Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.192.534
Visitas Únicas Hoje: 354
Usuários Online: 89
Sistema de Busca

 

Artigos
Artigos sobre diversos temas, todos relacionados a igreja e o nossa vida cristã.




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 1564 - Impresso: 45 - Enviado: 69 - Salvo em Word: 44
Postado em: 02/03/11 às 21:40:55 por: James
Categoria: Artigos
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=1&id=7398
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos

À primeira vista pode parecer que, se Deus criou todas as coisas, então deve também ter criado o mal. Entretanto, há aqui um pressuposto que deve ser esclarecido. O mal não é uma "coisa", como uma pedra ou a eletricidade. Você não pode ter um pote de mal! Mas o mal é algo que acontece, como o ato de correr. O mal não tem uma existência própria, mas na verdade, é a ausência do bem. Por exemplo, os buracos são reais, mas somente existem em outra coisa.

À primeira vista pode parecer que, se Deus criou todas as coisas, então deve também ter criado o mal. Entretanto, há aqui um pressuposto que deve ser esclarecido. O mal não é uma "coisa", como uma pedra ou a eletricidade. Você não pode ter um pote de mal! Mas o mal é algo que acontece, como o ato de correr. O mal não tem uma existência própria, mas na verdade, é a ausência do bem. Por exemplo, os buracos são reais, mas somente existem em outra coisa. À ausência de terra, damos o nome de buraco, mas o buraco não pode ser separado da terra. Quando Deus criou todas as coisas, é verdade que tudo o que existia era bom. Uma das boas coisas criadas por Deus foram criaturas que tinham a liberdade em escolher o bem. Para que tivessem uma real escolha, Deus deveria permitir a existência de algo além do bem para escolher. Então Deus permitiu que esses anjos livres e humanos escolhessem o bem ou o não-bem (mal). Quando um mau relacionamento existe entre duas coisas boas, a isso chamamos de mal, mas não se torna uma "coisa" que exige ter sido criada por Deus.

Uma outra ilustração talvez possa ajudar. Se eu fosse perguntar a uma pessoa comum "o frio existe?", sua resposta provavelmente seria sim. Entretanto, isto não é correto. O frio não existe. O frio é a ausência de calor. Da mesma forma, o escuro não existe. O escuro é a ausência de luz. E ainda da mesma forma, o mal é a ausência do bem, ou melhor, o mal é a ausência de Deus. Deus não teve que criar o mal, mas ao invés disso, apenas permitir que houvesse a ausência do bem.

Examine o exemplo de Jó em Jó capítulos 1 e 2. Satanás quis destruir Jó, e Deus permitiu que Satanás fizesse tudo, exceto matá-lo. Deus permitiu que isto acontecesse para provar a Satanás que Jó era reto porque amava a Deus, e não porque Deus o tinha tão ricamente abençoado. Deus é soberano, e no controle máximo de tudo o que acontece. Satanás nada pode fazer a não ser que tenha a "permissão" de Deus. Deus não criou o mal, mas Ele permite o mal. Se Deus não houvesse permitido a possibilidade do mal, tanto a espécie humana quanto os anjos estariam servindo a Deus por obrigação, não por escolha. Ele não quis "robôs" que simplesmente fizessem o que Ele gostaria que fizessem por causa de sua "programação". Deus permitiu a possibilidade do mal para que nós pudéssemos verdadeiramente ter livre arbítrio e escolher se gostaríamos ou não de servi-Lo.

Basicamente, não há uma resposta a estas perguntas que possamos compreender totalmente. Como seres humanos limitados, jamais podemos compreender inteiramente um Deus infinito (Romanos 11:33-34). Às vezes pensamos que compreendemos por que Deus faz determinada coisa, e mais tarde descobrimos que era para um propósito diferente daquele que havíamos pensado. Deus vê as coisas sob uma perspectiva eterna. Nós vemos as coisas sob uma perspectiva terrena.

Por que Deus colocou o homem na terra, se sabia que Adão e Eva pecariam e conseqüentemente trariam o mal, a morte e o sofrimento para toda a humanidade? Por que Ele simplesmente não nos criou e não nos deixou no Céu onde seríamos perfeitos e sem sofrimentos? A melhor resposta que posso pensar é esta: Deus não queria uma raça de robôs sem livre arbítrio. Deus tinha que permitir a possibilidade do mal para que nós tivéssemos a verdadeira escolha de adorar ou não a Deus. Se nunca tivéssemos que sofrer a experiência do mal, saberíamos verdadeiramente quão maravilhoso é o céu? Deus não criou o mal, mas Ele permitiu o mal. Se não o tivesse permitido, nós estaríamos adorando a Deus por obrigação, não por escolha de nosso próprio livre arbítrio.

 



Fonte: http://sal.zip.net/arch2008-11-01_2008-11-30.html





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 02/03/11 às 21:40:55 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.


Visite o espacojames nas redes sociais:



LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES