O diabo e os detalhes da vida cotidiana
Espacojames



Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 12650 - O diabo e os detalhes da vida cotidiana
Artigo visto 2033




Visto: 2033
Postado em: 29/09/14 às 11:18:51 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=12650
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque


Grandes santos e mártires aprenderam a combater Satanás nas coisas simples do dia-a-dia

Em maio deste ano, o diabo resolveu fazer uma aparição na Universidade de Harvard, mas acabou não conseguindo roubar todas as almas que tinham estado ao alcance das suas garras. É que a missa negra anunciada para acontecer no campus foi cancelada. Pior ainda: “católicos” começaram a “adorar” em massa o seu inimigo jurado, Jesus Cristo.

Felizmente para Satanás, porém, os seguidores do inimigo só ficaram incandescentes de fervor durante o mínimo tempo suficiente para estragar a sua grande noite. Hoje, eles já estão de novo convencidos de que o diabo voltou para o mundo lá de baixo e mal lhe dedicam alguma lembrança ao longo do dia.

Este é um erro que o escritor C.S. Lewis tentou nos impedir de cometer. Ele compôs uma espécie de cartilha que denuncia as táticas de Satanás: “As Cartas do Coisa-Ruim” [The Screwtape Letters]. Escrito em 1939, quando as bombas começaram a cair sobre a Grã-Bretanha, o livro de Lewis tentava avisar aos seus compatriotas que existe um inimigo dos cristãos que é ainda pior que os nazistas (Lewis recebeu mordazes críticas por causa disso).

O livro é um intercâmbio de cartas entre um jovem diabo em treinamento e seu tio satânico supervisor. O diabinho aprendiz se deleita com a declaração de guerra, na esperança de que os assassinatos, estupros, destruição e males de todo tipo se propaguem exponencialmente. O tio o repreende. As guerras, explica ele, também são oportunidades para o heroísmo e para o sacrifício pessoal. Elas podem ser um catalisador para muitos homens e mulheres salvarem as suas almas.

Quando eu lhe disse para não encher as suas cartas com bobagens sobre a guerra, eu quis dizer, é claro, que não queria ler as suas rapsódias infantis sobre a morte de gente e a destruição de cidades. Se esta guerra tem importância para o estado espiritual do seu paciente, eu quero, naturalmente, relatórios mais completos.
 
Agora que é certo que os humanos alemães vão bombardear a cidade do seu paciente e que as tarefas dele o manterão no meio do perigo, devemos trabalhar bem a nossa estratégia. Devemos induzi-lo à covardia - ou à coragem, desde seguida do orgulho ou do ódio contra os alemães (Carta 28 do diabo ao sobrinho).

E quanto a nós? Será que passamos os dias pensando em como corrigir os males do mundo ou tentamos cultivar o remorso e a contrição pelas nossas próprias falhas?

As “Cartas do Coisa-Ruim” nos apresentam muitas batalhas menores da vida diária que, no fim, podem importar mais para a nossa salvação do que as grandes campanhas contra os males globais.

O satânico tio supervisor sugere ao diabinho aprendiz que fazer os cristãos se voltarem uns contra os outros em questões morais é uma ótima forma de despertar o orgulho, que é um pecado capital. É possível, afinal, que os cristãos estejam "certos" em sua postura moral, mas "pequem por orgulho". E Satanás sabe o que vem antes de uma queda, não sabe?

Será que não é melhor meditar sobre a própria incapacidade de ser um bom cônjuge em vez de lamentar constantemente a agenda gay? Ou controlar a própria raiva prestes a entrar em erupção em vez de lamentar continuamente os males do terrorismo? Esta lista de prioridades pode, é claro, ser individualizada de sete bilhões de maneiras. Tenho certeza de que, pensando um pouco, você poderá criar a sua.

Grandes santos e mártires são pessoas que se tornaram muito hábeis na luta contra Satanás. Seus locais de combate não eram campos de batalha nem coliseus: eram qualquer lugar onde eles estivessem no dia-a-dia.

Em primeiro lugar, lembre-se de que a sua salvação eterna é a sua prioridade número um. Todo o resto vem por acréscimo. Um artigo recente na Aleteia lembrava aos leitores da facilidade com que o pecado é subestimado e até mesmo esquecido. C.S. Lewis fala sem papas na língua sobre a prioridade que deve ser dada aos aspectos "sobrenaturais" da fé cristã. O psiquiatra Karl Menninger faz o mesmo em seu livro “O que aconteceu com o pecado” [Whatever Became of Sin]. Mesmo os pequenos pecados são importantes, como ensina o Coisa-Ruim ao sobrinho:


Fonte: http://www.aleteia.org/pt



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!

Lenço Branco de N. Senhora
Saiba o que é, como fazer e as orações necessárias.
Óleo de São Rafael e Santa Filomena
Saiba mais sobre este santo remédio em tempos difícies
As 15 Orações de Santa Brígida
As promessas de Jesus para a alma que rezar estas orações.
Jesus eu Confio em vós
Nada negarei a alma que às 3 hs da tarde recitar minhas orações
Devoção às Gotas de Sangue de Cristo
Será livrado das penas do Purgatório.
Para os irmãos protestantes
Foi no colo de uma mulher que Deus colocou toda esperança do mundo



Total Visitas Únicas: 8.835.161
Visitas Únicas Hoje: 1.128
Usuários Online: 225