Ofendi a castidade pela vivência em minha intimidade sexual. E agora?
Espacojames



Página Inicial
Listar Artigos




Artigo N.º 11614 - Ofendi a castidade pela vivência em minha intimidade sexual. E agora?
Artigo visto 2877




Visto: 2877
Postado em: 22/10/13 às 23:02:28 por: James
Categoria: Artigos
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=1&id=11614
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos


Muitos jovens são conscientes de que acabaram tratando de maneira superficial a realidade íntima e profunda do sexo

Há muitas pessoas que acreditam que os jovens perderam toda inibição diante do sexo. Isso não é verdade. Com o passar do tempo, muitos se envergonham das suas relações sexuais. Posso dizer que a maioria dos jovens com quem converso sobre este assunto gostaria de ter esperado mais.

Os motivos alegados por eles são do estilo de que já não estão mais saindo com essa pessoa, que chegaram  mais longe do que gostariam, que não perceberam o que realmente estavam fazendo, que haviam bebido demais.

No caso dos homens, é frequente ouvir que se empolgaram demais e depois não sabiam como parar; entre as mulheres, muitas pensavam que, se não fizessem sexo, perderiam a pessoa de quem gostavam. Há um lista enorme de motivos, inclusive de cunho moral.

Muitas vezes, manifestam pouca autoestima e, se elas sentem que foram maltratadas, pensam inclusive que mereciam isso. Nos homens, no entanto, esta falta de autoestima se manifesta mais no âmbito do álcool e demais drogas.

Em geral, o raciocínio que fazem é difícil de entender do lado de fora; no entanto, aparece como muito interiorizado por eles: para estar como estou, sempre havia tempo, mas já não posso voltar atrás, ser como era.

Muitos deles são conscientes de que trataram com muita frivolidade algo tão íntimo, como a sexualidade.

É preciso falar da segunda virgindade.

O que se fez, feito está, já não há volta, mas é verdade que muitos não eram conscientes de quão importante era não ter feito isso. Repito, é hora da segunda virgindade.

Se realmente, a partir deste momento, você quer guardar sua intimidade até o casamento, é preciso falar com seu o(a) namorado(a), com clareza, sobre como você gostaria de viver sua sexualidade até que se casem.

Se sua decisão for aceita, o relacionamento continua. Do contrário, é sinal inequívoco de que a outra pessoa não a(o) ama como você quer ser amada(o). Portanto, ainda que seja custoso, é preciso acabar com este relacionamento.

Perceber que é possível viver assim aumenta a autoestima e o amor no casal. Além disso, devolve a esperança, que em muitos casos se considerava perdida.

(Original publicado no blog “Pequeños secretos de la vida en común”)


Fonte: http://blog.comshalom.org/carmadelio



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!

Lenço Branco de N. Senhora
Saiba o que é, como fazer e as orações necessárias.
Óleo de São Rafael e Santa Filomena
Saiba mais sobre este santo remédio em tempos difícies
As 15 Orações de Santa Brígida
As promessas de Jesus para a alma que rezar estas orações.
Jesus eu Confio em vós
Nada negarei a alma que às 3 hs da tarde recitar minhas orações
Devoção às Gotas de Sangue de Cristo
Será livrado das penas do Purgatório.
Para os irmãos protestantes
Foi no colo de uma mulher que Deus colocou toda esperança do mundo



Total Visitas Únicas: 8.748.115
Visitas Únicas Hoje: 1.437
Usuários Online: 368