Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.273.091
Visitas Únicas Hoje: 31
Usuários Online: 399
Sistema de Busca

 

Biblia em Audio




Salvar no Instagram

Salvar em PDF




+ Detalhes: Baixado 55 vezes
Obs.:1) Todo áudio baixado neste site é mono, ou seja, tem apenas 20% da qualidade, compre a trilha sonora original e tenha um som limpo, estéreo e com qualidade total. 2) O Google Chrome esconde o Download, por isso ao clicar em Baixar, dê Control+j para mostrar a janela de Download.



Visto: 2782 - Impresso: 97 - Enviado: 33 - Salvo em Word: 69
Postado em: 05/06/10 às 22:53:48 por: James
Categoria: Biblia em Audio
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=164&id=5375
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Biblia em Audio

Biblia Sagrada Narrada por Cid Moreira

Josué, Juízes, Rute: Dalila corta o cabelo de Sansão

 

Dalila se aproximou de Sansão, fez um charme e disse:

- Por que você mentiu pra mim? Até agora não me falou o que eu mais quero saber. Sansão, acho que você está zombando de mim, só porque é muito forte! Por favor, me diga, vá! Como pode alguém amarrar e prender você?

 

Sansão olhou e disse rindo:

- Se me amarrarem com cordas novas, que nunca forem usadas, ficarei mais fraco e serei como qualquer pessoa.

 

Aí, Dalila pegou cordas novas e amarrou os braços de Sansão. Depois gritou:

- Sansão, os filisteus vêm chegando.

 

Mas Dalila não estava brincando, ela queria trair Sansão. Por isso, ela escondeu novamente alguns homens no outro quarto. Eles ficaram ali o tempo todo, à espera.

 

Mas, com toda a inocência o forte Sansão arrebentou as cordas como se fossem fios de linha.

 

Tentando fingir ao máximo que era uma conversa entre apaixonados, Dalila insistiu:

- Você continua mentindo e caçoando de mim. Ah, Sansão, fala! Como é que alguém consegue amarrar você?

 

- Dalila, se você fizer sete tranças no meu cabelo, como num tear, e prendê-las num grande prego de madeira, eu ficarei fraco, como qualquer um.

 

Então, Dalila armou o esquema e fez Sansão dormir.

 

Quando ele adormeceu, ela fez as sete tranças e o prendeu num enorme prego de madeira. Depois gritou:

- Sansão, os filisteus vêm chegando.

 

Mas ele acordou tranquilamente, se levantou, arrancou o prego e soltou o cabelo.

 

Então, Dalila falou:

- Por que você diz que me ama se isso não é verdade? Você não confia em mim. É a terceira vez que você me faz de boba.

 

- Por que Dalila?

 

- Sansão, até agora você não me contou por que é tão forte assim?

 

E Dalila continuou a fazer todos os dias a mesma pergunta. Ela infernizou a vida de Sansão com tanta insistência.

 

Desesperado, ele acabou contando o segredo.

 

- Sabe, Dalila, o meu cabelo é assim tão grande porque nunca foi cortado. Eu fui consagrado ao Senhor desde o ventre da minha mãe. Se cortarem os meus cabelos perderei a força, ficarei fraco e serei como qualquer um.

Dalila, astuciosa, logo percebeu que Sansão finalmente estava dizendo a verdade.

 

Imediatamente chamou os homens que haviam prometido a ela a recompensa pelo segredo da força de Sansão.

 

Os homens vieram e trouxeram dinheiro. Encontraram Sansão dormindo no colo dela. Dalila fez um sinal com as mãos, pedindo silêncio.

- Senhores, agora sei por que Sansão tem tanta força.

E mandou um deles cortar as tranças de Sansão.

 

Quando viu o cabelo de Sansão cortado, Dalila passou a dominá-lo. Toda a sua força havia desaparecido. Ela gritou:

- Sansão, os filisteus vêm chegando.

 

Ele se levantou e pensou:

- É, isso não é nada. Como sempre eu vou escapar.

 

Sansão não sabia que o Senhor havia se afastado dele. Então, os filisteus pegaram Sansão e com frieza e crueldade furaram os seus olhos e o levaram para Gaza.

Ali o prenderam com duas correntes de bronze.

Ali ele ficou muito tempo, movendo o moinho da prisão.

 

E o seu cabelo começou a crescer novamente.

 

Os governadores filisteus fizeram uma reunião para oferecer um grande sacrifício ao deus Dagón. Eles cantavam de alegria.

- O nosso deus entregou Sansão, o nosso inimigo, em nossas mãos.

 

E o povo todo, quando viu Sansão, comemorou como se estivesse numa festa. Eles gritavam:

- Chamem Sansão, queremos nos divertir.

 

Sansão foi trazido do cárcere, constrangido, ouvia o povo se divertindo às custas dele. Eles o colocaram entre as colunas do templo. Então, Sansão pediu ao rapaz que o conduzia pela mão:

- Deixe-me tocar nas colunas que sustentam o templo. Eu quero me apoiar nelas.

 

O templo estava cheio de homens e mulheres. Os governadores filisteus, os cinco, estavam lá. No terraço, mais ou menos três mil pessoas se divertiam às custas de Sansão. E Sansão clamou ao Senhor:

- Senhor Deus, peço que te lembres de mim. Por favor, oh Deus, dá-me a força mais esta vez. Deixa que eu me vingue dos filisteus por terem furado os meus olhos.

 

Sansão forçou as duas colunas, justamente as colunas do meio, aquelas que sustentavam o templo dos filisteus. Com a mão direita numa coluna, e a esquerda na outra, Sansão jogou todo o seu peso contra elas e gritou:

- Que eu morra com os filisteus!

 

Em seguida, empurrou com toda a força. E o templo caiu sobre os governadores e todas as pessoas que estavam lá. Sansão matou mais gente em sua morte do que durante toda a sua vida. A família dele foi buscar o seu corpo, eles o levaram e o sepultaram entre Zorat e Estaol, no túmulo de Manoar, o seu pai.

 

Sansão foi juiz de Israel durante vinte anos.








Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 05/06/10 às 22:53:48 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.

LEIA TAMBÉM












Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES