Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.420.403
Visitas Únicas Hoje: 944
Usuários Online: 338
Sistema de Busca

 

Artigos
Artigos sobre diversos temas, todos relacionados a igreja e o nossa vida cristã.




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 1958 - Impresso: 65 - Enviado: 38 - Salvo em Word: 33
Postado em: 29/10/10 às 16:17:42 por: James
Categoria: Artigos
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=1&id=6520
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos

Sim, a Santa Missa é o tesouro das pobres almas. Nenhum meio é mais poderoso e eficaz para libertá-las.

São Leonardo de Porto Maurício, que foi um grande apóstolo e devoto do Santo Sacrifício, dizia: “Quereis uma prova de que a Missa trás alívio às pobres almas? Ouví um dos mais sábios Doutores da Igreja, São Jerônimo: “Durante a celebração de uma Missa por uma alma sofredora, esta alma pode ser preservada de todo ou em parte da pena do fogo. Em cada Missa que se celebra, diversas almas são livres do purgatório. Refletí ainda nisto: a, vossa caridade por estas almas será de muita vantagem para vós. Ó Missa bendita, és útil a um tempo para os vivos e os mortos! no tempo e na eternidade!

“Permití que vos dirija uma súplica, acrescenta São Leonardo, e quero vos pedir de joelhos: tomai a firme resolução de ouvir ou de fazer celebrar, todos as Missas que vossas ocupações e vossos recursos vos permitirem, não só pelos defuntos mas também por vossas almas. Dois motivos devem vos decidir: o primeiro motivo alcançar uma boa morte … Ó, como será doce e tranquila a morte de quem empregou sua vida em ouvir o maior número de Missas que pode! O segundo motivo é alcançar para vós mesmos o imenso favor de roubar o céu até sem passar pelo purgatório, ou abreviar muito o tempo da permanência naquelas chamas expiadoras”.
Ao Beato João d’Avila, ao chegar aos últimos instantes da, vida, perguntaram o que mais desejaria depois da morte: – Missas! Missas! Missas! (S. Leonardo P.M. – Excel. Do Santo Sacrif. C. VII).

Santa Mônica estava às portas da eternidade. No leito de morte, disse ao filho querido, Agostinho, que lhe custara tantas lágrimas e que a havia enchido de tantas consolações nos últimos dias:

- Meu filho, logo não tereis mãe. Quando eu não estiver mais neste mundo, rezai pela minha alma, não vos esqueçais daquela que tanto vos amou. No Sacrifício do Cordeiro sem mancha, recomendai a minha alma a Deus. 

O Santo Doutor jamais se esqueceu da recomendação materna. Chorou muito quando morreu Santa Mônica, mas suas lágrimas foram sempre acompanhadas de muitas preces fervorosas e sufrágios. “Deus de misericórdia, dizia ele (Confessiones – Lib. IX), perdoai a minha mãe e não entreis em juízo com ela. Lembrai-vos de que antes de deixar este vale de lágrimas, não pediu para os seus restos mortais funerais pomposos, mas somente que vossos ministros se lembrassem dela no Altar do Divino Sacrifício”. 

O Bem-aventurado Henrique Suzo fez um contrato com um dos amigos muito íntimos: “o que morresse primeiro, teria um certo número de Missas que o outro sobrevivente se obrigaria a mandar celebrar o mais depressa possível “O amigo do Bem-aventurado partiu primeiro para outra vida. Algum tempo depois, apareceu a Henrique Suzo, gemendo de dor e a se queixar: - Ai! já te esqueceste da promessa… 

- Não, meu amigo, responde o Bem-aventurado, eu não cesso de rezar pela tua alma desde que morreste…

- Ó, mas isto não me basta, não, não basta! geme o defunto; falta-me, para apagar as chamas que me abrazam, falta-me’ o Sangue de Jesus Cristo! O Sangue de Jesus Cristo! “

O Bem-aventurado compreendeu logo que faltavam as Missas.

No dia seguinte ao da aparição, foi logo à igreja pedir muitas missas pelo amigo defunto. Obteve diversas nesta intenção. O amigo lhe aparece, já glorificado e agradece-lhe feliz: Meu querido amigo, mil vezes agradecido! Graças ao Sangue de Jesus Cristo Salvador, estou livre das chamas expiadoras. Subo a céu e lá nunca te esquecerei! (Rossignoli S. J. XXXIV Maravilha).



Fonte: Socorramos as pobres almas do purgatório – Mons. Ascânio Bradão – Edições Paulinas – 1958





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 29/10/10 às 16:17:42 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.

LEIA TAMBÉM












Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES