Espacojames


Página Inicial
Listar Artigos Site Aarão




Artigo N.º 5472 - ABALO CÓSMICO
Artigo visto 2302 vezes




Visto: 2302
Postado em: 18/06/10 às 14:59:24 por: James
Categoria: Artigos Site Aarão
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=50&id=5472
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos Site Aarão

Neste exato momento, num mundo que caminha em aparente calma – nem diria calma, e sim certa normalidade (se este caos é normal) – nas entranhas do mais profundo infinito prepara-se um tremendo abalo. Uma abalo cósmico! Já antes, e já agora, o Universo inteiro se compunge e se contorce diante daquele que podemos considerar como o ato mais hostil e abominável, mais profundamente odioso, jamais impetrado por uma reles criatura contra seu Deus: falo do nefando decreto humano que tentará por fim à Eucaristia!

Com absoluta certeza, este ato de ódio contra o Altíssimo, esta afronta inominável, terá para todo o Universo, até o mais profundo do Cosmos, um efeito mais desastroso e mais devastador do que o grito dos anjos rebeldes, pela voz de Lúcifer, o degenerado senhor das trevas: Non Serviam! Mil vezes pior, mil vezes mais odioso, mil vezes mais rebelde, este ato desobediente do homem, provocará um frêmito arrasador em toda a natureza, tocando, batendo, vibrando diretamente no chão que sustenta o trono do Altíssimo. Então ele apontará Seu dedo sobre a terra... E virá o fim! O seu braço poderoso já se move! 
  
      No prólogo do nosso livro “O Eclipse do Sol” escrevi assim: No horizonte do universo, uma nuvem assustadora forma-se com incrível rapidez. Sobre a Terra, nosso planeta, partícula infinitesimal desta imensa obra do Pai, também descem sombras e dela sobem densos rolos de fumo. 
       
      Poucos percebem estas nuvens. Poucos são os que não se deixaram cegar pela fumaça negra de Satanás, que ameaça matar toda a vida humana. A bem da verdade, a maioria dos indivíduos, deste monumental mar humano de seis bilhões de pessoas, está completamente cega. Parte nada vê! Parte nada sente! Parte nada compreende! Parte nada sabe, ou nem quer saber! 

      Há apenas dois pequenos grupos antagônicos, ferozmente armados, há séculos, ambos buscando o controle do mundo. De um lado, os filhos dos homens, o exército negro, cujo comando tem origem no poder das trevas. De outro lado, o povo santo, os filhos de Deus, cuja comandante maior é Nossa Senhora. Ambos se armam agora “de unhas e dentes”, para a batalha final.

       O que está em jogo, da essência, não é a posse da terra, nem das riquezas, tampouco o poder para governar sobre tudo e todos, como a aparência pode sugerir. O que está em disputa é a posse eterna das almas, única coisa que interessa a ambos: ao inferno e ao Céu! E embora a grande batalha seja a nível espiritual, é na terra e no plano físico que ela se torna visível, imprimindo seus reflexos sobre toda a humanidade. É interessante saber, ambos os exércitos pregam: “Paz na terra!”

       No pensamento do poderoso exército das trevas, satanás colocou a idéia de que haverá paz na terra, sim, mas apenas por meio da ação do homem, não de Deus. Para isso, prega a criação de um estado poderoso, tirânico e ditatorial, um novo império romano, chamado a globalização, cujo comando único será dado ao filho dileto de Lúcifer: o anticristo! 
       
      No pensamento do pequeno exército da luz, a materna Comandante incute a certeza absoluta de que existe, sim, a possibilidade de haver paz duradoura em toda a terra: basta seguir a Lei de Deus, trilhar os Seus caminhos e todos nós alcançaremos a vida em plenitude, com o iminente retorno glorioso de Jesus! 

       Há, porém, uma terceira força, monumental e indestrutível, que é como o “fiel da balança” entre ambos. Ela determina os rumos da batalha. Ela define quem perde ou quem ganha terreno. Ela é a verdadeira e única “Fonte de Poder”. As trevas buscam eclipsá-la! O exército da Luz busca manter-lhe a chama acesa. Esta fonte de poder se chama: Sagrada Eucaristia!   

       De fato, do cantinho humilde dos sacrários brota uma luz que não tem fim. É dali que verte o poder infinito. Dela nos vem a Vida Eterna! E ambos os exércitos sabem disso. Mais, ou menos Eucaristia na terra: quem tiver o controle sobre ela, será o vencedor. É sobre esta força infinita que falaremos! 
  
      Isto foi escrito há oito anos atrás, e a batalha continua e se acentua. Por todos os lados surgem os efeitos e os reflexos negativos dela. Por hora, apenas aspectos negativos. Verdade é que, cada sacerdote que acolhe em sua alma a idéia da não presença real de Cristo na Eucaristia, acaba dando forças ao adversário, de modo que a soma deles todos, em síntese transfere poder ao inimigo, pois com isso o exército do bem perde terreno. E assim acontece, com todo sacrário que cai, com toda Missa transformada em ceia, ou quando nela rebolam, e dançam, e batem palmas – tudo diante do Crucificado – fatos que fazem aos poucos apagar as chamas dos sacrários. 
  
      Mas a coisa irá mais longe e não demora. As mensagens atuais nos têm apontado para um antipapa, que virá substituir o Papa Bento XVI. Sabemos que este Papa irá em breve emitir uma Carta ao Mundo, que desagradará profundamente a milhares de padres e bispos. Eles, já agora em pé de guerra, irão à rebelião declarada, consumando-se assim o cisma previsto nas Sagradas Escrituras, fruto da apostasia que já reina quase absoluta. Creio que esta Carta, trará a exigência de mudanças na Santa Missa, retornando o Latim como língua oficial, e devendo as palavras da Consagração serem proclamadas neste idioma. Isso fará explodir a ira dos modernistas, e de seu odioso e rebelde antipapa. Que os chefia!
  
      Então perguntamos: quem terá a coragem inaudita de cometer este ato? Penso que a melhor referência a este homem, está cifrada em Daniel 8, 9 De um deles saiu um pequeno chifre que se desenvolveu consideravelmente para o sul, para o oriente e para a jóia (dos países). 10 Cresceu até alcançar os astros do céu, do qual fez cair por terra diversas estrelas e as calcou aos pés. 11 Cresceu até o chefe desse exército de astros, cujo (holocausto) perpétuo aboliu e cujo santuário destruiu. 12 Por causa da infidelidade, além do holocausto perpétuo foi-lhe entregue um exército! A verdade foi lançada à terra. O pequeno chifre teve êxito na sua empreitada. (Tremo só de pensar que este “chifre” possa vir da jóia dos países, o Brasil?) 
  
      Parece difícil de entender tudo isso, mas para quem medita nestes mistérios de Deus, se torna fácil identificar o significado destas palavras obscuras. O pequeno chifre é sem dúvida o antipapa, que assinará o decreto maldito! As estrelas calcadas são os padres, bispos, e cardeais fiéis ao papa – o chefe deste exército de astros – que serão calcados pela horda dos maus padres, maus bispos e maus cardeais modernistas, que imporão sua vontade por decisão de maioria. O Holocausto Perpétuo é com certeza a Eucaristia, que será abolida pela NEGAÇÃO da presença real de Jesus, e pela transformação da Santa Missa em mera ceia comemorativa, em gesto “fraterno” de partilha. Com isso a verdade será esmagada e é isso o que significa a “abominação da desolação” predita por Daniel. Ato abominável que trará desolação à todo o Universo!
  
      Ora, assim falou Jesus em Mateus 24, 15 Quando virdes estabelecida no lugar santo a abominação da desolação que foi predita pelo profeta Daniel (9,27) - o leitor entenda bem - 16 então os habitantes da Judéia fujam para as montanhas. 17 Aquele que está no terraço da casa não desça para tomar o que está em sua casa. 18 E aquele que está no campo não volte para buscar suas vestimentas. Ou seja: isso prenuncia na verdade o início das grandes confusões mundiais, pois Jesus continua prevenindo: 21 porque então a tribulação será tão grande como nunca foi vista, desde o começo do mundo até o presente, nem jamais será.. Quer dizer, exatamente quando for cometido este ato, terá início a Grande Tribulação anunciada também pelo mesmo profeta, quando diz... 
  
      Daniel 12, 1 Naquele tempo, surgirá Miguel, o grande chefe, o protetor dos filhos do seu povo. Será uma época de tal desolação, como jamais houve igual desde que as nações existem até aquele momento. Então, entre os filhos de teu povo, serão salvos todos aqueles que se acharem inscritos no livro. E se o profeta evoca São Miguel Arcanjo, é porque, a partir deste ato, o inferno em peso se derramará sobre a terra, pois Deus então soltará seus freios. 
  
      Quando virá? Veja, nos anos anteriores, sempre imaginávamos que a segunda metade da última semana de anos de Daniel, traria embutidos os últimos 1335 dias, mas isso não se deu. Hoje vemos assim: depois que termina a semana de anos – 11 de setembro deste ano de 2008 – deverá haver ainda um intervalo até que o antipapa consume este ato, e só então começam a contar os 1335 dias finais. Então parece não haver mais dúvidas de que teremos de passar por estes quatro anos de horrores, onde Jesus previu que os vivos invejarão os mortos. As pessoas irão desejar morrer, diante de tamanho volume de catástrofes. Assim, mais uma vez o indicativo dos tempos finais, está no mesmo profeta. 
  
      Daniel 8, 13 Ouvi um santo que falava, a quem outro santo respondeu: quanto tempo durará o anunciado pela visão a respeito do holocausto perpétuo, da infidelidade destruidora, e do abandono do santuário e do exército calcado aos pés? 14 Respondeu: duas mil e trezentas noites e manhãs. Depois disso o santuário será restabelecido. Aqui ele fala em 2.300 noites e manhãs, mas nestas deve estar imbutido o tempo de 3,5 anos previstos para a abominação. Isso porque, na verdade , já hoje se trama contra a Eucaristia e isso é feito por padres e bispos que não acreditam mais na presença viva de Jesus na Hóstia consagrada. Estes 2.300 dias estão já hoje correndo.

      Como em está em Daniel 12, 9 Vamos, Daniel, respondeu; esses oráculos devem ficar fechados e lacrados até o tempo final. 10 Muitos serão limpos, acrisolados e provados. Os ímpios agirão com perversidade, mas nenhum deles compreenderá, enquanto que os sábios compreenderão. 11 Desde o tempo em que for suprimido o holocausto perpétuo e quando for estabelecida a abominação do devastador, transcorrerão mil duzentos e noventa dias. 12 Feliz quem esperar e alcançar mil trezentos e trinta e cinco dias! 
  
      Aqui neste texto, quando Daniel cita os IMPIOS, não se refere apenas à besta primeira que comanda tudo isso, mas certamente a mais que tudo, aos padres, bispos e cardeais que, comandados pelo antipapa, que cedendo ao bafo nojento de satanás, irão desferir a estocada final no Santíssimo Sacramento. Aliás, isso já se faz aos poucos, na medida em que os padres negam a presença real de Cristo nas sagradas Espécies, ou que já não mais acreditam no sacramento misterioso que celebram. Isso se faz pelos sacrários postos de lado, pelos que são esvaziados ou que servem já agora de motivo de escárnio e mofa. Ai dos que fazem isso, ai dos blasfemos, pois sobre eles pesa a condenação, e a excomunhão automática da nossa Igreja. 
  
      Veja o que está dito no Concilio de Trento. Trata-se de matéria dogmática, e, portanto nunca poderá ser mudada, nem pelo papa, e nem mesmo pela maioria dos padres e dos bispos. Nossa Senhora nos disse nas mensagens que 2/3 dos sacerdotes, que não acreditam na transubstanciação, incorrem nesta falta gravíssima. Eis o que dizem os cânones condenatórios do mesmo Sacrossanto Concílio sobre a Santíssima Eucaristia:  
 
883. Cân. l. Se alguém negar que no Santíssimo Sacramento da Eucaristia está contido verdadeira, real e substancialmente o corpo e sangue juntamente com a alma e divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo, e por conseguinte o Cristo todo, e disser que somente está nele como sinal, figura ou virtude — seja excomungado [cfr. n° 874 e 876]. (Já milhares negam isso acintosamente)
 
884. Cân. 2. Se alguém disser que no sacrossanto sacramento da Eucaristia fica a substância do pão e do vinho juntamente com o corpo e o sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo; e negar aquela admirável e singular conversão de toda a substância de pão no corpo, e de toda a substância do vinho no sangue, ficando apenas as espécies de pão e de vinho, que a Igreja com suma propriedade (aptissime) chama de transubstanciação — seja excomungado [cfr. n° 877]. (Basta que o padre celebre e não acredite, já é um sacrilégio)
 
885. Cân. 3. Se alguém negar que no venerável sacramento da Eucaristia, debaixo de cada uma das espécies e debaixo de cada parte dessas espécies, quando elas se dividem, está presente o Cristo todo — seja excomungado [cfr. n° 876].
(Há padres que mandam jogar fora os pequenos pedaços da Hóstia)
 
886. Cân. 4. Se alguém disser que no admirável sacramento da Eucaristia, depois da consagração, não estão o corpo e o sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, mas somente no uso, quando se recebe, e não antes nem depois; e que nas hóstias ou partículas consagradas, que se guardam ou sobram depois da comunhão, não permanece o verdadeiro corpo do Senhor — seja excomungado [cfr. n° 875]. (Há muitos dizendo isso. Dizem, de forma blasfema, que sacrário não freezer)
 
887. Cân. 5. Se alguém disser que o principal fruto da Santíssima Eucaristia é a remissão dos pecados, ou que dela não procedem outros efeitos — seja excomungado [cfr. n° 875]. (Ai de quem afirma que a Eucaristia perdoa pecados. Pode o veneno dobrado curar o paciente?).
 
888. Cân. 6. Se alguém disser que não se deve adorar com culto de latria também externo o Unigênito Filho de Deus no santo sacramento da Eucaristia; e que por isso também não se deve venerar com festividade particular, nem levar solenemente em procissão, segundo o louvável rito e costume da Igreja universal; ou que não se deve expor publicamente ao povo para ser adorado e que seus adoradores são idólatras, seja excomungado [cfr. n° 878]. (Dizem que Jesus não quer ser adorado, mas comido)
 
889. Cân. 7. Se alguém disser que não é lícito conservar no tabernáculo a sagrada Eucaristia, mas que imediatamente após a consagração deve ser distribuída pelos circunstantes, ou que não é lícito levá-la honrosamente aos enfermos — seja excomungado [cfr. n° 879]. (Dizem que não é mais necessário guardar, pois isso era preciso antes quando não havia recursos médicos e se guardava para a unção dos Enfermos)
 
890. Cân. 8. Se alguém disser que Cristo, dado na Eucaristia é só consumido espiritualmente e não também sacramental e realmente — seja excomungado [cfr. n° 881]. (Muitos trocam a comunhão espiritual, pela física e real, dizendo que é a mesma coisa  então assistem a Missa na TV)
 
891. Cân. 9. Se alguém negar que todos e cada um dos fiéis de Cristo, de um e de outro sexo, quando chegarem ao uso da razão, são obrigados todos os anos a comungar ao menos pela Páscoa, conforme o preceito da Santa Igreja — seja excomungado. (Este é um dos mandamentos da Igreja mais desobedecidos: comungar pela páscoa da Ressurreição).
 
892. Cân. 10. Se alguém disser que não é licito ao sacerdote celebrante dar a comunhão a si mesmo — seja excomungado [cfr. n° 881].
 
893. Cân. 11. Se alguém disser que só a fé é suficiente preparação para se receber o santíssimo sacramento da Eucaristia — seja excomungado. E para que não se receba indignamente tão grande sacramento e cause a morte e a condenação, determina e declara o mesmo santo Concilio que aqueles que se sentem com consciência oprimida pelo pecado mortal, ainda que se julguem sumamente contritos, se puderem encontrar confessor, estão necessariamente obrigados a fazer primeiro a confissão. E se alguém presumir ensinar, pregar ou afirmar com pertinácia o contrário, ou também o defender publicamente em discussões - seja imediatamente por este fato excomungado [cfr. n" 880]. (Mas muitos padres negam a necessidade de confissão sacramental) 
  
      Ou seja: trata-se de um ato automático, sem necessidade de decreto papal, ou de um processo investigativo. Todo padre, todo bispo, todo cardeal, e qualquer leigo, que de forma contumaz e decidida negar qualquer uma das verdades ali contidas e eternamente imutáveis, incorre em imediata condenação de excomunhão da Igreja Católica, e comete sacrilégio cada vez que participa de um sacramento. Qualquer deles. Padre que celebra sem crer é um sacrílego contumaz, pois está em pecado grave. E quem recebe a Eucaristia sem discernir o Corpo de Cristo, come e bebe a própria condenação (I Cor 12, 29). 
  
      Nos dias de minha viagem, meditei muito sobre isso. Estremeci muitas vezes somente em pensar no que está por vir para esta pobre humanidade, quando resolver dar este grito rebelde contra Deus, tal como o fizeram os anjos caídos. Não perceberão acaso, estes obreiros do mal, que com isso clamam aos céus por vingança? Acaso as Escrituras não lhes são bem claras quanto ao que acontecerá quando isso for executado? Vejamos o que dizem os profetas:
 
Oséias 8, 1 É boca a trombeta! O inimigo precipita-se como uma águia sobre a casa do Senhor, porque violaram minha aliança e transgrediram minha lei. 2 Clamam a mim: Meu Deus!- Nós te conhecemos, Israel! 3 Israel rejeitou o bem, o inimigo o persegue.
 
Jeremias 34, 17 Eis por que diz o Senhor: assim como não me haveis obedecido no que tange à proclamação da liberdade de vossos irmãos, vou, por minha vez, proclamar a vossa volta à espada, à peste e à fome, transformando-vos em objeto de espanto para todos os reinos da terra. 18 Os homens que violaram minha aliança, e não observaram as cláusulas do acordo celebrado em minha presença...
 
Jeremias 5, 4 E a mim mesmo eu dizia: são apenas vulgares e insensatos, porque não conhecem os caminhos do Senhor, a lei do seu Deus. 5 Irei procurar os grandes para falar-lhes, pois que eles conhecem as sendas do Senhor, a lei do seu Deus. Mas todos esses também quebraram o jugo, e romperam os laços. 6 Eis por que o leão da floresta os ferirá e o lobo da estepe os dizimará; a pantera os espreitará em suas cidades; e aquele que dela sair será despedaçado, porquanto numerosos são os seus delitos, e sem conta suas revoltas.
 
Isaías 24, 3 A terra será totalmente devastada, inteiramente pilhada, porque o Senhor assim o decidiu. 4 A terra está na desolação, murcha; o mundo definha e esmorece, e os chefes do povo estão aterrados. 5 A terra foi profanada por seus habitantes, porque transgrediram as leis, violaram as regras e romperam a aliança eterna. 6 Por isso a maldição devora a terra e seus habitantes expiam suas penas; os habitantes da terra são consumidos, um pequeno número de homens sobrevive.
 
Ezequiel 44, 6 Dirás a esses rebeldes israelitas: eis o que diz o Senhor Javé: israelitas, basta! Chega de abominações! 7 Quando fazíeis a oferenda do meu pão, da gordura e do sangue, introduzistes no meu santuário para profaná-lo estrangeiros cujo coração não é menos incircunciso que a carne; violastes, dessa forma, a minha aliança com todas as vossas abominações.
 
Ezequiel 17, 18 Ele desprezou o seu juramento e rompeu a aliança, embora tivesse já dado a sua palavra. Ele fez tudo isso; não escapará. 19 Por isso, eis o que diz o Senhor Javé: Por minha vida, é o meu juramento que ele rejeitou, é minha aliança que ele infringiu: farei cair isso sobre sua cabeça.
 
Salmo 131, 11 O Senhor fez a Davi um juramento, de que não há de se retratar: Colocarei em teu trono um descendente de tua raça. 12 Se teus filhos guardarem minha aliança e os preceitos que eu lhes hei de ensinar, também os descendentes deles, para sempre, sentar-se-ão em teu trono. Assim aconteceria, se os homens não transgredissem esta que é a cláusula pétrea e fundamental da aliança de Deus conosco. Na verdade esta aliança está fundamentada no Sangue Redentor de Jesus e descumpri-la é quebrar um juramento assinado diante de Deus, pelo próprio Deus, e com o Seu Preciosíssimo Sangue. Será, portanto, réu de eterno delito, quem se atrever a quebrar este pacto, esta aliança.

      Pois Jesus afirmou claramente: “isto É o Meu Corpo... Isto É, o Meu Sangue”. E estas palavras não somente atestam Sua PRESENÇA REAL na Eucaristia, mas algo ainda mais profundo: Cristo É A EUCARISTIA! A Eucaristia É Deus Vivo e Real! Negar isso, ou tentar subverter a integridade dos termos, obriga a rasgar todo o capítulo 6 do Evangelho de São João, onde Jesus faz o famoso discurso do Pão da Vida Eterna. Significa então romper uma aliança eterna, assinada com o Sangue de nosso Deus e Senhor! Significa dizer assim: nós desprezamos o culto a Ti, e vamos adorar nosso bezerro de ouro! Somos maioria e decidimos isso: Não Te serviremos mais!
  
      Efetivamente meus amigos, podemos começar a tremer e gemer desde já, porque tão logo isso se “oficialize”, terá início a Grande Tribulação final. Antes já, deveremos ter algo de muito sério acontecendo, em nosso país, desta vez quem sabe no Norte e Nordeste, embora a catástrofe do sul nunca tenha sido abolida. O Brasil, que deveria manter viva a chama dos sacrários, por ser o maior país católico da terra, de certa forma também resvala pelo despenhadeiro da omissão, pelo descaso com que trata Deus Vivo, presente na Sagrada Eucaristia. Padres e bispos negam espaço aos fiéis que querem adorar o Santíssimo, e combatem com dureza aos que querem rezar. Por isso, aguardem para breve a manifestação – da ira – de Deus! Santa e justa!
  
      Por hora nós aguardamos ainda a mencionada Carta do Papa, e sabemos apenas que ela é uma das quatro que está sendo redigida por ele. Consta que contados 90 dias dela, Deus agirá no mundo. Entretanto, não sabemos o que significa este agir, tampouco nos é dado garantir quando a Carta virá. Sabemos apenas que será ainda neste ano. Tudo isso poderia nos ter sido dado, bem esclarecido, entretanto as pessoas entendem mal e ainda manipulam e distorcem as informações, de modo que somente saberemos o que significa cada coisa, talvez alguns dias antes do evento, para que poucos – os que acreditam – possam se preparar. 
  
      De qualquer forma setembro é um mês chave, final de uma época e início de outra. Nada porém tenho de efetivo. Como não sabemos o que será, nem sua intensidade, tudo o que devemos fazer é rezar, confiar e esperar o momento certo de cada coisa. Deus sabe de cada um de nós, e nossa vida não deve mudar em nada, nossos planos e projetos devem ter seguimento. Jesus não nos quer ver por aí, parados, aguardando de boca aberta – como um daqueles trairões do Juruena – a espera de notícias apenas para saber. Importa converter-se e levar outros à conversão! 
  
      O tempo agora é de agir e este agir significa semear. Falo em espalhar livros, mensagens de bons profetas, e bons artigos. Semear não quer dizer converter, forçar nada nem ninguém! Falo principalmente em formar grupos de oração, em especial oração em família, ensinando a elas a reza do Terço, como arma eficaz contra toda e qualquer tribulação. Já o Papa João Paulo II nos pedia isso e há décadas a Mãe de Deus nos ensina e nos pede a mesma coisa. Realmente, a melhor coisa a fazer – falo aos que têm ainda olhos e ouvidos – é olharmos para o que FALTA fazer, e isso nos aponta para a conversão. Milhares ainda estão fora dos caminhos corretos e precisam de ajuda. 
  
      E sempre tendo a Eucaristia como força e chama viva de atração. Lembro que em breve o demônio e seus seguidores se atirarão com fulminante ira contra todos os que adoram a Jesus no Santíssimo Sacramento, e as profecias atuais indicam que haverá uma perseguição maior do que jamais houve até hoje, especialmente contra os católicos. Isso nos reporta aos tempos idos das perseguições romanas, onde a Missa era celebrada nas catacumbas. E é isso que acontecerá novamente, desta vez como mais vigor e fúria. 
  
      Lembramos, porém que, se Deus a fez eterna, não será o homem a eclipsá-la. A Eucaristia será mantida nas famílias católicas, porque praticamente nenhuma capela, igreja ou catedral oficial conseguirá manter viva a chama do sacrário. Tudo será posto abaixo pelos rebeldes amotinados. E na medida em que caírem os sacrários, por um breve tempo, nós iremos perder nossa força de expiação, pois todo espaço antes ocupado por um sacrário será ocupado pelos demônios. As celebrações que eles fizerem nestes templos serão abomináveis a Deus, que considera isso como afronta suprema. 
  
      No final, então, os sacrários voltarão a serem erigidos, suas luzes acesas, na medida em que voltarem os padres santos, já glorificados. Isso fará novamente a terra se revigorar e passaremos a virar de lado o fiel da balança. Então virá também o triunfo do Imaculado Coração de Maria, pelo triunfo da Eucaristia. De fato, quando A Eucaristia for reconhecida, por todos os homens, como Pão da Vida Eterna, Maria será também reconhecida por Mãe, por todos os povos da terra. Sim, teremos poucos vivos para presenciarem este acontecimento. 
  
      Mas antes disso, o UNIVERSO inteiro tremerá: de pavor, de espanto, de terror! Amemos a Eucaristia! Adoremos a Jesus Sacramentado! Defendamo-lo, até mesmo com a própria vida! O fruto disso será eterno, infinito! (Aarão)


www.recadosaarao.com.br

 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 6.664.045
Visitas Únicas Hoje: 2.275
Usuários Online: 455