Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.270.746
Visitas Únicas Hoje: 306
Usuários Online: 208
Sistema de Busca

 

Artigos Site Aarão
Aqui estão relacionados alguns dos artigos extraídos do site www.recados.aarao.nom.br, site do Sr. Arnaldo que com inspiração divina, colocam matérias belíssimas que nos aproximam do amor de Deus e nos conduz à salvação.




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 2176 - Impresso: 96 - Enviado: 12 - Salvo em Word: 33
Postado em: 18/05/10 às 21:40:22 por: James
Categoria: Artigos Site Aarão
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=50&id=5188
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos Site Aarão

Mateus 10, 22Sereis odiados de todos por causa de Meu nome.... 17Cuidai-vos dos homens. Eles vos levarão aos seus tribunais e açoitar-vos-ão com varas nas suas sinagogas.. 21O irmão entregará seu irmão à morte. O pai, seu filho. Os filhos levantar-se-ão contra seus pais e os matarão... 23Se vos perseguirem numa cidade, fugi para uma outra. Lucas 21, 24Cairão ao fio de espada e serão levados cativos para todas as nações, e Jerusalém será pisada pelos pagãos, até se completarem os tempos das nações pagãs.

Quando a gente lê estes versículos bíblicos acima, falando em perseguição, em morte, em açoites, em torturas, e isso acontecendo até entre as pessoas de uma mesma casa, não há como não sentir um certo frio na barriga, pois tudo isso se cumprirá. Quando Jesus fala estas coisas, refere-se ao tempo final, ao tempo em que estamos hoje vivendo, o final do chamado tempo das “nações pagãs”, o “último tempo da redenção”, e por isso se diz “fim, dos tempos”, como está escrito: 24Cairão ao fio de espada e serão levados cativos para todas as nações, e Jerusalém será pisada pelos pagãos, até se completarem os tempos das nações pagãs (Lc 21, 24). Ou seja: estas perseguições seriam um sinal claro, de que estaríamos já vivendo no tempo final. Jerusalém, aqui, significa a Igreja!
 
     Alguém poderá dizer que sempre houve perseguições contra nossa Igreja, contra dos seguidores de Jesus Cristo e até que isso nunca deixará de ocorrer, entretanto é preciso olhar para ver os outros indicativos, entre eles o da totalidade. A perseguição muçulmana, por exemplo, se deu na Europa, na África e em parte da Ásia. Na Europa não existe mais pois foi quebrada, mas continua na Ásia e na África. Mas a perseguição a que Jesus aqui se refere, é algo que se estenderá por todas as nações da terra, de forma organizada, sistemática e furiosa, sob o comando do anticristo, para que se cumpram as escrituras.
 
     E as próprias antigas Escrituras também mencionam este tempo: Está em Daniel 12, 7... pelo eterno vivo, será num tempo, tempos e na metade de um tempo, no momento em que a força do povo santo for inteiramente rompida, que todas estas coisas se cumprirão. Este tempo indicado por Daniel, se refere aos últimos sete anos deste “tempo das nações pagãs”, ou “tempo final”, que conforme as últimas mensagens de Nossa Senhora tiveram início com a queda das torres, portanto, já mergulhamos fundo nele. Esta referência de Daniel, ao rompimento do poder do povo santo, refere-se seguramente ao tempo que segue, depois da saída de Pedro. É ali que explodirá a perseguição, já hoje em curso.
 
     Também está dito em Ezequiel 12, 25porque sou eu, o Senhor, que falo: o que eu digo sucederá sem mais delongas. É em vosso tempo, raça de rebeldes, que proferirei o oráculo e o executarei - oráculo do Senhor Javé. Vejam: ele indica exatamente um tempo de grande rebeldia contra Deus, em toda a terra – uma raça de rebeldes – que os oráculos teriam sua acelerada carreira de ódio. Ora, nunca, em toda a extensão do planeta terra, jamais existiu um povo tão rebelde, tão agressivo contra Deus, tão disposto a livrar-se do jugo do Altíssimo, e também tão mau e desafiador. Fiados no poder dos exércitos, das armas, da ciência e da tecnologia, eles se excederam nos limites e já gritam, abertamente, um insano brado de independência, que raia já à própria loucura.
 
