Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.194.835
Visitas Únicas Hoje: 886
Usuários Online: 204
Sistema de Busca

 

Artigos
Artigos sobre diversos temas, todos relacionados a igreja e o nossa vida cristã.




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 5438 - Impresso: 159 - Enviado: 42 - Salvo em Word: 120
Postado em: 13/07/10 às 11:17:52 por: James
Categoria: Artigos
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=1&id=5672
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos

Movimento Sacerdotal Mariano

Livro: "Tudo vos foi Revelado"

APRESENTAÇÃO 
 
Não  extingais  o  Espírito;  não desprezeis as profecias. Discerni tudo e ficai com o que é bom. (1 Ts 5, 19-21) 

É um princípio divino que a intervenção directa de Deus na história humana é precedida  por  numerosos  sinais,  variados  e  de amplitude  universal.  Neste  contexto, pode-se  afirmar  que, quanto  mais  importante  for  a  intervenção,  maiores  e  mais abundantes deverão ser os sinais premonitórios e, principalmente, maior a expressão em Deus daquele pelo qual se faz o anúncio prévio desta intervenção.

A vinda do Messias exigiu  uma  longa  e  cuidadosa  preparação, permeando  séculos  de  anunciação  pelos profetas  do  Antigo Testamento.  Em  outros  períodos  críticos  da  história  humana, gigantes  como  Santo  Agostinho,  São  Vicente  Ferrer  ou  São Luís  Maria  Grignion  de Montfort  foram  arautos  privilegiados  das mensagens  de  Deus  aos  homens.  No  actual período da história humana, o arauto de Deus não se trata de um grande profeta, nem um santo e nem mesmo um anjo; é a própria Mãe de Deus que conclama a humanidade, através de um sem número de aparições e manifestações, de La Sallette às mensagens que Ela está dirigindo agora a muitos de seus filhos privilegiados no mundo inteiro, para se preparar para os extraordinários eventos que estão na iminência de ocorrer.

Este fato, Nossa  Senhora  como  Profetiza  da  intervenção  do  Pai na  história  contemporânea, constitui o drama e a bem-aventurança dos tempos que vivemos: drama porque sendo a Mãe de Deus a prenunciadora da ação divina, é de se esperar fatos e intervenções de uma  gravidade  sem  paralelo  na  história  da  humanidade;  bem-aventurança  porque  Ela não somente revela que o seu Imaculado Coração Triunfará como nos dá todos os meios para a nossa salvação e co-participação no triunfo do seu Imaculado Coração. 

Toda  e  qualquer  mensagem  das  aparições  de  Maria  nos tempos  actuais  estão inseridas  num  contexto  único  e  universal de  preparação  e  salvação  dos  homens  dos tempos finais. Com efeito,  as manifestações da Mãe de Deus, particularmente no nosso século,  reforçam,  esclarecem  e  complementam  verdades    pré-anunciadas  nos Evangelhos.  Em  inúmeras  ocasiões,  a  Mãe  de  Deus  tem  reiterado  a  gravidade  dos tempos  em  que  vivemos  e  anunciado  serem  estes  tempos  os  tempos  finais.  As mensagens  bíblicas  dos  tempos  finais  (Apocalipse,  Evangelhos,  Segunda  Carta  aos Tessalonicences, Livro de Daniel, etc) são confirmadas e enfatizadas pelas mensagens prévias de La Salette (1846) e Lourdes (1858) e são ratificadas, sempre no contexto de uma mesma mensagem única e universal de conversão e salvação da humanidade, nas aparições  e  mensagens  de  Fátima,  Garabandal, Medjugorje,  Movimento  Sacerdotal Mariano (Pe. Gobbi), Vassula Ryden e dezenas de outras no Brasil e em todo o mundo.

Esta  concentração  extremada  de  manifestações  de  Nossa Senhora  (além  de  outras manifestações específicas de Jesus) e o carácter angustiado e aflito das suas mensagens são uma reafirmação cabal e impressionante de que estamos vivendo um período ímpar e  crucial  da  humanidade  e  passível  de uma intervenção  divina  sem  precedentes  na história  humana.

No  contexto  destas  dezenas  de  aparições  e  manifestações  diversas (imagens que choram ou sangram, milagres eucarísticos, fenômenos inexplicáveis, etc), a  mensagem  é  essencialmente  a  mesma,  dirigida  a  todos  os  homens    e  pode  ser resumida nos seguintes pontos: 

1. A perseverança inabalável nas verdades e na actualidade do Evangelho de Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador e ao firme compromisso aos sacramentos da Igreja, em contraposição à perda generalizada da fé e a uma era de apostasia universal. Para isso, Ela se  nos apresenta  como  o  modelo a  ser seguido  –  Maria,  a Virgem fiel  – conclamando-nos,  em  um  apelo  preocupante  e aflito,  à  consagração  ao  seu Imaculado Coração; 

2. A  necessidade  de  conversão  plena  e  imediata  pelos caminhos  da  oração  (particularmente  o  Rosário),  o  jejum  e  a penitência,  fazendo  uso  da  confissão frequente, intensa vida eucarística, fuga do pecado a qualquer preço e vida íntima na graça de Deus, em contraposição a uma civilização ateia e materialista, forjada na adoração às falsas divindades do poder, do dinheiro e do prazer; 

3. A  união  irrestrita  ao  Papa  e  à  unidade  da  Igreja,  em contraposição  à  sua desestruturação  e  à  contínua  propagação de  doutrinas  estranhas  e  heréticas  ao Evangelho de Cristo e à contestação aberta ou velada ao Santo Padre e à recusa ao seu magistério; 

4. A  conscientização  da  gravidade  e  da  natureza  apocalíptica dos  tempos  actuais, com sinais claros e incontestes do final dos tempos, da Segunda Vinda de Cristo e do  Reino  de  Maria,  em contraposição a  novas eras, novas ciências,  novas  seitas e novas filosofias,  que  prescrevem  civilizações  e  sociedades  alicerçadas em  uma completa rejeição a Deus. 

Por razões óbvias, as mensagens relativas aos eventos escatológicos vinculados ao fim dos tempos e à Segunda Vinda de Jesus têm produzido um impacto especial e induzido, ao lado de estudos e análises cuidadosas, especulações e interpretações tanto equivocadas  como  planejadamente  distorcidas,  visando  misturar num  mesmo  caldo  o tesouro das revelações messiânicas e os dejectos do último vomito do Maligno sobre o mundo. Separar o joio do trigo foi um ensinamento bastante enfático dado pelo Mestre: Guardai-vos dos falsos profetas ..  É pelos frutos, portanto, que os reconhecereis. (Mt 7,15.20).

Neste  contexto,  as  aparições  de  Fátima  –  o  maior  evento  da humanidade  no século XX e as extraordinárias mensagens de Nossa Senhora dirigidas aos sacerdotes, seus  filhos  prediletos,  através do  Pe.  Stefano  Gobbi,  constituem  marcos  de  referência deste tesouro da revelação messiânica e do apogeu da missão de Nossa Senhora como a grande profetiza dos tempos finais. E é sobre este oráculo que se buscou discernir "os sinais  dos  tempos",    porque "não  se  acende  uma  lâmpada  e  se  coloca  debaixo  do alqueire (móvel)" (Mt, 5,15) e "nada há de encoberto que não venha a ser revelado, nem de oculto que venha  a ser conhecido" (Lc 12,2).

Estas  notas  são  essencialmente  uma  síntese  e  pequena sistematização  destas mensagens,  de  cunho  escatológico, transmitidas  por  Nossa  Senhora  ao  Pe.  Gobbi, inseridas  no contexto  dos  textos  bíblicos,  particularmente  o  Apocalipse. Esta é  a "bibliografia"  destas  notas,  se  se  pode  falar  assim:  o  livro “Aos  Sacerdotes,  filhos prediletos de Nossa Senhora” (18a  edição em português) e a Bíblia (no caso, a Bíblia de Jerusalém, Editora Paulinas) e a leitura de revelações diversas, atuais ou recentes, das  mensagens celestes dirigidas a homens e mulheres privilegiados no Brasil e no mundo.

Pouquíssima  coisa  mais:  o  livro,  Parusia  –  A  Segunda  Vinda de Jesus,  do  Pe.  Leo Persch,  foi uma fonte importante de consulta para uma  orientação geral dos assuntos. 

Estas  notas  são  subdivididas  em  sete  partes:  Introdução, Partes  I  a  IV,  Mensagem  Final  e  mais  o  Anexo  (inserido porque  Fátima  é  o  coração  da  Igreja  do século  XX).  Os assuntos  estão  englobados  em  20  Ps  (Pontos  ou  Profecias) que  são discutidos sempre na estrita observância ao conteúdo profético das mensagens de Nossa Senhora  ao  Movimento Sacerdotal  Mariano  e  aos  textos  bíblicos  correspondentes.

Os textos bíblicos são claramente definidos no corpo do texto pela sua referência em termos da nomenclatura bíblica tradicional. As mensagens marianas são enfatizadas pela maior fonte  dos caracteres  (tamanho  14),  sendo  sempre  iniciadas  pela indicação da  data relativa  à  mensagem.  O  texto  adicional  (tamanho  12 e sempre  tabulado)  é  de responsabilidade  do  autor  e  se  insere no  teor  de  comentários,  complementações  e intercalações  entre  os  textos  proféticos.  Nesta  abordagem,  foram  sempre  utilizadas  o conhecimento obtido com o conjunto das revelações celestes, à luz das verdades perenes e imutáveis das Sagradas Escrituras. 

Não é um texto fácil e não se deve analisá-lo sob uma óptica parcial; não é um texto nebuloso e não se deve avaliá-lo sob um ponto de vista puramente racionalista e, mais do que tudo, não é um texto meu. Que o Espírito Santo possa iluminar o coração e as mentes dos homens dos tempos finais para as palavras definitivas de Cristo:  O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não passarão (Lc 21,33). E que, por meio da poderosa  intercessão  do  Imaculado  Coração  de  Maria,  Sua  Amadíssima  Esposa, ousemos dizer: Vinde Senhor Jesus! 

R. C. GOMES 

Ouro  Preto,  19  de  Março  de  2000,  dia  de  São  José  do  ano  do  Grande Jubileu. 

 


AS REVELAÇÕES DOS TEMPOS FINAIS NAS
MENSAGENS DE NOSSA SENHORA AO
MOVIMENTO SACERDOTAL MARIANO

 

APRESENTAÇÃO

INTRODUÇÃO

PARTE I

• A segunda vinda  de Jesus
• A grande tribulação 
• Tempos fortes da grande tribulação 
• Abreviação dos tempos da grande tribulação 
• Sobre João Paulo II

PARTE II

• A guerra contra a mulher vestida de sol 
• O Dragão Vermelho 
• A primeira besta: a maçonaria  
• A segunda besta: a maçonaria eclesiástica 
• A imagem das duas bestas: o anticristo 

PARTE III

• Os sinais dos últimos tempos 
• Baptismo de sangue e de fogo 
• As duas testemunhas fiéis e a conversão dos judeus 
• A batalha do Harmagedon 
• A grande seca e os três dias de trevas 

PARTE IV

• O último sinal 
• O grande castigo: a purificação final 
• A primeira ressurreição e a suspensão da morte 
• A derrota de Satanás 
• O Reino Messiânico Universal e a Nova Jerusalém 

MENSAGEM FINAL

• 8  questões sobre as aparições de nossa senhora em Fátima 

 

Um pouco sobre Padre Gobbi.

O MOVIMENTO SACERDOTAL MARIANO - (MSM).
Em Maio de 1972, o Padre Stéfano Gobbi, de Milão (Itália) fazia uma peregrinação em Fátima quando teve uma grande inspiração: rezar pelos padres e formar com eles um grupo de oração consagrado ao Imaculado Coração de Maria.

A partir de Julho de 1973, Maria passa a transmitir-lhe mensagens por locução interior. E assim nasceu o "Movimento Sacerdotal Mariano", que se espalhou pelo mundo inteiro, com uma enorme quantidade de membros: bispos, sacerdotes, religiosos, religiosas e leigos.

Interpretação do Apocalipse na revelação de Nossa Senhora ao Pe Gobbi:


Parte I


 

Padre Gobbi e o Papa João Paulo II

Naquele tempo haverá uma grande tribulação, tal como não houve desde o princípio do mundo até agora, nem tornará a haver jamais (Mt 24, 21-22)


Espacojames: Segundo o que diz o texto abaixo, os dias estão sendo abreviados, por isso que as coisas estão passando quase que correndo. Eu que dormia às nove horas da noite, agora só vou para a cama depois de uma da madrugada. A copa da África passou quase como um relâmpago. Tudo esta passando rapidamente, e pelo que entendi nas datas abaixo tudo já era para ter acontecido, mas pela misericórdia divina, Deus nos deu mais alguns anos isso para salvar ainda mais seus filhos.




P.1 - A SEGUNDA VINDA DE JESUS

A Segunda Vinda de Jesus (também chamada de Parusia ou Segundo Advento de Jesus) é uma das mais impressionantes revelações das Sagradas Escrituras e está exaustivamente testemunhada ao longo de toda a Bíblia, do Antigo ao Novo Testamento, dos Salmos ao Apocalipse. A primeira mensagem de Nossa Senhora ao MSM sobre este tema foi feita na noite de Natal de 1978:

24/12/78 - A sua Segunda Vinda será semelhante a esta, filhos prediletos. Assim como nasceu nesta noite, voltará Jesus na glória, antes de sua vinda para o Juízo Final ...

