Espacojames


Página Inicial
Listar Artigos




Artigo N.º 258 - Primeira Guerra Mundial
Artigo visto 2899 vezes




Visto: 2899
Postado em: 18/11/07 às 18:08:40 por: James
Categoria: Artigos
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=1&id=258
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos

Avião de combate da Primeira Guerra Mundial

A Primeira Guerra Mundial foi um conflito internacional que durou de Julho de 1914 a Novembro de 1918, no qual se envolveram países de todos os continentes.

CAUSAS PROFUNDAS
Entre os complexos fatores que contribuíram para atear a primeira grande conflagração mundial figura o nacionalismo, o imperialismo econômico, a política de alianças secretas e as corridas armamentistas.

O nacionalismo
O nacionalismo, que se manisfestava sob formas diferentes nos diversos povos, provocando choques de aspirações e ambições. Assim, a estabilidade do Império Austro-Húngaro era ameaçada pelo desejo de independência das suas minorias eslavas, estimuladas pelo pan-eslavismo do Império Russo. Este, por sua vez, alimentava a ambição de tirar da Turquia o domínio dos estreitos que ligam o Mar Negro ao Mediterrâneo, o que vinha de encontro a uma das diretrizes do movimento pan-germanista: a expansão para o Leste. A Alemanha, recém-unificada e em fase de extraordinário desenvolvimento econômico, ambicionava a ampliação do seu império colonial, bem como uma posição de hegemonia na Europa, alarmando justificadamente as outras potências. Na França, o nacionalismo era marcado pelo desejo de "revanche" pela derrota de 1871 e da recuperação da Alsácia-Lorena e exacerbado pela rudeza da intervenção diplomática alemã nas crises internacionais.

O imperialismo econômico
O imperialismo econômico, com as suas lutas pela conquista de mercados, de fontes de matéria-prima e de campos de inversão de capitais, ocasionava atritos frequentes entre as nações, especialmente depois que a Alemanha e a Itália, tendo conquistado a unidade nacional, entraram na competição. A expansão colonial, econômica e naval alemã, em particular, provocava a rivalidade com a Inglaterra, que via sua supremacia nos mares ameaçada.

A política das alianças secretas
A política de alianças secretas já havia dividido as maiores potências européias em dois grupos hostis. Em 1882, Bismarck havia formado a Tríplice Aliança entre a Alemanha, a Áustria-Hungria e a Itália. A França respondeu com a Aliança Franco-Russa de 1893 e a Entente Cordiale franco-inglesa de 1904. Estas foram complementadas pelos entendimentos anglo-russos em 1907, formando-se assim a Tríplice Entente.

A necessidade de fortalecer essas alianças induzia cada um dos seus membros a apoiar os outros, mesmo nas questões em que não estivesse diretamente interessado.

As corridas armamentistas
A desconfiança mútua dos grupos aliados, insuflada pelos fabricantes de munições e outros "mercadores de guerras", levou às corridas armamentistas, outra fonte de temor e ódio entre as nações. Por outro lado, a formação de grandes exércitos acabou criando a poderosa classe de chefes militares, cuja influência nas crises internacionais era sempre a de ordens de mobilização geral como medida de precaução. Isto tornava ainda mais difícil evitar a solução violenta das pendências.

A Primeira Guerra Mundial decorreu, antes de tudo, das tensões advindas das disputas por áreas coloniais. Dos vários fatores que desencadearam o conflito destacaram-se o revanchismo francês, a questão da Alsácia-Lorena e a questão Balcânica. A Alemanha, após a unificação política, passou a reivindicar áreas coloniais e a contestar a hegemonia internacional inglesa, favorecendo a formação de blocos antagônicos.

Constituíram-se, assim, a Tríplice Aliança (Alemanha, Áustria-Hungria e Itália) e a Tríplice Entente (Inglaterra, Rússia e França).Os blocos rivalizavam-se política e militarmente, até que em 1914, surgiu o motivo da eclosão da Guerra: o assassinato do herdeiro do trono Áustro-Húngaro (Francisco Ferdinando), em Sarajevo (Bósnia). À declaração de guerra da Áustria à Sérvia seguiram-se outras, formando-se as Tríplices Aliança e Entente.

O conflito iniciou-se como uma guerra de movimento para depois transformar-se em uma guerra de trincheiras. A primeira parte da Guerra foi marcada pelo equilibrio, principalmente na frente ocidental. Na frente oriental, os russos sofreram várias derrotas, sendo inclusive forçados a entregar territórios. Os russos mantiveram-se na Guerra até a ascensão dos Bolcheviques ao poder, retirando em 1917. Nesse mesmo ano, os EUA entraram na guerra ao lado da Tríplice Entente.

Os reforços dos EUA foram suficientes para acelerar o esgotamento do bloco Alemão, sendo que, em 20 de outubro de 1918, a Alemanha assinou sua rendição. No ano seguinte foi assinado o Tratado de Versalhes, que estabeleceu sanções aos alemães e a criação de um organismo que deveria zelar pela paz mundial.

Esse tratado, conforme os 14 pontos propostos pelo presidente Wodroow Wilson (EUA), determinou punições humilhantes aos alemães, semeando o revanchismo que desencadearia, depois, a Segunda Guerra Mundial. A Primeira Guerra provocou uma alteração profunda na ordem mundial: os EUA surgiram como principal potência econômica mundial, houve o surgimento de novas nações - devido ao desmembramento do Império Áustro-Húngaro e Turco - e surgiu um regime de inspiração marxista na Rússia.

As três fases da Guerra

A Primeira Guerra Mundial pode ser resumida em 3 diferentes fases, assim distribuídas:

Primeira Fase: marcada pela imensa movimentação dos exércitos beligerantes. Ocorreu uma rápida ofensiva das forças alemãs, e várias batalhas foram travadas, principalmente em território francês, para deter esse avan ço.

Em setembro de 1914, uma contra-ofensiva francesa deteve o avanço alemão sobre Paris (Batalha do Marne). A partir desse momento, a luta na frente ocidental entrou num período de equilíbrio entre as forças em combate.

Segunda Fase: a imensa movimentação de tropas da primeira fase foi substituída por uma guerra de posições, travada nas trincheiras. Cada um dos lados procurava garantir seus domínios, evitando a penetração das forças inimigas. Os combates terrestres tornaram-se extremamente mortíferos, com a utilização de novas armas: metralhado-ras, lança-chamas e projéteis explosivos. Mas a grande novidade em termos de recursos militares foi a utilização do avião e do submarino.

Terceira Fase: declaração de guerra dos Estados Unidos à Alemanha e ao Império Austro-Húngaro, em 6 de abril de 1917. Com a ajuda material dos Estados Unidos, ingleses e franceses passaram a deter um superioridade numérica brutal em armas e equipamentos sobre as forças inimigas. A ajuda americana seria fundamental para o êxito da Tríplice Entente.


Fontes: Historianet.com




Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!


LEIA TAMBÉM



 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.216.289
Visitas Únicas Hoje: 1.269
Usuários Online: 380