Espacojames


Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 13708 - Foto de menino afogado comove a Europa e ilustra drama dos migrantes
Artigo visto 1804




Visto: 1804
Postado em: 04/09/15 às 11:39:59 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=13708
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

O risco de que esta crise ameace a liberdade de trânsito na UE, um dos maiores feitos da construção europeia, começa a surgir

A foto de um menino afogado em uma praia da Turquia, após o naufrágio de duas embarcações com refugiados sírios, gerou comoção na Europa, confrontada a uma pressão crescente para gerenciar a chegada de milhares de refugiados ao continente.

As duas embarcações que naufragaram tinham saído da cidade turca de Bodrum com destino à ilha grega de Kos, porta de entrada da União Europeia.

A guarda costeira turca foi alertada por gritos de passageiros dos barcos e conseguiram resgatar os corpos de 12 pessoas, entre eles o de um menino pequeno que jazia de bruços na praia.

A fotografia de um agente turco carregando o menino foi difundida por meios de comunicação e pelas redes sociais com a hashtag #KiyiyaVuranInsanlik (A humanidade é um fracasso, em turco).

Jornais de toda a Europa repercutiram a comoção provocada pela imagem.

Na Espanha, o jornal El Mundo destacou que a foto “já faz parte do álbum migratório da infâmia”, enquanto o El Periódico escreveu que a imagem ilustrava “o naufrágio da Europa”.

Para o britânico The Guardian, a foto resume “todo o horror e o drama humano vividos na costa europeia”.

“Se imagens tão fortes quanto a de um menino sírio morto, arrastado pelas ondas, não mudarem a atitude da Europa frente aos refugiados, o que poderá fazê-lo?”, questionou o The Independent.

Na Itália, o jornal La Repubblica reproduziu a imagem no Twitter, intitulando-a “Uma foto para calar o mundo”.

 

 

Êxodo contínuo

Enquanto isso, milhares de refugiados conseguiam chegar à costa da Europa. Cerca de 4.500 pessoas chegaram nesta quarta-feira ao porto de Pireu, em Atenas, com o objetivo de continuar seu périplo rumo ao norte da Europa, em um novo episódio da grave crise migratória que divide os países europeus.

Outros 3.000 puderam ser salvos pela guarda costeira italiana no Mediterrâneo nas últimas 24 horas.

Lesbos, assim como Kos, também no Egeu, se tornaram o porto de entrada na Europa de refugiados que fogem através da Turquia dos conflitos armados no Oriente Médio e na África.

A maioria quer continuar viagem para o norte da Europa através dos Bálcãs, na crise migratória mais grave no continente desde a Segunda Guerra Mundial.

Desde o começo do ano chegaram à Grécia 160.000 pessoas do total de cerca de 350.000 que, segundo se estima, teriam cruzado o Mediterrâneo, uma rota na qual morreram dois mil migrantes.

Enquanto isso, na Hungria, um dos países de entrada para os migrantes que querem chegar à Alemanha, a tensão continua crescendo e duas mil pessoas permaneciam acampadas em frente à estação de Keleti, em Budapeste, ou em uma zona de trânsito do edifício, depois que a polícia os impediu de abordar os trens.

A tentativa dos migrantes de chegar à Alemanha se explica pela decisão do governo de Berlim de não devolver aos sírios o país por onde entraram na União Europeia, neste caso a Hungria, e examinar seus pedidos de asilo.

Segundo as autoridades alemãs, nesta terça-feira, 3.709 pessoas sem visto chegaram ao país vindos de Áustria e Hungria, uma cifra recorde.

Espaço Schengen ameaçado?

Viena elevou o tom nesta quarta-feira contra a decisão alemã, que vai contra os acordos de Dublin, segundo o qual o candidato a asilo deve apresentar seu pedido ao Estado-membro onde entrou pela primeira vez à União Europeia.

“Sempre adverti contra uma suspensão dos acordos de Dublin (…) Estamos vendo os efeitos agora”, lamentou o ministro do Interior, Johanna Mikl-Leitner, em entrevista ao jornal Die Presse.

Para fazer frente à chegada de milhares de pessoas que fogem da guerra, da perseguição e da pobreza no Oriente Médio e na África, “o mais importante é levar paz e estabilidade”, disse o primeiro-ministro, David Cameron.

Não penso que a resposta seja receber mais e mais refugiados”, afirmou, em declarações à BBC.

O risco de que esta crise ameace a liberdade de trânsito na UE, um dos maiores feitos da construção europeia, começa a surgir.

A atual crise migratória está “destroçando” o espaço Schengen de livre circulação, afirmou o chefe da diplomacia eslovaca, Miroslav Lajcak.

A implantação de uma resposta conjunta de todos os países europeia será o tema central de uma reunião, em 14 de setembro, entre os 28 países da União Europeia.


Fonte: http://pt.aleteia.org/



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!



LEIA TAMBÉM
Como o celular pode desconectar o seu relacionamento
O plano de Deus para nossa sexualidade está estampado em nossa anatomia complementável. A masturbação nega isso!
A mais alta estátua de Nossa Senhora em todo o mundo é inaugurada no maior país mulçumano do planeta
5 coisas que pessoas mentalmente fortes nunca dizem
A mais alta estátua de Nossa Senhora em todo o mundo é inaugurada no maior país mulçumano do planeta
Imagem de Nossa Senhora inexplicavelmente intacta após incêndio
Guitarrista da banda de metal Korn diz que se converter foi "a melhor coisa possível"
A bênção do padre Elvis - Padre conhecido como Elvis atrai mais de 1 000 fiéis por missa
O sacerdote surdo e cego que evangeliza pela internet aos 73 anos
Veja mais artigos relacionados
 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.622.535
Visitas Únicas Hoje: 1.115
Usuários Online: 251