Evidencia-se, então, que o fim dos tempos não constitui o fim do mundo, mas a Segunda Vinda de Jesus é para fazer novas todas as coisas (Ap 21,5) e criar um novo céu e uma nova terra (Is 65,17, Ap 21,1). Nesta Segunda Vinda, em contraponto à condição de humildade, pobreza e obscuridade do seu nascimento, Jesus se manifestará com todo o poder no Céu e na terra (Dn7, 13-14), de forma gloriosa e universal. Estes elementos estão fortemente presentes nas mensagens de Nossa Senhora ao MSM:

08/12/90 - Esta Segunda Vinda se realizará na luz de sua Divindade, porque Jesus voltará a vós, sobre as nuvens do céu, no esplendor de Sua realeza e sujeitará a Si os povos e as nações da Terra e todos os seus inimigos serão esmagados sob o trono de seu domínio universal ... O triunfo do Meu Coração Imaculado coincidirá com a Segunda Vinda de Jesus na glória, para fazer novas todas as coisas .

13/10/92 - Do céu virá para vós o Cristo , no esplendor de sua glória, montando o cavalo branco do seu divino poder ... sobre nuvens luminosas virá o Meu Filho Jesus ... para instaurar entre vós o seu Reino de amor, de santidade, de justiça e de paz.

22/11/92 - Nesta criação ... Jesus Cristo instaurará o seu Reino de glória para que a obra de sua divina Redenção possa ter o seu perfeito cumprimento. O Espírito Santo abrirá os corações e as mentes , a fim de que todos possam cumprir o querer do Pai e do Filho e, assim como no céu, também seja perfeitamente realizada a Divina Vontade.

Estes são os sinais apocalípticos da Segunda Vinda de Cristo; Jesus, à frente dos exércitos celestes, manifesta-se em toda a sua glória e poder, para julgar as nações e condenar os ímpios à morte eterna. É o triunfo da Nova Era, do reino de mil anos (Ap 20,2-3), pautado num mundo de paz, santidade e harmonia entre o Criador e as criaturas (Reino Messiânico Universal ou Reino de Maria). Satanás, vencido e aprisionado com as suas legiões malignas, não poderá causar mais dano algum às almas, livres então do pecado e retemperadas no Amor Divino pela ação do Espírito Santo (Segundo Pentecostes) :

Ap 21,1-7: Vi então um céu novo e uma nova terra - pois o primeiro céu e a primeira terra se foram, e o mar já não existe. Vi também descer do céu, de junto de Deus, a Cidade Santa, uma Jerusalém nova ... Eis a tenda de Deus com os homens. Ele habitará com eles; eles serão o seu povo, e ele, Deus-com-eles, será o seu Deus ... O vencedor receberá esta herança, e Eu serei seu Deus e ele será meu filho .



P.2 - A GRANDE TRIBULAÇÃO

A Segunda Vinda de Jesus será precedida por um grande número de eventos amplamente descritos nos livros bíblicos (particularmente no Apocalipse), inseridos no contexto da chamada grande tribulação, período de tempo marcado por uma apostasia de cunho universal, uma profunda crise da Igreja e um afastamento quase que generalizado da humanidade em relação a Deus:

Dn 12, 1: "Será uma época de tal desolação como jamais houve igual, desde que as nações existem até aquele momento"

Mt 24, 21-22; Mc 13,20: "Naquele tempo haverá uma grande tribulação, tal como não houve desde o princípio do mundo até agora, nem tornará a haver jamais".

Nas mensagens ao MSM, as revelações são cristalinas de que os tempos da grande tribulação são os tempos atuais:

01/01/92 - Entrais nos tempos decisivos ... o novo ano levará ao cumprimento o que eu vos tenho revelado em alguns dos meus segredos ... Assim, aumentarão em toda parte o mal e o pecado, a violência e o ódio, a perversão e a incredulidade ... as guerras se difundirão, envolvendo outros povos e nações ...

Em fevereiro de 1992, a aprovação da independência da Bósnia-Herzegovina em plebiscito nacional pelas etnias croata e muçulmana e com o boicote da população sérvia, deu origem a um dos mais cruentos conflitos étnicos da história contemporânea. Com o intuito de criar a "Grande Sérvia", com a anexação dos territórios da Bósnia com maioria desta etnia, a Sérvia invadiu e ocupou cerca de 70% da Bósnia. Mas, como as etnias croata, muçulmana e sérvia não se distribuíam de forma regular pelo país, a invasão propiciou um massacre civil sem precedentes baseado numa famigerada "purificação étnica", que resultou em mais de 10000 mortos, milhares de feridos e aleijados e mais de 1,5 milhões de refugiados.

A partir de 1992, inúmeros outros conflitos ratificaram e continuam ratificando a barbárie do homem moderno, somando múltiplas ações de violência, ódio e perversão em todos os povos e nações, consubstanciando uma era ímpar de apostasia mundial e o domínio cada vez maior e mais profundo de satanás sobre toda a humanidade. Os massacres recentes e atuais em Timor Leste, Ruanda, Kosovo e Chechênia são tristes exemplos desta carnificina crescente.

01/01/93 - A grande prova chegou para toda a humanidade ... Quantos deverão sofrer o flagelo da fome, da carestia, da discórdia, das lutas fratricidas que espalharão tanto sangue pelos vossos caminhos.

15/03/93 - A humanidade conhecerá a hora sangrenta do seu castigo: será golpeada pelo flagelo das epidemias, da fome e do fogo; muito sangue será derramado nas vossas estradas; a guerra se estenderá por toda parte, levando ao mundo uma incomensurável devastação.

13/05/93 - (as potências do mal) conseguiram levar toda a humanidade a viver sem Deus; difundiram por toda a parte o erro do ateísmo teórico e prático; construíram novos ídolos, diante dos quais a humanidade se prosta em adoração: o prazer, o dinheiro, o orgulho, a impureza, o predomínio e a impiedade.

Na Segunda Carta de São Paulo aos Tessalonicences, está claramente anunciada esta apostasia universal (2Ts 2,3), que deveria preceder ao retorno glorioso de Cristo. Nossa Senhora, em mensagem de 13/03/90, estabelece que são três as principais causas desta apostasia (perda de fé): difusão de erros teológicos, mau exemplo de sacerdotes e as rebeliões contra a Igreja e o Papa. E faz referências diretas destes fatos com a parte do Segredo de Fátima ainda não revelado:

13/05/90 (mensagem dada em Fátima/Portugal) - O meu terceiro segredo, que aqui dei a conhecer às três crianças a quem apareci, e que até agora ainda não vos foi revelado, tornar-se-á manifesto a todos pelo próprio desenrolar dos acontecimentos. A Igreja conhecerá a hora de sua maior apostasia, o homem iníquo introduzir-se-á no seu interior e sentar-se-á no próprio templo de Deus, enquanto o pequeno resto, que permanecerá fiel, será submetido às maiores provações e perseguições.

13/05/93 - Viveis os anos sanguinolentos da batalha ... Está se realizando o que está contido na terceira parte da minha mensagem, que ainda não vos foi revelada, mas que agora se tornou manifesto pelos próprios acontecimentos que estais vivendo.

As mensagens de Nossa Senhora em Fátima não foram reveladas e, assim, não propiciaram a reação adequada ao espantoso alerta dos nossos tempos: a humanidade, corrompida pelas potências do mal, será objeto de uma apostasia de cunho universal propiciando as condições para o surgimento do anticristo, ratificando, assim, as palavras de São Paulo na segunda carta aos tessalonicenses.


P.3 - TEMPOS FORTES DA GRANDE TRIBULAÇÃO

Nossa Senhora manifesta-se várias vezes em relação aos chamados tempos fortes da grande tribulação. A caracterização de tempos fortes (decisivos, finais) do período da tribulação faz pressupor um período de tempo dentro de outro período de tempo maior, ou seja, o processo terá transcorrido ao longo de um dado tempo, mas a convergência e aceleração dos acontecimentos deverão ocorrer num menor espaço de tempo ("tempos fortes") na fase final deste prazo maior, após um amplo processo de purificação da Igreja e da humanidade. Nas mensagens ao MSM, Nossa Senhora estabelece, de forma inequívoca, a realização destes tempos fortes da grande tribulação no transcorrer da última década do século XX:

(Espacojames: ...ou seja, iniciou entre os anos 1990 a 2000... vc não acha que tudo está correndo rápido de mais nestes últimos anos???) 

01/01/90 - No último decênio do vosso século serão cumpridos os acontecimentos que eu vos predisse.

08/02/90 - Agora que entrais no último decênio deste século, no qual se cumprirão os acontecimentos decisivos que vos levarão ao triunfo do meu Imaculado Coração...

31/12/90 - Entrastes nos tempos fortes da purificação e os sofrimentos deverão aumentar para todos ... também a minha Igreja tem necessidade de ser purificada ... Assim ... vos tornai as gotas das minhas lágrimas... enquanto entrais nos tempos fortes da purificação e da grande tribulação.

01/01/91 - Nestes tempos, a Igreja é chamada a viver as horas da agonia e do Getsêmani; as horas da paixão redentora; as horas de sua cruenta imolação no Calvário. No início deste novo ano, no caminho do Calvário, Eu encontro todos os meus filhos ...

19/05/91 - O Espírito Santo vos fará compreender os sinais do vosso tempo. São os tempos preditos pela Sagrada Escritura como os tempos da grande apostasia e da vinda do anticristo ... que vos levarão a viver os últimos acontecimentos em preparação à segunda vinda de Jesus na glória. Por isto hoje derrama os seus carismas, de maneira ainda mais forte e extraordinária do que no tempo do início da Igreja. Porque já entrastes nos últimos tempos, que vos conduzirão à nova era .

12/09/91 - ... agora que entrais nos momentos mais fortes da luta e na parte mais dolorosa da grande tribulação .

