Coronavírus versus Deus: Deus vai vencer
Espacojames



Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 15821 - Coronavírus versus Deus: Deus vai vencer
Artigo visto 583




Visto: 583
Postado em: 22/04/20 às 23:11:35 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=15821
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque


Se Deus permitiu essa pandemia é porque ele está preparando algo bom

A pandemia de coronavírus é demoníaca. E isso significa que algo bom está prestes a acontecer. Para ser claro, não quero dizer que a COVID-19 seja literalmente obra de Satanás; é um vírus e faz parte do nosso mundo caído. O que quero dizer é que Satanás pode usar a pandemia para atacar a fé, atacar o amor, atacar a esperança.

Mas Jesus usa exatamente as coisas que mais agradam ao diabo para frustrá-lo.

Diz o Catecismo:

Deus Todo-Poderoso nunca permitiria que houvesse algum mal em suas obras se ele não fosse tão todo-poderoso e bom a ponto de fazer surgir o bem do próprio mal”.

A Homilia do Sábado Santo expressa como isso funciona na Páscoa: Satanás enganou Adão e Eva em um jardim, depois Jesus enganou Satanás em outro jardim. Eles estenderam as mãos para uma árvore da vida e tiveram a morte, depois Ele estendeu as mãos na cruz da morte para nos dar vida. O pecado deles os exilou do Éden, depois a misericórdia de Jesus os entronizaria no céu.

Do mesmo modo, Satanás se deleita com o enorme sofrimento que o coronavírus causa ao fazer as pessoas sofrerem e morrerem sozinhas – mas Jesus Cristo pretende transformar lágrimas solitárias em gritos de alegria no céu.

Adoro ver como os católicos estão encarando os aspectos da pandemia que agradam o diabo e usá-los para frustrar o mal.

Por exemplo: a pandemia nos separou da Missa, mas abriu muitas oportunidades para a fé.

“Se não fosse a pandemia, não teríamos tido um retiro como esse”, disse o padre Jay Kythe na manhã de Páscoa. Os monges da Abadia de São Bento, em Atchison, Kansas, mudaram o retiro presencial dos estudantes do Benedictine College para uma modalidade de encontro on-line, esperando que 100 pessoas pudessem participar. Três mil aderiram, de seis continentes (em parte, graças à Aleteia).

Como muitas outras pessoas em todo o país, o estudo bíblico da Ascension Press de que meu filho e eu estávamos participando teve que que ser cancelado. Mas, em vez disso, Jeff Cavins ofereceu uma versão on-line gratuita que alcançou muito mais do que os grupos paroquiais estavam alcançando.

Esse tipo de coisa está acontecendo repetidamente: sentimos falta de ir à Missa e retornaremos quando pudermos, mas obtivemos homilias notáveis ​​do bispo Robert Barron e do padre Michael Schmitz. O fato de que isso coincidiu com a Semana Santa significou que meus filhos ouviram – e têm ponderado e discutido – os mistérios fundamentais da fé dos principais pregadores de nosso tempo. Que frutos isso dará ao longo da vida?

Infelizmente, ansiedade, medo e conflitos são parte da experiência da pandemia. Mas o mesmo acontece com o amor.

No Benedictine College, percebemos desde o início que nossos alunos estavam reagindo à crise encontrando maneiras criativas e enérgicas de atingir outras pessoas.

Um aluno iniciou um plano para executar tarefas para grupos de risco. Outros encontraram maneiras de ajudar as crianças locais a aprender. Enfermeiras formadas em nosso Centro de Enfermagem Madre Teresa seguiram o exemplo de sua padroeira, arriscando-se pelos outros.

Assim como as histórias dos socorristas que correm em prédios em chamas para salvar outras se tornaram a narrativa duradoura dos ataques terroristas de 11 de setembro, as histórias de profissionais médicos, caminhoneiros e voluntários da comunidade estão se tornando a história duradoura da pandemia.

“Se não fosse pela pandemia …”

O padre Jay Kythe deu um testemunho notável naquele retiro da abadia. A pandemia o aterrorizou e o aborreceu a princípio, disse ele. Mas agora, ele descobriu que podia dizer: “Embora os tempos sejam difíceis, as pessoas estejam morrendo e existam doenças e tristezas, Deus está tramando algo”.

“Se não fosse a pandemia, não teríamos tido esse retiro. Se não fosse a pandemia, não teríamos nos conectado tão bem com muitos de vocês ”, disse ele. “Se não fosse a pandemia, bem, preencha o espaço em branco para você …” concluiu.

Eu aceitei o desafio. Veja o resultado:

Se não fosse a pandemia, minha família não passaria tanto tempo juntos através do Zoom.

Se não fosse a pandemia, os filhos de um amigo nunca teriam visto Jesus Cristo visitar sua própria rua na procissão eucarística.

Se não fosse a pandemia, uma amiga não teria apresentado seus filhos à oração silenciosa diariamente em casa.

Se não fosse a pandemia, muitos de nós nunca teriam tido tempo livre com nossas famílias do jeito que temos.

Se eu pudesse pular a pandemia, eu pularia – em um piscar de olhos. Mas Deus permitiu, e ele está tramando algo.


Fonte: www.aleteia.org



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!

Lenço Branco de N. Senhora
Saiba o que é, como fazer e as orações necessárias.
Óleo de São Rafael e Santa Filomena
Saiba mais sobre este santo remédio em tempos difícies
As 15 Orações de Santa Brígida
As promessas de Jesus para a alma que rezar estas orações.
Jesus eu Confio em vós
Nada negarei a alma que às 3 hs da tarde recitar minhas orações
Devoção às Gotas de Sangue de Cristo
Será livrado das penas do Purgatório.
Para os irmãos protestantes
Foi no colo de uma mulher que Deus colocou toda esperança do mundo



Total Visitas Únicas: 8.938.645
Visitas Únicas Hoje: 802
Usuários Online: 195