166 – A Resposta Católica: Sou obrigado à legítima defesa?


LISTAR ARTIGOS DESTA CATEGORIA
Resposta Católica





Artigo visto 1283 vezes




Visto: 1283 - Impresso: 28 - Enviado: 15 - Salvo em Word: 20
Postado em: 12/02/14 às 13:23:42 por: James
Categoria: Resposta Católica
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=197&id=11964
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Resposta Católica

O programa Resposta Católica já tratou sobre a legítima e proporcionada defesa da sociedade em seu episódio 128. Sobre a legítima e proporcionada defesa da pessoa no episodio 165, tomando como exemplo o caso de um policial que tira a vida de um agressor. Resta ainda responder se uma pessoa que tem o direito à legítima e proporcionada defesa tem também o dever de se defender.

A resposta direta é não. Ninguém tem o dever de se defender e de tirar a vida de um agressor. Existem duas situações excepcionais e específicas em que a pessoa tem o dever de defender-se e de preservar a própria vida.

A primeira é no caso de a pessoa agredida estar em pecado mortal e, sabendo que se morrer naquele momento, possível e provavelmente perderá a sua vida eterna e irá para o inferno, nesse caso, ela tem o dever de preservar a sua vida biológica e ter possibilidade de emenda e de conversão para salvar-se. A segunda possibilidade em que a pessoa tem o dever de defender-se de um agressor, tirando a vida desse, se necessário, é a de que muitas vidas ou o bem comum dependam dela. Por exemplo, uma pessoa que presta serviço para a comunidade e sabe que a vida de muitos depende da sua própria ou de um pai de família que sabe que a subsistência da mulher e dos filhos depende dele. Nesse caso, existe o dever de tentar salvar a própria vida.

Fora essas duas situações excepcionais permanece o princípio geral de que não existe o dever da legítima e proporcionada defesa. Ora, se não existe a obrigação da legítima defesa é possível que, numa atitude heroica e divina, a pessoa agredida, sabendo que a morte do seu agressor o levará para o inferno, resolva de maneira extremamente virtuosa, imitando Cristo na cruz, não se defender.

Trata-se, porém, de um ato heroico a quem ninguém está obrigado a imitar. O que se tem é um direito que pode ou não ser exercido.


Fonte: http://padrepauloricardo.org/

 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 6.569.215
Visitas Únicas Hoje: 2.174
Usuários Online: 470