01/01/92 - Entrais nos tempos decisivos ... o novo ano levará ao cumprimento o que Eu vos tenho revelado em alguns dos meus segredos ...

Partindo da idéia de um tempo final (tempo forte) dentro de um tempo maior (que engloba toda a fase de tribulação), a utilização de termos como "entrastes" e "enquanto entrais" faz entender que este segundo período começou em 1991/92. Este período deve se estender no máximo até o ano 2000. Note-se, entretanto, que, a partir de 1993, Nossa Senhora passa a se referir com ênfase cada vez maior ao início efetivo do empo da grande prova:

01/01/93 - Entrastes assim no tempo da grande prova. A grande prova chegou para todos vós... a grande prova chegou para a Igreja... a grande prova chegou para toda a humanidade...

09/04/93 - Esta sua dolorosa paixão se renova nestes últimos tempos, em que a grande prova chegou para todos.

13/05/93 - Viveis os anos sanguinolentos da batalha, porque a grande prova já chegou para todos... convido-vos, a viver sem medo, com grande confiança e esperança, estes anos sanguinolentos da batalha. Do cálice dos sofrimentos jamais provados até agora, sairá o sol divino de uma nova era ...

15/08/93 - Agora que a grande prova chegou, sentir-me-eis de maneira extraordinária junto a todos vós, para ser o grande sinal de consolação e de segura esperança, nestes últimos tempos de purificação e da grande tribulação .

O empo da grande prova pode ser correlacionado diretamente às inúmeras referências bíblicas do Apocalipse e do Livro de Daniel ao período crítico da grande tribulação (este período crítico e final é genericamente designado como sendo o próprio tempo da grande tribulação, desconsiderando "os tempos antes desse tempo" no contexto global da tribulação), como correspondendo a uma semana de anos, dividida em dois períodos iguais de 3,5 anos (um primeiro, em que as tribulações serão de menor magnitude e de caráter predominantemente secreto e um segundo, profundamente mais grave e de domínio público universal; a fronteira entre estes períodos é claramente delimitada nos textos bíblicos como sendo a abominação da desolação). Esta interpretação é obtida diretamente das seguintes passagens do Livro de Daniel:

Dn 12, 6 -7: "Até quando o tempo das coisas inauditas?" ... "Será por um tempo, mais (dois) tempos e metade de um tempo* . E quando se completar o esmagamento da força do povo santo , essas coisas todas hão de consumar-se!"

* 3,5 anos (um tempo = 1 semana de anos = 7 anos )

Dn 12, 11: A contar do momento em que tiver sido abolido o sacrifício perpétuo e for instalada a abominação da desolação, haverá mil duzentos e noventa dias** . Bem-aventurado aquele que perseverar, chegando a mil trezentos e trinta e cinco dias .

** 3,5 anos pode ser 42 meses x 30 = 1260 dias ou, mais precisamente, 365 x 3,5 = 1277,5 dias, aproximadamente a média entre os dois períodos citados de 1260 e 1290 dias, ou seja, deve-se subtender dois períodos iguais de 3,5 anos, independentemente da citação formal de 1260 ou 1290 dias.

Dn 9,27: Ele (o príncipe que virá) confirmará uma aliança com muitos durante uma semana ; e pelo tempo de meia semana fará cessar o sacrifício e a oblação .

As duas últimas leituras de Daniel conduzem a uma relação de equivalência entre meia semana de Daniel e 1290 dias (3,5 anos); este é, portanto, o tempo de atuação do falso cristo, a besta negra da maçonaria (ver Parte II). Ou seja, o tempo das coisas inauditas corresponde a um período de 3,5 anos (meia semana, 1290 dias, 42 meses ou um tempo, mais (dois) tempos e metade de um tempo, segundo as diferentes passagens dos textos bíblicos), iniciado a partir da instalação do anticristo no trono papal (" abominação da desolação ") e caracterizado pela blasfêmia maior a Deus: a supressão do Santo Sacrifício da Missa). O tempo das coisas inauditas refere-se a perseguições terríveis contra a cristandade: Ap 13,7: Deram-lhe permissão para guerrear contra os santos e vencê-los ou Ap 13,10: ... se alguém deve morrer pela espada, é preciso que morra pela espada .

Estes tempos fortes corresponderiam, portanto, a um período de 7 anos, inserido na última década do século XX, provavelmente a partir de 1993 (meados/1993 a meados/2000?). Também em 1993, foi assinado o histórico tratado de paz entre judeus e palestinos (em 13/09) e o reconhecimento pelo Vaticano do Estado de Israel.

Esta semana de anos seria correspondente à última semana das setentas semanas (70 x 7 = 490 anos) da profecias de Daniel:

Dn 9, 24 -25: " Setenta semanas foram fixadas para o teu povo e a tua cidade santa , para fazer cessar a transgressão e lacrar os pecados, para expiar a iniquidade e instaurar uma justiça eterna, para sigilar visão e profecia e para ungir o santo dos santos."

Portanto, o período da tribulação perpassa os séculos até a sua plena eclosão nos derradeiros dias da última década do século atual.

 

P.4 - ABREVIAÇÃO DOS TEMPOS DA GRANDE TRIBULAÇÃO

Mt 24, 22; Mc 13,20: "Se o Senhor não abreviasse aqueles dias, não se salvaria um só homem mas, por causa dos eleitos de Deus, aqueles dias serão abreviados".

As mensagens de Nossa Senhora evidenciam estas revelações de Jesus, de que estes tempos podem e, na verdade, foram drasticamente abreviados por uma especial concessão divina às orações e penitências dos Filhos de Deus.

21/11/91 - Ofertai ao Senhor toda a vossa vida ... Assim vos tornais as vítimas escolhidas, preciosas e agradáveis a Deus, que eu posso oferecer-Lhe, para que os tempos da grande prova sejam abreviados... Os tempos fortes da purificação, da grande tribulação e da apostasia chegaram ...

29/09/95 - Os tempos serão abreviados ... pela resposta que em toda parte recebo destas minhas pequenas crianças, eu intervenho para abreviar os tempos da grande prova tão dolorosa para vós... os tempos serão abreviados ... quantas vezes já intervim, para afastar sempre mais no tempo, o início da grande prova , para a purificação desta pobre humanidade...

Assim, os tempos críticos e finais da grande tribulação (a abominação da desolação e o segundo período do tempo da grande prova) foram e estão sendo sistematicamente abreviados, pela intervenção direta de Nossa Senhora e pelas orações e sacrifícios das almas plenamente consagradas aos imaculados Corações de Jesus e de Maria.

Neste contexto de uma indiscutível abreviação dos tempos finais, é razoável uma reavaliação deste período crítico da história humana em termos de sua duração. E, neste sentido, embora seja sabido que o prazo de 70 semanas de Daniel não constitui um tempo ininterrupto (ver a síntese da interpretação das setenta semanas de Daniel no livro do Pe. Léo Persch), podemos admitir, num conceito de um tempo dentro de outro tempo, uma similaridade destas setenta semanas neste período singular da humanidade.

Considerando, então, que uma semana de Daniel = 7 meses (e não mais 7 anos), ter-se-ia 70 x 7 = 490 meses ou aproximadamente 40 anos; o número 40 simboliza biblicamente um período de provações, purificação e tribulações (exemplos abaixo):

Gn 7, 17: Durante quarenta dias houve o dilúvio sobre a terra ... 8, 6: no fim de quarenta dias , Noé abriu a janela ...

Ex 24, 18: E Moisés permaneceu na montanha quarenta dias e quarenta noites ... 34, 28: Moisés esteve ali, com Iahweh, quarenta dias e quarenta noites ...

1 Rs 19, 8: (Elias) Levantou-se, comeu e bebeu e, depois, sustentado por aquela comida, caminhou quarenta dias e quarenta noites até a montanha de Deus, o Horeb.

Dt 2, 7: ... Eis que durante quarenta anos Iahweh teu Deus esteve contigo e coisa alguma te faltou! (o povo judeu errante no deserto)

Jn 3,4: Jonas entrou na cidade e a percorreu durante um dia. Pregou, então, dizendo: "Ainda quarenta dias e Nínive será destruída".

Mt 4,2: (Jesus) por quarenta dias e quarenta noites esteve jejuando. Depois teve fome.

Extrapolando este sentido à grande tribulação, podemos admitir, portanto, um período de cerca de quarenta anos para os tempos da grande tribulação, aproximadamente entre 1960 e 2000, ou seja, décadas de 60, 70, 80 e 90 (evidentemente, não se deve ficar encerrado ao rigor matemático dos 40 anos!). Por que 1960? Nossa Senhora estabeleceu esta data como limite para a revelação pública do Terceiro Segredo de Fátima. Uma razão plausível é considerar esta data como sendo a da deflagração dos tempos finais da humanidade atual, caso não se implementassem os seus insistentes pedidos de conversão dos povos e nações, o que efetivamente não se concretizou.

Neste contexto, a última semana de Daniel corresponderia, portanto, aos sete meses finais do tempo da tribulação e, a partir da abominação da desolação, 3,5 meses finais do tempo da grande prova (potencialmente um período de 7 meses no transcorrer do ano 2000?).

Uma outra abordagem é admitir que é o segundo período da grande tribulação (e, portanto, da ação pública do anticristo) que está sendo drasticamente abreviado e postergado para os derradeiros dias do período profetizado de 7 anos.

Em qualquer destas hipóteses, estamos vivendo o clímax dos tempos fortes da grande tribulação e Nossa Senhora o confirmou claramente em mensagem ao Pe. Gobbi:

13/05/93 - ... hoje recordais o aniversário da minha primeira aparição em Fátima ... estais ainda dentro do tempo desta minha aparição. Estais sobretudo no coração desta minha mensagem ... viveis os anos sanguinolentos da batalha, porque a grande prova já chegou para todos.

05/12/94 - Confirmo-te que para o grande jubileu do ano 2000, haverá o triunfo do meu Coração Imaculado, que eu vos predisse em Fátima e ele se realizará com o retorno de Jesus na glória, para restaurar o seu Reino no mundo.

De qualquer forma, é importantíssimo ratificar mais uma vez: ninguém sabe o dia e nem a hora, a não ser o Pai (Mt 24, 36) e não existem revelações neste sentido. Portanto, muito mais importante que a abordagem da duração exata destes tempos (a discussão acima é mera elucubração do autor e, portanto, constitui uma hipótese entre dezenas possíveis) é a de que estes tempos estão inseridos nas mensagens proféticas de Fátima e se aplicam para os tempos atuais (lembrando que a vidente Lúcia ainda é viva, com quase 93 anos, e teve a promessa de Nossa Senhora de que iria testemunhar os acontecimentos do fim dos tempos e que, na encíclica "Dominum et Vivificantem", João Paulo II ratifica que a plenitude dos tempos ocorrerá no ano 2000) e, mais que isso, por mais que sejam abreviados os tempos da tribulação, os tempos da grande prova são irreversíveis e já estão prontos para serem contados!


P.5 - SOBRE JOÃO PAULO II

13/05/91 - Hoje vos confirmo que este (João Paulo II ) é o Papa do meu segredo; o Papa de quem falei às crianças durante as aparições; o Papa do meu amor e da minha dor... Quando este Papa tiver cumprido a missão que Jesus lhe confiou e eu descer do céu para acolher o seu sacrifício, todos sereis envoltos por uma densa treva de apostasia, que terá se tornado então generalizada.

13/05/95 - Rezai pelo Papa. Este Papa é o maior dom que o meu Coração Imaculado vos deu, para o tempo da purificação e da grande tribulação. Parte importante do meu Segredo, que aqui revelei às três crianças, para quem apareci, refere-se exatamente à pessoa e à missão do Papa João Paulo II.

Nossa Senhora revela ser João Paulo II o papa mencionado por ela nas aparições de Fátima e sugere que a sua missão está próxima do fim, inserindo definitivamente os tempos da grande tribulação nos nossos dias: "... venho pedir a consagração da Rússia ao Meu Imaculado Coração ... Se atenderem os meus pedidos, a Rússia se converterá ... Se não, espalhará seus erros pelo mundo ... Os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito o que sofrer, várias nações serão aniquiladas" (aparição de 13/07/1917).

Visão de Jacinta: Eu vi o Santo Padre numa casa muito grande, de joelhos diante de uma mesa, com as mãos no rosto, a chorar. Fora de casa estava muita gente, e uns atiravam-lhe pedras, outros rogavam-lhe pragas ...

O papel extraordinário de João Paulo II nesta fase crucial da história da humanidade é expresso na seguinte passagem bíblica:

2 Ts 2,7: " O mistério da iniquidade já está em ação, esperando apenas o afastamento daquele que ainda o detém".

Nossa Senhora, nas mensagens ao MSM, atribui exaustivamente a João Paulo II a condição de esteio e fortaleza do povo cristão, como o papa escolhido particularmente por ela para os nossos tempos. A morte de João Paulo II (cuja proximidade e relevância como evento decisivo do período da grande tribulação são ressaltados de forma particular na mensagem de 13/05/91), em futuro próximo, seria a tradução terrível da profecia da segunda carta aos tessalonicences. A consumação destes tempos, então, tornar-se-á irreversível, com uma seqüência impressionante de um grande número de acontecimentos escatológicos ( Veja o capítulo III ).

Assim, é preciso orar insistentemente pelo Santo Padre e pela unidade da Igreja com ele; cada dia com João Paulo II é uma benção divina que assegura uma postergação adicional à abominação da desolação e uma redução adicional das horas sanguinolentas dos tempos da grande prova que já chegou para toda a humanidade.

...Continua na parte 2

Fonte: Texto retirado do livro: "Tudo vos foi Revelado" As Revelações dos tempos finais - Padre Gobbi

Baixe o livro completo aqui:
http://espacojames.com.br/?cat=99&id=5688

 

 








Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 13/07/10 às 11:17:52 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.


Visite o espacojames nas redes sociais:



LEIA TAMBÉM











Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES