Espacojames


Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 7271 - VIVER A FÉ CRISTÃ É TER RELAÇÃO FAMILIAR COM DEUS, DIZ CARDEAL
Artigo visto 2005




Visto: 2005
Postado em: 09/02/11 às 22:11:48 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=7271
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

“Não estamos sozinhos neste mundo, abandonados à nossa sorte”

SÃO PAULO, quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011 (ZENIT.org) - O cardeal Odilo Scherer afirma que viver a fé cristã “é, acima de tudo, viver uma relação familiar com Deus: de pai para filho e de filho para pai”.

Em artigo difundido na edição desta semana do jornal O São Paulo, Dom Odilo enfatiza que, para o cristianismo, como já era para o judaísmo, “Deus não é só uma ‘energia’, uma ‘força’ ou uma ‘ideia’.

É “um ser pessoal, um Tu, que se relaciona com o mundo e entrou em diálogo com o homem, falou e se manifestou a ele de muitos modos”.

Para o arcebispo de São Paulo, longe de ser “o grande ausente, Deus está presente e próximo de suas criaturas como supremo interessado no bem delas. Isso aparece em toda a Bíblia”.

Na concepção judaico-cristã – explica o cardeal –, “entra um elemento a mais, que se tornou manifesto, sobretudo, através de Jesus Cristo”.

“Deus é ‘pai’ e ama cada pessoa e a humanidade inteira com amor extremado e cheio de ternura; conhece a cada um e traz ‘tatuado’ na palma de sua mão o nome de cada pessoa.”

“Nosso Deus é como um pai que ama muitíssimo seus filhos, todos eles; também os que o abandonaram, ou fugiram de casa, como o filho pródigo...; ama também os que ainda não o conhecem e os que não querem saber de Deus.”

Neste sentido, viver a fé cristã é “viver uma relação familiar com Deus”. E, como ninguém é filho de Deus sozinho – prossegue o cardeal –, “a consequência imediata é que faz parte da expressão da fé cristã também a vivência fraterna de todos os filhos do pai do céu”.

“Amor a Deus e amor ao próximo são inseparáveis no cristianismo, com todas as suas implicações de respeito, solidariedade, compaixão, bondade, perdão, justiça. Um ‘Deus só para mim’ não seria o do cristianismo”, afirma.
 Pensando bem nisso – considera Dom Odilo –, “como se torna simples e bonito o viver cristão!”

“Ser cristão, ou viver a nossa religião, é viver a dinâmica do encontro e da relação com o Tu, na condição de filhos de Deus; podemos relacionar-nos com Deus, como os filhos fazem com seu pai, com toda a simplicidade e confiança, como Jesus ensinou no Pai Nosso!”

A religião, neste caso, “deixa de ser, antes de tudo, um conjunto de doutrinas, preceitos morais e ritos cultuais; tudo isso também faz parte, mas vem depois, como consequência do dom maravilhoso e da descoberta desta graça incomensurável: somos filhos de Deus!” 

“Deus é nosso Pai e nos ama com amor infinito! Enviou-nos seu Filho e o Espírito Santo, para manifestar-se a nós e envolver-nos com este amor inimaginável: ‘tanto Deus amou o mundo!’ Deus pensou em nosso bem e nos quer bem, muito mais que podemos imaginar! Não estamos sozinhos neste mundo, abandonados à nossa sorte!”

Segundo Dom Odilo, é por isso que se reza no 5º Domingo do Tempo Comum: “Velai, ó Deus, sobre a vossa família com incansável amor!”.

“Somos a família de Deus! Isso mesmo: a família humana inteira, mesmo os que ainda não o conhecem ou até não querem fazer parte desta família de filhos e irmãos.”

Mas, de maneira especial – afirma o cardeal –, “a ‘família de Deus’ é formada por aqueles que o Filho congregou na sua Igreja, os ‘fiéis em Cristo’. Ser cristão é viver a alegria do dom; é deixar-se amar e responder ao amor. Com incansável amor!”

(Alexandre Ribeiro)


Fonte: http://www.zenit.org/article-27212?l=portuguese



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!

LEIA TAMBÉM
Vaticano reitera direito a liberdade religiosa dos cristãos no Meio Oriente
Cristãos no Egito temem possível imposição de extremistas muçulmanos
Mais de 1500 extremistas muçulmanos atacam igrejas cristãs na Indonésia devido à lei de blasfêmia
MUNDO DE HOJE TAMBÉM SENTE NECESSIDADE DE DEUS, DIZ PAPA
O Padre que usou da inteligência para proteger a população da ignorância da polícia
COMEÇA TERCEIRA FASE DO DIÁLOGO ENTRE CATÓLICOS E ANGLICANOS
EUROPA PRECISA RECONHECER SUAS RAÍZES CRISTÃS, AFIRMA PAPA
SEGUIR CRISTO NA CHINA
Por que um CATÓLICO não pode ser ESPÍRITA?
Veja mais artigos relacionados
 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.323.698
Visitas Únicas Hoje: 1.799
Usuários Online: 307