Espacojames


Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 4767 - Semana Santa: reencontrar as raízes mais profundas de nossa fé, exorta Cardeal Scherer
Artigo visto 1856




Visto: 1856
Postado em: 31/03/10 às 11:41:48 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=4767
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

SÃO PAULO, 30 Mar. 10 / 05:15 pm (ACI).- Em um artigo que leva por título “Foi por nós...” publicado ontem (29) no site da Arquidiocese de São Paulo, o Cardeal Odilio Pedro Scherer convidou os fiéis a participarem intensamente dos mistérios do Tríduo Pascal, afirmando que “Jesus Cristo, contemplado e acompanhado nos dias derradeiros de sua vida neste mundo” é o centro da Semana Santa. O arcebispo exorta a que a celebração da Páscoa ajude os fiéis a “reencontrar as raízes mais profundas de nossa fé e da vida cristã: nossa firme e amorosa adesão a Jesus Cristo”.


“A Semana Santa, para muitos, talvez, seja ocasião para férias, viagens e negócios. Não assim, para os cristãos e filhos da
Igreja. Sem nos deixarmos levar pelas tentações do consumismo e das mil propostas de lazer, nem pelo indiferentismo diante da "Semana Maior" na vida litúrgica da Igreja, acompanhemos com fé intensa a celebração do Mistério Pascal de paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. É o ponto alto do caminho quaresmal de penitência e conversão, que fizemos durante 40 dias; é o centro do ano litúrgico e das celebrações da Igreja”, assinalava Dom Scherer.

“Porém, como viver bem a Semana Santa?”, perguntava o Cardeal Arcebispo.
Em resposta o prelado afirmou que “sem grandes mistérios: saiamos de casa, acompanhemos as celebrações da Igreja, desde o
Domingo de Ramos, concentrando-nos no sagrado Tríduo Pascal, que culmina com o Domingo da Ressurreição do Senhor”.
“A Liturgia da semana santa é muito bonita e significativa. Além disso, a religiosidade popular e a arte deram belas expressões à fé cristã, que ajudam a entrar no mistério profundo daquilo que celebramos”.

Mais adiante o purpurado assinalou que  “especialmente recomendável, como conclusão do caminho penitencial da
Quaresma, é a realização de uma boa, humilde e sincera revisão de vida, seguida da confissão sacramental; a Igreja nos pede que celebremos a Páscoa com a alma renovada pelo perdão dos pecados, que Jesus mereceu para todos sobre a cruz e que recebemos através do sacramento da Igreja”.
“Também são recomendados pela Igreja o jejum e a abstinência na sexta-feira santa, a
oração mais intensa, a caridade para com o próximo e a escuta atenta da Palavra de Deus, tão ricamente servida a nós pela Liturgia desses dias”, asseverou.

Mais adiante o arcebispo da capital paulista destacava:
“Qual é o centro da semana santa? A resposta só pode ser uma: Jesus Cristo, contemplado e acompanhado nos dias derradeiros de sua vida neste mundo: "tendo amado os seus que estavam neste mundo, amou-os até o fim" (Jo 13,1). Não é teatro religioso, não é mero sentimentalismo que se promove, mas o encontro pessoal e profundo com Aquele, que amou também a cada um de nós "até o fim", até o extremo do amor, entregando sua vida para dar vida a nós: "Não há maior prova de amor que dar a vida por aquele que se ama" (cf Jo 15,13). A celebração da Páscoa deve fazer-nos reencontrar as raízes mais profundas de nossa fé e da vida cristã: nossa firme e amorosa adesão a Jesus Cristo. Por isso, de fato, a Igreja nos convida a renovar as promessas do nosso
Batismo na noite da Páscoa: nossa vida revive na fonte da vida, que é o Senhor ressuscitado!”

“O que celebramos na semana santa vai além daquilo que as palavras conseguem dizer: fala do mistério terrível do mal, que se abateu sobre o Filho de Deus feito homem, está presente em cada época da história e também envolve a cada um de nós”, recalcou o prelado.
“Mas fala ainda mais do mistério grande do amor de Deus – "tanto Deus amou o mundo, que lhe entregou seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crer, não pereça, mas tenha a vida eterna" (Jo 3,16)”.

Por último Dom Odilio Scherer exortou a que “ninguém deixe escorrer, mais uma vez, diante dos olhos este drama, no qual todos nós somos atores, e cujo final é a vitória do amor e da vida sobre o pecado e a morte. Foi por nós que isso aconteceu. E acontece ainda”, concluiu.


Para ler o artigo na íntegra, visite o site da Arquidiocese paulista em: http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/artigos/2010/artigos_100329_pascoa.htm



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!

LEIA TAMBÉM
Pretender culpar ao celibato por más condutas sexuais é "abuso de abusos", diz Cardeal Kasper
"Bento, cinco anos sob ataque": Avaliação de um pontificado brilhante
Associar a pedofilia ao celibato é pura má fé, esclarece bispo brasileiro
Dom Tomasi critica cultura ocidental que ridiculariza religião
Extremistas assassinam menino cristão de três anos idade no Iraque
Ataques ao Papa são sugeridos pelo demônio, afirma o famoso exorcista Pe. Gabriele Amorth
Ataques ao Papa mostram guerra do laicismo contra o cristianismo, diz perito italiano
Oriente Médio: há que deter as discriminações contra os cristãos
Der Spiegel, principal revista alemã, quer a demissão de Bento XVI
Veja mais artigos relacionados
 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.266.646
Visitas Únicas Hoje: 1.273
Usuários Online: 255