Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.190.005
Visitas Únicas Hoje: 281
Usuários Online: 126
Sistema de Busca

 

Destaque




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 1420 - Impresso: 25 - Enviado: 9 - Salvo em Word: 15
Postado em: 20/05/16 às 09:49:24 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=14307
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

Mas é preciso ter clara consciência dos riscos envolvidos nelas

Conta-se de uma criada que tinha o costume de entremear sempre nas suas conversas palavras levianas e frases inconvenientes, apesar das admoestações constantes de uma companheira que não cessava de dizer:

– À hora da morte chorarás amargamente esse mau costume, mas, talvez, sem proveito.

Uma tarde, foram as duas visitar a criada de um vizinho, gravemente enferma. Depois de suplicar que orassem por ela para que Deus lhe concedesse uma boa morte, ela acrescentou:

– Uma coisa, sobretudo me aflige: ter misturado, nas minhas conversas, palavras e frases obscenas. O meu confessor bem me dizia: quantos maus pensamentos e talvez más ações cometidas pelo próximo te serão imputadas à hora da morte! Agora vejo eu quanta razão ele tinha! Peço-vos que esqueçais as minhas más palavras, não sigais os meus exemplos e dizei o mesmo às minhas companheiras. Toda vez que entrardes no cemitério e deitardes água benta sobre a minha campa, pensai que me ouvis dizer, lá debaixo da terra: “Guardai-vos de conversas desonestas, que pesam terrivelmente sobre o coração no leito da morte”.

Todas as pessoas presentes ficaram profundamente impressionadas, e, mais que todas, a outra criada leviana, que, na volta, disse à companheira:

– Parecia-me que estava sobre brasas; prometo a Deus que nunca mais hei de sujar meus lábios com palavras desonestas.

Como é verdadeira a palavra do Salvador: “Ai daquele por quem vem o escândalo!”.

Se houver justo motivo para se falar de coisas delicadas e que geram o perigo de perturbar a pureza do próximo, então que se adote o maior recato e sobriedade, evitando-se toda má intenção e tendo-se todo o cuidado de não escandalizar as pessoas com quem se fala.

Quanto a ouvir conversas desonestas ou indecentes, note-se o seguinte: não é pecado ouvi-las involuntariamente; mas, quando se ri e se mostra agrado, não apenas se dá calor a quem fala para que continue, mas também se dá, aos outros, ocasião de escândalo: então há perigo de pecado mortal.

Não haverá pecado se, quando a conversa descamba para coisas torpes, te retiras ou, não podendo retirar-te, procuras levá-la para outro assunto. Há, porém, ocasiões em que nenhum destes meios é possível. Então se torna necessário não consentires; e, para não haver escândalo, deves mostrar-te desgostoso e desaprovar externamente tais conversas, baixando os olhos e pondo-te sério, por exemplo.

Os pais e superiores, em especial, têm obrigação moral de cortar energicamente todas as conversas impuras ou indecentes entre as pessoas que lhes estão subordinadas.

______________

A partir de texto do Frei Frutuoso Hockenmaier, O.F.M, em “O Cristão no Tribunal da Penitência”



Fonte: www.aleteia.org





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 20/05/16 às 09:49:24 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.


Visite o espacojames nas redes sociais:



LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES