ARTIGOS ESPACOMARIA


Voltar



A história de Nossa Senhora dos Bosques(La Désiree)
Artigo visto 2117 vezes


Fundação de Nossa Senhora de la Désirée
Um dia, quando caçava em sua floresta de Arthies, Carlos V, Rei da França, se perdeu. Após ter-se aventurado, errando sem destino durante longas horas, abatido pela fadiga e pela desesperança, o Soberano elevou sua alma ao Céu suplicando à Mãe do Salvador que lhe estendesse sua mão caridosa. Reconfortado pelo ardor da oração, ele se pôs novamente em marcha e, desde os primeiros passos, seus olhos, tendo penetrado o denso bosque cerrado, perceberam a torre erguida do branco campanário de Saint-Martin-la-Garenne.



Convencido de que a Virgem o havia ouvido e estava a atender ao seu pedido, o Príncipe, obedecendo a um anseio de piedoso reconhecimento, jurou que edificaria uma capela naquele local onde sua angústia terminara, dedicando-a a Nossa Senhora de la Désirée. Um ato notarial, arquivado no Castelo de la Roche-Guyon, datado de sexta-feira, 2 de janeiro de 1376, designa formalmente o Rei Charles V como um de seus fundadores.







M. Gatin
Una aldeia - Saint Martin de la Garenne
A propósito de Charles V o Sábio, nascido em 21 janeiro de 1338, morto em 16 setembro de 1380



Ave Maria, cheia de graça,

o Senhor é convosco.

Bendita sois Vós entre as mulheres,

bendito é o fruto de Vosso ventre, Jesus.

Santa Maria, Mãe de Deus,

rogai por nós, pecadores,

agora e na hora de nossa morte.

Amém.







Holanda



Os Países Baixos tiveram conhecimento pela primeira vez do Evento cristão em 384, graças à evangelização de São Serviço, primeiro apóstolo daquela região, que desempenhou seu ministério em Maastricht (no sul, no confim com a Bélgica). Narra-se que construiu uma capela dedicada a Nossa Senhora, que, sucessivamente, se transformou no atual e majestoso santuário.

A necessária re-evangelização daquelas terras, após as invasões das populações bárbaras do século VII, foi atuada pelos monges itinerantes irlandeses, entre os quais, Wilfrid e são Willibrord (657 - 738), que se tornou o santo mais popular dos Países Baixos. Ele exerceu seu ministério principalmente em Utrecht, onde fundou uma igreja mariana.

O povo católico holandês aumentou entre as “competições cidadãs” do ano Mil, no qual todas as instituições da sociedade de então se esforçavam em obter, para a própria cidade, a proteção de Nossa Senhora, sobretudo através da adoção de uma imagem milagrosa, quase sempre de pequenas dimensões, sem particulares pretensões estéticas ou artísticas. Um povo que conheceu o envolvimento humano das peregrinações que, mais do que nunca, formalizavam a união histórica entre os Países Baixos e a vizinha Bélgica, rica de numerosas metas de culto.

Este país também não foi poupado pela onda protestante, concretizada com a perseguição calvinista contra os católicos. Estes, os católicos, objetivamente em minoria, viram-se privados de seus direitos fundamentais, como os políticos, e lhes foi impedido de exercer publicamente o culto, assistindo inermes à equiparação de sua fé a um simples reato, punível penalmente.

Proibida qualquer evocação à oração, de modo especial aos santuários, todas as festividades, peregrinações e procissões foram banidas. Deste modo, os católicos holandeses puderam prosseguir com sua prática religiosa apenas camuflando-as com outras formas, tentando assim preservar e custodiar a própria identidade cristã, e consequentemente, nacional.

É o caso de ‘s-Hertogenbosh, onde a antiga procissão, realizada durante sete noites consecutivas ao redor da cidade, se transformou numa composta e silenciosa passeata.

Os católicos puderam recomeçar a ver reconhecida a própria identidade, dignidade e liberdade somente em fins do ano 1700, com a ocupação napoleônica e a expulsão dos Orange. Neste período, o Povo de Deus obteve as catedrais precedentemente requisitadas, entre as quais, a de “Nossa Senhora do Bosque de ‘s-Hertogenbosh”, que merece atenção particular.



SANTUÁRIO DI NOSTRA SIGNORA DEL BOSCO – ‘S-HERTOGENBOSH.

O edifício do tardo período gótico tem como origem de seu culto uma estátua milagrosa, conservada na capela desta grandiosa e maravilhosa catedral.

A estátua, inicialmente removida e colocada em um depósito, pois considerada pouco preciosa, atraiu o culto popular quando, em uma inútil tentativa de transportá-la novamente à catedral, devido à insistência de um operário, verificaram-se numerosas e atentamente documentadas curas.







Assim nasceu a história de NOSSA SENHORA DOS BOSQUES.

 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!

Total Visitas Únicas: 5.829.778
Visitas Únicas Hoje: 1.178
Usuários Online: 238