Espacojames


Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 4543 - Malásia: jornal muçulmano pede perdão por ofender católicos
Artigo visto 2062




Visto: 2062
Postado em: 10/03/10 às 22:50:08 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=4543
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

Dois jornalistas seus profanaram uma Hóstia consagrada


KUALA LUMPUR, quarta-feira, 10 de março de 2010 (ZENIT.org).- O jornal Al-Islam pediu perdão aos católicos por ter publicado uma reportagem na qual dois dos seus jornalistas profanaram uma Hóstia consagrada, informou a agência de missões estrangeiras de Paris Eglises d'Asie (EDA).

 

O arcebispo católico de Kuala Lumpur, Dom Murphy Pakiam, havia declarado publicamente, no dia 4 de março, que renunciaria a recorrer aos tribunais se o jornal Al-Islam pedisse desculpa por ter publicado o artigo.

Dois dias mais tarde, em 6 de março, o diretor desta publicação mensal generalista respondeu, apresentando publicamente seu pedido de perdão.

Ele explicou que a intenção dos seus jornalistas não era ofender os sentimentos religiosos dos católicos e garantiu que o incidente não voltaria a acontecer.

Através de um breve texto de três parágrafos, o diretor do jornal indicou que os dois jornalistas acusados levaram a cabo uma investigação a propósito de alguns rumores sobre conversões de jovens muçulmanas a igrejas cristãs.

Também indicou que as acusações ao realizar esta investigação nunca tiveram o objetivo de ridicularizar a fé cristã e muito menos de profanar os lugares de culto dos cristãos.

Continuou indicando que os dois jornalistas pediam desculpa por ter ferido, sem intenção de fazê-lo, os sentimentos religiosos dos cristãos.

Finalmente, destacou que estas desculpas apareceriam na edição de abril da revista, que sairá à venda a meados de março.

O artigo de Al-Islam em questão foi publicado em maio de 2009. Para levar a cabo sua investigação, os dois jornalistas entraram em uma igreja católica e Kuala Lumpur, na qual receberam a comunhão.

Um dos jornalistas conservou a Hóstia consagrada em sua boca, para retirá-la pouco depois e fotografá-la; tal fotografia foi publicada no jornal.

Depois de ler a revista, dois leigos de Penang decidiram apresentar uma reclamação.

Após os longos procedimentos judiciais requeridos, a polícia informou, no dia 23 de fevereiro, sobre o abandono dos procedimentos legais.

Foi então que o arcebispo de Kuala Lumpur declarou que uma desculpa era suficiente.

Segundo a mídia da Malásia, Dom Murphy Pakiam aceitou as desculpas apresentadas pelo Al-Islam, como havia anunciado, e a Igreja, em seu conjunto, acolheu favoravelmente o resultado deste caso.

Em um país no qual a expressão pública é mais livre na internet que nos meios de comunicação impressos, a maioria dos blogues destacou que o assunto está encerrado, indicando que a maior parte dos malasianos é consciente de que os dois jornalistas em questão agiram mal.

Sudhagaram Stanley, um dos dois católicos que havia reclamado, mostrou-se satisfeito pelo transcurso dos acontecimentos e disposto a perdoar.

No entanto, acrescentou que foi o Ministério da Justiça que ordenou a suspensão da investigação, assim como a possibilidade de um juízo sobre o fundo da questão, e que esta decisão foi tomada por razões políticas.

Alguns observadores da Malásia remarcaram que Al-Islam pertence a uma filial de Utusan Malaysia, grupo de imprensa que é propriedade do UMNO, o partido que está no poder.

A rapidez com que o diretor do jornal respondeu à petição de desculpas de Dom Murphy Pakiam seria, então, proporcional à vontade de poder de que este assunto não piorasse.

Tudo isso ocorreu em um momento em que as relações entre o poder e a Igreja Católica foram postas à prova pela controvérsia relacionada à utilização da palavra “Alá” pelos católicos de língua malasiana.

 


Fonte: zenit.org



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!



LEIA TAMBÉM
Preocupação e horror da Santa Sé pelo massacre de 500 cristãos na Nigéria
Anglicanos dos EUA solicitarão um ordinariado católico
O Papa convida a realizar mudanças concretas em nossas vidas
Infelicidades da vida não são castigo divino, diz Papa
Tribunal Europeu acolhe recurso da Itália sobre crucifixo nas escolas
Aparições de Nossa Senhora na Igreja Ortodoxa Copta de Zeitun, Egito
Os verdadeiros ovnis
Jejum e oração de cristãos no Iraque para deter massacre
Pe. Fortea responde ao Pe. Amorth: Se existe satanismo no Vaticano é preciso prová-lo
Veja mais artigos relacionados
 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.619.279
Visitas Únicas Hoje: 873
Usuários Online: 262