Espacojames


Página Inicial
Listar Destaque




Artigo N.º 9181 - CRISTÃOS EGÍPCIOS CONDENAM REPRESSÃO MILITAR
Artigo visto 1780




Visto: 1780
Postado em: 29/11/11 às 07:31:57 por: James
Categoria: Destaque
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=41&id=9181
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Destaque

Dezenas de mortos e milhares de feridos na praça Tahrir

CAIRO, quinta-feira, 24 de novembro de 2011 (ZENIT.org) - Dezenas de milhares de manifestantes egípcios continuam reunidos na praça Tahrir, no Cairo, para protestar contra a lentidão das reformas esperadas após a queda do ex-presidente Hosni Mubarak, há nove meses.

As forças militares tomaram medidas drásticas contra os protestos. Estima-se que o número de mortes esteja entre 25 e 40. Mais de 1.500 pessoas ficaram gravemente feridas.

Dom Antonios Aziz Mina, bispo copta-católico, defendeu os manifestantes e condenou energicamente a ação militar. "As autoridades não têm o direito de atirar em pessoas pacíficas".

Bispo copta de Gizé, maior cidade das proximidades do Cairo, Aziz foi entrevistado pela Ajuda à Igreja que Sofre, e explicou que tanto os cristãos quanto os muçulmanos estão unidos na Praça Tahrir em defesa dos direitos humanos. "As pessoas têm o direito de expressar seu ponto de vista. A única maneira de fazer isso é ir para as ruas". Os protestos se espalharam da capital para cidades como Alexandria, Suez e Damietta.

O padre Rafic Greiche, porta-voz da Igreja Católica, afirmou à agência Asia News que muitos manifestantes passaram mal por causa do gás lacrimogêneo usado pela polícia. Outros saíram feridos e se queixam da presença de maus policiais nas forças de ordem pública.

Segundo as últimas notícias, o marechal Mohamed Hussein Tantawi, chefe do conselho militar que vem governando o Egito desde a renúncia de Mubarak, em 11 de fevereiro, prometeu que as eleições serão realizadas em junho de 2012, e que os militares cederão opoder a um presidente civil em julho.

As eleições parlamentares foram agendadas para segunda-feira que vem, mas agora surgem dúvidas sobre a sua realização e sobre a sua aceitação legítima.

As relações entre a Igreja copta e os líderes militares estão particularmente tensas, em especial depois dos ataques contra os manifestantes cristãos no Cairo, em outubro, que causaram a morte de ao menos 25 pessoas, a maioria cristãos, além de centenas de feridos.

Na quinta-feira, centenas de cristãos coptas marcharam para exigir justiça para as vítimas de outubro. Durante os protestos, os manifestantes foram atacados por pessoas que atiravam pedras e garrafas: cerca de 25 ficaram feridos.

Na entrevista para a Ajuda à Igreja que Sofre, o bispo Aziz disse que o regime deixou de responder às exigências dos manifestantes, que querem se livrar das restrições ao culto cristão e à construção de igrejas.

 


Fonte: http://www.zenit.org/article-29280?l=portuguese



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!

LEIA TAMBÉM
QUEM É SATANÁS REALMENTE?
Sacerdote denuncia o perigos da religião universal proposta pela ONU
Passageiro abre porta de avião em pleno voo querendo “falar com Deus”
Nos EUA: Cristão é demitido por se negar a usar o número "666" no uniforme da empresa
Homem que dizia ser o anticristo é punido com 666 meses de prisão
O Papa e os sinais no céu.
Em um livro para crianças o Papa explica quem é a Virgem Maria
Cardeal Bertone: ante o laicismo intolerante urge a evangelização
34.000 CATÓLICOS A MAIS POR DIA
Veja mais artigos relacionados
 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.264.176
Visitas Únicas Hoje: 556
Usuários Online: 218