PASTOREAR É DAR A VIDA!!!
 
 
Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.020.279
Visitas Únicas Hoje: 847
Usuários Online: 330
Sistema de Busca

 

Artigos Medjugorje
Medjugorje é um pequeno vilarejo localizado na Bósnia, onde desde 1981 seis jovens tem falado com Nossa Senhora quase que diariamente, e aqui embaixo estão alguns artigos sobre esses milagres em plenos dias de hoje, Glória a Deus por isso.




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 1494 - Impresso: 74 - Enviado: 14 - Salvo em Word: 39
Postado em: 23/03/09 às 13:56:19 por: James
Categoria: Artigos Medjugorje
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=18&id=1249
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos Medjugorje

PASTOREAR É DAR A VIDA!!!

CAROS AMIGOS : "QUE A GRAÇA E A PAZ DE CRISTO JESUS NOSSO SENHOR, E A TERNURA DE MARIA ESTEJAM CONVOSCO E COM OS VOSSOS!"

No dia 18 de março de 2009, na cruz azul, no pé do monte Podobrodo, Nossa Senhora Rainha da Paz, nos deixou uma mensagem a qual chega até por meio da vidente Mirjana, que teve a aparição iniciada às 13:52 e durou até às 13:58min, segue abaixo a mensagem e o comentário.

“Queridos filhos, hoje eu vos peço para olharem em vossos corações com sinceridade e por um longo tempo. O que vêem neles? Onde está neles o meu Filho e onde está o desejo de me seguir em direção a Ele? Filhinhos, que este tempo de renúncia possa ser para vós, um tempo para questionarem-se a si próprios: “O que Deus deseja de mim pessoalmente? O que devo fazer?” Orai, jejuai e tenhais o coração cheio de misericórdia. Não esqueçais os vossos pastores. Rezais para que eles não se percam, e permaneçam com o meu Filho, para que sejam bons pastores de seus rebanhos”.

Diz Mirjana que Nossa Senhora olhou para todos os presentes e acrescentou: “Outra vez eu vos digo, se vocês soubessem o quanto eu vos amo, vocês chorariam de alegria. Obrigada”.

Nossa Senhora nesta mensagem nos chama atenção sobre vários pontos, mas o ponto que eu queria frisar convosco e permanecer em meditação é sobre a figura do Pastor.

Maria diz que devemos rezar para que os nossos pastores não se percam, para que permaneçam em Jesus. Neste período a Igreja sofre demais, falta muita santidade nos homens da Igreja, quantos escânda-los, quanta omissão por parte do clero, quanta busca de dinheiro, sucesso e show, de se aparecer, quantas missas transformadas em palco de teatro, e etc...Quantos pastores que não são pastores, ao passo que Pastorear é dar a vida, é amor concreto!

Vemos por todo lado padres pedófiloshomossexuais, e etc... E o pior é que algumas vezes vemos as autoridades eclesiásticas s, e omitirem, agir com um falso paternalismo, e não segundo o código do direito canônico da Igreja, algumas vezes transferindo o problema para outro lugar, mas não reduzindo o padre ao estado laical. É urgente e grave a situação da Igreja, devemos rezar muito, e sobre tudo, rezar pedindo a purificação da Igreja, pedindo a força para que os pastores da Igreja possam se levantar em nome de Deus. A este ponto caros irmãos leigos, exorto-vos a levantar a vossa voz diante dos erros, a cobrar da Igreja a santidade que cabe a ela ser exemplo e modelo, e a não se calar diante dos casos eclatantes, mas denunciar até civilmente quando o caso for criminoso.

A semana passada lia uma entrevista do Frei Beto, dizendo que a igreja deve mudar, e que ele é a favor do homossexualismo, do aborto e etc.... E eu me perguntava onde está a Igreja para repreender este cidadão que se diz falar em nome da Igreja? Tudo isto causa obscuridade dentro da Igreja, causa confusão no coração do povo, ao passo que quando se diz a verdade da Igreja, esta parece ser mentira, mas a verdadeira figura do Pastor não é esta figura omissa e interesseira, e sobre isto quero desenvolver convosco esta meditação.

Durante os séculos do cristianismo, tivemos muitos exemplos de doação, de pastoreio, de amor, dentre os leigos, mas também dentre o clero, podemos constatar que a Igreja teve muitos pastores admiráveis, basta olhar o passado, mas também agora no presente, homens que deram a vida pela Igreja e pelo povo, dando a sua vida ao Cristo, basta pensar no Grande João Paulo II, em Dom Helder Câmara, Dom Tonino BelIo, Papa João XXIII, dom Oscar Romero, e milhares de exemplos. Homens que doaram a vida, mártires no sangue derramado e na alma despojada de si mesmo, ao ponto de Cristo viver neles, agir por meio deles, reinar apascentando o seu povo, embora sendo homens limitados e frágeis, mas desejosos em servir, e dar a vida pela construção do reino, e pelo bem das almas a eles confiados. Preocupando-se pela vida das ovelhas.

Mas como dissemos acima, também há o lado negativo, pastores preocupados em si mesmos, presos em suas fraquezas, dominados pela ação do mal, incentivados pelo poder, pela aparência, pelo dinheiro e fama, interessados em afirmarem-se a si mesmos, fazer carreira, acumular as riquezas deste mundo, pseudo-pastores, preocupados em serem servidos, mas não em servir.

Conhecendo a natureza humana, é possível que tais ladrões, estejam sempre conosco, diria até ao nosso lado, vestidos com pele de ovelhas; o próprio Jesus constatou isto, quando um dos seus, que comia com Ele, o traiu, quando o outro no momento da prova o renegou, quando outros diante da cruz fugiram, na verdade este mercenário e ladrão está dentro de cada um de nós, querendo sair, querendo se exaltar, querendo dominar, mas o chamado e a vontade de Deus grita por outro lado dentro de nós apontando o sacrifício do amor supremo na Cruz, o nosso caminho da cruz.

Aos pés da cruz, ficou apenas João e as mulheres, e mesmo assim, a estes homens que o traíram, o Senhor confiou a sua Igreja, o seu rebanho, esperando que eles ao receberem o sopro do Espírito Santo, recebessem a força do alto, a conversão, o espírito de amor. O Senhor quis confiar em homens assim, quis precisar deles, embora pudesse ter escolhido outros meios, não desistiu deles, acreditou neles, teve esperança que eles se tornassem pastores, presença e qualidade do amor de Deus.

Na verdade o bispo, o padre, o papa, não importam, o que importa é Cristo, é crer em Cristo, pois os homens decepcionam, e estes pastores instituídos por Cristo a cuidar do rebanho da Igreja e do mundo, nada mais são que instrumentos frágeis, que levam o tesouro da presença de Deus, dentro de seus corações, em suas vidas, nos vasos frágeis de barro de sua humanidade, para o bem comum.

Quando pensamos a imagem de pastor, a associmo-la a um líder. Contudo, não é pelo simples fato que alguém se ocupe de ovelhas, de pessoas, que deve constituir um pastor. Também os mercenários se ocupavam de ovelhas, como os fariseus, mas eles não eram pastores, mas sim tosquiadores.

É necessário observar que o pastor da a vida, e não apenas lidera, se preocupa em deixar e estar com as suas ovelhas em um lugar seguro, e é belo saber que quando chegava a noite, se o pastor estivesse perto de um abrigo para o rebanho, as conduzia, a este recinto comunitário, bem protegido dos ladrões, dos lobos, e deixava ali as suas ovelhas, juntamente com as ovelhas dos outros pastores, mas as deixava em segurança, pois na porta havia guardiões, preparados para o perigo, e no dia seguinte, logo de manhã bem cedo, chegava um pastor por vez, batia na porta e chamava as suas ovelhas, e o engraçado é que se levantavam do meio do rebanho somente as suas, as quais reconheciam a sua voz, e o guardião abria a porta, e as ovelhas dos outros pastores que ouviam a sua voz, não se levantavam, porque para elas, era uma voz desconhecida. As vezes aparecia o pergio de entrar os ladrões, mas estes não aparecima pela porta, onde estava o guardião, mas entravam por outro lado.

O mercenário não é pastor, olhando a figura do mercenário e do pastor, a primeiro momento, não há uma difernça, ambos são líderes, olham o rebanho, se ocupam das ovelhas, e muitas vezes não se percebe a diferença em uma olhada rápida, mas observando o agir e a vida de ambos, se nota pelos seus interesses quem é quem. Alguns trabalham por amor, outros por dinheiro, e aqui temos a diferença, quem faz por amor e por amor a Deus, e ao que trabalha por interesse finaceiro, os outros para ele não interessa, porque "as ovelhas não lhes pertencem!"

Deus é sempre presente conosco, e até se a dor, o sofrimento, e os porques da vida nos separam dele, ele vem ao nosso encontro. E todas as vezes que escuto um pastor de almas, me alegro pois vejo nele a voz de Deus, que me quer bem, que investe na minha salvação, que me exorta, que me liberta, que está comigo, que acredita em mim, e isto me da segurança na caminhada, me da forças pois sei que não estou sozinho, que Ele o Senhor está comigo, e não me deixa andar por caminhos que me levam a perder-me de mim mesmo e de Deus, tirando do meu coração o medo de percorrer o caminho.

Como é belo ver a presença de Deus na nossa história, na nossa vida, Deus que passa, e sempre deixa suas marcas, seus traços, da mesma forma que um pintor ao pegar uma folha em branco dá seus primeiros rabiscos, coloca o fundo, da luz com as tintas claras, e inicia assim a sua obra prima. Assim é Deus, toda vez que ele pega a folha em branco da nossa vida, ele compõem um belo cenário, joga as tintas que dão vida, luzes e formas, cria algo novo, algo que nunca poderá ser o mesmo, algo único, novo e real.

Desde todo o antigo testamento, Deus, é um Deus presente na vida da sua criatura, sendo um Deus incansável em manifestar a sua presença de amor e misericórdia, e sobre tudo de consolo. É Deus que consola o seu povo, é Deus que o protege, é Deus que está com o seu povo, que caminha com ele.

Gosto muito do salmo 23, o salmo do Bom Pastor,: 1 Iahwéh é meu pastor, nada me falta 2 Em verdes pastos me faz repousar Para as águas tranqüilas me conduz 3 E restauras minhas forças Ele me guia por caminhos justos Por amor do seu nome 4 Ainda que eu caminhe por um vale tenebroso Nenhum mal temerei, pois estás comigo Teu bastão e teu cajado me deixam tranqüilo

No Antigo testamento temos a figura de Deus como o Grande e supremo pastor, figura tal que assume o próprio Jesus no evangelho, para designar a sua presença, o seu cuidado com as ovelhas que o Pai lhe deu.

O salmista diz que o pastor o conduz para verdes pastos, e para às águas repousantes, embora caminhe por vales tenebrosos, mas nada a temer, porque o SENHOR ESTÁ COMIGO! Uma cena bem comum no deserto do Antigo Testamento, mas também ainda hoje, é ver um pastor que conduz as suas ovelhas, em terra árida, em busca de alimento, de pasto, de água.

No versículo 3 lemos: “E restauras minhas forças. Ele me guia por caminhos justos. Por causa do seu nome”. Além de conduzir as suas ovelhas, o Pastor, restaura a vida das ovelhas, em hebraico a palavra correta é “nefes” que evidência a vida, ou seja, a pessoa que vive na sua plenitude, e se desejamos aprofundar literalmente o texto podemos ler assim: “Me reintegra totalmente no meu ser pessoa”. Concluímos assim que é este estar com o Senhor, que me dá a verdadeira vida e faz novas todas as coisas em minha vida e coração.

O salmo diz no versículo 3 que o Senhor nos guia por amor de seu nome, nos guia pela estrada justa, mesmo quando não sabemos onde levará o caminho, é ele que conduz, e se eu sigo Deus, não andarei nunca na estrada dos ímpios, pois é Deus que por amor de seu nome, glorifica-o em mim. O leva a entendermos a própria realidade de Deus, quero dizer, o NT  nos diz que Deus é Amor, e que o amor há em si mesmo, a sua recompensa porque é gratuito. O Senhor nos ama sempre, porque encontra em si mesmo a razão do amor.

Nós não conseguimos enxergar quais são os comportamentos do pastor com as ovelhas, os problemas, como por exemplo, a solidão do pastor no deserto, no frio da noite, a sua preocupação com as ovelhas, a vigília contra os inimigos, o sofrimento das ovelhas, o parto, a dificuldade, e etc.... Isto para dizer que a vida do pastor é uma vida áspera, dura, cheia de dificuldades, cheias de instabilidade e incertezas, não muito diferente da nossa hoje.

O rebanho se move abaixo do sol, guiado pelo seu pastor, em busca de um oásis, no qual o pastor sabe que encontrará tudo aquilo que tem necessidade. Após a pausa no oásis, o pastor e as ovelhas retomam o caminho, mas é o pastor que está à frente, mostrando o caminho, e mesmo que a noite os surpreenda de improviso, o pastor está com o seu rebanho, unido a ele, para que as ovelhas, não tenham o que temer.

Confia no Senhor! Ele nunca te abandona e te trai! Este salmo é então um forte convite a abandonar a nossa vida na mão do pastor que é o guia do rebanho, o meu guia, pois, como diz o salmo 23, o Seu bastão e o seu cajado me dão segurança. É por isso que as ovelhas escutam a sua voz, se sentem seguras porque sentem e confiam no pastor, que com o seu bastão, batendo-o no chão, ritma o passo das ovelhas, se fazendo-as seguir e ouvir.

Mas algo fundamental é que o Pastor além de conduzir, é o companheiro de vida e de viagem, e por isso o salmo diz: "Não temo nenhum mal, porque tu estás comigo!".  O pastor é aquele que sabe achar o melhor caminho, é o companheiro de viagem, é aquele que além de guia do rebanho, permanece horas e horas com o rebanho, se suas ovelhas tem sede, ele também tem sede, se suas ovelhas estão fadigando com o sol, ou com o frio noturno, ele também, assim, não há uma dissociação entre o pastor e as ovelhas, pois ele está com elas, vive o seu destino, e repousa com elas, assim o pastor é atento as suas ovelhas, com amor, dando a sua vida, ao contrário do mercenário que não é pastor, e faz o seu trabalho de pastor só por dinheiro, e quantos mercenários hoje temos na Igreja.

O pastor tem paixão pelas ovelhas, não as abandona, é um comportamento profundo, intimo, a ponto de as ovelhas conhecerem a sua voz, sentirem o seu cheiro, o qual é o mesmo de suas ovelhas. O pastor, além de estar com as suas ovelhas, as guia pelo vale escuro, tenebroso, na linguagem bíblica este vale, constitui um grande perigo físico e material, mas indo além, este vale olhado de forma espiritual, nos faz entender que se trata não só de uma realidade escura, tenebrosa, mas de uma realidade infernal, do sheol, da distância de Deus, da perda de Deus e de sua luz. Assim estar na escuridão pode significar encontrar-se em situação difícil, da qual não vemos mais saída. Podemos comparar o vale escuro com as varias tempestades da vida, porém se estou em seu seguimento, deixando-me conduzir, não terei medo, porque o Senhor está comigo, e esta é a grande profissão de fé do salmista. 

Monsenhor Gianfranco Ravasi, um grande bispo exegeta, comentando o salmo 23, em uma de sua homelias disse: "O senhor é o meu pastor, não me falta nada". No centro desta boa nova existe uma frase essêncial, que está no centro exato do salmo, na contagem certa até das palavras em hebraico, esta frase é: "Ki ata imadi", que em hebraico quer dizer: Porque tu estás comigo! O Centro do Salmo é a certeza de que "O Senhor está comigo!" Como é belo complementar este salmo, com o salmo 56, que em um momento mostra a figura do pastor, do orante dizendo ao Senhor: "Tu ó Deus recolhe as minhas lágrimas e o meu sofrimento em teu odre".

Assim, nenhuma dor e sofrimento, nenhuma lágrima é perdida aos olhos de Deus, tudo é recolhido em seu odre, tudo tem seu valor. O odre era algo fundamental para o pastor, era nele que o pastor carregava a água para matar a sua sede, como também das ovelhas nos momentos críticos; a água servia também para uma emergência, pois se uma ovelha estivesse dando a luz, ele teria de ter água para limpa-la.

O pastor está sempre com as suas ovelhas, e não buscava salvar a sua pele, proteger-se primeiro, pelo contrário, ele coloca a sua vida em perigo, para salvar a vida de suas ovelhas, e é por isso que Jesus no capítulo 10 do evangelho de João diz "Ele dá a sua vida pelas ovelhas", é aquele que é solidário com as ovelhas, não bebe água sozinho, mas dá primeiro de beber.

Diz Jesus que o Pastor não é aquele que apenas permanece com as ovelhas, mas é aquele que além de permanecer, dá a vida, oferece a própria vida pelas suas ovelhas. Assim, podemos descobrir uma dimensão bela profunda e secreta do relacionamento do pastor com o seu rebanho, um relacionamento de amor, de profundo conhecimento e obediência vital para a salvação do rebanho.

No livro do profeta Ezequiel capítulo 34,1-16 podemos ler:

"Eis o que diz o Senhor: "Eu mesmo procurarei as minhas ovelhas, e cuidarei delas, as conduzirei as pastagens seguras e as farei repousar. Oráculo do Senhor Deus. Andarei a procura da ovelha perdida e a reconduzirei as oliveiras, aquela que está extraviada; enfaxarei aquela que está ferida e curarei aquela que está doente, cuidarei da doente, e terei cuidado com a robusta e a forte; apascentarei todas com justiça".

Sendo o Pai o Pastor por excelência, e Jesus o rosto visível do Pai, é Jesus que encarna esta figura de Pastor e diz "Eu Sou o Bom Pastor".

Em João 10, 1-18, Jesus se define como o bom Pastor, que em grego "Egoimein opoimem o kalos", que quer dizer literalmente "Eu sou o Belo pastor", porque a idéia fundamental é que o belo dá-nos a idéia do perfeito, e por ser belo, perfeito é bom, é belo por dentro, assim a beleza e a perfeição estão em Jesus como realidades juntas, inseparáveis, onde uma complementa a outra.

Esta deve ser a figura dos Pastores da Igreja, ser com Cristo o "Bom, o Belo Pastor!", dando a sua vida, e não extrair a vida das ovelhas. O pastor oferece a sua vida, em grego não é a sua vida, mas a sua psiché, a sua alma.

Jesus, fala do Bom Pastor, para expressar a si mesmo como aquele que se assemelha com as suas ovelhas, vive com elas, sofre com elas, se alegra com elas, e assim diz: “Por isso o Pai me ama, porque ofereço a minha vida, ninguém me tira, mas sou eu que a ofereço”. No cenáculo na ultima ceia, Jesus disse "Ninguém tem maior amor que este, dar a vida pelo seu amigo!"

O Senhor quis nos deixar a sua Igreja, quis instituir os apóstolos, os discípulos, para pastorear o seu povo, para continuar a sua missão de cura e libertação, de anuncio da boa nova. Por isto, os bispos, a começar pelo bispo de Roma, o papa, e os seus colaboradores, os padres e diáconos, são pastores que nos apacentam, são presença do Deus que está conosco, caminhando de forma visível e concreta para nos indicar o caminho a seguir.

Todos nós somos ovelhas e pastores, mas é Jesus o nosso único modelo. E para nos amodelar a ele, devemos estar em sintonia com ele, dispostos a morrer para nós mesmos, a doar a vida, para nãos sermos mercenários que trabalham apenas pelo dinheiro. Falamos muito em dar a vida, na realidade, todas as vezes que damos a vida a ganhamos, todas as vezes que morremos para nós mesmos, é que vivemos a verdadeira vida, e abrimos as portas para Deus escrever em nós, abrirmos as portas para uma nova vida que nasce em nós.

Quero finalizar esta colocação, com o ponto da: presença de Deus, diria até o mais importante, "O anjo de Deus em minha vida! A presença de Deus, em um anjo, de carne e osso ao nosso lado!". Agora basta de explicações espirituais ou teológicas, e de modo concreto e simples, termino com uma linda oração composta por don Tonino Bello, bispo de Molfetta, morto em 20 abril 1993, em estado de santidade, estando em andamento a sua causa de beatificação, um grande bispo, modelo de pastoreio, generoso e amado em toda Itália e fora dela, um homem que dopu a sua vida, morrendo para si mesmo.

De don Tonino temos tantas recordações, mas de modo especial para este momento de retiro, creio que há um texto escrito por ele, que falará ao nosso coração, intitulado como uma "Asa de reserva", façamos desta oração a nossa oração, peço que fechem os olhos e repitam-na em seus corações, segue o texto:

«Quero agradecer Senhor, pelo dom da vida. Li em alguma parte que os homens são como anjos que possuem apenas uma asa, e que por isso, podem voar somente permanecendo abraçados.

As vezes, nos momentos de confidência, ouso pensar, que também tu Senhor há uma asa somente, e a outra, a tem escondida, talvez, para me fazer entender que Tu não quer voar sem mim. Por isso me deu a vida, para que eu fosse o teu companheiro de vôo.

Ensina-me agora a saborear a vida contigo, porque viver não é arrastar a vida, não é desprezá-la, não é empurra-la, viver é abandonar-se como um gavião nos braços do vento, viver é saborear a aventura da liberdade, viver é extender a asa, a unica asa, com a confiança de quem sabe, de haver no vôo um companheiro tão grande como Tu.

Mas não basta saber voar contigo Senhor: Tu me deste a missão de abraçar também o irmão, de ajudá-lo a voar. Te peço perdão, por todas as asas que não ajudei a extender-se. Te peço, não faça nunca mais passar indiferente ao irmão que ficou com uma asa apenas, a única asa, infelizmente presa nas cadeias da miséria, da solidão, o qual é persuadido a pensar de ser indigno de voar Contigo. Sobre tudo, para este irmão, dá-me ó Senhor uma asa de Reserva»

A nós homens de Igreja, dá-nos Senhor por intercessão de Maria, um coração de Pastor, segundo o teu coração, e abençoa este teu povo, “em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo!” Amém!.

 

Pe. Mateus Maria, FMDJ

paniejezuufamtobie@terra.com.br

 
UM FRATERNO ABRAÇO!!!
PERMANECEI NA PAZ E CAMINHAI SEMPRE NELA!
 
MOSTEIRO REGINA PACIS
PANIE JEZU UFAM TOBIE!!!
 


PARA MAIORES INFORMAÇÕES:
WWW.MOSTEIROREGINAPACIS.ORG.BR
http://rainhadapaz.blog.ter





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 23/03/09 às 13:56:19 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.


Visite o espacojames nas redes sociais:



LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES