Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.273.092
Visitas Únicas Hoje: 31
Usuários Online: 394
Sistema de Busca

 

Artigos Site Aarão
Aqui estão relacionados alguns dos artigos extraídos do site www.recados.aarao.nom.br, site do Sr. Arnaldo que com inspiração divina, colocam matérias belíssimas que nos aproximam do amor de Deus e nos conduz à salvação.




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 1676 - Impresso: 66 - Enviado: 30 - Salvo em Word: 32
Postado em: 21/10/10 às 14:16:28 por: James
Categoria: Artigos Site Aarão
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=50&id=6473
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos Site Aarão

Desde há muito tempo que temos daqui – e muitos de todas as partes – alertado quanto ao crescimento da violência, que se espalha como um rastilho. Em todas as partes do mundo, em todos os países sem exceção, existe latente uma força de mal, um fogo de ódio, que tende a incendiar-se devido a milhares de rastilhos. Há pólvora acumulada desde os séculos, há dinamite de mil nobéis estocada algures em qualquer canto deste planeta. Falo não somente de bombas que explodem, mas de fogos de ódio e de morte que se irradiam de milhões de almas e corações doentes.


Nós temos visto, acompanhando o desenvolver dos povos, em especial nas duas últimas décadas, um crescimento assombroso nos níveis de violência, sendo que ano a ano, sempre têm crescido as estatísticas neste sentido. Em toda a terra, em todos os países – sem exceção de um só – a polícia e os governos, não têm mais conseguido manter a ordem pública, eis que as prisões estão abarrotadas – a um custo impagável para a sociedade – e milhões de mandados de prisão sequer são cumpridos, por falta de espaço nos presídios. De fato, fala-se que, em São Paulo por exemplo, existem mais mandados de prisão não cumpridos, que maus elementos atrás das grades.
 
     Onde iremos parar? Melhor perguntando: terá isso um fim? Nós que observamos os tempos pela ótica das profecias, que vemos o mundo não pela vista cega dos incautos, mas pelo olho clínico da Bíblia, sabemos muito bem onde tudo isso vai dar. Sabemos também, que o fim disso tudo é uma explosão monumental, que está tão próxima, mas tão próxima, que até mesmo o cheiro de sangue humano já se faz sentir nos ares. Aliás, se o profeta diz que ele chegará até a altura do freio dos cavalos – um metro de altura em alguns lugares – isso nos traça diante dos olhos um quadro escabroso, inimaginável.
 
     Os acontecimentos atuais de França, que se espalham já por toda a Europa pagã, na realidade são pequeníssimos reflexos, centelhas, miseráveis fagulhas, daquilo que ainda virá para aqueles povos. O leitor ficará chocado se eu disser que o povo que até agora, em uma semana, já queimou mais de 6 mil carros naquele país, um dia apresentará número de 6 milhões de carros, 60 milhões, 600 milhões, não somente lá, mas em toda a terra e até mais que isto, é porque SIM, isto está em curso, a França é apenas o começo, no Brasil chegará também, quem sabe com um pouco menos de violência. Mas virá sim!
 
     Está em jogo uma luta monumental, AMOR x ÓDIO, e o tempo é do ódio! Eis que por milhares de anos os homens rejeitaram o amor de Deus, que se fazia humilde, rastejante, que se derramava em borbotões pela terra inteira à disposição de todos os homens, e agora este amor é sufocado, calado, espezinhado e já morreu em muitos corações. E à medida que o amor vai sendo expulso dos corações, na mesma proporção de ímpeto este espaço é ocupado pelo ódio. Ódio insano, mortal, sanguinolento, sedento de morte, que está para dominar todos os povos da terra, e fazer sucumbir quase a humanidade inteira. Sim, e engolfada em sangue. No próprio sangue humano! A Bíblia diz isto, não eu!
 
     A França é a primogênita de Cristo na Europa. Foi ali, em Marselha, que aportaram miraculosamente Lázaro, Marta e Madalena, os discípulos de Jesus, e estes começaram a evangelização deste país, que foi o primeiro resgatado para o amor. E França foi sempre a predileta de Deus, morava no coração do Altíssimo, deu à Igreja muitos santos, muitos doutores, até reis santos, tudo em troca do amor e das gentilezas de Deus. E por isso a França era amada mais que todas, até mais que Roma, e morava no coração do Pai.
 
     Mas o fermento do embusteiro inflava a entranhas de França, e eis que a primogênita na busca de Cristo, se tornou também a primogênita em busca de afrontar, a este mesmo Deus, e isso se deu na pavorosa Revolução Francesa, não revolução mas convulsão do ódio intolerante. Os livros de história, que os nossos filhos se obrigam a engolir, não registram a verdade em Deus, mas sim a vitória do ódio, falam pela ótica de satã, registram o grito insano dos rebeldes, dos sedentos de sangue, o brado odioso das organizações secretas, que há séculos, já tramavam contra o povo bom, contra os filhos de Deus. E França acolheu os insanos e se deixou dominar por eles!
 
     Sim, a Alemanha nos legou Lutero e sua rebeldia, seus seguidores, no ódio e na desobediência, e isso veio a esfacelar o Evangelho de Cristo como nunca antes. Em troca deste motim de ódio insano, a Alemanha recebeu a paga de Hitler e seus exércitos, dos seus fanáticos adoradores e filhos de satã, que causaram milhões de mortes, destruição, arrasamento, pois toda a terra foi lavada em sangue, tal o genocídio ali praticado. Mas isto é certo, França – antes de Napoleão e suas guerras – continua na frente com seu germe de ódio que ainda lhe trará muitas dores, imensa destruição, milhões de vidas humanas ceifadas, questão de tempo.
 
     Dirá alguém que Deus é cruel em permitir que os povos se estraçalhem desta forma, e eu perguntarei: onde está, onde, no Evangelho que Jesus tenham mandado matar, mentir, enganar, adorar deuses falsos e ao dinheiro, criar seitas secretas, adorar ao demônio, além de criar leis tendenciosas e perseguir seus próprios filhos? Onde está no Evangelho, que Jesus tenha mandado as mães sufocarem seus filhos nos ventres, onde está que Ele tenha mandado pesquisar com embriões humanos, onde está que Ele tenha pregado contra a vida do nascituro, contra a vida do órfão e da viúva? Onde está dito ali que um país, um continente como o Europeu se poderia dar o direito de expulsar a Deus de suas leis maiores, quando a verdade de Jesus é esta: sem Mim, nada podeis fazer?
 
     Quem soltou os freios do inferno não foi Deus, foi o próprio homem! Quem abriu o selo do abismo não foram os anjos, mas os demônios! Quem abriu a sela da morte, não foi a Igreja católica, mas a igreja de satanás! Quem busca a revolta e prega o ódio são as seitas, são as religiões de satã, não nossa Igreja que é pacífica. E agora, tendo o inferno em fúria, tendo diante de si aberto o abismo, tendo escancarado diante dos olhos a porta da morte, dirão que Deus deve frear a loucura humana? Agora resta ao homem administrar sua cota de loucura! Resta a França começar a sentir os efeitos do inferno – que é fogo – pelo fogo que começa a lhe corroer as entranhas, pois está dito nas escrituras: a terra será reservada para o fogo do Dia do Juízo de Deus!
 
     Na realidade, terá que ser assim. Sempre tenho dito, e insistido nesta tecla: não existe outra forma de dominar o homem, de dobrar esta criatura insana aos pés de Cristo, que não seja pela dor extrema, pelo sofrimento inaudito, pelo terror do assombro, pela visão estupefaciente das trevas. Enquanto os homens não verem os povos de toda a terra se trucidarem uns aos outros como animais carniceiros, como cães raivosos, enquanto as pessoas não vierem sua casa sendo dilacerada pela discórdia, enquanto não virem seus filhos sendo massacrados, suas filhas e esposas sendo violentadas impunemente – e isso em toda a terra, e isso se faz pelo poder do inferno – nunca ele irá entender que isso não vem como castigo de Deus, e sim pelo fogo do ódio que ele mesmo acendeu, atiçou e soprou forte, para que incendiasse o mundo inteiro.
 
     Na realidade, sempre, Deus domina sobre tudo, e domina sobre o caos. Deus domina os infernos e lhes impõe certos limites, e os demônios obedecem ciosamente, mesmo que com ódio furioso e manifesto. Mas veja, os homens têm também autoridade sobre os demônios, e os podem soltar quando quiserem. Quem autoriza o inferno de tocar fogo na terra, são os próprios homens, na medida de seu próprio ódio, de sua própria fúria e insanidade. Quanto mais os homens se afastam de Deus e de Seus mandamentos, mais se embarafustam nos becos de satã, mais se perdem em seus labirintos, mais caem em suas redes de ódio e terror. Ou seja: quando o homem se afasta de Deus, autoriza ao inferno para que aja em seu nome, e em sua própria vida, em sua família.
 
     E Deus permite isso, porque respeita a liberdade que deu ao homem. Existe uma Lei e ninguém pode alegar ignorância dela. Deus não obriga ninguém a segui-la, mas sem dúvida é somente através do cumprimento dela que o homem pode se tornar plenamente feliz. Mas como fazer os homens entenderem isso, se do outro lado os apelos do mundo, as mentiras de satanás o envolvem nos sentidos com tamanha intensidade? O grande problema é que o maligno não conseguiu levar o homem a este estado de coisas de uma hora para outra. O fruto que os homens hoje colhem, foram plantados através dos séculos e foram regados dia a dia com carinho pelas trevas. Tudo foi feito devagar e ardilosamente de tal forma a levedar toda a massa, hoje começando a entornar da bacia.
 
     O que acontece na França é uma monumental injustiça. Nos séculos passados, os habitantes das colônias francesas foram incentivados a virem morar no país, e para isso foram construídos imensos guetos – mal construídos casarões – nos arredores de Paris. Este povo, vindo aos milhares, especialmente de origem árabe, negra e maometana, em grande parte foi o responsável pelo crescimento econômico do país, devido à mão de obra abundante explorada e barata. Para que se exercesse uma justiça social perfeita, os filhos e filhas nascidos destes imigrantes, deveriam ser absorvidos como cidadãos do país, terem os mesmos direitos sociais, e participarem com justiça e igualdade das regalias da nação rica. Mas não acontece assim!
 
     Segundo Terra, “a realidade na França é que poucos conseguem mudar de vida desse jeito, e não são muitos os que encontram empregos decentes que lhes permitam ter sucesso de outras formas. As crianças vivem cercadas por um ambiente de elevado desemprego e falta de oportunidades, o que alimenta a sensação de desesperança que levou aos distúrbios.  A maioria das escolas em subúrbios violentos também carrega a etiqueta ZEP, sigla que identifica estabelecimentos voltados para crianças com dificuldades de estudo. "Isso já faz as pessoas sentirem que não há esperança", disse Abdel, 20, morador de Grigny. Muitos dos jovens arruaceiros estão em idade escolar e deveriam estar nas salas de aula. A maioria dos detidos, porém, já tem uma longa folha corrida policial”.
 
     Ora, a realidade de outros países da Europa não é diferente. Quase todas as nações européias participaram do processo de colonização da terra, e na maioria teve milhões de imigrantes vindos das colônias além mar. E estes imigrantes todos, foram responsáveis diretos pelo crescimento dos diferentes países, entretanto, à medida que o bem estar atingiu um nível elevado, parece que os cidadãos tradicionais destes países sentem-se no direito de agora expulsar os que os ajudaram a crescer, imperando entre eles um fogo de ódio que está rompendo todas as barreiras. Agora os países não querem pagar a conta, eis o motivo pelo qual a violência explode com tanta intensidade. E chagará a todos, até porque são atiçados pelo inferno e pela besta, que exige isso como parte de seu plano.
 
     Em verdade, este motim organizado, apenas começou. Tudo agora são testes, porque qualquer palavra dita por qualquer dos lados, pode ser estopim de uma violenta erupção. Bastou o ministro da defesa dizer que aquilo era produto da “escória” da sociedade para que a revolta se espalhasse como uma fumaça negra, deixando atrás de si o fogo de milhares de automóveis incendiados, também salas de aula e estabelecimentos comerciais com saques e terror por todos os lados. Fogo do ódio racial, ódio religioso, ódio entre os diferentes povos, raças e etnias, ódio entre os países, ódio entre os diferentes bairros, ódio entre as torcidas organizadas, dos diferentes times, de mil tipos de esportes. Ódio entre os ricos e pobres, ódio entre os inteligentes e os menos favorecidos, ódio entre os governos e os seus governados. Em suma, ódio nas famílias, ódio debaixo de cada teto!
 
     Foi o homem quem chamou o diabo para dentro de sua casa, de sua vila, de seu país. Foi o homem quem autorizou o inferno a que lhe ditasse as leis e normas do mundo. Foi o homem quem permitiu a satã infiltrar-se em todos os setores da sociedade, para ali depositar seus ovos. Ovos de serpente maligna! E se agora descascam áspides, quem terá direito de exigir que eclodam anjos, se durante milênios tudo o que o homem fez foi gradativamente fugir do amor de Deus, trocando a ternura pelo ódio, trocando a humildade pelo orgulho, trocando a verdade pela mentira, trocando a caridade pela ganância, a usura e a avareza. Dos ovos do mal, aceitos, aquecidos, zelados e chocados pelos homens, eles não poderiam esperar outra coisa que não fossem eclodir pecados, vícios capitais, e torpezas, violência generalizada e morte, fogo e ódio.
 
     A semente foi plantada em bilhões de corações. As árvores do mal cresceram durante séculos de disputas e latrocínios, roubo e exploração colonial, guerras entre os povos e rebeliões entre os irmãos de uma mesma pátria. Agora estão aí, galhos retorcidos e quase podres, prontos para o fogo do dia do Juízo de Deus. Tudo o que o homem do mal fez nos últimos séculos, tudo aquilo que ele construiu para se afastar de Deus Altíssimo, todas as torres altas e lugares elevados que construiu foi para um gigantesco tombo, uma explosão inaudita, um fim terrível, assim falam as Sagradas Escrituras.
 
     Sangue chama sangue! Ódio chama ódio! Fogo chama fogo! Agora já se podem ver na Alemanha, em Portugal, na Itália e na Inglaterra, os primeiros acordes da sinfonia do abismo. Também lá começam a surgir fogos de carros incendiados e isso é apenas o início das dores para aqueles povos insensatos. Povos que se locupletaram do suor dos pobres que lhes trouxe o progresso, agora querem negar o sangue que sustenta e faz manter a unidade da pátria; não querem repartir o ônus que o progresso representa! Todos querem apenas a vantagem, não ligando em nada para o próximo. Como eu disse: são apenas os primeiros acordes da sinfonia do fim!
 
     Acaso serei drástico demais nesta afirmação? De forma alguma! Isso porque o grande motivo, o principal motivo de todo este inferno que lá começa, não é apenas derivado do ódio natural entre as etnias, entre os nativos da terra e os filhos de imigrantes, mas sim a chaga que mais verte o sangue, em toda a Europa hoje paganizada é sem dúvida o aborto. É por causa das leis do aborto, cada vez mais generosas com os desejos e objetivos do culto de satã, cada vez mais afrontadoras contra as leis da Vida, contra o Senhor Único e Deus da Vida, que estes povos receberão nas carnes a paga cruel de sua rebeldia. Quando um povo sufoca no ventre o grito de morte de um inocente abortado, rasga o contrato com Deus Altíssimo, e sela o decreto de seu destino: fogo, morte, eis o preço desta loucura!
 
    É desde há séculos que os profetas atuais fazem irromper seu grito sobre esta maldita civilização do ódio e anunciam: Paris será incendiada, pelos moradores de Paris! Roma será incendiada, pelos moradores de Roma! As massas enfurecidas de agora, mais dia, menos dia, se tornarão incontroláveis, acreditem, incontroláveis. Nem polícia em nem os exércitos da terra conseguirão mais restabelecer a ordem pública. Está dito que todos os países da terra que aprovaram as leis do aborto, serão consumidos primeiramente por crises econômicas porque não darão mais conta de bancar as contas dos seguros sociais, devido a desastres naturais e provocados, acidentes, assaltos e mortes.
 
     Este é apenas o primeiro ato do abismo! Porque a seguir se engolfarão em guerras civis sem precedentes, onde as diferentes etnias, todas, poderão afogar em sangue o ódio que alimentaram durante milênios e dou exemplo deste caso, o povo basco na Espanha. Este país está sendo hoje quase a linha de frente do desafio a Deus, devido ao seu governo completamente insano e rebelde aos ditames do Altíssimo. Também ali os focos do primeiro incêndio já se fazem ver, coisa que levará ao caos completo. Também ali, como em toda a Europa, o desafio gay tem curso, e ouve-se o grito alucinado de satã, que incita os seus comandados, ao supremo desafio de Sodoma: Morte a Deus!
 
     Na Europa inteira a desolação avança a passos triunfais. A apostasia tem seu curso desafiador e segue ao som da marcha fúnebre do báratro infernal. Rufam ali os tambores dos sátiros do abismo, tudo é feito em descarado desafio a Deus. De todos os lugares se retira o que é santo e o que é sagrado. Desaparecem os objetos de culto e de veneração. As igrejas estão vazias e já o som dos campanários milenares não mais ecoa, porque já não há padres celebrantes, já não há fiéis presentes, já não há mais fé que se fez morta. Um, dois, três velhos em cada localidade, e estes ainda cheios de ódio no coração, que será deles meu Deus?
 
     Não somente isso, por toda parte campeiam e se alucinam as drogas, consumidas a largos haustos, com sofreguidão de loucos, drogas cada vez mais perigosas e potentes, que provocam as mais loucas situações. E loucos, e drogados, e degenerados, bêbados, os jovens sem perspectiva de um futuro decente, acabam por inventar sinônimos cada vez mais espantosos de rebeldia, pintando seus corpos, enchendo-se de ferros e botoques, como os mais repelentes canibais de tempos idos, ei-los aí, pintados para a guerra, prontos para a sua última batalha, dispostos a qualquer coisa, pelo que nem sabem o que é. Para eles a vida não tem mais sentido, vale então se divertir matando e queimando. E vêm com suas motos potentes, os coquetéis molotov, e fazem até por festa. Fogo e ódio misturados!
 
    Como dissemos acima, tudo corre ainda sob os freios de Deus. As mesmas profecias que nos alertam sobre o fogo de Paris e Roma – duas cidades atéias e atoas hoje – também nos avisam que a um sinal de Deus tudo aquilo que está engatilhado explodirá a um só tempo. O sinal se dará em Roma! Há dias Jesus falou ao Cláudio que o elo mais forte da corrente será rompido, e sem dúvida este elo é o Papado. É a unidade dos católicos com Roma o fator de amálgama, a solda, a liga, o cimento que mantém o mundo sem desagregar-se por completo. Mas rompido este elo mais forte, abrir-se-á o fosso do abismo, e então o carro humanidade não terá mais freios, eis que puxado por multidões de espíritos infernais rumo às trevas do abismo.
 
     Sim, tudo poderia ser mudado se os homens todos se unissem em oração, em especial a oração do Rosário de Maria, a única forma de deter os satélites do abismo. Mais eis aí dois problemas insanáveis nas circunstâncias de hoje: rezar, e rezar unidos o Rosário! Rezar em família! Unidos como as contas do Terço, para serem inquebrantáveis e também imbatíveis, pois o combate com as trevas não se faz com armas explosivas, mas com a espada de Deus: a Oração! E como apenas 0,1% da humanidade ainda reza, então se pode prever que tudo virá pelo máximo, eis que se esgota a paciência infinita de Deus! O homem, sem sofrer, sem sangrar até a última gota de sangue, não se curvará diante do amor. E somente retirando das veias todo este sangue odioso, será possível adiante criar a civilização do amor, da paz permanente, da luz infinita.
 
     Haverá em breve coisas inauditas. Há tempos venho dizendo que os noticiários em certo tempo não mais conseguirão colocar no ar todos fatos que serão notícia. E já hoje acontece isso, eis que a besta esperta seleciona apenas aquelas que vedam a face do homem incauto para a realidade, que lhe escondem o que está realmente acontecendo, porque isso lhes encobre os objetivos nefandos. Mostram então, partes da verdade, uma distorcida e repugnante “verdade”, que quanto mais desafie os princípios de Deus, mais é levada adiante, até se tornar aceita pela maioria.
 
     E enquanto os bons se calam, os maus se avultam. Enquanto o trigo se amoita, o joio se enraíza! E dou um exemplo, com o final da última novela da Globo, que explica tudo: Como não ocorreu o previsto beijo entre dois homens  no final da novela, no dia seguinte já os gays de todo os Brasil estavam amotinados, em praça pública, promovendo “beijaços” desafiadores e prometendo boicotar todos os produtos dos patrocinadores da nova novela da “plimplim”. E não somente ameaçam, como o farão certamente! Os filhos das trevas são unidos em seus atos, e respondem de imediato às ordens de satã! Os filhos de Deus preferem se esconder, calar, dormir, sono de morte que somente o trovão do astro irá acordar, sim a maioria para verem a morte diante de si! Não há como ser diferente!
 
     Sim, os filhos da luz se calam! Quantos católicos se manifestaram junto à Globo parabenizando-a por não ter permitido esta afronta aos cidadãos de bem? Se todos os católicos tivessem se manifestado em massa junto à emissora, certamente que nunca mais ela tentaria promover este descalabro. Entretanto, o que se pode prever disso tudo? Podem ter certeza de que, na próxima ou numa das próximas novelas, este beijo irá acontecer, quem sabe até para deleite dos “católicos”, porque está bem claro: quem cala consente! Haverá então uma apoteose maior! E 100 % dos televisores estarão apontados para aquela boca do inferno, pois do espiritismo e da reencarnação. Sim, embora os católicos não ignorem a lei que diz: Deus abomina não somente aos que praticam tais atos, como a todos aqueles que os promovem e aprovam! E os que se calam!
 
     Pois foi exatamente assim, por este mesmo caminho, devido à pusilanimidade dos católicos, dos cristãos, que as coisas chegaram a este ponto. Quando a cidade de Paris promovia as primeiras “paradas gays” do mundo, com apenas alguns poucos homens se beijando em praça pública, milhares de católicos riam daquela situação. E rindo deixaram que eles chegassem aos hoje um milhão que lá se ajuntam! Lá e em outros lugares, Brasil inclusive! Mas se os cidadãos de bem tivessem se manifestado, protestado, se preciso tocado fogo em milhares de carros alegóricos destes desafiadores, eles teriam se dado contas de seu desatino. Teriam calado! Assim se acham fortes, e aprovados! E o mundo inteiro pagará caro por isso! Paris é só o começo! A Torre Eiffel, virá ao chão!
 
     Quem afronta as Leis eternas de Deus, tanto ele quanto quem permitiu que elas fossem afrontadas sem fazer nada – em sua morna podridão – pagará saldos da conta final e ela é pedida em sangue. Não, não é Deus Altíssimo que pede sangue para que seja satisfeita Sua justiça: é satã quem o exige, para liberar suas presas, presas que livres e incautas se atiraram em seus braços! Não será sem uma cota assombrosa de dores e de tormentos que nos poderemos livrar para sempre do anjo negro. Está próximo o dia da batalha final – falo do Dia do Senhor – onde a humanidade enfim perceberá, e muito tarde o fará isso, que jamais deveria ter permitido ao anjo da morte que a conduzisse por tanto tempo e para um tal abismo.
 
     Infelizmente será pela dor, pelo sofrimento extremo. E até quando as hostes malignas houverem sido expulsas daqui, todos os rios do abismo já terão fluído em sangue dos homens. A terra será transformada num deserto, em 2/3 queimada, em grande parte inundada. Os continentes mudarão de figura e todos os mapas terão de ser refeitos. O próprio planeta ficará menor do que hoje, devido aos trilhões de toneladas de pó que daqui subirão para o infinito, quando o astro vier nos visitar. Este astro está mirado e pronto para tomar o caminho da nossa direção, aguarda apenas a ordem do Altíssimo.
 
     Não, ele também não virá como castigo, virá antes como golpe da misericórdia, virá como prova de amor. Porque, se ele não chegasse em tempo, na hora exata, não deixaria sobrar nenhuma pessoa na face da terra, tal o regime de terror que tudo aqui estará a viver naquele instante. Porque multipliquem todos os terrores dos homens já  havidos até hoje na terra, desde que o homem existe, e ainda assim, não se chegará ao que nos espera. Tudo obra do próprio homem! Até mesmo o astro virá por culpa dele, pois o buraco aberto na estratosfera, a quebra do nosso escudo de proteção é culpa do ser humano, do homem ganancioso e adorador do dinheiro.
 
     Olhem para Paris, Madrid, Londres, Roma e outros grandes centros da “cultura” mundial. É ali que a besta está gestando a maioria de seus ovos negros. Quando deles saírem milhões de demônios, será tempo de buscar aqui o confessionário, e glória a Deus para aqueles que o conseguirem. Porque mal se escute o estouro do elo mais forte da corrente, no mesmo instante um fremir na espinha nos indicará o início do fim! Não, os que rezam não precisam temer nada! (Aarão)
     



www.recadosaarao.com.br





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 21/10/10 às 14:16:28 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.

LEIA TAMBÉM












Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES