Espacojames


Página Inicial
Listar Livro Aberto




Artigo N.º 7465 - Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 24
Artigo visto 3087




Visto: 3087
Postado em: 12/03/11 às 23:30:28 por: James
Categoria: Livro Aberto
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=180&id=7465
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Livro Aberto

Palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo à sua esposa escolhida e muito amada, Santa Brígida; sobre a proclamação de sua santíssima encarnação; a rejeição, profanação e abandono de nossa fé e batismo; e como Ele convida sua amada esposa e todo o povo cristão a amá-Lo.

Baixe o livro completo em nosso site no artigo N.º 4917

http://www.espacojames.com.br/?cat=99&id=4917

--

Livro 2 - Capítulo 3

Maria disse: “É um terrível fato que o Senhor de todas as coisas e o Rei da glória, seja desprezado". Ele foi como um peregrino na terra, vagando de um lugar para outro, batendo em muitas portas, como um viajante buscando boas-vindas. O mundo era como uma propriedade com cinco casas. Quando meu Filho apareceu vestido como um peregrino na primeira casa, ele bateu na porta e disse: ‘Amigo, abra a porta e deixe-me entrar para descansar e ficar contigo, para que os animais selvagens não me façam mal, para que as tempestades e chuvas não caiam sobre mim! Dê-me algumas de tuas roupas para aquecer-me do frio, para cobrir-me de minha nudez! Dê-me um pouco de tua comida para aliviar-me em minha fome e algo para beber e reavivar-me. Receberás uma recompensa de teu Deus!’

A pessoa do lado de dentro respondeu: ‘Estás muito impaciente, por isso não podes viver conosco em paz. És muito alto. Por este motivo não podemos vestir-te. És insaciável e guloso, e assim não podemos satisfazer-te pois não há fim para o teu insaciável apetite’. Cristo peregrino respondeu do lado de fora: ‘Amigo, deixe-me entrar alegre e voluntariamente. Não preciso de muito espaço. Dê-me algumas de tuas roupas, já que em tua casa não há roupas tão pequenas que não possam oferecer-me no mínimo algum aquecimento! Dê-me um pouco de tua comida, já que mesmo um pequeno bocado pode me satisfazer e uma mera gota de água me refrescará e fortalecerá’. A pessoa do lado de dentro respondeu: ‘Nós te conhecemos muito bem. És humilde em teu discurso, mas inoportuno em teus pedidos. Pareces facilmente satisfeito mas de fato és insaciável quando vens como já estando satisfeito. Estás com muito frio e é difícil vestir-te. Vá embora, não te receberei!’

Então, ele se dirigiu à segunda casa e disse: ‘Amigo, abra a porta e olhe para mim! Eu te darei o que precisas. Eu te defenderei de teus inimigos.’ A pessoa do lado de dentro respondeu: ‘Meus olhos são frágeis. Ficariam machucados se olhasse para ti. Estou satisfeito de todas as coisas e não necessito nada de ti. Sou forte e poderoso. Quem pode me prejudicar?’ Chegando, então, na terceira casa, ele disse: ‘Amigo, preste atenção e me escute! Estenda tuas mãos e me tome! Abra tua boca e me prove!’

O morador da casa respondeu: ‘Grite mais alto para que possa escutar-te melhor! Se fores bondoso, eu aproximar-te-ei de mim. Se fores agradável, deixarei que entres.’ Então, ele dirigiu-se à quarta casa cuja porta estava entreaberta. Ele disse: ‘Amigo, se considerasses que teu tempo foi gasto desnecessariamente, me deixarias entrar. Se entendesses e escutasses o que eu fiz por ti, terias compaixão de mim. Se percebesses o quanto tens me ofendido, irias suspirar e implorar por perdão.’ O homem respondeu: ‘Estamos quase morrendo de tanto esperar e ansiar por tua presença. Tenha compaixão de nossa desgraça e estaremos mais prontos para nos entregarmos a ti. Veja a nossa miséria e observe a angústia de nossos corpos, e estaremos prontos para cada um de teus desejos’. Então, ele foi até à quinta casa, que estava completamente aberta. Ele disse: ‘Amigo, eu entraria aqui com prazer, mas procuro um lugar para descansar mais macio do que o de um edredom, um calor maior do que o dado pela lã, uma comida mais fresca do que a que a carne animal pode oferecer.

Os que estavam do lado de dentro responderam: Temos martelos junto a nossos pés. Podemos usá-los com prazer para golpear nossos pés e pernas, e oferecer-te a essência que escorra deles para ser teu local de descanso. Podemos abrir nosso interior e nossas entranhas para ti. Entre imediatamente! Não há nada mais macio que nossa essência para descansares e nada melhor que nossas entranhas para aquecer-te. Nosso coração é mais fresco do que a carne de animais. Ficaríamos felizes em cortar nossa carne para tua comida. Apenas entre! Pois és doce para provar e maravilhoso para alegrar!’ Os moradores dessas cinco casas representam cinco diferentes tipos de pessoas no mundo. Os primeiros são cristãos infiéis que chamam de injustas as sentenças de meu Filho, de falsas as suas promessas e de intoleráveis as suas ordens.

Essas são aquelas que, em seus pensamentos, em suas mentes e suas blasfêmias dizem aos pregadores do meu Filho: ‘Ele pode ser todo-poderoso, mas está longe e não pode ser alcançado. Ele é alto e largo e não pode ser vestido. É insaciável e não pode ser alimentado. É muito impaciente e não há como lidar com ele’. Eles dizem que ele está longe porque são fracos em boas ações e caridade e não tentam se elevar à sua bondade. Dizem que ele é largo, pois sua própria avareza não conhece limite: estão sempre fingindo não ter ou necessitar de algo e sempre imaginando problemas antes de aparecerem. Eles também o chamam de insaciável, porque o céu e a terra não são suficientes para ele, mas ele exige ainda maiores dádivas da humanidade.

Eles pensam que é uma tolice desistir de tudo pela salvação da alma conforme os preceitos, e prejudicial dar menos ao corpo. Dizem que ele é impaciente, pois odeia vícios e lhes envia coisas contra sua vontade. Acham que nada é bom e útil, exceto o que o prazer do corpo lhes sugere. È claro que Meu Filho é de fato todo-poderoso no Céu e na Terra, o Criador de todas as coisas e não criado por ninguém, que existia antes de todas as coisas, depois do qual ninguém mais virá. Ele é, de fato, o mais distante, o maior e mais alto, está dentro, fora e acima de todas as coisas.

Embora Ele seja tão poderoso, ainda em seu amor Ele quer ser vestido com a ajuda humana – ele que não necessita de roupas, que veste todas as coisas e está vestido eterna e invariavelmente em honra e glória perpétuas. Ele, que é o pão dos anjos e dos homens, que alimenta a todas as coisas e ele mesmo não necessita nada, quer ser alimentado com amor humano. Ele que é o restaurador e autor da paz, pede paz aos homens. Assim, quem quiser recebê-lo com boa vontade, pode saciá-lo até com um pedaço de pão, desde que a intenção seja boa. Ele pode vesti-lo com apenas um fiapo, desde que seu amor esteja inflamado. Uma única gota pode aliviar sua sede, desde que a pessoa tenha reta disposição.

Desde que a devoção de uma pessoa seja fervente e leal, ele é capaz de receber meu Filho em seu coração e falar com Ele. Deus é espírito e, por isso, ele quis transformar criaturas de carne em seres espirituais; seres efêmeros em eternos. Ele pensa que tudo o que acontece com os membros do seu corpo também acontece com ele mesmo. Ele leva em conta não somente o trabalho ou habilidades de uma pessoa, mas também o fervor de sua vontade e a intenção com a qual o trabalho foi feito. Na verdade, quanto mais meu Filho clama a essas pessoas por revelações ocultas, e quanto mais ele os adverte através de seus pregadores, mais elas endurecem sua vontade contra Ele.

Elas não o escutam nem lhe abrem a porta da sua vontade ou o recebem com atos de caridade. Assim, quando sua hora chegar, a falsidade em que confiam será aniquilada, a verdade será exaltada e a glória de Deus será manifesta. Os segundos são judeus obstinados. Essas pessoas veem a si mesmas como sendo razoáveis e consideram a justiça legal como sabedoria. Defendem suas próprias ações e as consideram como mais honrosas do que as dos outros. Se ouvem falar das coisas que meu Filho fez, eles as desprezam. Se ouvem as suas palavras e mandamentos, eles reagem com desdém.

Pior ainda, eles se considerariam pecadores e sujos se ouvissem ou refletissem sobre qualquer coisa que têm que fazer com meu Filho e ainda mais desprezíveis e miseráveis se imitassem suas ações. Mas, enquanto os ventos da fortuna mundana ainda sopram sobre eles, acreditam que são os mais cheios de sorte. Enquanto suas forças físicas estão saudáveis, acreditam que são os mais fortes. Por esse motivo, suas esperanças terminarão em nada e suas honras se tornarão vergonha.

Os terceiros são os pagãos. Alguns deles exclamam em zombaria todos os dias: ‘Quem é este Cristo? Se ele é benevolente em dar bons presentes, devemos recebê-lo com alegria. Se é gentil em perdoar os pecados, devemos honrá-lo com mais alegria ainda’. Mas essas pessoas fecharam os olhos de suas mentes a ponto de não perceberem a justiça e misericórdia de Deus. Eles tapam seus ouvidos e não escutam o que meu Filho fez por eles e por todos. Fecham suas bocas e não questionam sobre como será seu futuro e o que estará a seu favor. Cruzam seus braços e recusam fazer um esforço em procurar um caminho pelo qual possam escapar das mentiras e encontrar a verdade. Portanto, já que não querem entender ou tomar precauções, embora possam e tenham tempo para isso, eles e suas casas cairão e serão envolvidos pela tempestade.

Os quartos são os judeus e pagãos que gostariam de ser cristãos, se soubessem como e em que caminho contentar meu Filho e se recebessem ajuda. Eles escutam das pessoas de regiões vizinhas todos os dias, e conhecem os apelos por amor vindos de si mesmos, assim como outros sinais como quanto meu Filho fez e sofreu por cada um. É por isso que clamam a ele em suas consciências e dizem:

‘Ó Senhor, ouvimos dizer que tu prometeste te entregar a nós. Assim, estamos esperando por ti. Venha e cumpra tua promessa! Nós vemos e entendemos que não há poder divino naqueles que são idolatrados como deuses, não há amor pelas almas, não há valorização da castidade. Vemos neles apenas motivos carnais, um amor pelas honras do mundo presente. Sabemos pela Lei e ouvimos falar sobre as grandes obras que tu realizaste em misericórdia e justiça. Ouvimos pelas declarações de teus profetas, que estavam esperando por ti, a quem eles haviam previsto. Então vem, bondoso Senhor! Queremos nos entregar a ti, pois entendemos que em ti existe amor pelas almas, o uso correto de todas as coisas, pureza perfeita e vida eterna. Vem sem demora e nos ilumine, pois estamos quase morrendo de tanto esperar!’ É assim que eles clamam a meu Filho. Isto explica porque suas portas estão entreabertas, porque sua intenção é completa com respeito ao bem, mas ainda não atenderam ao cumprimento. Essas são pessoas que merecem ter a graça e consolo de meu Filho.

