Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.261.574
Visitas Únicas Hoje: 1.598
Usuários Online: 253
Sistema de Busca

 

Obras Malignas




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 4651 - Impresso: 70 - Enviado: 32 - Salvo em Word: 78
Postado em: 18/07/11 às 13:52:38 por: James
Categoria: Obras Malignas
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=31&id=8276
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Obras Malignas

De fato, desde de seus antigos lançamentos musicais, Gaga vem abusando de sensualidade altamente excessiva e ocultismo totalmente explicito, isso para alguns é nada mais do que simplesmente “arte”.

De Just Dance a Love Game, ou Bad Romance a Alejandro, vemos continuamente, além de suas performances, uma forte influência de aspectos religiosos ocultistas. Para os que as vezes tentam negar, é visto que a própria chegou a dizer que sonhou com um “ritual Illuminati”.

Seus sonho ou suas “artes”, para os cristãos que não tem dormido perante as profecias bíblicas, sabem mais do que qualquer outra pessoa, que isso é parte de uma das várias tentativas para que assuntos sérios sobre uma Conspiração Global contra Cristo, seja cada vez mais posta ao ridículo e transformada em entretenimento.

 


Seu mais novo álbum (dito por alguns como o mais esperados do ano),
“Born This Way” (Nasci desse Jeito), vem abordando, segundo próprios relatos da cantora, como um “Hino Pró Gay”. Seu próximo single “Judas”, parece ser ao mesmo estilo de Born This Way, mas com um pouco de Alejandro.



Entrevistador: Mal posso esperar para ver. Você diz que o próximo single é Judas, o que devemos esperar? Vai ser parecido com BTW ou como será?

Lady GaGa: BTW é muito único no álbum, é a “canção de entrada” do álbum e como todos os álbuns foram, tem um conceito e eu “viajo” por várias idéias. Judas é bem mais dark, é sobre constantemente andar em direção à luz, mas ao mesmo tempo tendo contato com o lado
escuro (da morte). O diabinho nas costas. Sobre como sou uma tola sagrada e sobre como alguns momentos da minha vida podem ser “cheios” (bons), e relacionamentos podem ser “cheios” eu ainda estou apaixonada por Judas e volto às coisas ruins.

 


Ao que parece (e que foi confirmado pelo recente lançamento do clipe do mesmo nome do álbum), Lady Gaga é outra artista que vem soltando idéias de “nova raça” e “seres extra-planetários” em seus recentes trabalhos. Para algumas pessoas que possam chegar a duvidar, é só olharem recentes lançamentos como “Skyline”, a série “V – Visitantes” ou até mesmo, sua performance no Grammy Awards a poucos dias atrás.
Alguns pelo enorme furor de um lançamento de mais um novo clipe, normalmente não darão muito atenção ao perigo que realmente estão vivenciando, o fato é que, por trás de todo esse jogo de “fim ao preconceito”, onde as pessoas querem que os direitos homossexuais sejam aceitos, e que as pessoas sejam menos preconceituosas com pessoas diferentes, não percebem, que nem os próprios fantoches que são usados para esse assunto, tenham tal intenção ou queiram realmente isso, mas que apenas estejam cumprindo mais um passo de uma Agenda Global para o aceitamento de um líder que prometerá Paz e Harmonia, o mesmo descrito como o Filho da Perdição.

Vemos que a todo momento, assuntos que abordam esse tema, não estão querendo deixar as pessoas menos preconceituosas, mas sim, influencia-las para tal hábito e prática, além é claro de uma enorme rede montada para influenciar para a promiscuidade, como o lançamento do filme “Bruna Surfistinha” ou até mesmo, a atual edição do Big Brother Brasil 11.

A definição dessa “raça”, é simplesmente um aglomerado de pessoas que se preparam com esse pensamento de mente aberta para todas as coisas, achando que quebrar tabus, ou mudar conceitos, é uma coisa que sempre terá que acontecer. Veja algumas declarações de Lady Gaga sobre o assunto:


“‘Born This Way’, quando eu escrevi pela primeira vez, era pra ser uma música sobre revolução, liberdade e falta de orgulho. E quando eu comecei a escrever as visões para, eu pensei tanto nos meus fãs, e são os monstrinhos que eu criei, e eles estão a raça em suas formas, eles são a raça da humanidade, meus fãs não tem preconceito, eles celebram todos, celebram a vida. E eu pensei que esse mundo que criamos juntos na Monster Ball, ele deveria se tornar universal e deveria se expandir… e monstrinhos deveriam tomar conta do mundo.”

 



Fonte; http://antipiramide.blogspot.com/2011/04/lady-gaga-so-nao-vequem-nao-quer.html





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 18/07/11 às 13:52:38 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.

LEIA TAMBÉM












Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES