LISTAR ARTIGOS DESTA CATEGORIA
LISTAR MENUS

Destaque



Artigo visto 1889 vezes




Visto: 1889 - Impresso: 67 - Enviado: 16 - Salvo em Word: 46
Postado em: 02/06/09 às 23:39:24 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=1677
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

A Coreia do Norte está preparando um míssil, concebido para atingir os Estados Unidos, cujo lançamento poderia ocorrer em semanas, aumentando a tensão depois do segundo teste nuclear subterrâneo realizado pelo país, informaram jornais sul-coreanos nesta segunda-feira, citando fontes não identificadas do governo.

Imagens de satélite e outros dados de inteligência sinalizaram nesta segunda-feira que o governo norte-coreano transportou seu mais avançado míssil de longa distância para a nova instalação de Dongchang-ni, próxima à China. Ele pode estar pronto para ser lançado nas próximas duas semanas, segundo relatou a agência de notícias sul-coreana Yonhap.


O jornal “JoongAng Ilbo”, citando uma fonte do governo da Coreia do Sul, afirmou que pode se tratar de um míssil balístico intercontinental que pode atingir até 6.500 km de distância.


Assim, o Estado do Alasca e bases americanas na ilha de Guam, no Pacífico, além de todo o Japão, estariam ao alcance do míssil.


Em visita a Manila, nas Filipinas, o secretário de Defesa americano, Robert Gates, disse que, apesar de a Coreia do Norte estar trabalhando em seus mísseis de longo alcance, ainda não estavam claros os objetivos do país.
A atividade no campo de lançamento ocorre depois de o Conselho de Segurança da ONU ameaçar punir Pyongyang pelo teste nuclear de 25 de maio, e antes de um encontro em Washington entre o presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, e o americano, Barack Obama, em 16 de junho.


O presidente sul-coreano alertou, em sua mensagem semanal no rádio, que país “nunca irá tolerar” ameaças militares.


A guarda costeira do sul estava escoltando barcos pesqueiros nas proximidades da ilha de Yeonpyeong, e a agência de notícias sul-coreana Yonhap informou que tropas da Coreia do Norte realizaram manobras anfíbias e manobras rápidas, o que poderia ser uma preparação para confrontos no mar.


As Coreias encerraram a guerra de três anos em 1953 com uma trégua, mas Pyongyang disse na semana passada que deixará de cumprir as condições do armistício. O governo norte-coreano também contesta a fronteira marítima ocidental determinada pela ONU, ao redor da qual conflitos sangrentos com a Coreia do Sul ocorreram em 1999 e 2002.
Nenhum incidente foi reportado na Zona Desmilitarizada que separa os dois países, e a vida parece normal no lado norte-coreano do rio Yalu, que marca a fronteira do país com a China.

 
Total Visitas Únicas: 6.493.114
Visitas Únicas Hoje: 589
Usuários Online: 187