Recorde de acesso em:
23/03/2016
é de 7.940
Total Visitas Únicas: 6.340.415
Visitas Únicas Hoje: 434
Usuários Online: 333
Sistema de Busca

 

Destaque




Salvar no Instagram

Salvar em PDF






Visto: 1366 - Impresso: 33 - Enviado: 11 - Salvo em Word: 33
Postado em: 14/06/11 às 23:09:00 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=8017
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

Já não acreditam em um futuro para o seu país

ROMA, terça-feira, 14 de junho de 2011 (ZENIT.org) - O assassinato de um cristão ortodoxo, pai de 4 filhos, ocorrido em 31 de maio em Mossul, aumentou a sensação de pessimismo entre os cristãos sobre a perspectiva de um futuro de paz no Iraque.

O arcebispo caldeu Bashar Warda, de Erbil, no norte curdo do país, compartilhou suas impressões em uma entrevista concedida à associação caritativa católica Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), que assiste os cristãos perseguidos.

O prelado contou que o assassinato ocorrido levou alguns de seus fiéis a acharem que já “não há futuro” para seu país de origem e que, no entanto, é perigoso ir embora para outros países vizinhos, devido ao conflito político em que vivem.

Arakan Yacob foi a última vítima de uma série de ataques contra os cristãos no Iraque. Já havia sido objeto de tentativas de sequestro e, na terceira delas, os delinquentes alcançaram seu objetivo, tomando-o como refém. Três semanas antes, outro jovem cristão, de 29 anos de idade, Ashur Yacob Issa, foi raptado e assassinado, depois de sua família não poder pagar o resgate de mais de 100 mil dólares exigido pelos sequestradores.

Dom Warda contou que, desde 2002, mais de 570 cristãos foram assassinados em episódios de violência religiosa ou política. Entre 2006 e 2010, 17 sacerdotes iraquianos e 2 bispos foram sequestrados, espancados e torturados. Destes, um bispo, 4 sacerdotes e 3 subdiáconos foram assassinados.

Ainda que muitos queiram emigrar, os países que limitam com o Iraque – Síria e Turquia – estão vivendo situações de insegurança e de crise. “Também a situação na vizinha Turquia não é muito boa – disse o arcebispo – e, com o que está acontecendo na Síria, qualquer família que pensa em emigrar tem um leque de possibilidades muito limitado.”

Tanto a Turquia quanto a Síria já absorveram milhares de refugiados cristãos desde 2003, quando a queda do regime de Sadam Hussein viveu uma onda de violência religiosa.

O arcebispo afirmou que a morte de Yacob provocou uma profunda sensação de pessimismo entre os fiéis, mas se nega a desanimar-se. “A mensagem de esperança está sempre presente, a vida deve seguir”, declarou.

O prelado transmitiu muitas vezes a mensagem do sofrimento do seu povo ao mundo inteiro. Recentemente, foi ao Reino Unido e à Irlanda para apresentar o informe de AIS sobre os cristãos perseguidos. Naquela ocasião, afirmou que, com base nas estatísticas, desde a década de 80, os cristãos no Iraque passaram de 1,4 milhão a 150 mil.

AIS apoia a posição de Dom Warda a favor dos cristãos iraquianos, oferecendo ajuda de emergência aos refugiados no Iraque, Jordânia e Turquia, alimento para os deslocados cristãos no norte iraquiano e subvenções para sacerdotes pobres e perseguidos, religiosas e seminaristas.




Fonte: http://www.zenit.org/article-28218?l=portuguese





Postado por: James - www.espacojames.com.br em: 14/06/11 às 23:09:00 h.


Saiba como contribuir com nosso site:

1) O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!   [ Leia + ]

2) - Receba diariamente os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui! é grátis!
 
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por aqui!

4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações clique no botão abaixo.

LEIA TAMBÉM












Copyright 2006 - 2015 - www.espacojames.com.br - Todos os Direitos Reservados - Santarém - Pará - Brasil
Desenvolvido por: ESPACOJAMES