu relacionamento afetivo envolve os comportamentos próprios da feminilidade.
 
Neste sentido, como já coloquei no artigo anterior é preciso que em cada localidade, em cada paróquia, em cada comunidade católica, onde existam casos de sacerdotes envolvidos com mulheres, com pedofilia, com homosexualismo e a perversão, que sejam denunciados aos senhores bipos, dentro daquele caminho citado na Escritura, no Evangelho de Mateus. Tudo com o devido cuidado para não cometer injustiças nem difamações. O fato é que a Igreja precisa ser limpa, porque está prestes a chegar o Noivo, e Ele não quer encontrar uma só mancha na noiva. Aos que a mancharam, que não se arrependerem, Ele lhes dirá: não vos conheço!

Assim, que os senhores bispos, que todos os sacerdotes, que toda a comunidade cartólica passe a dar uma atenção diuturna para o que acontece com os nossos seminaristas e nossos seminários. É dali que pode partir a redenção da Igreja ou a sua ruína. Não se fiem os maus naquela frase de Jesus, "as portas do inferno não prevalecerão contra ela", isso quando justamente escancaram estas portas do mal para que elas engulam a Igreja. De fato, nós não merecemos que a Igreja seja salva, e somente Jesus o fará, sem mérito algum de nossa parte.

E de uma vez por todas, que sejam imediatamente fechados, lacrados e policiados todos os seminários onde vegeta a praga daninha da teologia da libertação, com seu comunismo escancarado, seu liberalismo execrando, sua falta de oração e de adoração, sua falta de verdadeira fé e do Amor de Deus. É dali que parte do germe maligno da desobediência, o veneno mortal do falso ecumenismo, a pregação política e o verme da luta de classes, que levam ao sangue, algo que jamais Jesus defendeu ou pregou. 

Que se volte ali a ensinar as verdades da fé, o amor a oração, ao sacrifício e a renúncia, e que se diminuam até um mínimo todos os anos de formação filosófica e teológica, porque dali parte o veneno mortal que tem feito definhar a fé de milhares de católicos e feito tantos outros deixarem a Igreja, porque aqui não mais encontram alimento para suas almas, mas pasto fedido, água salobra, quando não envenenada. A Igreja precisa de padres do Rosário diário, da oração da liturgia das horas, da batina que os torna soldados do exército de Cristo, e do confessionário com grades, ali onde a maioria dos que cairam, encontrou o gatilho de sua queda.   

Se a Igreja precisasse de doutores, Jesus teria fundado a primeira universidade, e não criado sua escola no sermão da montanha, da barca afastada da margem, do púlpito onde pregava as verdades do Pai. Que distância Dele para os nossos dias, onde erguem-se catedrais imensas, ambientes monstruosos de acolhida, mas usam os púlpitos para negar a fé, escamotar os dogmas, desobedecer ao Papa e aos documentos da Igreja, e também para eleger governos bandidos que pugnam pela causa gay, pelo aborto e todo tipo de lei anti vida. Onde usam o ambão para dar leituras a corruptos, assassinos, com sanhas de escravisar a nação.

A Igreja precisa de padres que tracem o rumo de suas vidas  ao redor do confessionário e do sacrário, ali onde eles aprenderão o valor das almas que os buscam sedentas de confissãom para mais sedentas ainda se aproximarem do divino banquete. Ali onde eles aprenderão que toda a missão da Igreja deve ser voltada com exclusividade absoluta para a salvação das almas, e onde irão entender de uma vez por todas que o Sacrário deve estar no centro dos templos e a Cruz com braços abertos para acolher a todos, pois Jesus disse: quando eu for erguido entre o céu e a terra, atrairei todos a Mim.
 
Marquem isso, não é profecia, é uma verdade que em breve acontecerá. Tendo em vista a desgraça que impera na maioria dos seminários, tendo vista a má formação dos sacerdotes, e a absoluta necessidade de padres santos, nos dias da Grande tribulação os bons bispos, sentindo a necessidade premente da Eucaristia e da Confissão, serão obrigados a ordenar jovens santos, pessoas de oração, amor e fé, também pais de família na mesma linha, sem teologias nem cursos, e isso não demora a acontecer.
 
Porque, quanto aos maus, aos teólogos e doutores, os mestres da falsa lei e péssima doutrina, os mesmos fariseus, hipócritas de antigamente agora multiplicados às centenas, estes estarão felizes no lado do anticristo, que pregará a lei da imoralidade, da devassidão, da liberdade geral dos costumes. Eles se deixarão docemente enganar, até porque a serpente já os envenenou, com a mesma lábia que ludibriu Eva antigamente. E assim, os novos sacerdotes, que serão ordenados nas catacumbas, de forma extemporânea e em situação de gravidade extrema, irão cumprir o papel infinito, que é manter viva a chama da Eucaristia, porque com Ela e Maria venceremos no final.

Até que venha o Juiz! Ele pode tardar ainda um tempo, mas sua vinda é mais certa do que a aurora que surge a cada novo dia. Rezemos por todos os que são diretamente responsáveis para depurar a Igreja. Rezemos para que eles de fato se convertam, abram seus olhos cegos, seus ouvidos surdos, seus corações de pedra, e acolham a verdade do Evangelho, na simplicidade gritante do primeiro e síntese dos mandamentos: Amar a Deus sobre todas as coisas!
 
Sim, amar apenas ao próximo, não significa amar a Deus. Só quem cumpre o segundo, cumpre o primeiro. Quando os seminários ensinarem apenas isso, e cumprirem somente isso, terão diante de si o milagre da ressureição da Igreja! Entenderão que a misericórdia a Justiça divinas, são os dois pratos da mesma balança. E que só alcança a primeira quem pratica a segunda. A misericórdia não é plenamente gratuita, ela depende do pedido de perdão. Misericórdia não é para impenitentes e inconfessos, para estes a Justiça!
 
E penso que, neste momento, em toda a Igreja, existem milhares de sacerdotes - entre os seus mais de 400 mil - que precisam urgentemente do perdão. Perdão primeiro para a Igreja à qual deveriam servir com dignidade e ao contrário a escandalizaram. Depois o perdão de Deus, que deve ser por eles implorado a custa de rios de lágrimas, de joelhos cravados no chão, entre mortificações continuas e preces fervorosas. Porque a misericórdia já obtiveram, pelo fato de não haverem ainda sido fulminados pela Justiça e a Santa e Justa Ira divina.
 
Que nenhum de nós seja conivente ou responsável por tudo isso. Nosso dever é o Rosário, esta a ama do fim dos tempos, usemo-lo para derrubar as barreiras que nos separam da chegada do Senhor. Ele fará novas todas as coisas. Inclusive um novo sacerdócio! E Deus seja louvado, que assim seja! Jesus vem em breve!

 


aarao


www.recadosaarao.com.br





LEIA TAMBÉM
BISPO REAGE (E AFASTA PADRES)
VISÃO TENEBROSA
PAPA REAGE
O PODRE CAIRÁ
CISMA IMINENTE
Ato horrendo - NOJENTO, ATÉ PARA O DIABO! (Bom reler )
ORGULHO OU LOUCURA ( Bom reler )
TERRÍVEL ACORDAR
FALÊNCIA DAS ELITES



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.147.833
Visitas Únicas Hoje: 364
Usuários Online: 358