Na quinta casa estão os amigos meus e de meu Filho. A porta de suas mentes está completamente aberta para meu Filho. Eles estão contentes ao ouvi-lo chamar. Eles não apenas abrem a porta quando Ele bate, mas correm alegremente para recebê-lo quando ele entra. Com os martelos dos preceitos divinos, eles destroem tudo o que há de distorcido neles mesmos. Preparam um local de descanso para meu Filho, não entre plumas de aves, mas entre a harmonia das virtudes e da contenção da afeição ao mal, a maior essência de todas as virtudes. Oferecem ao meu Filho um tipo de calor que não vem da lã, mas de um amor tão ardente, tanto que eles não somente lhe dão seus pertences, mas também a si mesmos. Eles também lhe preparam comida mais fresca do que qualquer carne: são seus corações perfeitos que não desejam ou amam nada a não ser seu Deus.

O Senhor dos Céus habita em seus corações, e Deus que nutre todas as coisas é docemente nutrido por sua caridade. Eles mantêm seus olhos continuamente na porta, para evitar que o inimigo entre, mantêm seus ouvidos voltados em direção ao Senhor, e suas mãos prontas para lutar contra o inimigo. Imite-os minha filha, o quanto puder, pois suas fundações são construídas em pedra sólida. As outras casas têm suas fundações na lama, e é por isso que se abalarão quando o vento vier”.

As palavras da Mãe de Deus a seu Filho em defesa de sua esposa; sobre como Cristo é comparado a Salomão, e sobre a sentença severa contra falsos Cristãos.



Livro 2 - Capítulo 4

A Mãe de Deus falou a seu Filho, dizendo: “Meu Filho, veja como sua esposa está chorando, porque tu tens poucos amigos e muitos inimigos”. O Filho respondeu: “Está escrito que os filhos do reino serão expulsos e não herdarão o reino. Também está escrito que uma rainha veio de longe para ver as riquezas de Salomão e ouvir sua sabedoria. Quando ela viu tudo, ficou sem fôlego de puro espanto. As pessoas de seu reino, entretanto, não prestaram atenção à sua sabedoria nem admiraram suas riquezas. Eu sou prefigurado por Salomão, embora eu seja muito mais rico e sábio do que Salomão foi, visto que toda a sabedoria vem de mim e qualquer um que é sábio obtém sua sabedoria de mim. Minhas riquezas são vida eterna e glória indescritível. Prometi e ofereci estes bens aos cristãos como a meus próprios filhos, para que eles as possuíssem para sempre, se eles me imitassem e acreditassem nas minhas palavras. Mas eles não prestaram atenção na minha sabedoria.

Eles consideram meus feitos e promessas com desprezo e minhas riquezas como sem valor. O que devo fazer com eles, então? Certamente, se os filhos não querem suas heranças, então estranhos, isto é, pagãos, a receberão. Como aquela rainha estrangeira, a quem tomei para representar as almas fiéis, eles virão e admirarão a riqueza de minha glória e caridade, tanto que eles deixarão seu espírito de infidelidade e se preencherão com meu Espírito. O que, então, devo fazer com os filhos do reino? Eu lidarei com eles da maneira que um habilidoso oleiro, quando observa que o primeiro objeto que ele fez do barro não é nem bonito nem útil, joga-o no chão e o esmaga. Eu lidarei com os cristãos da mesma forma. Embora devam pertencer-me, já que os formei à minha imagem e os redimi com meu sangue, eles se tornaram lamentavelmente deformados. Dessa maneira, serão pisoteados como terra e jogados no inferno”.

As palavras do Senhor na presença da esposa a respeito de sua própria majestade e uma maravilhosa parábola comparando Cristo a Davi, enquanto judeus, maus cristãos e pagãos são comparados aos três filhos de Davi, e sobre como a Igreja subsiste nos sete sacramentos.

 

Continua...

 


Fonte: Extraído do Livro As Profecias e Revelações de Santa Brígida



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!

LEIA TAMBÉM
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 23
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 22
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 21
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 20
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 19
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 18
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 17
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 16
Livro: As Profecias e Revelações de Santa Brígida - Parte 15
Veja mais artigos relacionados
 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.268.480
Visitas Únicas Hoje: 1.446
Usuários Online: 285