     Entrementes, como se pode ver nas palavras dos textos: cumprir as Escrituras!.. Isso se cumprirá! É preciso que isso aconteça!... Tudo isso nos fala de um processo inexorável, que nenhuma força humana mudará, nem mesmo as orações, até porque o próprio Deus, ao expedir estes oráculos, já sabia que os povos rebeldes deste nosso tempo de trevas não se curvariam, não se converteriam, não rezariam e portanto, não haveria como evitar tudo isto. Ora, para um bom entendedor, só meia palavra basta! Isso nos ensina que devemos estar preparados, e a buscar as opções que Deus nos deu, pois efetivamente Ele jamais deixará a sós, a aqueles que Lhe permanecerem fiéis até o fim.  
 
     E efetivamente, nós temos hoje dois – apenas dois – caminhos claros diante de nós, e eles passam com certeza pela Cruz. Os dois caminhos nos levam à decisão final quanto as nossas almas, porque São Pedro nos ensina, que – neste tempo final – somente com elas nos deveríamos preocupar. Céu ou inferno, eis os destinos. Aceitar a Cruz ou rejeita-la, eis os caminhos a seguir! A rejeição sistemática da cruz, significa a obstrução completa do caminho da salvação e do Céu. Significa a ruptura definitiva com Deus. Isso é feito com a livre e decidida vontade de cada um, nem Deus e nem mesmo o demônio interfere nela. Cada um é livre para decidir seu destino eterno!
 
     Já quanto aos que aceitam a Cruz – felizmente a imensa maioria – dois caminhos de cruz nos são dados. Poder-se-ia dizer que nos é dado assim: 1 – Aceitar uma pequena cruz, fácil de levar e leve – Meu fardo é leve, Meu jugo suave – por muito tempo; 2 – Aceitar uma grande, dolorosa e sofrida cruz, por um curto tempo. Cada um pode decidir com toda liberdade, ou por uma, ou por outra. Na realidade, o tempo compensa o peso! É pois, bem mais fácil aceitar hoje, a cruz de cada dia, e seguir Jesus sem reclamações – uns ajudando os outros, e o Céu a todos – que depois pegar a dolorosa cruz da subida final, quando ninguém virá em nosso socorro.
 
     Infelizmente, a imensa maioria do povo que deseja a salvação, está optando sem dúvida pela segunda opção: rejeitam suas cruzes! São poucos, efetivamente poucos, em cada cidade, em cada família, que vão levando sua Cruz salvadora já hoje, pequena e fácil de carregar. Fazem isso facilmente pela conversão diária, pela busca assídua dos santos sacramentos – Confissão e a Sagrada Eucaristia – também pela oração do Rosário e a oração em família. Fazem isso aceitando as dores físicas, e aceitando também a dor das perseguições espirituais, dentro da família e da comunidade, especialmente pela rejeição da mensagem salvadora, fato que dói bem mais que o tormento físico.
 
     Muitas vezes, achamos que algumas pessoas são mais carregadas de cruzes que as outras, ou até que nossa cruz é mais pesada do que a dos que conhecemos. Em verdade, tantas vezes uma grande cruz de dor física, é até mais fácil de carregar que uma dor espiritual. Pode ser bem mais leve aceitar a cruz de um câncer terminal – embora as dores – do que a dor de ver as almas indo á perdição e não conseguir agir. Sentir-se impotente diante disso! Porque a primeira dor se mede com uma vida neste mundo, a segunda se mede pelos parâmetros da eternidade.
 
     Entretanto, os que aceitam sua pequena Cruz diária, já agora, seguem avante felizes, porque sentem sem dúvida a presença de Deus ao se lado, animando, amparando e enchendo a almas de esperanças. Então tudo se torna fácil, e para estes a perseguição que vem – e vem a passos largos – também será fácil, porque cumpriram já seu caminho, pagaram já a parte maior de sua cota de sofrimentos, e estando e vivendo o estado de graças, serão amparados pelos anjos diretamente, pois pertencem a Deus. Para a imensa maioria destes, a tribulação passará fácil, será curta, pois quase não serão atingidos.
 
     Mas a mesma coisa não se poderá dizer daquela imensa maioria incauta, que está deixando o momento da conversão para o final. Que está rejeitando totalmente sua cruz pequena de agora, ou levando apenas parte dela! Ninguém chegará à salvação sem a cruz, porque: “O discípulo não é mais que o mestre, o servidor não é mais que o patrão” (Mt 10). E se Deus permite que alguns levem as cruzes dos outros, isso não quer dizer que a soma dos sofrimentos deles será menor. Cada um com sua parte! Que você prefere? Uma simples ferida que não dói, e que não se cura por muitos anos, ou um câncer doloroso, entre dores inauditas, mesmo que por curto tempo? Pois a maioria da humanidade está escolhendo este caminho. Sofrerão sozinhos, sofrerão o inaudito, tudo no final.
 
     Vejam o que está escrito em Lucas 21, 32Em verdade vos declaro: não passará esta geração sem que tudo isto se cumpra. 33Passarão o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão. 34Velai sobre vós mesmos, para que os vossos corações não se tornem pesados com o excesso do comer, com a embriaguez e com as preocupações da vida; para que aquele dia não vos apanhe de improviso. 35Como um laço cairá sobre aqueles que habitam a face de toda a terra. 36Vigiai, pois, em todo o tempo e orai, a fim de que vos torneis dignos de escapar a todos estes males que hão de acontecer, e de vos apresentar de pé diante do Filho do Homem. Virá de repente, será difícil, será terrível para a maioria!
 
     A geração a que Jesus Se referia, não era a do tempo dos apóstolos, mas sim a atual, a nossa geração, que será – já está sendo – testemunha destes acontecimentos. Todos aqueles que estão deixando agora suas cruzes de lado, serão aqueles que no futuro estarão de joelhos diante do Tribunal de Deus, pedido misericórdia, porque hoje parecem não terem preocupação alguma com suas almas, vivendo de comilanças e de bebedeiras. Serão pegos de surpresa, como ladrão, conforme Jesus o previu!      
 
     Na realidade Deus está dando hoje a todos, chances absolutamente iguais. As graças que Ele derrama hoje, como nunca, sobre todas as almas que criou são ilimitadas, mas infelizmente poucos querem saber delas. Uma destas graças é o entendimento deste tempo, a compreensão dos sinais que antecedem o tempo de intervenção de Deus e da implantação do Novo Reino. E Deus tem avisado a todos indistintamente, seja pela Sua Palavra Eterna sempre presente, seja pelos profetas atuais, as trombetas de Deus, e até mesmo em sonhos, em visões e em revelações particulares. Basta estar atento!
 
     Eu estava, dias trás, como numa floresta rala, como árvores esparsas dentro de uma pastagem. E desde longe, escutava gritos de desespero, como se fosse uma perseguição. Eram gritos de angustia misturados a berros de fúria de outro. Pareciam, ao longe, vozes humanas, porém, chegando mais perto, percebi que eram duas aves. Ambas bem gordas, uma perseguia a outra. A da frente parecia cansada, e mal chegava a um galho, já a outra vinha e a bicava pelas costas. E assim, continuavam de árvore em árvore por certo tempo.
 
    Por trás de uma árvore grossa, eu observava aquilo e devo confessar que aqueles berros humanos me deixavam arrepiado. Nisso percebo que as duas aves vêm voando em minha direção, uma bicava nas costas da outra em pleno ar, e saindo de traz do tronco, as apanhei facilmente pelas pernas, em pleno vôo, uma em cada mão. Mas por incrível que pareça, embora a primeira estivesse completamente ensangüentada, estava rígida, seca como uma ave empalhada. E a que perseguia também: mal a peguei no ar, deu um último sorvo de ar e ficou imediatamente dura, seca, como empalhada. Sim foi um sonho!
 
     Impressionado com aquilo, e vendo que isso tinha a ver com a perseguição futura, a que seremos submetidos, relatei isso ao Cláudio e a resposta da Mãe foi esta: Os ataques virão de todos os lados, de todas as correntes, mas não terão forças – palha – contundo não devemos nos esconder, pois sempre seremos encontrados. Ou seja, ataques não somente ao nosso Movimento, mas a todos aqueles que seguem a Jesus, entretanto, eles não terão forças, e serão como as aves que mal tocadas se tornaram rígidas, duras, secas como a palha, e não tiveram mais força de ação. E observem o que a Mãe diz: sempre seremos encontrados. Ou seja: Ela estará sempre conosco, não há pois o que temer.
 
     O que tem nos sido indicado neste tempo final, é a necessidade do perdão. Hoje, mais do que nunca, o perdão é a grande arma para destruir as forças infernais, e mais forte será esta arma, e mais demolidora contra estas forças, quanto mais difícil for. Deus está disposto, embora tudo, a promover um Grande Perdão ao homem, entretanto o demônio, que odeia o perdão – que até a ele poderia salvar – combate este sentimento com fúria assustadora. Na verdade, ele fica totalmente impotente, inerte, seco, duro e sem ação – como aquelas aves – quando as pessoas se perdoam amorosamente. Ouçam isso:
 
     Eu subia por uma estrada conhecida, e quase chegando ao topo, vejo passar por mim em pequeno cão peludo, cinza, extremamente sujo e fedorento, que vinha com o rabo entre as pernas e andava de lado como um reles vira-lata. Olhando para cima, vi que ele acabara de sair de dentro da carniça de uma vaca morta à beira do caminho. E chegando mais perto – eu tinha que passar ali – vejo sair outro cão de dentro da ossada, mas este era gordo, de pelo liso, entretanto sua cabeça era óssea e descarnada, sem orelhas, o que – além do cheiro nauseabundo – o tornava num animal horrível e repugnante.
 
     Como ele saísse devagar, abaixei-me ao chão e pegando uma pedra fiz menção de atirar nele, gritando para que se fosse rápido. Mal porém fiz este gesto, antes de fugir ele investiu rosnando contra mim, mas não me mordeu. E virando-se foi saindo a passos lentos. Quando estava mais longe, mais uma vez gritei para espanta-lo e fiz menção de lhe jogar a pedra, e novamente ele veio até bem pertinho de mim, todo eriçado e rosnando, sem no entanto me morder. Como eu nada lhe fiz, ele afastou-se e foi se enrodilhar adiante, deitado, e ficou lambendo uma de suas patas como se estivesse ferido. Nisso vi sair ainda um terceiro cão, bem menor, que foi se deitar perto deste último.
 
     Como o cão lambia continuamente sua pata direita, aproximei-me por trás dele, e vi que haviam enterrado nela, uma série de estrepes, como rebites, sendo dois mais grossos e uns cinco mais finos. Sem medo algum, embora nauseado pelo cheiro do bicho, abaixei-me, e com facilidade retirei todos os estrepes do pé dele, sem que me fizesse nada. Então ele se levantou, e afastou-se rápido, como se estivesse agradecido. Como o cão pequeno estava ali também, vi que ele tinha igualmente um destes rebites enfiado na patinha, e o retirei com facilidade, desaparecendo também este. Claro, mais um sonho... mas explica!
 
     Em discernimento, conversando com o Cláudio, vejo que este sonho nos dá uma série de lições, que servem para muitos. O fato de ir retirar os espinhos do pé dos animais, embora todo o asco, significa o pedir perdão. Perdão que uma vez dado, quebra o efeito do ódio, que afasta a confusão e a discórdia. Perdão que afugenta os demônios. Por outro lado, nos ensina não somente a perdoar sempre, como a não revidar os ataques. Como viram, o cão vinha até perto, mas não conseguia me morder. Uma força o impedia. E na realidade, se eu revidar, somente vou aumentar o ódio, a fúria, dos oponentes. Mesmo que eles sejam pessoas difíceis – fedorentos – devemos perdoar sempre, como Deus nos perdoa: incondicionalmente! Quem fizer isso será salvo! E salvará multidões!
 
     Na realidade, quando chegar esta perseguição maior – e já agora – a melhor coisa a fazer é não revidar. Não jogar pedras e sim rezar! Como os leitores podem observar, nos últimos meses, não tivemos mais nenhum ataque dos protestantes – este último foi dos que se dizem católicos, os “irmãos” e os “pais” que nos matarão adiante – pois aconteceu algo prodigioso. Eu percebi que, se retrucasse a cada carta deles, em primeiro lugar não converteria ninguém, em segundo estaria perdendo meu tempo. Então decidi colocar tudo nas mãos de Deus – Ele nosso refúgio e fortaleza, a quem temeremos? – e respondi para os últimos com frases bíblicas lhes dando o perdão. Salutar efeito, os ataques sumiram!
     
     Para complementar isso, olhe agora para a lição que está em Mateus 10, 17Cuidai-vos dos homens. Eles vos levarão aos seus tribunais e açoitar-vos-ão com varas nas suas sinagogas.18Sereis por minha causa levados diante dos governadores e dos reis: servireis assim de testemunho para eles e para os pagãos. 19Quando fordes presos, não vos preocupeis nem pela maneira com que haveis de falar, nem pelo que haveis de dizer: naquele momento ser-vos-á inspirado o que haveis de dizer. 20Porque não sereis vós que falareis, mas é o Espírito de vosso Pai que falará em vós.
 
     Nas leituras desta semana, vimos que os fariseus mandaram açoitar os apóstolos e os proibiram de falar em nome de Jesus, prova que, já desde aquele tempo sem cumpriam os Seus oráculos. Mas o Espírito Santo falava por meio deles, de modo que não tinham como retrucar às palavras de Sabedoria. A pregação de São Pedro, um homem iletrado, não versado nas Escrituras como certos doutores da Lei, os deixava pasmos e sem saída. Como sabiam de tudo aquilo, se não fosse pela força de Deus? E assim acontece hoje, e assim acontecerá amanhã! Não nos precisamos preocupar com o que dizer, porque com palavras de Sabedoria Eterna o Espírito Santo instruirá a cada um sobre o que dizer.
 
     E a Palavra continuam em Mateus 10 21O irmão entregará seu irmão à morte. O pai, seu filho. Os filhos levantar-se-ão contra seus pais e os matarão. 22Sereis odiados de todos por causa de meu nome, mas aquele que perseverar até o fim será salvo. 23Se vos perseguirem numa cidade, fugi para uma outra. Em verdade vos digo: não acabareis de percorrer as cidades de Israel antes que volte o Filho do Homem. 24O discípulo não é mais que o mestre, o servidor não é mais que o patrão. 25Basta ao discípulo ser tratado como seu mestre, e ao servidor como seu patrão. 
 
     Acreditem, a perseguição trará este tipo de coisa. Já hoje as pessoas de bem são, de certa forma, perseguidas em suas paróquias, e se obrigam a buscar outras por absoluta falta de condições até de rezar. Já hoje o ódio impera em algumas localidades e posso dizer que aqui não é diferente. Na realidade, não nos atacam por frente, mas mordem por trás. Confabulam! Ironizam! Satirizam e riem da gente! E preparam assim o seu espírito de discórdia e divisão – achando que estão certos – para os tempos nefastos onde, induzidos por satanás, chegarão a matar em nome de Deus. Que Deus?
 
     Ora, acaso não é hoje que – como ontem – dizem que Jesus não existiu, ou que Ele fazia milagres pelo poder do demônio? Há milhões de “católicos” se preparando para isto! Loucos por acreditar em falsas novidades se disporão a isso tudo. Tendo coceiras nos ouvidos por acreditar em novidades mentirosas. Não, não se trata de pessoas más, de índole perversa, mas sim de gente cega para a realidade. Todo católico que vai assistir aos filmes que blasfemam contra Cristo – sabendo que encontrarão exatamente isso lá – fazem parte deste time de cegos. Também os que lêem livros que blasfemam contra Jesus.
 
    Sim, quanto ao anticristo e seus sequazes está dito no Apocalipse 13, 5Foi-lhe dada a faculdade de proferir arrogâncias e blasfêmias, e foi-lhe dado o poder de agir por quarenta e dois meses.* 6 Abriu, pois, a boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar o seu nome, o seu tabernáculo e os habitantes do céu. 7Foi-lhe dado, também, fazer guerra aos santos e vencê-los. Recebeu autoridade sobre toda tribo, povo, língua e nação, 8e hão de adorá-la todos os habitantes da terra, cujos nomes não estão escritos desde a origem do mundo no livro da vida do Cordeiro imolado. 9Quem tiver ouvidos, ouça! 10 Quem procura prender será preso. Quem matar pela espada, pela espada deve ser morto. Esta é a ocasião para a constância e a confiança dos santos! Sim, o tempo deles já está correndo...
 
     Ora, se eu sei que existe lixo e podridão num local, se já pessoa honestas me disseram isso, por qual motivo tenho eu de me aproximar deste fedor? Sim, acaso não poderei sair dali contaminado? Satanás é esperto e sabe muito bem camuflar seus ardis. Eles parecem ter cara de verdade e sendo colocados asquerosamente como são, podem fazer as pessoas duvidarem de sua fé, desacreditarem de sua Igreja, aceitando as teses nefastas propostas nestes veículos obscenos. Tudo pois, que ataque nossa Igreja Católica, que se saiba ser ofensivo contra o nome de Jesus, deve ser evitado, porque se todos pagarem para ler e assistir a estas obras, estarão dando poder ao demônio, e lucro para os seus promotores.
 
     Digo então, tudo isso que está acontecendo, e explodindo em alta velocidade, com a exposição de obras obscenas, “arte” que vem do inferno, como as obras de uma artista que se assina por “X” – xis que marca sua alma para o tormento eterno – expostas no Banco do Brasil do Rio de Janeiro, tudo isso é perseguição organizada. Se você buscar o site oficial desta pseudo “artista”, verá sua obsessão furiosa pelo órgão sexual masculino, em tudo retratado, com mulheres em poses degradantes, completamente nuas e de traseiro nu virado para a tela, verdadeiro horror em pornografia, já passando do obsceno, para o virtualmente degenerado. E a isso ela chama arte! Que as crianças bebem...
 
     E vem o senhor “ministro da cultura” defender a artista, como se afrontássemos a lei, quando os princípios constitucionais que defendem a liberdade religiosa, estão acima, mil vezes, dos direitos de se expressar blasfemando contra a fé de pessoas de bem. Milhões de brasileiros – a imensa maioria é católico – se repugnam contra esta atitude, mas mesmo assim eles afrontam e ainda têm coragem de invocar a lei a seu favor. Então um gay tem o direito de defender seu comportamento hediondo, mas um católico não tem direito de se defender contra um ataque tão diabólico? Que lei esta? Ministro este, ou “sinistro”, pois marcado pelo ferrete da infâmia?
 
     Por outro lado – como temos afirmado – a nossa defesa está em Deus. É pela oração e pelo perdão que venceremos no final. Rezando por pessoas como “X”, e como o “sinistro” ministro, tirando os espinhos de suas almas, os cravos da morte eterna, que já lhes foram impostos por satanás. É através desta atitude que quebraremos o jugo das trevas sobre eles, nunca pegando em armas físicas. Óbvio, ninguém poderá deixar isso passar em branco, sem a utilização dos meios legais, porque seria conivência. Eis que o provérbio diz: o mal avança, porque os bons se calam! Mas estes devem falar pela linguagem do amor, do Espírito do Pai, não pela linguagem do ódio que este apenas amplia o fosso.
    
     Este é pois, mais um “sinal dos tempos”. E está em Ezequiel 12, 21A palavra do Senhor foi-me dirigida nestes termos: 22filho do homem, que ditado é esse que corre em Israel: passam os dias, mas as visões ficam sem efeito?* 23Pois bem, dize-lhes: eis o que diz o Senhor: farei cessar esse provérbio, não se repetirá mais isso em Israel. Dize-lhes, pois: aproximam-se os dias em que todas essas visões se hão de cumprir. 24Nenhuma visão daqui por diante será vã e nenhum oráculo, ineficaz em Israel. Tudo se cumprirá!
 
     Não resta dúvidas de que este comportamento odioso de certas pessoas, já de todo entregue ao mal, à obscenidade, à imundícia, à blasfêmia contra o sagrado, ao ódio contra tudo que vem de Deus Verdade, fará com que o Braço do Pai de súbito aja. Ele não deixará de vir em socorro de todos aqueles que choram e gemem invocando a ação do Deus Altíssimo, pois, com certeza já se abriu o quinto selo do Apocalipse eis que está dito:
 
     Apocalipse 6, 9Quando abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos homens imolados por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho de que eram depositários. 10E clamavam em alta voz, dizendo: Até quando tu, que és o Senhor, o Santo, o Verdadeiro, ficarás sem fazer justiça e sem vingar o nosso sangue contra os habitantes da terra? 11Foi então dada a cada um deles uma veste branca, e foi-lhes dito que aguardassem ainda um pouco, até que se completasse o número dos companheiros de serviço e irmãos que estavam com eles para ser mortos... A perseguição virá! Mas virá logo também a ação de Deus contra os perseguidores, os maus, os rebeldes...
 
      Pois continua Apocalipse 6,  12Depois vi o Cordeiro abrir o sexto selo; e sobreveio então um grande terremoto. O sol se escureceu como um tecido de crina, a lua tornou-se toda vermelha como sangue* 13e as estrelas do céu caíram na terra, como frutos verdes que caem da figueira agitada por forte ventania. 14O céu desapareceu como um pedaço de papiro que se enrola e todos os montes e ilhas foram tirados dos seus lugares. 15Então os reis da terra, os grandes, os chefes, os ricos, os poderosos, todos, tanto escravos como livres, esconderam-se nas cavernas e grutas das montanhas.... Se tiverem tempo!
 
Quero ver então “ministros de cultura” defendendo “artistas” imorais e obscenos!
Quero ver então, presidentes e partidos defendendo o homossexualismo e o aborto!
Quanto a nós... aquele que perseverar até no fim, será salvo.
Arnaldo



www.recadosaarao.com.br





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 18/05/10 às 21:40:22 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.

LEIA TAMBÉM












Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES