O diabo e os detalhes da vida cotidiana
 
 
Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.026.596
Visitas Únicas Hoje: 210
Usuários Online: 135
Sistema de Busca

 

Destaque




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 1099 - Impresso: 21 - Enviado: 10 - Salvo em Word: 20
Postado em: 29/09/14 às 11:18:51 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=12650
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

Grandes santos e mártires aprenderam a combater Satanás nas coisas simples do dia-a-dia

Em maio deste ano, o diabo resolveu fazer uma aparição na Universidade de Harvard, mas acabou não conseguindo roubar todas as almas que tinham estado ao alcance das suas garras. É que a missa negra anunciada para acontecer no campus foi cancelada. Pior ainda: “católicos” começaram a “adorar” em massa o seu inimigo jurado, Jesus Cristo.

Felizmente para Satanás, porém, os seguidores do inimigo só ficaram incandescentes de fervor durante o mínimo tempo suficiente para estragar a sua grande noite. Hoje, eles já estão de novo convencidos de que o diabo voltou para o mundo lá de baixo e mal lhe dedicam alguma lembrança ao longo do dia.

Este é um erro que o escritor C.S. Lewis tentou nos impedir de cometer. Ele compôs uma espécie de cartilha que denuncia as táticas de Satanás: “As Cartas do Coisa-Ruim” [The Screwtape Letters]. Escrito em 1939, quando as bombas começaram a cair sobre a Grã-Bretanha, o livro de Lewis tentava avisar aos seus compatriotas que existe um inimigo dos cristãos que é ainda pior que os nazistas (Lewis recebeu mordazes críticas por causa disso).

O livro é um intercâmbio de cartas entre um jovem diabo em treinamento e seu tio satânico supervisor. O diabinho aprendiz se deleita com a declaração de guerra, na esperança de que os assassinatos, estupros, destruição e males de todo tipo se propaguem exponencialmente. O tio o repreende. As guerras, explica ele, também são oportunidades para o heroísmo e para o sacrifício pessoal. Elas podem ser um catalisador para muitos homens e mulheres salvarem as suas almas.

Quando eu lhe disse para não encher as suas cartas com bobagens sobre a guerra, eu quis dizer, é claro, que não queria ler as suas rapsódias infantis sobre a morte de gente e a destruição de cidades. Se esta guerra tem importância para o estado espiritual do seu paciente, eu quero, naturalmente, relatórios mais completos.
 
Agora que é certo que os humanos alemães vão bombardear a cidade do seu paciente e que as tarefas dele o manterão no meio do perigo, devemos trabalhar bem a nossa estratégia. Devemos induzi-lo à covardia - ou à coragem, desde seguida do orgulho ou do ódio contra os alemães (Carta 28 do diabo ao sobrinho).

E quanto a nós? Será que passamos os dias pensando em como corrigir os males do mundo ou tentamos cultivar o remorso e a contrição pelas nossas próprias falhas?

As “Cartas do Coisa-Ruim” nos apresentam muitas batalhas menores da vida diária que, no fim, podem importar mais para a nossa salvação do que as grandes campanhas contra os males globais.

O satânico tio supervisor sugere ao diabinho aprendiz que fazer os cristãos se voltarem uns contra os outros em questões morais é uma ótima forma de despertar o orgulho, que é um pecado capital. É possível, afinal, que os cristãos estejam "certos" em sua postura moral, mas "pequem por orgulho". E Satanás sabe o que vem antes de uma queda, não sabe?

Será que não é melhor meditar sobre a própria incapacidade de ser um bom cônjuge em vez de lamentar constantemente a agenda gay? Ou controlar a própria raiva prestes a entrar em erupção em vez de lamentar continuamente os males do terrorismo? Esta lista de prioridades pode, é claro, ser individualizada de sete bilhões de maneiras. Tenho certeza de que, pensando um pouco, você poderá criar a sua.

Grandes santos e mártires são pessoas que se tornaram muito hábeis na luta contra Satanás. Seus locais de combate não eram campos de batalha nem coliseus: eram qualquer lugar onde eles estivessem no dia-a-dia.

Em primeiro lugar, lembre-se de que a sua salvação eterna é a sua prioridade número um. Todo o resto vem por acréscimo. Um artigo recente na Aleteia lembrava aos leitores da facilidade com que o pecado é subestimado e até mesmo esquecido. C.S. Lewis fala sem papas na língua sobre a prioridade que deve ser dada aos aspectos "sobrenaturais" da fé cristã. O psiquiatra Karl Menninger faz o mesmo em seu livro “O que aconteceu com o pecado” [Whatever Became of Sin]. Mesmo os pequenos pecados são importantes, como ensina o Coisa-Ruim ao sobrinho:



Fonte: http://www.aleteia.org/pt





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 29/09/14 às 11:18:51 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.


Visite o espacojames nas redes sociais:



LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES