Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.192.801
Visitas Únicas Hoje: 621
Usuários Online: 192
Sistema de Busca

 

Reflexões e P. Point
Aqui estão listados as Reflexões e as mensagens em Power Point que recebo nos meus emails, antes eu as colocava para download, mas devido ao grande peso resolvi colocar no sistema, para mais fácil leitura.




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 2902 - Impresso: 78 - Enviado: 31 - Salvo em Word: 55
Postado em: 20/11/10 às 10:08:59 por: James
Categoria: Reflexões e P. Point
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=6&id=6678
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Reflexões e P. Point

“As pessoas que mais falam são, geralmente, as que menos têm a dizer”.

São João Maria Vianney
Padroeiro dos Sacerdotes

Os monges, os eremitas e os místicos de todos os tempos e de todas as religiões sempre procuraram a Deus no silêncio, na solidão dos desertos, das florestas, das montanhas.

O próprio Senhor Jesus viveu quarenta dias em absoluta solidão, passando longas horas num coração a coração com o Pai, no silêncio da noite. Nós somos chamados de forma incomensurável a retirar-nos a espaços para um silêncio mais profundo, para um isolamento com Deus; a estar a sós com Ele, não com os nossos livros, nossos aparelhos eletrônicos, os nossos pensamentos, as nossas recordações, mas num despojamento perfeito; a permanecer na sua presença – silenciosos, vazios, imóveis, expectantes. Veja-se na natureza: as árvores, as flores e a erva dos campos crescem em silêncio, as estrelas, a lua, o sol movem-se em silêncio. O essencial não é o que possamos dizer, mas o que Deus nos diz e o que Ele diz a outros através de nós. Ele escuta-nos no silêncio; no silêncio fala às nossas almas.

No silêncio é nos dado o privilégio de escutar Sua voz: Silêncio dos nossos olhos, silêncio dos nossos ouvidos, silêncio das nossas bocas, silêncio dos nossos espíritos. No silêncio do coração, Deus falará de maneira abissal. O silêncio de Deus é um grande mistério que em parte é revelado aos contemplativos.

O grande místico e Doutor da Igreja São João da Cruz dizia: “Para se progredir, o que mais necessita é saber calar diante de Deus. A linguagem que Ele melhor ouve é a do silêncio de amor”.

O silêncio é a ciência que faz o ser humano crescer na perfeição do conhecimento espiritual.

 

O Poder do Silêncio

 

Procurai viver sempre no silêncio e na esperança

Santa Teresa de Ávila
Doutora da Igreja

 

Vejamos alguns exemplos do poder do silêncio e a derrota por falta dele.

1. O silêncio cortaria pela raiz todo projeto do diabo no Jardim do Éden. Eva deu ouvido a falação do pai da mentira e falou demais. 

2. O jovem profeta deveria ter evitado ser morto pelo leão se ficasse calado e obedecido à ordem de Deus. Foi enganado pela falácia do profeta idoso. De Judá a Betel sua missão acabou na boca do leão (Ler 1 Reis capítulo 13).

3. O apóstolo Pedro não aprendeu a prática do silêncio com seu Mestre. Sua tagarelice lhe causou grandes constrangimentos e passou para história como o homem que negou três vezes o Filho de Deus. 

4. O silêncio de Cristo no deserto foi à resposta via a palavra de Deus ao diabo, quebrando-o, evitando falação e contendas. O silêncio de Cristo dos 12 aos 30 anos, mostrou a prática e a sabedoria de grande Mestre. 

5. O silêncio de Cristo diante dele Pilatos revelou a verdade sem palavras e sem prepotências. O silêncio dos três dias de Cristo no túmulo manifestou a primeira ressurreição. 

6. O silêncio de Malaquias ao nascimento de Jesus Cristo não foi sufocando pelo barulho, gritos e agonia das batalhas sangrentas. O silêncio profético fez a esperança triunfar na contemplação da glória do Messias.

As grandes vitórias provêm do silêncio que é invencível. 

7. O silêncio de Maria e José foi a grande realização do SIM para Deus em prol da obra da salvação humana. A falação de Eva e Adão foi o sim para desgraça da humanidade. O mundo precisa aprender o glorioso silêncio da Sagrada Família. 

8. Aproximadamente, a Bíblia levou XVI séculos para sua formatação e configuração. Isso significa que o silêncio de Deus falou mais tempo - e continua falando - do que a palavra impressa.

 

A LINGUAGEM DO AMOR

 

O bom Deus fala de várias formas, resta o ser humano estar para  escutar-Lo. O silêncio é a forma abissal para Deus dialogar a alma Sua vontade. Vontade essa que vai além da felicidade e de tudo que é desejável.

O nosso interior grita pelo silêncio comunicativo de Deus. A experiência do silêncio divino é o encontro radical da verdade libertadora. Tudo é despido rigorosamente. Caem todas as máscaras e tudo que é supérfluo.

O silêncio é o fatal encontro consigo mesmo. Ninguém foge de si no silêncio. Ninguém pode ser outro. O silêncio revela tudo, absolutamente tudo de si mesmo. Aceitando a graça purificadora do silêncio, a alma se santifica e a vida tem sentido em abundância.

 

RETIRO ESPIRITUAL DE SILÊNCIO

 

O lugar – Seu Coração

O pregador – Jesus Cristo

O Retirante – Sua Alma

O mistério – A revelação do silêncio

A forma – A espiritualidade abissal.

A matéria – A fome e a sede de Deus.

 

O poder de o silêncio nos harmoniza conosco mesmo, com o nosso semelhante, com Deus e com a natureza. A ascese do silêncio é a verdadeira terapia para cura das emoções, da alma e do corpo.

O silêncio faz parte da nossa intelectualidade. O bom senso ensina que falar pouco é a arte do sábio e silenciar é obra majestosa.

Os sábios da antiguidade ensinavam que saber guardar o sagrado silêncio é tão importante quanto saber falar no momento certo.

 Para os Santos, a reverência do silêncio é a suave, bela e romântica linguagem do amor, pois os enamorados se comunicam com o silêncio do coração, e assim se realiza a virtude do contato entre o bom Deus e os seres humanos.

Procure fazer um retiro espiritual de silêncio. Será uma experiência inesquecível e monumental.

 

CONCLUSÃO

 

Aprender com o exercício do silêncio passa-se a escutar de forma espetacular por quatro elementos:

 

1-     Prestamos atenção indivisa ao que Deus está dizendo para nós pelo Seu Espírito Santo. Por uma decisão firme de nossa vontade, excluirmos todas as influências estranhas e distrativas.

2-     Inclinamos os nossos ouvidos. Adotamos uma atitude humilde e aberta para com Deus. Renunciamos aos nossos próprios pré-julgamentos e preconceitos, e aceitamos o que Deus diz em seu significado mais claro e mais prático.

3-     Focamos os nossos olhos sobre a palavra que Deus nos dirigiu. Não permitimos que nossos olhos vaguem para as declarações de outras fontes que podem entrar em conflito com o que Deus está nos dizendo.

4-     Mesmo quando as palavras não estão mais diante de nossos olhos, nós continuamos a meditar sobre elas em nossos corações. Desta forma, mantemo-las constantemente no centro de nosso ser, e sua influência por meia todas as áreas da nossa vida.

 

     O silêncio ensina a mais alta educação para os sentidos e para todos os sentidos.

       É no silêncio que as quatro virtudes cardeais: temperança, prudência, justiça e fortaleza são vividas com plenitude. É o silêncio a via que adquire o mais profundo conhecimento e a sabedoria dos enigmas. 

Pe. Inácio José do Vale
Professor de História da Igreja
Pregador de Retiros Espirituais
Especialista em Ciência Social da Religião
E-mail: pe.inaciojose.osbm@hotmail.com








Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 20/11/10 às 10:08:59 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.


Visite o espacojames nas redes sociais:



LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES