Espacojames


Página Inicial
Listar Ateismo




Artigo N.º 13866 - A conversão de um ateu: “Naquela noite, no deserto do Saara, eu conheci Deus”.
Artigo visto 2310




Visto: 2310
Postado em: 21/10/15 às 14:35:32 por: James
Categoria: Ateismo
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=63&id=13866
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Ateismo

Para ele, o encontro com Deus foi imprevisto e imprevisível. Ele era ateu, filho de pais incrédulos, leitor de Diderot e dos iluministas do século XVIII.

Eric-Emmanuel Schmitt, filósofo de formação, dramaturgo de nascimento, escritor prolífico e diretor de cinema é uma das figuras culturais francesas mais conhecidas internacionalmente. Ele contou ao jornal italiano Avvenire (6 de outubro) a história da sua conversão, numa noite de 1989, em pleno deserto de Hoggar, no Saara.

O extraordinário dom de Deus

Schmitt se perdeu da sua comitiva e passou a noite sozinho. Foi assim que aconteceu o encontro com Deus. “Dizer que uma pessoa se converteu é dizer que ela fez uma escolha ativa e voluntária. Devo admitir que isto não representa exatamente o que eu vivi naquela noite no deserto. O que eu recebi foi uma graça e um dom extraordinário. E abri em mim todo o lugar e espaço possível para esse dom. Por isso, quando me chamam de ‘convertido’, eu prefiro ser definido como alguém que recebeu uma revelação”.

“Eu recebi uma revelação”

Esta é “a expressão que me caracteriza melhor, porque ela fala da surpresa do presente que eu recebi. Eu não estava à procura de Deus, nem sabia que Deus estava à minha procura. Recebi como presente algo que eu não estava buscando. Esta revelação, para mim, foi apenas o começo”.

O estudo do Evangelho

Quando voltou à França, o dramaturgo passou a ler vários poetas místicos de diversas religiões. “Após aquela revelação, eu percorri um caminho de descoberta do Evangelho. E houve um trabalho muito ativo da minha parte para entender esse texto cheio de contradições. Nisto eu posso dizer que experimentei uma conversão. Em síntese, portanto: no deserto, uma revelação; com o Evangelho, uma conversão”.

Seguindo os passos de Foucauld

Deve ser coincidência, mas a história dessa revelação é muito similar à que aconteceu com o explorador francês Charles de Foucauld, outro famoso convertido, depois do encontro com Deus no coração do Saara. A partir daquele momento, tornando-se eremita, Foucauld deu início a um grande trabalho de evangelização daquelas terras. “A sua força”, explica Schmitt, “estava em não tentar cristianizar à forçar aquelas pessoas, mas em testemunhar o Evangelho com o exemplo da própria vida. Foi assim que Cristo mesmo fez em seu tempo”


Fonte: www.aleteia.org



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!

LEIA TAMBÉM
Estudos recentes sugerem de forma clara que ‘ninguém nasce ateu’, como afirmam ateístas.
Angelina Jolie afirma que para ela não precisa existir um deus
A minha fé em Deus salvou a vida do cientista ateu Stephen Hawking, assegura sua ex-esposa.
Ateus não existem, concluem cientistas
Confissão de fé de 25 cientistas - Entre eles, seis prêmios Nobel
Ateus são convocados pela justiça a explicar porque consideram cruz “repugnante”.
Um professor de filosofia desafia seu aluno cristão: ou prova que Deus existe ou assume as consequências. “Deus não está morto”, o filme.
Médica ateia pesquisa nos arquivos da Igreja 1.400 milagres. Veja o que ela descobriu!
De ONDE o ateu retira os princípios éticos e morais que conduzem sua vida cotidianamente?
Veja mais artigos relacionados
 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.266.342
Visitas Únicas Hoje: 969
Usuários Online: 232