Espacojames


Página Inicial
Listar Resposta Católica


Como Baixar o vídeo para seu computador? Copie o link deste vídeo [ https://www.youtube.com/watch?v=3BkQ9IXykmE ] depois, entre neste site: [ http://pt.savefrom.net ] cole o link no campo indicado e clique na seta > para baixar. Não precisa instalar nada, todo o processo é online.


Artigo N.º 15754 - 262 – A Resposta Católica: A Unção dos Enfermos é um sacramento?
Artigo visto 267




Visto: 267
Postado em: 25/03/20 às 18:55:28 por: James
Categoria: Resposta Católica
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=197&id=15754
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Resposta Católica

São muitos os hereges que, desde a Idade Média até tempos mais recentes, insistem em negar a natureza sacramental da Unção dos Enfermos. Não seria ela um simples “ritual de cura”? E, se é um dos sete sacramentos, como podemos ter certeza disso?

É a Unção dos Enfermos um verdadeiro sacramento instituído por Nosso Senhor Jesus Cristo? A pergunta talvez soe como um “escolasticismo” sem propósito, mas tem a sua razão de ser, já que são muitos os hereges que, desde a Idade Média até tempos mais recentes, insistem em negar a natureza sacramental da Unção dos Enfermos. Um deles foi Lutero, que em algumas obras a rebaixa à condição de mero sacramental; outro foi Calvino, para quem a unção de que nos fala S. Tiago em sua carta nada mais é do que parte de um ritual para uma cura carismática.

Não é essa, porém, a fé da Igreja. Segundo a doutrina católica, com efeito, a Unção dos Enfermos é, sim, um verdadeiro sacramento da Nova Aliança, quer dizer, um sinal sensível instituído por Nosso Senhor Jesus Cristo para significar e produzir em nós a graça divina, mas que foi promulgado pelo Apóstolo S. Tiago. Assim o definiu solenemente no séc. XVI o Concílio de Trento, confirmando o que desde tempos primitivos criam todos os fiéis católicos. Eis as palavras do Concílio (Sessão 14.ª, de 25 nov. 1551: DH 1695):

Esta sagrada unção dos enfermos foi instituída pelo Cristo, nosso Senhor, como sacramento do Novo Testamento, no sentido verdadeiro e próprio, indicado por Marcos (cf. Mc 6, 12-13) e, ademais, recomendado aos fiéis e promulgado por Tiago, Apóstolo e irmão do Senhor. Ele diz: “Está enfermo alguém dentre vós? Chame os presbíteros da Igreja e orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o enfermo e o Senhor o aliviará, e, se estiver com pecados, ser-lhe-ão perdoados” (Tg 5, 14-15).
Além da palavra definitiva e segura do Magistério da Igreja, que nos garante com autoridade infalível a sacramentalidade da Unção dos Enfermos, sabemos que este não poderia, de forma alguma, ser entendido como um simples “ritual de cura”, porque as próprias Escrituras Sagradas atestam que a finalidade essencial e primária dela não é a cura física. Ouçamos outra vez o que nos diz S. Tiago sobre a administração deste sacramento: “Está enfermo alguém dentre vós? Chame os presbíteros da Igreja e orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o enfermo e o Senhor o aliviará, e, se estiver com pecados, ser-lhe-ão perdoados” (Tg 5, 14-15).

Ora, é evidente que nenhum dom carismático nem ritual algum de cura, ainda que instituído pela Igreja, tem o poder de salvar e perdoar pecados. Apenas um sacramento, isto é, um sinal eficaz da graça divina instituído por Cristo pode ter essa capacidade. E as palavras do Apóstolo deixam mais do que claro que a Unção dos Enfermos tem, sim, essa virtualidade. De fato, como efeito comum aos outros sacramentos, a Unção dos Enfermos aumenta a graça santificante naquele que a recebe com as devidas disposições: “A oração da fé salvará”; como efeito especial primário, ela confere uma graça reconfortante contra as relíquias do pecado, quer dizer, contra a debilidade causada pelos pecados passados: “O Senhor o aliviará”; e, como efeito especial secundário, a unção pode também perdoar os pecados veniais e mortais, se os houver: “Se estiver com pecados, ser-lhe-ão perdoados”, contanto, é claro, que o enfermo a receba de boa fé e tendo ao menos atrição sobrenatural de suas culpas.

Além disso, é doutrina certa e comum que a Unção dos Enfermos pode, embora isso não seja necessário, devolver a saúde física ao enfermo, se assim for conveniente ao bem espiritual dele. Eis por que nem sempre à recepção da Unção dos Enfermos se segue a cura do corpo: este sacramento não foi instituído, primária e fundamentalmente, para dar saúde física, mas para dar saúde espiritual, fortalecendo o fiel no momento mais delicado da vida, que é a hora da morte, e preparando-o de forma próxima e imediata para entrar na vida eterna.


Fonte: www.padrepauloricardo.org



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!

LEIA TAMBÉM
261 – A Resposta Católica: A presença física de Jesus na Eucaristia
260 – A Resposta Católica: Em que sentido Maria é sempre Virgem?
259 – A Resposta Católica: Existem mesmo apenas sete sacramentos?
258 – A Resposta Católica: De que carne se abster?
257 – A Resposta Católica: Como e quando guardar o jejum e a abstinência?
256 – A Resposta Católica: É pecado quebrar a penitência quaresmal?
255 – A Resposta Católica: Jesus nasceu mesmo no dia 25 de dezembro?
254 – A Resposta Católica: Jesus nasceu mesmo no “ano zero”?
253 – A Resposta Católica: É necessário comungar sob as duas espécies?
Veja mais artigos relacionados
 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.336.405
Visitas Únicas Hoje: 514
Usuários Online: 228