LISTAR ARTIGOS DESTA CATEGORIA
LISTAR MENUS

Destaque



Artigo visto 2165 vezes




Visto: 2165 - Impresso: 55 - Enviado: 51 - Salvo em Word: 67
Postado em: 30/01/11 às 11:50:28 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=7215
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

Nos últimos tempos, sobretudo através de programas televisivos ou do cinema (por exemplo: a novela “Escrito nas Estrelas”, “Chico Xavier, o filme”, o filme “Nosso Lar”, a série, “A Cura”, etc.), têm-se propagado de forma intensa a doutrina e a prática espírita.

Também é muito comum ver católicos que freqüentam Centros Espíritas ou são adeptos desta doutrina. Ao mesmo tempo, da parte da Igreja, nem sempre temos recebido a devida orientação quanto à nossa identidade e àquilo que nos difere de outras crenças, doutrinas ou práticas místico-esotéricas. Cabe, então, à Igreja ser fonte de discernimento e orientação.

É missão primária da Igreja ser guardiã dos tesouros da fé (“combate o bom combate da fé, conquista a vida eterna, para a qual foste chamado e pela qual fizeste tua nobre profissão de fé diante de muitas testemunhas” – 1ª Carta a Timóteo 6, 12), ser anunciadora do Evangelho (“Ide por todo o mundo pregai o Evangelho a toda criatura” – Marcos 16, 15).

Ou sou Católico… Ou sou Católico!

O Brasil é o País com o maior número de batizados. Muitos são os batizados na Igreja Católica, porém, poucos são os “CATÓLICOS”. É comum ouvirmos: sou católico, mas não praticante! Na verdade, não é nada! Não existe meio termo! São João, no Livro do Apocalipse, assim diz: “…não és nem frio nem quente. Oxalá fosses frio ou quente; mas, visto que és morno, nem frio nem quente, vou te vomitar da minha boca” (Apocalipse 3, 15-16). Além disso, não podemos servir a dois senhores, ou ainda, ter uma fé-religião de conveniência, interesse, utilidade… A nossa opção é uma decisão de fé!

Catolicismo versus Espiritismo

O Espiritismo é amplamente difundindo nos dias de hoje. Infelizmente, alguns “católicos” declaram-se “espíritas” (ou adeptos da doutrina espírita) e vice-versa. Isto tudo, no entanto, revela, ao mesmo tempo, um desconhecimento total da teologia católica e da doutrina espírita. Total ignorância!

Em breve síntese comparativa, é possível demonstrar – a partir de alguns aspectos – o abismo e a contradição existentes entre a Teologia Católica e o Espiritismo (Kardecista).

a) Importante ter presente que o Espiritismo não é uma religião, mas uma doutrina.

b) Para nós cristãos-católicos a vida humana é irrepetível e única: “Está decretado que o homem morra uma só vez, e depois disto é o julgamento” (Carta aos Hebreus 9, 27). Assim, a morte é o fim da peregrinação terrestre. Quando tiver terminado “o único curso da nossa vida terrestre” (Lumen Gentium, 48), não voltaremos mais a outras vidas terrestres. Cremos na vida eterna! (cf. João 6, 27.51; Mateus 10, 28). A doutrina Espírita crê na pluralidade das existências terrestres. Assim, nossa vida atual não é a primeira nem será a última existência corporal (doutrina da reencarnação).

Ressurreição versus Reencarnação

c) Nós cristãos-católicos acreditamos firmemente na Ressurreição da carne. Como Cristo ressuscitou dos mortos e vive para sempre, assim também, depois da morte, os justos viverão para sempre com Cristo ressuscitado e Ele os ressuscitará no último dia (João 6, 39-40). A ressurreição dos mortos é um elemento essencial da fé cristã (cf. 1ª Carta aos Coríntios 15, 12-14.20). Deus na sua onipotência restituirá definitivamente a vida incorruptível aos nossos corpos unindo-os às nossas almas.

O Espiritismo centraliza a sua doutrina na reencarnação. A alma humana, separada do corpo pela morte, irá, durante certo tempo, alojar-se em outro corpo humano para purificar-se. Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sem cessar: eis a lei! A reencarnação traz consigo duas leis: a lei do progresso e a lei de causa-e-efeito. Na lei do progresso, é afirmado que a cada reencarnação o espírito avança no estágio da perfeição, sem regresso. À alma evoluída totalmente dá-se o nome de “espírito de luz”. Na lei de causa-e-efeito ou “lei do karma” acontece a purificação. O “karma” aparece como um sistema de purificação e progresso do espírito, onde todas as más ações devem ser purificadas, nesta ou em vidas seguintes. Decorre, desta concepção, uma visão essencialmente dualista e negativa do corpo humano!


Misericórdia versus “Karma”

d) Nós cristãos-católicos acreditamos na Misericórdia de Deus, na remissão dos pecados. Cremos na cruz redentora de Jesus, no seu amor que tudo renova, recria… O Espiritismo, baseado na “lei do karma”, crê que tudo o que se faz de errado deve ser pago. A conquista da meta final, para o espírita, se obtém por méritos próprios: em cada nova existência a alma avança e progride na proporção de seus esforços. A alma deve se reencarnar para expiar (remir) seus pecados e para progredir sem cessar.
Jesus, nosso Deus e Salvador versus Auto-redenção

e) Nós cristãos-católicos temos em Deus, a fonte de toda a vida, de toda a graça. A salvação vem de Deus. “É pelo sangue de Jesus Cristo que temos a redenção, a remissão dos pecados, segundo a riqueza de sua graça que Ele derramou profusamente sobre nós” (Carta aos Efésios 1, 7). O Mistério da Páscoa de Jesus (o sacrifício na Cruz e sua ressurreição – por AMOR) é a essência da fé cristã. Negá-lo é rejeitar o próprio Cristo! A Salvação consiste na comunicação da vida divina! Cristo nos concede a graça da participação da natureza divina (cf. 1ª Carta de Pedro 1, 4). Ninguém por si só e com as próprias forças se liberta do pecado e se eleva acima de si próprio. Todos necessitam de Cristo! O Espiritismo crê na auto-redenção. O perdão, a graça, a misericórdia não têm lugar na doutrina espírita. Aliás, não crê em Jesus Cristo como Deus! Para o Espiritismo, Cristo é um espírito avançado, “espírito de luz”, um modelo a ser seguido… mas não é Deus, não é Salvador! Desta forma, nega, também, a Santíssima Trindade! Assim sendo, o Espiritismo é essencialmente contraditório ao Cristianismo!

Professemos nossa fé

É inadmissível que um cristão-católico freqüente um Centro Espírita ou seja adepto da doutrina kardecista. Como é possível crer na reencarnação, negar a divindade de Cristo, ir ao Centro Espírita para receber um passe, para falar com os mortos… e depois ir à Igreja para celebrar o Mistério da Páscoa de Jesus, a nossa Salvação?


Com firme esperança, rezemos: “Creio em um só Senhor, Jesus Cristo… Deus verdadeiro de Deus verdadeiro. E por nós, homens, e para a nossa salvação, desceu dos céus… Ressuscitou ao terceiro dia… Creio na Igreja… Professo um só batismo para a remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos e a vida do mundo que há de vir. Amém”.
Pe. Dr. Tarcísio Pedro Vieira
Professor no ITESC

http://despertaicamiladorneles.blogspot.com/2010/10/por-que-um-catolico-nao-pode-ser.html

 
Total Visitas Únicas: 6.491.918
Visitas Únicas Hoje: 1.463
Usuários Online: 264