Espacojames


Página Inicial
Listar Artigos Site Aarão




Artigo N.º 5039 - PARTILHA
Artigo visto 2691 vezes




Visto: 2691
Postado em: 03/05/10 às 08:06:50 por: James
Categoria: Artigos Site Aarão
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=50&id=5039
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos Site Aarão

Em alguns dos nossos trabalhos anteriores,
temos tentado mostrar às pessoas a forma terrível que o governo invisível da besta pretende impor para nos dirigir... e nos escravizar.

Temos também tentado antecipar alguns acontecimentos futuros, baseados não somente na profecia atual – com algumas decepções - mas com maior ênfase, baseados na Palavra de Deus, pois as profecias bíblicas são irrevogáveis e seus decretos eternos. Tudo o que nela escrito se cumprirá. Por isso, dela podemos adquirir aquela segurança necessária para podermos atravessar estes tempos de dificuldade que se aproximam para todos nós. E é novamente nela que nos iremos basear para este novo trabalho intitulado: A Partilha!

Como já temos dito, um dos mais odiosos  meios que esta besta medonha que hoje nos deita suas garras, pretende usar por nos por seus grilhões, é controlar os alimentos e os seus meios de produção e  distribuição. Na verdade, todos os seres humanos serão pegos “pela boca”, pois  não há ninguém que possa prescindir da alimentação, para si ou para seus filhos, por um longo tempo, sem vir a falecer. E a besta sabe disso!

Perversamente, ela percebeu que está ali uma das formas de pressão mais
eficazes que ela dispõe, para que as pessoas aceitem sua marca monstruosa, ou seja, o seu controle eletrônico permanente. Na verdade, bem pensando, parece não haver saída possível. E muitos pensam assim!

Mas nós achamos que não!Porque, sabemos, Deus sempre tem uma forma
de amparar seus filhos. Satanás pode nos por mil grilhões, mas o Pai sempre achará milhões de formas de quebrá-los. E por termos esta certeza, nós podemos dizer, com absoluta segurança: a ÚNICA FORMA, de você se manter longe da marca, é aprender, desde já, a REPARTIR. A única forma de você evitar grandes e dolorosos problemas, mais adiante, é aprender agora a repartir tudo o que você tem.Quem ler os textos de confidentes, “confiáveis” logo perceberá que amiúde o Senhor nos vem alertar sobre este fantástico expediente. E, pelo teor das profecias atuais voltadas ao Brasil, temos visto que por aqui este será o melhor expediente e não o armazenamento de víveres  e gêneros de primeira necessidade, como alguns têm anunciado, pois, sem partilha, eles acabarão logo, mesmo que você os amontoe em pilhas. E o tempo de escassez pode ser muito longo.Sim, repartir, porque o nosso Deus, é um Deus da multiplicação. É um Deus da fartura. É um Deus que usa de prodigalidade
extrema para com todos aqueles que O amam, e que humilde e confiantes a Ele acorrem. Mas é também um Deus, que respeita a liberdade que deu a Seus filhos.

Quer dizer, se eles não pedem nada, automaticamente não ganham. Isso faz com que, se preferirmos, podemos nos atirar nos braços horripilantes e gélidos do mentiroso como temos feito, com todas as conseqüências desastrosas que isto já nos trouxe.Como observ ador atento das atitudes dos cristãos, embora nestes poucos anos de minha vida, também estudando os tempos passados, vejo que jamais cumprimos a Lei Divina. 

Jamais seguimos a Lei do Amor. Que NUNCA entendemos as Palavras de Jesus. E que, da forma como as coisas vão, certamente teremos que passar por mil abalos até que finalmente todos compreendamos e vivamos as Palavras de Jesus. 

E faço a todos a pergunta de uma querida amiga me fez: Será mesmo preciso que caia sobre a terra este tempo de trevas e horrores, para que o ser humano prenda a olhar o OUTRO, como um irmão? Será que só assim, neste trágico momento, saberemos viver o espírito do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo? E a resposta me surge clara e cristalina: SIM! É preciso que seja assim! Não resta a menor dúvida, que se o Pai não permitir que se derrame sobre o mundo um  dilúvio de sofrimentos, eliminando a maior parte dos homens, eles não acordarão! Definitivamente, não! Seja dito, porém e sempre: não é Deus quem manda o castigo! Ele apenas o permite! E é obra de misericórdia que permita, para que o homem acorde, pois se Deus não agir rápido, nós nos mataremos a todos.

Veja que, na Bíblia, temos dezenas de exemplos do quanto Deus tem feito pelo Seu povo. Na maior e mais incrível manifestação deste poder, Ele alimentou durante 40 anos a um povo inteiro, o povo judeu, assim como o desdentou, isso em meio a um deserto árido e escaldante.

Desde a saída do Egito, até o dia em que entraram na Terra Prometida, dia após dia, ano após ano, o Senhor fez chover o maná e até mesmo tirou água das rochas para manter vivo e saciado o seu povo. Mesmo nos momentos de revolta deste povo, Deus se manteve fiel à promessa de dar-lhe a terra onde “corria leite e mel”.

Acaso hoje é diferente? Acaso nós, brasileiros, não somos também o “povo de Deus?" Acaso não estamos marcados, como cristãos, por uma Cruz, a marca do nosso Deus? Por que motivo haveria então de ser hoje diferente? Onde está a nossa fé neste Deus, que nos  faz pensar que Ele seja capaz de tratar desigualmente àqueles que considera Seus? Digo com toda a certeza de meu coração: trilhões de infelicidades e de maldições já caíram sobre a humanidade, apenas porque ela é incapaz de perceber, sentir e vivenciar a imensa graça que seja a nossa filiação divina.

Trilhões de sofrimentos sobre nós já se abateram, apenas porque tratamos nosso ai e Criador, como um deus dos miseráveis, um deus cruel, castigador e ingativo que simplesmente não existe. Grande estupidez a nossa. Grande egueira a nossa! E perguntamos: vamos continuar sendo cegos?

Quando iremos ompreender o Amor deste Deus Maravilhoso, que tem tesouros inesgotáveis para os dar, de graça, inclusive em alimentos e água?Temos visto que as pessoas preferem sempre  mais difícil. Preferem acreditar no pior, e passam desapercebidas, diante das mensas ofertas que Deus nos faz todos os dias.

Quando Jesus, em Mateus 6, nos ala sobre nossas preocupações exageradas com a vida, Ele nos sinaliza laramente sobre a prodigalidade de Deus. Ele diz claramente: Eu posso vos dar UDO! Sou apenas Eu quem vos dou TUDO! A Mim pertence TUDO! E quero vos dar UDO! Desde que, é claro, vocês sigam os Meus mandamentos!

E se o Senhor assim os fala, porque então desafia-lO, com tanta insistência, pela nossa absoluta alta de fé?Ai as pessoas dizem: como não vou me reocupar com meu trabalho, com minha comida, com as coisas de que necessito?

Se eu não trabalhar, quem o fará? Quem vai me sustentar, ou a minha família? ra, quando elas dizem ou agem desta forma, nada mais fazem do que descrer da alavra de Jesus e jogar na lata do lixo, tudo aquilo que o Pai tão enerosamente tem preparado para nós. Nada mais fazem do que dizer: sou EU, uem faço! Sou EU, quem me sustento! Sou EU, quem alimento a minha família.

De ato, esquecemos de Deus, que passa a ser a coisa mais insignificante de suas idas.Escutemos o que disse o Senhor, nós todos, omens de pouca fé: “Olhai as aves do  éu; não semeiam nem ceifam, nem recolhem em celeiros e vosso Pai Celeste as limenta.

Não valeis vós muito mais que elas?” (Mt 6,26). Ora, homens de ouca fé, acaso nós valemos menos que os pardais? Sim, acho que temos é menos é que os pardais, ou até menos inteligência do que eles, pois estes, que crêem”, não ficam sem alimento, pois se ficassem, não estariam sobrevivendo há ilhares de anos na terra. Nós sim, pela nossa falta de fé, é que passamos fome  vivemos a miséria, e estamos a beira do caos completo.

O que quero dizer com isso? Que se creditássemos de fato em Deus e se de fato nós seguíssemos os Seus andamentos, ele nos fartaria a todos com o melhor de Seus celeiros. Assim como iz o Salmo 80: “Oh, se Meu povo Me ivesse ouvido, se Israel andasse nos Meus caminhos! (...) Eu o teria limentado com a flor do trigo, e com o mel do rochedo o fartaria”.

Acaso emos um Deus mentiroso? Acaso temos um Deus que não fala claro? Acaso “mel” e trigo” são coisas espirituais? Ora, pensar o contrário, fazer o contrário, é olocar Deus num plan miseravelmente inferior ao nosso, imaginando que somos ós quem fazemos algo ou somos capazes de alguma coisa sozinhos.

Vou dizer mais uma vez! Vou dizer mais um ilhão de vezes! Vou dizer até um trilhão de vezes se preciso for: Deus faz UDO! E porque nós achamos que somos nós quem fazemos conseguimos apenas igalhas! Portanto, nós não fazemos NADA. Deus É tudo! Nós não somos nada.

Assim, este texto do Evangelho de Mateus deve ser entendido no sentido literal  físico da questão: se nós seguirmos a Lei, teremos TUDO, de graça! im! Hoje recebemos tudo de graça. Mas recebemos apenas migalhas deste TUDO que  Senhor para nós tem guardado em Seus tesouros inesgotáveis, e isso apenas por isericórdia, para que não morramos a mingua.

Isso porque NÃO merecemos NADA, ois não seguimos a Lei do Senhor. Antes, a vivemos desafiando diariamente.Claro está, devemos continuar nosso rabalho, nossa luta pela subsistência. Isso afinal faz parte da nossa Cruz e é ausa daquele terrível veredicto dado a Adão, que até hoje soa ainda em nossos uvidos: “ganharás o pão com o suor do eu rosto”, conforme está no livro do Gênesis.

Também aquela palavra de São aulo é clara: “Quem não trabalha não tem ireito de comer!” Entretanto, isso não nos dá o direito de acreditarmos ue somos nós quem nos provemos das coisas. Se nos entregássemos nos braços de eus, não seria necessário tanto sofrimento para conseguir tudo aquilo que ecessitamos.

Eis que tudo nos seria dado, se ANTES, seguíssemos os mandamentos a lei do Senhor. Só isso! Se nós fizéssemos, ANTES, direitinho tudo aquilo que eus nos pede, teríamos TUDINHO aquilo de que necessitamos, isso apenas com um equeníssimo esforço físico de nossa parte.

Sim, dando ANTES, e SEMPRE, grandes rovas de amor e humilde submissão a Deus. Quando vamos aprender isto?Mas não nos aprofundemos agora também esta questão. Vamos considerar que isso seja entre nós um ponto pacífico, orque afinal, para aqueles diante dos quais se descortinam agora tão grandes e erríveis perspectivas no horizonte – como nós todos – não resta mais nenhuma outra alternativa. Vamos ficar então apenas a questão da partilha! E isso nos diz claramente: quem não repartir doravante, que se prepare para o sofrimento.

Pois virá o tempo em que as colheitas irão apodrecer, dentro da terra e acima dela, s depósitos de alimento da besta criarão vermes, as águas faltarão em quase oda a terra, e tudo será escasso. Ademais, os empregos faltarão, as posentadorias não serão mais pagas e, mesmo que tenhamos dinheiro, não haverá o que comprar.

Alguém poderá perguntar por que motivo coloco esta necessidade de partilha, justo agora, quando parece haver tanta sobra de alimentos? E também poderá perguntar o motivo pelo qual insisto na urgência de as pessoas aprenderem a repartir? Ouçam o profeta Joel: “O Dia do Senhor, com efeito, está próximo, e vem como um furacão desencadeado pelo Todo Poderoso.

Acaso não foi sob os nossos olhos que desapareceu todo o mantimento... As sementes secaram sob os torrões, os celeiros estão vazios, os armazéns arruinados, porque falta o trigo. Como geme o gado no rebanho e como anda errante o gado por falta de pastagens! Até mesmo os rebanhos padecem... as torrentes de água secaram e o fogo devorou a erva do deserto” (1,15-20). Viram? Tal acontecerá exatamente quando estiver muito próximo o Dia do Senhor Acaso você ainda duvida que estamos próximos deste dia? Sim, daquele mesmo que virá quando menos esperamos! Isso está muito claramente na Bíblia!

Como, então, nos prepararmos para isso?Na Bíblia, no segundo Livro dos Reis 4, vemos as passagens interessantes do profeta Eliseu e as multiplicações de pães e da alimentação do povo com produtos da natureza, como sopas de folhas, pois havia uma grande seca na terra. E a seca prevista para os nossos dias, será mais terrível ainda, porque lá na época, foi apenas regional, mas agora será mundial e hoje existem seis bilhões de seres humanos para alimentar. Quer dizer, em nenhum lugar haverá fartura e em todo lugar haverá fome. Antes, já o profeta Elias, no episódio da viúva de Sarepta (I Reis 17,7-24), dá provas do poder de Deus, ao multiplicar a farinha e o azeite dos jarros, até acabar o
tempo da seca.

Também no Novo  Testamento, Jesus em duas ocasiões multiplica os pães, como prova de Seu poder, e os faz partilhar entre todos, para que todos sejam saciados. Acaso hoje é diferente? Acaso será diferente para aqueles que têm fé, no momento em que a besta os quiser controlar? Sim, será desta forma apenas para os que acreditam no poder de Deus e se atirarem sem reservas nos Seus braços! Quem não quiser acreditar, que sofra as conseqüências!Então alguém poderá dizer: mas isso foi antigamente! Hoje não é mais assim! Nada mais errado pensar deste modo.

Na verdade, não é preciso ser um grande profeta como Eliseu, ou Elias, nem ser o próprio Jesus, para realizar o milagre da partilha. Se ela for feita em nome de Deus, Ele sempre nos acudirá, desde que o peçamos com amor e humilde entrega.

Vamos contar então duas ou três histórias que sabemos verdadeiras, para
exemplo:Quem lê livros de história, do povo da Europa, de durante o do pós-guerra, em especial na Alemanha, certamente que  verá coisas incríveis. Não é toa que a Alemanha reergueu-se em tão pouco tempo.

De fato, sem comida alguma, ou com coisas mínimas, houve tão incrível número de multiplicações, seja por intercessão de alguns santos com São José, seja por Nossa Senhora ou do próprio Deus, que chegam a fascinar a gente.Naquela época as trocas de alimentos e produtos eram comuns.

Num caso, uma mulher tinha apenas quatro batatas, e era tudo o que tinha para si e seus filhos, quando a vizinha veio pedir batatas. A mulher, penalizada, não teve dívida: entregou TODAS! Seus filhos a criticaram duramente por isso, mas a mãe permaneceu impassível. Dois dias depois, passou outro vizinho e pediu se ela queria, não quatro batatas, mas três sacos cheios.

Assim, sem ela pedir e de graça! E desta forma milhares de casos, todos de pessoas que confiaram na providência divina tiveram provido seu sustento.

Fantástico! Extraordinário! Acaso isso não pode acontecer novamente hoje e em larga escala? Sim, pode! E vai acontecer! Se todos acreditarmos firmemente nisto, é claro!Um caso recente: Dias atrás, em nossa comunidade, estava um grupo ligado a RCC, fazendo uma semana de pregações. Como as reuniões eram à noite, durante o dia a equipe ia visitar as famílias, abençoando as casas e convidando para a reunião à noite.

Num destes dias, justo à hora do meio dia, chegaram na casa de um casal de velhinhos, com a intenção de uma rápida visita para irem almoçar depois. Entretanto, o casal acabava de por-se à mesa, e não houve meio de eles se furtarem ao convite para fazerem juntos a refeição.Observando, porém o pequeníssimo tamanho das panelas, os quatro imaginaram logo que nem mesmo para o casal daria aquela pouca comida. Tentaram de novo, educadamente, ir embora. Mas o casal insistiu
ainda mais que permanecessem. A boa vovó disse apenas: vou fritar mais quatro ovos, que vai dar comida para todo mundo.

Encurtando a história: todos sentaram-se à mesa, rezaram pedindo a benção da comida... e todos comeram, se fartaram... e sobrou alimento ainda para muitas pessoas. Disse-me depois um deles: acho que se entrasse um exército naquela casa, dava comida para todo mundo. Pergunto:você acha que isso não pode ma s acontecer? Que não pode acontecer na sua casa?

Ou prefere dizer que são mentirosas ou exageradas as pessoas que viveram esta experiência?Ontem mesmo, uma senhora do norte do país
me contou, sem eu pedir – talvez para ser exemplo a relatar aqui – de um fato que aconteceu há alguns dias em sua casa. Disse ela, que estavam sem nenhum dinheiro algum e quase sem comida em casa. O máximo que ela havia conseguido juntar, com muito esforço, mal dava para fazer o almoço daquele dia. Eis que poucos minutos antes de colocar a comida na mesa, para seus familiares, chegam em sua casa - para almoçar – nada menos que 10 parentes seus, todos adultos... e todos com muita fome. Disse ela que quase entrou em transe. Não queria que eles soubessem de seu estado de quase miséria. Mas como fazer se nem para disfarçar dava? “Tudo” o que eles tinham estava ali, para aquela única refeição.

O que ela fez? Entregou-se confiante nas mãos do bom Deus e se pôs ao trabalho para fazer a “comida”. Para sua surpresa, conseguiu fazer uma farta refeição para todos, pois os alimentos
pareciam se multiplicar, de tal forma que sobraram ainda restos. E o leitor?
Acha agora, que se você também, se colocar “nas mãos do bom Deus”, Ele o abandonará? Justo quando tudo vier a faltar? Ora, que pouca fé a sua!Certa vez, fomos pescar no Mato Grosso.

Num carro levamos as pessoas e sobre um caminhão colocamos as comidas e as bebidas. Entretanto, o caminhão que trazia a comida nunca chegou ao destino, e nos separavam 200 km de atoleiros e lamaçais. Ficamos quase sem nada. Sim, “quase”. Mas havia o suficiente. Estávamos nas mãos de Deus. E juntando nossas alegrias, com um pouco de comida “achada” aqui e ali, mais os peixes, um pouco de sal, temperos, e... maravilha, passamos alguns dias na beira do rio sem se ntir falta de nada.

Sim, para ser completamente verdadeiro, faltou a cervejinha gelada, pois o calor lá é imenso. Entretanto, em nossas refeições, nunca sobrou nada, mas também nunca faltou nada.

A providência divina esteve sempre presente e de tal forma sentimos esta presença, que se tornou numa das mais inesquecíveis viagens que fizemos àquelas lindas regiões. Deus provê!

Sempre!... aos que O amam!E assim como estes casos citados acontecem diariamente milhares de outros, em todo o mundo, mas que não são
relatados. Muitas vezes, até mesmo as pessoas agraciadas nem se dão conta desta prova do amor  de Deus.

Aliás, na maioria das vezes! Se fôssemos anotar histórias semelhantes, desde o tempo de Jesus até hoje – que nunca foram contadas, mas aconteceram - certamente quem nem nas prateleiras das grandes bibliotecas se poderia por os livros que tais histórias dariam. São milhões de casos que não ficamos sabendo, on de Deus atua poderosamente, pois como já dissemos, Ele é um Deus da fartura e da multiplicação, que “adora” prover e fartar os filhos que a Ele acorrem suplicantes.Como se fosse uma mãe solícita e carinhosa, sendo um Pai, Deus desde sempre quis que as coisas fossem desta forma. Assim como foi no deserto com o povo hebreu, depois com Jesus, e assim como os exemplos que citamos. Ele fazendo! Ele sendo! Ele provendo! Ele fartando! Assim como o fazia nas primeiras comunidades cristãs, onde “todos repartiam o pão e não havia necessitados entre eles”, conforme está em Atos dos Apóstolos. Sim, no sentido literal das palavras, não apenas espiritualmente falando. Mas quem acredita?

E porque muito poucos acreditam nisso, chegamos aonde chegamos. Entrementes...Consideremos alguns pontos novamente: Esta besta maldita da “ globalização” como já vimos, deseja apenas de ser adorada pelos homens, eis que em síntese ela representa os poderes de Lúcifer; Para que ela venha a ser adorada, é preciso que se apresente como forte, como maior, como dominadora e soberana incontestável;Ela sabe então que a maioria dos homens não se submeterá livremente ao seu domínio nem muito menos se porá de joelhos diante dela por qualquer coisinha;Precisa então usar de alguns artifícios diabólicos para curvar os homens, escraviza-los e estabelecer seu controle absoluto sobre todos.

Assim, ela usará dos seguintes meios de pressão: Controle absoluto e férreo dos alimentos, pois haverá fome em toda a terra.Controle completo do comércio de combustíveis e das fontes e meios de produção;Controle dos empregos, pois haverá falências em cascata e demissões em massa;Controle direto do fluxo de capitais, com o fim da moeda como meio de troca.

Nisso ele será “auxiliada” pelas circunstâncias porque:Haverá uma terrível seca mundial, que acabará com praticamente todas as colheitas;A Babilônia entrará em falência completa, destruin do todos os meios de produção;Nestas circunstâncias, apenas a besta estará com os depósitos cheios de comida, saldo da produção dos anos anteriores.

Ora, controlando apenas estes pontos chave da economia, estarão de fato submetendo sob seu domínio quase toda a humanidade. Será então o momento da maior provação para enormes massas de povo, em toda a terra, pois por estes quatro caminhos passa afinal toda a economia    mundial, ou seja, produtos, alimentos, empregos e rendas. Será então, também, o momento de se separarem os justos dos maus. De separar aqueles que “amam a Deus sobre todas as coisas”, pois são capazes de “amar o próximo como a si mesmos”.

É quando então, todos aqueles que forem capazes de partilhar, mesmo na miséria e no pouco, então receberão do Pai tudo aquilo que necessitam.Senão, perguntemos: Que irá fazer um pai de família, numa cidade grande, onde faltem completamente os alimentos e ele vai achá-los apenas nas mãos da besta? Que irá fazer um pai de família, de repente posto na rua sem emprego e sem salário devido à falência da economia mundial? Que irá fazer o velhinho, a velhinha, que de repente deixa de receber sua aposentadoria, mesmo que minguada e nem seus medicamentos pode comprar? Que irão fazer, coletivamente, os milhares de trabalhadores sem emprego, numa cidade onde nenhum alimento se produz? Não será um caos?

Entendamos bem:  Isso é bíblico: nos dias que antecederam a 2ª Vinda de Jesus, o Fim dos Tempos, haverá uma grande seca na terra. Prepare-se desde já para isso! (Olhem o “apagão”! Por  hora ele “acabou”, mas em breve poderá voltar!).

Com a seca em al guns lugares, automaticamente haverá chuva demais e verdadeiros dilúvios em outros, com o conseqüente apodrecimento das colheitas;Transtornos tão profundos no clima levará toda a natureza a se revoltar e a vomitar de volta tudo aquilo que foi obrigada a engolir em venenos, principalmente nos últimos anos. O caos então se instalará na terra. Leia a o que a Bíblia diz sobre isso!Você deve  se preparar então para a falência das economias, falência dos governos, falências das pessoas, falências dos sistemas de saúde, falência das empresas e, portanto dos empregos, falência dos transportes, enfim, uma quebradeira em cascata.

Ademais, se vier – e virá – uma terceira guerra mundial, com a falência dos países envolvidos, nosso modelo exportador entrará imediatamente em colapso.

Compreendam: toda a nossa economia está por um fio! Está toda firmada sobre bases falsas porque longe de Deus! É menos que um “castelo de areia”!

Com este caos instalado, começará a imperar um tenebroso mercado negro. As pessoas que tiverem fome – se não  aprenderem a repartir - vão assaltar, vão roubar e vão matar, pois nenhum pai de família fica indiferente, aos gritos de seu filho que passa fome.Vamos a outras perguntas: que acontecerá com os bons? Acaso eles irão dar a mão para serem marcados? Acaso aceitarão serem escravos completos da besta, entregando suas almas a satanás pela eternidade? Só se livremente o quiserem, pois Deus já hoje nos deixa a fórmula – aliás, única forma – de nos mantermos longe do chip e a salvos do domínio físico de satanás.

Simples e objetivo: basta partilhar! Basta repartir com os outros, aquele mínimo que cada um tenha. Basta aprender a trocar as coisas que você dispõe, com aqueles precisam delas para que nada falte. Pois Deus PROMETE multiplicar TUDO, para que NADA falta a NINGUÉM!

E não há outra saída! Repito, não há outra saída! Ou aprendemos a partilhar desde já, ou não estaremos depois preparados para os desafios que se nos apresentarão. Eis que, se você tiver comida, tiver roupa, assim, ganha de graça, para que você precisará de emprego e dinheiro? Sim, isso acabará por enfurecer ainda mais esta besta odiosa, mas certamente que ela receberá uma bela lição do Senhor dos senhores!Já o profeta Habacuc assim se referia a esse tempo longínquo que viria e do qual estamos tão próximos: “style='mso-bidi-font-style:normal'>Então, a figueira não mais brotará, nulo será o produto das vinhas, faltará o fruto das oliveiras, e os campos não darão o que comer. Não haverá mais ovelh s no aprisco, nem gado nos estábulos. Eu porém regozijar-me-ei no Senhor. Encontrarei minha alegria no Deus da minha salvação” (Hb 17-18). Vejam o alcance da profecia, nem figos, nem uvas, nem azeite, nem produto algum que brote dos campos e das lavouras.

Entretanto, embora falte tudo, o profeta diz que encontrará sua alegria
no Deus da sua salvação
. Por que motivo não faremos nós a mesma
coisa? Porque não acreditar que novamente Deus virá nos salvar? Só por absoluta estupidez de nossa parte!Também – e isto é horrendo – acabarão por morrer a maioria dos animais domésticos e para o abate. Na verdade, quando faltar comida para o homem, quase completamente, que não será do gado? É que a seca monumental que se estenderá por toda a terra, além da falta de comida, trará também a falta completa de água. Assim, a sede e o calor terrível acabarão matando quase todos os bois, carneiros, porcos e principalmente os frangos de granja, que facilmente morrem com o calor. Faltará, pois, também, todos os produtos de origem animal.Que fará, pois, alguém que não tenha mais emprego? Partilhe, e não precisará
de emprego! E se não tiver mais nada para comer, que fazer? Quem tem fé, quem vive já as mensagens, quem
partilha desde agora e sempre, haverá de encontrar boas almas dispostas a ajudar.
 

Depois, resta participar da corrente de partilha e fé. Cada um entra com o seu tipo de produto e o seu pouco. Deus fará desse pouco o muito de que milhares de pessoas necessitam E assim indefinidamente para os que têm fé e confiam! Até deixar esta besta imunda louca e desvairada. Sabem o que acontecerá com a besta?

Sigamos!Verdade então, TODOS aqueles que hoje estão sentados em cima dos grandes depósitos de alimentos da terra; os que controlam estes meios de produção e os seus transportes; se eles imaginam agora, que terão nas mãos por muitos dias este diabólico meio de controle dos povos, eles não perdem por esperar. Eis que o Senhor lhes avisa por JNSR: style='mso-bidi-font-weight:normal'>porei um VERME nos seus montes de alimentos!

E eles terão de buscar também, como cães vadios, como abjetos vira-latas nos quais eles transformaram milhões de seres humanos famintos, eles próprios irão catar comida nos monturos de lixo, se quiserem ainda arrastar sua carcassa imunda por mais alguns dias sobre a terra. E este tempo lhes será dado, por absoluta misericórdia do Senhor nosso Deus, para que encontrem tempo de arrependimento e peçam perdão e misericórdia.

Não será como castigo então, mas sim porque o AMOR em plenitude, ama a todos indistintamente e não quer perder ninguém.E eles ainda se poderão considerar felizes, pois este tempo de fome, será curto!

Vejo, assim, como numa visão que me é posta sempre diante dos olhos, pessoas como a pomposa rainha da Inglaterra, - de fato, pessoalmente eu não lhe desejo este mal, e nada tenho contra sua pessoa, e cito apenas como exemplo – mas vejo-a, cheia de jóias caras e coroas  de diamantes, ela que nasceu num berço de ouro, ela que cresceu num palácio de ouro, ela que viveu apenas para si bem sabendo que todos os seus tesouros seculares foram adquiridos a custa do sangue, do suor e de torrentes de lágrimas de milhões de miseráveis, vejo esta senhora, arrastando-se pesadamente, famélica e desvairada, embora com sua coroa na cabeça, casaco de peles e luvas alvíssimas em suas mãos perfumadas, metendo estas mãos pela primeira vez em uma lixeira, donde provém um cheiro nauseabundo de puro ranço, para daí tirar um bocado com o qual saciar sua torturante fome parecia-me uma banana podre.

Vejo-a descascando aquela fruta com um certo asco, mas se obrigando a comê-la, pois a fome era demasiada. Sim, este mesmo nariz imperial, que se ofendeu com o cheiro das frituras dos desempregados que tentavam ganhar a vida em frente ao seu “Buckigham” famoso, ele, e todos os iguais a ele, que aguardem por sentir o cheiro do ranço que subirá de seus depósitos de alimentos. Alimentos que eles pretenderiam usar para oprimir os pobres ainda mais do que já tem feito. Sim, para escraviza-los através de sua marca, coagindo as pessoas a aceitá-la em troca de comida.

Não tenham dúvidas, muitos pagarão ainda aqui na terra todos os seus roubos e explorações!Será então o tempo que, na casa dos
pequenos, dos pobres, daqueles que partilharem, haverá fartura, cheirinho
gostoso de comida boa e nada mais faltará. Porque não acreditar nisso piamente 
e deixar tudo nas mãos de Deus? Porque não, de uma vez por todas, por em prática a Palavra divina? Porque duvidar de Deus e sofrer? Vejam, porém, dissemos claro: dos que partilharem.

Isso significa, que mesmo os pobres, se forem esganados, se pensarem apenas em si, e nos seus, se imaginarem ter multiplicado o seu pouco, estes também se enganam , pois também para eles faltará. Veja que, no deserto, quando o povo juntava mais “maná” num dia, para sobrar para o seguinte, ele amanhecia podre.

Apenas nos dias antes do Sábado, que era guardado ciosamente pelos judeus, isso não acontecia. E agora será também assim! Uma coisa, porém, deve ficar clara: comida ou produto roubado, não será NUNCA multiplicado. Ele será apodrecido!

Entenda bem então: eu disse REPARTIR! Disse: repartir TUDO! Disse: Confiar no Senhor nosso Deus! Disse: ter fé total e irrestrita de que, então, o Pai proverá TUDO! Eis que não existe nem é mais temo de "meia fé", nem "meio confiar". Nosso Deus é um Deus ciumento, que não divide com ninguém o amor e a confiança, eis que a própria Palavra divina nos fala: infeliz do homem que confia em outro homem, cuja vida passa como um sopro.

Ai você dirá: não tenho fé suficiente! E pergunto a você católico: porque reza o Credo, dizendo: Creio em Deus Pai, Todo Poderoso, criador do céu e da  terra... Ora se Deus criou todas as coisas do nada, porque não poderá multiplicar para você míseros alimentos?

Também os bens necessários! Até o dinheiro se preciso for? Por isso eu lhe digo: aprenda desde já, ou sua provação será maior depois. Afinal, tudo isso será feito apenas para separar definitivamente aqueles que tem fé dos que não tem, aqueles que amam a Deus daqueles que não amam.

Eis que, no fim, o Senhor irá fulminar para sempre todos aqueles que odeiam a Deus e trabalham agora para satanás, casa não se arrependam e se convertam!Verdade é que, já por diversas vezes  pintamos um quadro negro em relação aos acontecimentos futuros. De fato, não gostamos de fazer isso. Nossa grande vontade seria apenas falar do amor de Deus. Em confiança! Em fé! Entretanto, muitas pessoas, parecem não se dar conta
da gravidade. Muitos acham que “
se o povo rezar” nada vai acontecer, mas eles mesmos nem uma Ave Maria rezam mais.

Outros pensam “que no Brasil não vai acontecer nada”, porque “Nossa Senhora disse”, entretanto são incapazes de buscar um confessionário, se convertem profundamente e voltarem a Deus contritos e humilhados. Há até os ingênuos que imaginam que “us guverno” vão  resolver estas coisas. Ora pois...

O certo é que o mal avança a passos galopantes e não há sinais ainda da conversão em massa do povo. Os que rezam muito, afinal são poucos e os que rezam pouco, ainda rezam mal. E é exatamente
por isso que se podem prever terríveis transtornos, porque parece ser esta a única forma de fazer o homem acordar de seus desvarios e perceber o caminho de morte pelo qual trilha hoje. Afinal, já se vão dois mil anos que o Senhor pacientemente espera que voltemos a Ele, mas verdade é que, isso qualquer um observa, a cada dia mais nos distanciamos dos Seus caminhos e mais e mais afrontamos a Sua Santa Lei.Como então repartir? Repartir ao meio! E nada faltará! E como fica em relação ao próximo que nos bater a porta?

Reparta ao meio! Não só a comida, mas tudo aquilo que eles precisam como calçados, roupas e remédios. Afinal, o dinheiro, mesmo que você o tenha aos montes (style='mso-bidi-font-weight:normal'>deitarão seu dinheiro às ruas, pisarão o ouro com os pés, diz o profeta) isso não comprará mais nada, pois a besta haverá de dar um fim nele, em troca de seu  miserável “chip”! Ai, quem tiver duas camisas, dê uma para seu irmão que precisa! Se você tiver três blusas, dê duas. Se você tiver um pacote de trigo, dê a metade! Se tiver dois pacotes de açúcar, dê um inteiro. De tudo o que tiver dê, sem reclamar ou sem ter medo. Dê a metade e NADA lhe faltará! Duvida? Então se prepare para passar fome!

Confia, pois em Deus, e NADA lhe faltará. É a ÚNICA forma!Pessoalmente não confirmei mensagem de profetas atuais, dando conta de que, logo após o afastamento do Papa João Paulo II, se deverá tomar uma cesta básica simples, sem muita prodigalidade ou luxo, e levá-la para o sacerdote abençoar. Deve-se guardá-la em lugar à parte, apenas para a partilha no tempo da tribulação.

Mas ATENÇÃO! Não faça a besteira de comprar o mercado inteiro! Não caia na tentação de fazer um estoque muito grande de produtos, apenas para si sem pensar nos outros, pois você corre o risco de ficar sem nada. Quanto mim, o máximo que farei é levar estes alimentos, poucos, para que o padre os abençoe. De forma alguma vou fazer depósitos de alimentos. E se o fizer, será apenas para dar a metade ao primeiro omem necessitado que me pedir. Enfim, que mais poderia eu dizer?

E afinal adiantará dizer mais alguma coisa? Sei que muitos, ao lerem este
trabalho, deverão achar que faço apologia da catástrofe e que me delicio em apavorar as pessoas.

Ora, cada um é livre pensar e livre agir. Quem não quiser dar ouvido a este alerta, mais tarde não lamente. Se preferir seja egoísta, esganado e avarento. Se não conseguir por bem, roube! Ai você nem precisará que a besta lhe marque “para comprar e para vender”, pois estará já em seu coração, posta uma marca bem mais visível ao Senhor quem vem, para nos julgar a todos.

Eis que antes de olhar para a sua testa, Ele olhará para o seu coração!Aos outros, porém, àqueles que de forma ordeira, calma, confiante e serena, estiverem pensando, não apenas em si, mas quem sabe, preferencialmente nos outros, a estes, “virgens prudentes”, que no  momento oportuno terão as lâmpadas cheias de azeite, damos a certeza de que uma  imensa alegria haverá de transbordar de vossos corações no momento deste incrível milagre do Senhor. Quando Ele novamente der uma prova visível, palpável e segura de que não abandonou nunca a Seus filhos e que no

Seu Amor  infinito, vela por todos eles com o maior carinho.Sabendo disso, já antes que as coisas me pegassem de surpresa, comecei a mudar a minha vida e as minhas coisas.(Perdão se me coloco pessoalmente como exemplo, pois detesto isso).

 Mas na verdade eu nunca me arrependi. Vê, se algum dia, me preocupei pessoalmente com esta coisa de marca da besta! Faz já 23 meses que deixei tudo nas mãos de Deus. Nunca mais fiz o caixa de minha empresa nem de minha casa e muito menos dos livros que divulgo! Nunca perguntei se me pagaram os livros e as pessoas que os pedem são mais que testemunhas disto.Também não perguntei de onde vem o dinheiro, só calculo que nestes dois anos já passamos de R$ 150 mil em livros.

Nossa Senhora é nossa “caixa”. Resultado: nunca mais paguei juros altos, apenas pequenos rescaldos! Nem voltou qualquer quantia de cheque! Nem precisei correr atrás de dinheiro, que antes era uma loucura! Nem vou ver o saldo no Banco, tirando apenas um extrato mensal para ter documento! Assim, nunca mais conferi qualquer pagamento das pessoas! Nem controlo despesas, porque eu disse para mim e modo definitivo: Confia no Senhor!

E  o Senhor faz TUDO para mim! Esta é a chave! Mas como sempre digo, cada um é livre crer... e livre seguir! Minha casa, porém, haverá de estar, e já está aberta, para todos indistintamente, com tudo aquilo que ela contém! Inclusive nossas roupas e objetos pessoais de uso.

Nada é meu! Tudo é de Deus! Para sempre!Se, pois, confio no Senhor, de verdade mesmo, então não existe meio confiar.

Tem que ser uma entrega total. E isso eu estou aprendendo a fazer como
exercício diário e persistente. Porque compreendi que Deus é TUDO...e nós somos nada! Compreendi que Deus faz tudo, nós não fazemos nada! Quer dizer, embora me falte ainda uma longa caminhada, para ter esta fé profunda e perfeita que todos deverí amos ter, meu coração cada vez fica mais feliz, pelo simples fato de o Pai me haver dado a graça de chegar até aqui. De entender, ainda que minimamente, este grandioso mistério. Mistério da Confiança! Mistério da Fé!


Mistério do Amor! Mistério da PARTILHA fraterna!Ainda uma coisa: prepare-se para perder TUDO. Para ficar sem NADA. Esqueça o carro a casa, a terra, o emprego, e o dinheiro da poupança. Todos nós iremos perder TUDO. Pois tudo é de Deus e voltará para Deus. Então, você que não consegue se desprender dos bens deste mundo terá doravante que pensar nisso seriamente.

 Quanto maior for seu apego àquilo que é passageiro, maior será seu sofrimento na hora de perder todas as coisas.Vejam os SINAIS dos tempos! Sintam os SINAIS! Olhem para o Papa!  Vejam o silêncio mortal sobre o tal “consistório”. Que se decide lá? Qual o verdadeiro sentido dele? Um jornal disse, que “o consistório é nada mais que um pano de fundo, para a eleição do novo papa”. E pode ser muito bem! E assim, ao tempo do Pai, veremos Pedro, buscando refúgio em outras plagas.

Então contemos sete meses, conforme Nossa Senhora confiou ao Cláudio. Durante estes sete meses que seguirem ao afastamento, você verá se acontece ou não aquilo que estou aqui escrevendo.

Também, grande parte daquilo que está no Livro Mateus. Mas, um conselho, não pague para ver!Falando em sinais, eu não poderia encerrar
este texto, sem falar do “apagão”. Bela coisa eles arrumaram para desviar a tenção do povo dos problemas da corrupção no governo. Pois bem, o governo tem sim, um abacaxi enorme nas mãos. Mas na verdade, o ´apagão’ é também uma obra da providência divina. Não duvidem! Isso nada mais é que a preparação das pessoas, para a falta progressiva, até chegar a completa de toda a energia.

Que acontecerá nos outros países, quando faltar energia, assim, de sopetão! Não duvidem da possibilidade de o Pai “retirar completamente o pino da tomada” e isso no mundo inteiro. Sem qualquer tipo de energia, a besta seria posta imediatamente de joelhos.

Seria o máximo! Verdade é que, basta mais uns dois ou três meses sem chuva na chapada brasileira, onde nascem todos os rios que tem represas e hidroelétricas, para que nem o racionamento funcione. Faltará então por completo!Sem energia não há produção! Sem produto, não há renda! Sem renda não há emprego! Sem emprego não há salário! Sem empresas e salários não há imposto! Sem imposto não há benefícios! Sem benefícios não há aposentadorias! Sem renda pessoal não há alimento!

E vai por ai afora! Não é uma quebradeira em cascata? Vocês duvidam que ela acontecerá? Então leiam Apocalipse 17: Castigo da Babilônia! Leiam Isaías 47: Queda da Babilônia! Leiam Jeremias 25: A Ruína da Babilônia e a Taça da cólera divina! Idem Jeremias 50 e 51.Leram tudo? Poderiam agora pegar suas Bíblias e ler tudo aquilo que os profetas falaram sobre o “Dia do Senhor”, aquele dia em que Ele se levantará para julgar a terra e todos os seus habitantes, e ver se, naqueles dias, Ele não derramará sobre ela todas as torrentes de Seu furor.

Sim, sofrerão bons e maus, porque não há como colher o joio sem machucar o trigo. Entretanto, o TRIGO que for fiel, que acreditar no Senhor, que CONFIAR em Deus, este certamente sofrerá mil vezes menos, pois não passará fome, nem miséria! Basta, nem que seja depois de 2000 anos, aprender a REPARTIR  fraternalmente o PÃO! Só!  Deus fará o
reto! Aliás, então, Deus fará TUDO!Para terminar vou contar dois sonhos.

 Um meu e outro de minha esposa. Ambos se referem à partilha, e nós temos fé, embora ainda pequena, mas temos fé, de que assim será:Em minha frente apareceu em letras grandes
uma placa dizendo: A PARTILHA!


Eu estava em frente à cabeceira de uma mesa grande e pintada de azul. Ao meu lado, estavam muitas pessoas. Minha
esposa estava distribuindo entre eles nossas roupas pessoais e todos pareciam precisar muito daquilo.

De repente, alguém passa ao meu lado e coloca sobre a mesa um enorme naco de carne, de uns cinco quilos, sendo uma
posta de forma arredondada, como se cortada de um quarto traseiro de uma rês.

Assim que a carne caiu sobre a mesa, vi que todas aquelas pessoas arregalavam os olhos, como se quisessem devorar aquela carne e senti que dos precisavam muito dela. Então, alguém me passou uma faca bem afiada e ato contínuo, fiz um cálculo aproximado de quantos pedaços teria que cortar para que cada um ganhasse um pouco e sobrasse também para mim um bocado. Eram ao todo umas 10 pessoas. Calculei que dava um naco de umas 500 gramas para cada um.

Passando a faca de um corte só, tirei uma lasca e coloquei na frente da primeira pessoa, a mais próxima. E, incrível, assim que a carne bateu na mesa, ela como “floriu”, isso é, aumentou como se estoura uma pipoca, transformando-se num pedaço de uns três quilos. E assim foi sucessivamente, com todos eles.

Quando cortava pelo meio, vi que uma pessoa teria que receber um osso e tentei então aumentar o tamanho do pedaço,
para que a pessoa não tivesse prejuízo. Interessante, foi justo este que se transformou no pedaço maior.


No fim, perguntei se alguma pessoa ainda não havia recebido. Ai uma respondeu: eu não ganhei ainda. A minha frente o pedaço era de talvez um quilo. Dei então um corte firme e parti aquele pedaço no meio e dei-o à pessoa que faltava. E tal como os outros, este também se transformou num pedaço muito maior.

Ao olhar, porém, para o naco que me sobrara, percebi que se havia transformado também num lindo “cochão mole” inteiro e sem corte, maior ainda que os outros distribuídos.

E perguntei ainda uma vez: alguém mais não recebeu? E uma última pessoa me disse não ter recebido. Nisso chegava ao meu lado esquerdo a minha esposa, e vinha com um grande prato de carne, bem vermelha e atraente, já picadinha e pronta para cozinhar.

Ai, fiz a ela um gesto para entregasse aquela carne, com prato e tudo, à pessoa que lhe pedira. Ela entregou tudo... e  sonho acabou!


No sonho dela foi assim: Também a palavra era: PARTILHA! Ela acabara de assar no forno um bolo, tipo que nós chamamos “cuca”, com recheio de ovo e açúcar, e começou a picar para distribuir. Mas havia muitas pessoas, para pouca comida. Então, ela começou a empilhar os pedaços, já cortadinhos em cima da mesa, e, incrível, quanto mais ela tirava da forma, mas ficava dentro dela, de forma que logo a mesa estava com uma pilha de enorme altura, de onde as pessoas, em extensas filas, se serviam sem parar. E quanto mais tiravam, mais era reposto na mesa, assim, como um passe de mágica. E assim foi, assim será. Quem acreditar, no momento certo, verá isso acontecer diante de seus olhos.

Mantenha-se, pois, LIVRE da besta:

PARTILHE!

Se você não precisar de nada, não terá necessidade de lhe implorar nada!

Mantenha-se, pois, LIVRE da marca: Reparta, tudo o que Deus lhe deu!

Se você CONFIAR em Deus, receberá certamente a “marca” Dele!

Confia no Senhor! Ele, e só Ele, proverá!

Já disse: não temos outra escolha! E eu já fiz a minha há muito tempo!

Mas você é livre! Felizmente!


Abraços!


www.recadosaarao.com.br




Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!


LEIA TAMBÉM
AS CRIANÇAS
PADRE DESABAFA
HISTÓRIA REPUGNANTE
NÃO ACREDITEM
CATÓLICOS E PEDOFILIA
Pedofilia - Por Padre James Majeckal
Poder Feminino
O DELÍRIO
Fim do homem



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.209.909
Visitas Únicas Hoje: 254
Usuários Online: 194