ARTIGOS ESPACOMARIA


Voltar



Quem é Maria?
Artigo visto 1396 vezes


Maria

--------------------------------------------------------------------------------
Deus em seu infinito amor nos criou. Seu amor é tão grande que criou diversas criaturas: seres inanimados, vegetais, animais. Dentre todas as espécies de criaturas dotadas de existência material, Deus fez o ser humano à sua imagem e semelhança, dotado de uma alma espiritual. Ele nos criou livres e usamos esta liberdade inadequadamente. Pecamos contra o Seu Amor. Condenamo-nos a viver longe de sua face. Mas Deus, supremo Amor e suprema Misericórdia, se fez homem, na Pessoa de Seu Filho. O Filho de Deus se tornou homem e morreu para resgatar o preço de nossos pecados. A Encarnação de Jesus Cristo poderia ter se dado sem intermédio de nenhum ser humano, mas Deus, em Sua Infinita Sabedoria, quis vir ao mundo por meio de uma mulher. Não uma mulher comum. Uma mulher especial, que para olhos desatentos poderia parecer apenas mais uma mulher. Deus, a Perfeição Infinita, quis vir ao mundo por meio de uma criatura, uma criatura especialmente preparada para a missão de ser Mãe de Deus feito homem: Maria.
1) Quem é Maria?

Maria era uma mulher judia, da casa de Davi, ou seja, da descendência de Davi [conforme as escrituras o Messias seria descendente de Davi]. Pela tradição cristã, sabemos que ela era uma jovem da cidade de Nazaré, entre doze e quinze anos, que estava compromissada com José, seu noivo. Deus escolheu Maria para ser mãe de Seu Filho e a preparou desde o seio de sua mãe para esta tarefa. Mas Deus não a obrigou nada. Ele quis que Maria fosse livre para aceitar o seu chamado. Um anjo do Senhor a visitou e lhe comunicou que ela seria mãe do Filho de Deus (anunciação do anjo, ler Lc 1,26-38). Maria, jovem humilde, não entendeu no primeiro momento e perguntou: "Como poderá ser, pois não conheço homem?" (era virgem). O anjo replicou dizendo "O Espírito Santo virá sobre ti e a virtude do Altíssimo te cobrirá com sua sombra e é por isso que o Santo gerado será chamado de Filho de Deus". Maria estava prometida em casamento a José, um carpinteiro de Nazaré. Se ela aparecesse grávida, poderia ser apedrejada e morta, pois esta era a pena para mulheres adúlteras. Mas Maria aceitou prontamente a missão, entregando-se totalmente a Deus: "Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo tua palavra" (Lc 1,38).

Por uma mulher o pecado veio ao mundo(Gn 3,1-6; Eva come do fruto proibido), mas Deus quis que por outra mulher vieste a Salvação. Maria, com sua total entrega aos desígnios de Deus, aceitou ser mãe do Salvador. E com isto nos possibilitou sermos salvos pela morte purificadora de Nosso Senhor Jesus Cristo. Por isto, Maria é chamada de co-redentora do gênero humano, pois participou de nossa salvação (redentor=salvador). Em Gn 3,15, vemos que logo depois do pecado de nossos primeiros pais, Deus anuncia que pela descendência (Jesus Cristo) da mulher (Maria) viria a salvação.

2) Virgem Maria

Deus quis que seu Filho Unigênito nascesse de uma virgem. Por que? Justamente para caracterizar que o nascimento de Jesus Cristo foi algo divino e testemunhar que Ele era Filho do Altíssimo, pois Jesus foi concebido em Maria pelo poder do Espírito Santo e não por um homem. Ler Is 7,14, onde Deus por meio de Isaías promete que o Messias, Emanuel ( Deus Conosco) nasceria de uma virgem. Maria foi virgem antes, durante e depois do nascimento de Jesus Cristo. Maria consagrou, após o nascimento de Jesus, sua Virgindade a Deus. José, seu marido, aceitou sua opção e fizeram de seu casamento e sua família uma grande oferta a Deus, vivendo santamente.

Os nossos irmãos separados ("evangélicos" e outros) argumentam gratuitamente que Maria não permaneceu virgem durante toda sua vida. Dizem que isto não está na Bíblia, esquecendo que nem tudo foi escrito na Bíblia, como João nos diz em seu evangelho (Jo 20,30-31 e Jo 21,25-26). A Igreja, que Jesus nos deixou com a promessa do Espirito Santo iluminá-la, nos revela esta sublime verdade de nossa fé. Os "evangélicos" argumentam que em certas passagens da Bíblia, são citados os "irmãos de Jesus". Eles não se deram ao trabalho de estudar a fundo a Bíblia e verificar que no idioma dos judeus não existe palavras diferentes para "irmão", "primo", "sobrinho", sendo usada a mesma palavra para todos. Com estudo sério e busca sincera da verdade, estes erros são corrigidos.

3) Imaculada Conceição

Ao ler a passagem Lc 1,26-38, vemos o anjo Gabriel saudar Maria: "Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo". Maria é totalmente preenchida pela graça de Deus. Não metade de graça, nem três quartos de graça. Maria é cheia de graça. Maria vive totalmente na graça de Deus, pois "o Senhor é contigo", ou seja, o Senhor está sempre com ela. Deus preparou Maria para sua missão, cumulando-a de graças. Maria, como imagem do futuro da Igreja, foi redimida antes de toda a humanidade. Ela foi concebida no seio de sua mãe, totalmente livre da mancha do pecado original, recebendo ,antes de nós, o que temos pelo batismo. É isto que chamamos de "Imaculada Conceição de Maria", ou seja, Maria foi concebida sem mácula, imaculada. Maria foi concebida sem a mancha do pecado original. E cumulada de graças por Deus, permaneceu sem pecados pessoais, continuando sempre Virgem e Imaculada. Maria está tão intimamente ligada a graça de Deus, que muitas vezes a chamamos de Esposa do Espírito Santo.

4) Maria, Mãe de Deus

Naturalmente, chamamos Maria de Mãe de Jesus. E quem é Jesus ? (ver Lição VI- Parte I). Jesus é Filho de Deus. Jesus é a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade. Jesus se fez homem, mas continuou sendo Deus. Jesus possui a natureza divina e a natureza humana, intimamente ligadas. Maria é mãe de Jesus, pois Ele nasceu dela. Como Jesus é Deus, obviamente, Maria é Mãe de Deus. Isto não torna Maria maior que Deus, de maneira nenhuma, pois mesmo sendo Mãe de Deus, Maria é Sua criatura. Mas isto lhe dá uma dignidade acima de todas as demais criaturas, pois foi agraciada plenamente por Deus.

5) Maria, Mãe da humanidade e da Igreja

Jesus em sua encarnação nos dá Seu Pai, como nosso Pai. O Amor de Deus é tão grande que nos adota como filhos. Jesus nos dá ainda mais uma graça, além de sermos filhos de Deus, Ele nos dá sua mãe, Maria, como nossa mãe espiritual. Ver passagem Jo 19, 25-27, onde o apóstolo João representa toda a humanidade. Maria é nossa mãe e cuida de nós como filhos. Ora constantemente ao Filho pelas nossas necessidades, nos leva constantemente ao Pai através do Filho no Espirito Santo. Está tão perto de Deus que nos dá a mão para alcançá-lo. Maria também é a Mãe da Igreja, pois a Igreja é o Corpo Místico de Cristo. Maria intercede constantemente pela Igreja e pelos fiéis que são o Corpo da qual Cristo é a Cabeça.

6) A Assunção de Maria

Maria, nossa Mãe, é imagem de nossa Igreja. Deus a cumulou de graças, e ela gozou antes de nós, a Igreja, das graças do Pai. Foi redimida do pecado antes de nós. Ela já foi concebida sem pecado pelos méritos de Cristo, de sua morte na cruz. Nós também fomos redimidos pelo mesmo motivo: Jesus morreu por nós. Mas nós só recebemos esta graça em nosso batismo, enquanto Maria já nasceu sem pecado. Da mesma forma, Maria goza da Bem-aventurança celeste de maneira antecipada. Nós esperaremos o Juízo Final, no fim dos tempos, para gozarmos de corpo e alma da visão de Deus face a face. Pois depois de nossa morte, de acordo com nossa opção de vida iremos para o Céu ( ou passaremos antes pelo purgatório ) ou então iremos para o Inferno. Mas apenas espiritualmente, pois nosso corpo só ressuscitará no Juízo Final. Aí sim gozaremos completamente do Céu. Mas Maria já goza desta graça antecipadamente, como que em conseqüência de sua Imaculada Conceição. Maria foi assunta (elevada) aos Céus pelo poder de Deus e para Sua Glória; foi elevada em corpo e alma para a glória celeste. [Este dogma foi proclamado solenemente em 1950 por Pio XII, não entrando em pormenores como: Maria morreu e depois foi elevada(o corpo não se decompôs) ou Maria não morreu e foi elevada em vida aos céus? A opinião corrente da maioria dos teólogos é que Maria morreu e seu corpo e sua alma foram elevados ao céu, de modo que como Cristo, Maria teria provado da morte.]

7) O Culto da Bem-Aventurada

Maria, sabendo que Isabel, sua parenta, estava grávida, vai visitá-la(Lc 1,39-45). Quando Isabel foi saudada por Maria, João Batista (a criança que estava no ventre de Isabel) se mexeu e Isabel se encheu do Espírito Santo. Então louvou Maria como a mais bendita entre todas as mulheres, e então, louvou por intermédio de Maria a criança que estava no seu ventre (Jesus). Fez isto, é importante ressaltar, sob o influxo do Espírito Santo. "Sou eu digna de receber a visita da mãe do meu Senhor ?".Depois, declarou que Maria era bem-aventurada porque acreditou na Palavra de Deus. Logo após, Maria fez um cântico de louvor a Deus muito lindo, que conhecemos como Magnificat (Lc 1, 46-55).

Pela passagem anterior, pode-se perceber o quanto Deus dignificou Maria. Era caridosa, Imaculada, temente a Deus e a mais bendita entre todas as mulheres. Além, de outras inúmeras qualidades cristãs, Maria simboliza exatamente a caridade, paciência e amor que Deus nos pede. Ela é a Mãe de Deus, e por isso nós temos muitos motivos para louvá-la. Devemos venerá-la como devemos venerar todos os santos. Venerar é admirar as qualidades da pessoa e dar graças a Deus por nos permitir tamanho exemplo. Venerar não é adorar; só devemos adorar a Deus. Devemos louvar Maria, como o anjo e Isabel louvaram-na, sob o influxo do Espírito Santo.

Maria sempre esteve presente na vida de Jesus. No nascimento, na infância, na pregação e em sua morte na cruz. Sempre guardou no seu coração os acontecimentos da vida de seu Filho. E esteve sempre presente na Igreja primitiva, ajudando e apoiando os apóstolos e outros discípulos. Como vimos Maria é nossa Mãe, nossa piedosa Mãe celeste.

Maria é nossa intercessora perante seu Filho. Através de Maria devemos procurar sempre Cristo. Nas bodas de Caná (Jo 2,1-11), Jesus realiza seu primeiro milagre a pedido de sua Santíssima Mãe. Pedir a Maria é um meio altamente eficaz, pois qual é o bom filho que nega um pedido da Mãe?

Existem várias formas piedosas de culto a Virgem Maria: festas religiosas, celebrações e orações específicas. Temos a oração do Angelus. Mas dentre todas elas a mais eficaz é o Santo Rosário.

Maria, Nossa Mãe Santíssima, é piedosamente chamada de Nossa Senhora. É nossa Rainha, é a Rainha dos Céus (Ap 12). Há várias formas pelos quais Nossa Senhora é chamada. Nossa Senhora Auxiliadora, Nossa Senhora da Imaculada Conceição, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora dos Aflitos, Nossa Senhora do Rosário, etc. Todas se referem a mesma Maria. São títulos que refletem as qualidades de nossa Mãe. Também é chamada de Nossa Senhora de Fátima, de Guadalupe, de Lourdes, etc. São lugares onde Nossa Senhora apareceu e nos deixou uma mensagem. No Brasil, nossa padroeira é Nossa Senhora, sob o título de Aparecida, justamente porque apareceu no Brasil.

Como vimos, não há motivos para não louvar Maria. Exemplo de vida cristã, cumulada de graças por Deus, nos é o mais fiel modelo depois do próprio Deus de vida santa. Louvemos a Maria e bendigamos a Deus por nos dar tamanha graça. Que Maria interceda sempre por nós para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

. . .

Bibliografia:

-Catecismo da Igreja Católica- cans. 487-507 e 963-972
-"A definição solene da Assunção de Maria"- Charles Journet - Ed. Ave Maria


 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!

Total Visitas Únicas: 5.832.389
Visitas Únicas Hoje: 328
Usuários Online: 104