Espacojames


Página Inicial
Listar Artigos James




Artigo N.º 6737 - James: A virgindade Perpétua de Maria Santíssima Antes do parto, durante o parto e depois do parto
Artigo visto 3265 vezes




Visto: 3265
Postado em: 27/11/10 às 11:38:16 por: James
Categoria: Artigos James
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=104&id=6737
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos James

Por james - www.espacojames.com.br


Muitos protestantes e alguns céticos duvidam até hoje da virgindade de Maria Santíssima, principalmente depois do nascimento de Jesus. Mentem assim como a ciência mente quando diz que Maria teve outros filhos com José, se baseiam nas Sagradas Escrituras que diz:

Mateus 12:46-50: "Enquanto ele ainda falava à multidão, a mãe e os irmãos dele estavam de fora, procurando falar-lhe. E alguém disse-lhe: "olha, tua mãe e teus irmãos estão lá fora e procuram falar-te". Mas ele respondeu ao que lhe falava: "quem é minha mãe e quem são meus irmãos"? E estendendo a mão para seus discípulos, disse: "Eis minha mãe e meus irmãos; porque aquele que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, irmã e mãe!"


Como todos aqui sabem e o texto acima explica melhor, Jesus chamava todos de irmãos e sempre arrumava um jeitinho de mostrar alguma coisa aos fariseus e mestres da lei (Ele devia insuportar arrogância). Aqui Cristo mostra em alto tom para os fariseus que a palavra de Deus é maior que qualquer lei estipulada na terra. Assume que todos somos irmãos e iguais diante de Deus.

Quando disseram: “olha, tua mãe e teus irmãos estão lá fora e procuram falar-te" assume que Jesus chamava todos de irmãos, pois todos andavam juntos para todos os lugares. Foram vistos com Jesus em todos os seus milagres e prodígios e muitos desinformados acharam que eram mesmo irmãos biológicos de Jesus.

Se Maria não teve outros filhos e Jesus saiu do ventre de Maria como a luz que atravessa o vidro sem quebrá-lo na há porque duvidar da virgindade de Maria. Maria foi concebida sem pecado e permaneceu fiel aos projetos de Deus durante toda sua vida, não devemos tentar compreender Deus com a inteligência humana, Jesus não deve ter nascido através de um parto normal como geralmente fazem todas as mulheres.

Nos filmes, geralmente na hora do nascimento de Jesus, José sai para pedir ajuda, e quando retorna vê Jesus já nascido nos braços de Maria.

Numa bela comparação os padres da Igreja diziam que "assim como a luz atravessa o vidro sem quebrá-lo, da mesma forma, o Verbo de Deus entrou e saiu do seio da Virgem Maria sem rasgar as suas paredes." Isto meus irmãos é o plano de Deus para a humanidade, com certeza Deus já havia planejado tudo para as ações futuras de Maria como nossa mãe.

"O Filho de Deus, que é Deus como seu Pai, que recebe do Pai sua mesma natureza, Criador e Senhor de tudo, que está presente em toda parte e transcende o universo inteiro, na seqüência dos tempos que, de sua providência dependem, escolheu para si este dia, a fim de, em prol da salvação do mundo, nele nascer da bem-aventurada Virgem Maria, conservando intacto o pudor de sua mãe. A virgindade de Maria não foi violada no parto, como não fora maculada na conceição, “a fim de que se cumprisse – diz o evangelista – o que foi pronunciado pelo Senhor, através do profeta Isaías: Eis que uma virgem conceberá no seu seio e dará à luz um filho, ao qual chamarão Emanuel, que quer dizer Deus conosco” .  

Outra observação importante consta nos escrito dos concílios, especialmente o de Latão (649) e o III de Constantinopla (680) que definiram ilibada a sua virgindade e significa que por um singular privilégio de Deus, Maria foi mãe conservando sua virgindade antes do parto, durante o parto e depois do parto; sendo que durante toda a sua vida conservou intacta sua pureza original e virginal. Este é um milagre que não pode ser entendido pela ciência (concílio de Cápua, Itália, 381). O milagre da virgindade de Maria quer revelar-nos acima de tudo que o Menino que dela nasceu não é apenas um homem, mas o próprio Deus.

O Catecismo da Igreja Católica ensina que: “O aprofundamento de sua fé na maternidade virginal levou a Igreja a confessar a virgindade real e perpétua de Maria, mesmo no parto do Filho de Deus feito homem. Com efeito, o nascimento de Cristo "não lhe diminuiu, mas sagrou a integridade virginal" de sua mãe”(CIC 499).

Para definir esse dogma a Igreja se apóia na verdade contida na Bíblia e na Tradição. Os textos da Sagrada Escritura são claros:

Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco” (Is 7,14).

Isaías designa esse acontecimento como um grande sinal de Deus, pois não é nenhum prodígio quando uma mulher tem um filho deixando de ser virgem.

No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem que se chamava José, da casa de Davi e o nome da virgem era Maria... Maria perguntou ao anjo: Como se fará isso, pois não conheço homem?” (Lc 1, 26-27.34)

Antes do parto o anjo foi enviado por Deus a uma Virgem e o nome da Virgem era Maria e virgem permaneceu quando concebeu seu filho, pois essa conceição foi por obra do Espírito Santo. Eis como nasceu Jesus Cristo: Maria, sua mãe, estava desposada com José antes de coabitarem, aconteceu que ela concebeu por virtude do Espírito Santo.

Também José subiu da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à Cidade de Davi, chamada Belém, porque era da casa e família de Davi, para se alistar com a sua esposa Maria, que estava grávida. Estando eles ali, completaram-se os dias dela. E deu à luz seu filho primogênito, e, envolvendo-o em faixas, reclinou-o num presépio; porque não havia lugar para eles na hospedaria” (Lc 2, 4-7).

Durante o parto São Lucas nos persuade de que Maria conservou sua virgindade no ato mesmo de tornar-se Mãe do Salvador; pois neste relato que ele nos escreveu ela não aparece sujeita às dores e fraquezas que são o preço natural da maternidade para quem tem o pecado original. Maria mesmo foi quem prestou os primeiros cuidados a Jesus recém nascido. São Lucas, que era médico, não poderia ter falado assim, se Ela tivesse dado à luz de maneira comum.
Após o parto Maria permaneceu fiel ao seu esposo, o Divino Espírito Santo; e José entendendo os planos de Deus colaborou com ela.

Que Maria nos ensine sempre a sermos fiéis ao Senhor e Cheios da presença do Espírito Santo, seu digníssimo Esposo.


por James - www.espacojames.com.br

 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 6.662.619
Visitas Únicas Hoje: 849
Usuários Online: 360